oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
ANáLISE MULTI-CASOS DA GEST O DA INOVA O EM EMPRESAS DE PEQUENO PORTE  [cached]
Lílian Barros Pereira Campos,Roger Júnio Campos
Revista PRETEXTO , 2013,
Abstract: As empresas de pequeno porte, empregadoras de até 99 funcionários, têm relevante papel na economia brasileira por serem significativas em quantidade e em gera o de empregos. Diante deste cenário, justifica-se o estudo de práticas da gest o da inova o nessas empresas que precisam desenvolver vantagens competitivas sustentáveis. Para elucidar esta quest o, lan ou-se m o da revis o da literatura sobre práticas e dimens es da gest o da inova o. Foi necessário também aprofundar a abordagem do tema verificando quais dificuldades e alternativas para as empresas de pequeno porte quando o assunto é gest o da inova o. Para levantar dados diretos do fen meno analisado, foi feito um estudo multi-casos em três microempresas. Os resultados confirmam que inovar n o tem sido uma prioridade para essas empresas uma vez que seus líderes est o envolvidos na solu o de quest es básicas de gest o tais como organiza o, planejamento e produ o. O estudo refor ou também o que a literatura diz sobre a gest o da inova o em empresas de pequeno porte nas quais, via de regra, os processos s o conduzidos de maneira n o sistemática e informal. Foi identificado que o acesso a recursos de incentivo à inova o é uma das principais dificuldades da gest o da inova o em empresas de pequeno porte. Os aspectos relacionados a pessoas dedicadas à inova o, estrutura o de processos de levantamento e avalia o de novas ideias e estrutura dedicada à inova o também s o apontados como críticos para os casos estudados.
Estudo de casos sobre abandono do tratamento da tuberculose: avalia o do atendimento, percep o e conhecimentos sobre a doen a na perspectiva dos clientes (Fortaleza, Ceará, Brasil)  [cached]
Lima Mary Braga de,Mello Dalva A.,Morais Ana Patrícia P.,Silva Weber C. da
Cadernos de Saúde Pública , 2001,
Abstract: Esta pesquisa foi desenvolvida em 1995 e 1996 no Centro de Saúde Oliveira Pombo, Fortaleza, Ceará. Os objetivos foram os seguintes: geral - identifica o de fatores que determinam o abandono do tratamento da tuberculose; específicos - análise da dinamica do atendimento e da freqüência de casos e de abandono do tratamento; identifica o das características sócio-econ micas e culturais dos clientes (atores sociais); causas impeditivas ao tratamento; conhecimentos e percep o da doen a pelos clientes. Duas abordagens metodológicas foram utilizadas: de natureza epidemiológica descritiva e sociológica interpretativa, utilizando questionário semi-estruturado com os seguintes conteúdos: sexo; idade; estado civil; escolaridade; ocupa o; rendimento; descri o da residência; formas de deslocamento; níveis de conhecimentos e percep o sobre a doen a e o tratamento; identifica o de sentimentos reativos à doen a; avalia o sobre o atendimento; comportamento e estilos de vida prejudiciais; decis es de mudan as para melhoria da saúde. Os resultados obtidos apontaram fatores múltiplos de natureza complexa, que influem direta ou indiretamente para o abandono do tratamento.
CONFIANZA PARA EFECTUAR COMPRAS POR INTERNET  [cached]
MIGUEL DAVID ROJAS LóPEZ,PAULA ARANGO,JUAN PABLO GALLEGO
DYNA , 2009,
Abstract: En este artículo se presenta una revisión sobre el estado del arte de la confianza, características principales y diferentes disciplinas desde donde se ha definido. Por otro lado, se aborda la confianza para realizar compras por Internet y se identifican sus diferentes características, a través del modelo basado en la jerarquía de aprendizaje estándar. Además, se agregan varios aspectos que han sido representativos para Colombia al momento de definir la confianza en Internet por parte de los consumidores. Finalmente, se expresan las principales conclusionessobre el tema.
Gestión de compras y contrataciones gubernamentales
Pimenta, Carlos César;
RAE eletr?nica , 2002, DOI: 10.1590/S1676-56482002000100013
Abstract: el área de compras y contrataciones gubernamentales debería ser uno de los componentes más importantes en los procesos de reforma del estado. el estado está cambiando de productor directo de bienes y servicios para un estado cada vez más contratador, regulador y evaluador. para proveer servicios el estado puede organizar su acción de diversas formas: ejecución directa, contratación externa privada (outsourcing), contratación de personas públicas no estatales, asociación, concesión, privatización con reglamentación, entre otras. con la tendencia de descentralización de la acción del estado, algunos principios generales para el sector de compras y contrataciones serían: (1) tercerización (outsourcing), (2) transparencia, (3) flexibilidad administrativa, (4) evaluación de resultados, (5) modelo de gestión descentralizado pero integrado por la tecnología de la información, (6) no-estandarización de reglas para la administración descentralizada y (7) busca del menor precio con la mejor calidad sin reservas de mercado. el área de sistemas de información también es clave con la integración de las adquisiciones con la ejecución financiera y la gestión estratégica, además del desarrollo de licitaciones electrónicas.
Vantagem competitiva das empresas: qual a influência da inova o verde?
Daiane Lindner Radons,Luciana Flores Battistella,Márcia Zampieri Grohmann
Revista Brasileira de Administra??o Científica , 2012, DOI: 10.6008/ess2179-684x.2012.003.0007
Abstract: Nas últimas décadas, o aumento da concorrência, devido à entrada de novas organiza es no país e o maior nível de exigência dos consumidores, faz com que as empresas busquem novas formas de satisfazer os clientes, atendendo suas necessidades com qualidade a fim de alcan ar a sobrevivência dos negócios. Assim, a quest o ambiental e a busca de competitividade passam a serem quest es problematizadas na sociedade, nas institui es e por esse estudo. O objetivo principal desse trabalho é identificar se a inova o verde influencia positivamente a vantagem competitiva das empresas. Para tanto, foi utilizado como instrumento de coleta de dados o modelo de Chen, Lai e Wen (2006), referente à Inova o Verde, dividindo-a em Inova o do Produto Verde e Inova o do Processo Verde, e Vantagem Competitiva. Os resultados alcan ados mostram que as empresas consideram que a Inova o do Processo Verde é o construto que mais impacta na Vantagem Competitiva. Considerando as médias obtidas com as respostas dos questionários, o construto Inova o do Produto Verde alcan ou a maior média, seguido da Inova o de Processo Verde e da Vantagem Competitiva. De forma geral, os respondentes da pesquisa mostraram-se preocupados com a quest o ambiental, tanto no desenvolvimento de produtos como no processo de opera o, e est o voltados para a busca de vantagem competitiva através de práticas ambientais responsáveis.
INOVA O E TECNOLOGIA: UM ESTUDO DISCURSIVO DE SUAS SINGULARIDADES  [cached]
Luciano Augusto Toledo,Moises Ari Zilber
Revista PRETEXTO , 2009,
Abstract: O presente artigo é uma exposi o descritiva e crítica das singularidades inerentes ao tema inova o e tecnologia. S o colocadas em relevo as a es inovadoras adotadas pelas organiza es que buscam por meio de mudan as fazer com que objetivos empresarias sejam alcan ados. Uma contribui o recorrente é a análise de algumas quest es relacionadas com benefícios, vantagens e restri es que normalmente cercam o processo de inova o e de tecnologia, inclusive. O trabalho foi estruturado sob a modalidade de ensaio, e comp e-se de uma revis o do referencial teórico, mediante uma análise conceitual crítica de alguns aspectos pertinentes ao tema inova o e tecnologia. Finalmente destaca-se que processo inovador é desafiador, pois possibilita difusas interpreta es e envolve a gest o de competências nos ambitos tecnológico, mercadológico e gerencial. Seu entendimento e sua prática exigem tempo, dedica o e investimentos, além de inova es verdadeiramente significativas. E ser significativa é contribuir para o crescimento da organiza o, e ao mesmo tempo, expor valor aos clientes, e estes serem capazes de experimentar esse valor.
INOVA O TECNOLóGICA E LEALDADE à MARCA NO MERCADO DE APARELHOS CELULARES NO BRASIL  [PDF]
Moisés Ari Zilber,Sergio Lex,Maria Cristina Zampieri Sellmann
Gest?o & Regionalidade , 2006,
Abstract: A inova o tem sido vista pelos fabricantes de bens de consumo duráveis e n o duráveis como estratégia para a conquista de novosclientes, com o sentido de aumentar a participa o de mercado e, conseqüentemente, a lucratividade. De outro lado, a lealdade doconsumidor à marca é um comportamento que todo fabricante gostaria de encontrar em seus clientes, pois parece que a lealdade contribui para redu o de custos operacionais e, conseqüentemente, para aumentar a lucratividade do fabricante. Trata-se de um trabalho de caráter exploratório, com o foco voltado para o mercado de telefones celulares, que, através de pesquisa quantitativa, identificou,de um lado, os fatores que podem caracterizar uma empresa voltada para a inova o tecnológica (inovador, risco, rela o custo/benefícioe mudan as) e, de outro, os fatores que podem caracterizar a lealdade dos clientes à marca (satisfa o, comodismo e repeti o).
A INOVA O E O DESIGN ESTéTICO NA GERA O DE CAPACIDADES DIN MICAS: UM ESTUDO DE CASO BTOB  [cached]
Carlos Alberto Gon?alves,Euler Alves Brand?o,Reynaldo Maia Muniz
Revista PRETEXTO , 2008,
Abstract: Nesse artigo, analisou-se o fator inova o como inten o estratégica adotada por uma das maiores agências de propaganda do país, que vem se destacando em sua atividade, com índices de crescimento maiores que a média setorial nos últimos anos. A pesquisa se justifica pelo estudo de caso da agência, que promove e apoia empresas em setores altamente competitivos de varejo de eletroeletr nicos, artigos esportivos e indústria relojoeira. A interatividade da agência com as empresas clientes é orientada pela busca contínua dos fatores de inova o em sinergismo com o marketing do estético. O caso relata a combina o de for as motrizes BtoB em coevolu o, acelerando a curva de aprendizagem dos parceiros, construindo capacidades dinamicas no intento de gerar vantagens competitivas. Apresenta-se a constante busca de diferencia o para gerar valor aos clientes e maior participa o nas fatias de mercado mediante forte compromissos de gest o na rela o BtoB dos parceiros. Além disso, o estudo demonstrou que os três diferentes interessados: clientes, os funcionários e dirigentes se integram fortemente no processo de inova o promovendo os crescimentos conjuntos da agencia de propaganda e das empresas clientes.
Compras corporativas estatales: el regalo guardado en el armario  [cached]
Sandro Hernández Diez
Derecho PUCP , 2011,
Abstract: Las compras corporativas son una modalidad de selección incorporada en el TUO del Reglamente de la Ley de Contratacione, aprobada mediente el decret supremo 084-2004-PCM, y que tiene como antecedente la ley de Presupuesto del a o 2003. Tiene entre una de sus principalescaracterísticas a la demanda agregada, un acto mediante el que se recoge la decisión de efctuarla. Se trata de un proceso único, a cargo de una sola entidad. Son ventajas de las compras corporativas obtener menores precios en los bienes o servicios que se desean adquirir o contratar, pues permiten una adecuanda racionalización de los recursos, facilitan la supervisión de los procesos y le dan un mayor valor agregado al dinero del Estado, ya que se podrá adquirir-por el mismo precio-una mayor cantidad de bienes en mejores condiciones para la entidad.
Inova o e Usabilidade orientada para ‘User Experience’ Inova o e Usabilidade orientada para ‘User Experience’
Antonio Mendes Silva Filho
Revista Espa?o Acadêmico , 2010,
Abstract: Tempo é algo precioso a todo ser humano. Em geral, as pessoas tornam-se insatisfeitas, frustradas e até mesmo enraivecidas quando têm a execu o de atividades de maneira lenta, com retardo causado por tempo de resposta (de sistema) longo. O tempo de resposta de um sistema compreende o período desde o instante no qual uma pessoa realiza uma a o até o momento no qual o sistema apresenta qualquer resposta. Esse tempo impacta a satisfa o do usuário no uso de um produto e, conseqüentemente, a qualidade de servi o e usabilidade desse produto. Perceba que projetar novos produtos requer preocupa o constante com o usuário final e a maneira através da qual ele interage com o produto. Trata-se da experiência do usuário. O fator determinante de sucesso de novos produtos n o advém apenas dos esfor os das equipes de propaganda e marketing, mas principalmente da inova o que as empresas colocam em seus produtos. E, essa inova o vem de quanto a empresa está preocupada com seus usuários (clientes) e, mais ainda, pela maneira através da qual eles vêem os produtos. Nesse sentido, a experiência do usuário no uso produto ou servi o é essencial. Observe que o usuário (cliente) é a parte mais importante do negócio. Dentro desse contexto, este artigo explora e discute como inova o e usabilidade s o impactadas pela experiência do usuário no uso e ado o de novas tecnologias. Tempo é algo precioso a todo ser humano. Em geral, as pessoas tornam-se insatisfeitas, frustradas e até mesmo enraivecidas quando têm a execu o de atividades de maneira lenta, com retardo causado por tempo de resposta (de sistema) longo. O tempo de resposta de um sistema compreende o período desde o instante no qual uma pessoa realiza uma a o até o momento no qual o sistema apresenta qualquer resposta. Esse tempo impacta a satisfa o do usuário no uso de um produto e, conseqüentemente, a qualidade de servi o e usabilidade desse produto. Perceba que projetar novos produtos requer preocupa o constante com o usuário final e a maneira através da qual ele interage com o produto. Trata-se da experiência do usuário. O fator determinante de sucesso de novos produtos n o advém apenas dos esfor os das equipes de propaganda e marketing, mas principalmente da inova o que as empresas colocam em seus produtos. E, essa inova o vem de quanto a empresa está preocupada com seus usuários (clientes) e, mais ainda, pela maneira através da qual eles vêem os produtos. Nesse sentido, a experiência do usuário no uso produto ou servi o é essencial. Observe que o usuário (cliente) é a parte mais importante do negócio. Dentro
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.