oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Produ??o de alface com doses de lodo de esgoto
Lopes, José Carlos;Ribeiro, Luiz G.;Araújo, Marcelo G. de;Beraldo, Marcela Regina B.S.;
Horticultura Brasileira , 2005, DOI: 10.1590/S0102-05362005000100030
Abstract: the lettuce production was evaluated in soil treated with sewage sludge as source of organic matter. the experiment was carried out in the greenhouse of the universidade federal do espirito santo, espirito santo state, brazil, in a complete randomized design with five replications. plants were grown in plastic pots with 6 dm3 of soil mixture using sewage sludge in increasing doses of 0; 33.3; 66.6; 99.9 and 133.2 g dm-3. the development of lettuce plants in soil treated with sewage sludge differed significantly from the control and the regression suggests the possibility of use of larger doses of sewage sludge in the lettuce production.
Efeito do lodo de esgoto na indu o de supressividade in vitro a Phytophthora nicotianae  [cached]
Leoni Carolina,Ghini Raquel
Fitopatologia Brasileira , 2003,
Abstract: Uma alternativa de manejo das doen as causadas por Phytophthora spp. é o uso de matéria organica. No presente trabalho foi avaliada a potencialidade do lodo de esgoto na indu o de supressividade in vitro a P. nicotianae. O efeito do lodo de esgoto incorporado ao solo na sobrevivência de P. nicotianae foi avaliado mediante um experimento fatorial com dois fatores: doses de lodo de esgoto (0, 10, 20 e 40% p/p) e concentra es de inóculo [0, 10 ou 20 g de gr os de trigo (Triticum aestivum) colonizados kg-1]. Aos 21 dias, quando aumentaram as doses de lodo de esgoto, a sobrevivência de P. nicotianae e os pHs das misturas diminuíram, e as condutividades elétricas (CE) aumentaram. As correla es entre a CE e a sobrevivência do patógeno foram negativas e significativas (P>0,05). Para estudar o efeito dos compostos químicos envolvidos na supressividade, foram obtidos extratos em água, H2SO4 2N e KOH 0,4N de misturas de areia - lodo de esgoto (20% p/p), e foram acrescentados ao meio de cultura e seu efeito avaliado no crescimento das col nias de P. nicotianae. O extrato ácido (H2SO4 2N) do tratamento com 20% de lodo de esgoto inibiu significativamente (P>0,05) o crescimento da col nia do patógeno. O efeito biológico foi estudado mediante isolamento de microrganismos em meio de cultura e sele o por antagonismo. No bioensaio com plantulas de alfafa (Medicago sativa) destacaram-se os isolados F9.1 (Aspergillus sp.) e A12.1 (actinomiceto, n o identificado); e no teste de culturas pareadas destacou-se um Trichoderma sp. e dois actinomicetos por antibiose, e um Trichoderma sp. e três Aspergillus sp. por hiperparasitismo.
NíVEIS DE LODO DE ESGOTO NA PRODUTIVIDADE DO GIRASSOL Level of sewage sludge for the productivity of sun flower  [cached]
Thomaz Figueiredo,Lobo e Helio Grassi Filho
Revista de la Ciencia del Suelo y Nutrición Vegetal , 2007,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficiencia do lodo de esgoto em fornecer N para a cultura do girassol, em substitui o ao N mineral. O lodo de esgoto por ser um residuo organico atêm do fornecimento do N, poderá contribuir com outros nutrientes para as culturas, pois é rico de N, P, S, Cu, Fe, Mn e Zn A sua utiliza o na agricultura, alem de poder melhorar as características químicas e físicas dos solos, trará urna sobrevida aos aterras sanitarios. O experimento foi conduzido na Fazenda S o Manuel da Faculdade de Ciências Agronómicas da UNESP Campus de Botucatu, localizada no municipio de S o Manuel. Adotou-se o delineamento experimental em blocos casualizado constituido por 6 tratamentos e 5 repeticoes. Os tratamentos foram: TO - aduba o mineral de acordó com o boletim 100, mas sem N; TI - aduba o química de acordó com o boletim técnico 100 do IAC; T2 - foi utilizado 50% do N proveniente do lodo de esgoto e o restante foi proveniente da aduba o química; T3 - foi utilizado 100 % do N proveniente do lodo de esgoto; T4 - foi utilizado 150% do N proveniente do lodo de esgoto; T5 - foi utilizado 200% do N proveniente do lodo de esgoto. Foram utilizados como fonte de N a uréia, de P o superfosfato simples, de K o cloreto de potassio e de B o ácido bórico. Cada parcela foi constituida por 100 m2. Para o girassol, a utiliza o de lodo de esgoto como fonte de N trouxe incrementos significativos na produtividade de gr os de óleo e de materia seca The aim of the present study was to evaluate the efficacy of sewage sludge in supplying N to sunflower plants in order to substitute mineral N. Sewage sludge is an organic residue and, therefore, can contribute with several nutrients like P, S, Cu, Fe, Mn and Zn in addition to N supply. Besides improving the chemical and physical characteristics of soils, utilization of sewage sludge in agriculture can increase the lifespan of sanitary landfills. The present experiment was carried out at S o Manuel Farm, which belongs to the School of Agronomical Sciences [Faculdade de Ciências Agronomicas-UNESP, Botucatu] and is located at the city of S o Manuel. An experimental design in randomized blocks was adopted including 6 treatments and 5 replications. Treatments were as follows: TO - mineral fertilization according to bulletin 100 but without N; Tl - chemical fertilization according to IAC technical bulletin 100; T2 - 50% of N from sewage sludge plus 50% N from chemical fertilization; T3 - 100% of N from sewage sludge; T4 - 150% of N from sewage sludge; T5 - 200% of N from sewage sludge. Urea was used as source of N
CRESCIMENTO E NUTRICI O DE MILHO DECORRENTES DA APLICA O DE LODO DE ESGOTO DOMéSTICO
Giovanni de Oliveira Garcia,Afonso Zucoloto Venturin,Heitor Rodrigues Ribeiro,Morgana Scaramussa Gon?alves
Nucleus , 2012,
Abstract: Com o objetivo de avaliar o crescimento e a nutri o em plantas de milho decorrente da aplica o de lodo de esgoto doméstico provenientes da esta o de esgoto doméstico do Município de Jer nimo Monteiro foi montado um experimento no delineamento inteiramente casualizados no esquema fatorial 4X3 com cinco repeti es.Os fatores constituíram na avalia o em quatro fases fenológicas do desenvolvimento da cultura do milho(crescimento vegetativo, flora o, forma o da colheita e matura o dos gr os) e três tratamentos constituídos de uma aduba o mineral, utiliza o de lodo de esgoto equivalente a dose de nitrogênio recomendada para a cultura e aplica o de lodo de esgoto com complementa o da aduba o mineral. Nas fases fenológicas do crescimento vegetativo, flora o, forma o de colheita e matura o dos gr os foi determinada uma análise de crescimento e na flora o uma análise nutricional. Os resultados obtidos mostraram que a aplica o de lodo de esgoto doméstico + aduba o mineral proporcionou aumentou da massa seca total e da parte aérea, área foliar e dos teores foliares denitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, enxofre, zinco, manganês, cobre e boro e cobre nas plantas de milho.In order to evaluate the growth and nutrition in corn plants resulting from the application of sewagesludge from the sewage station in the city of Jer nimo Monteiro was mounted in a completely randomizedexperiment in 4X3 factorial design with five replications. The factors in the evaluation consisted of four phases ofphenological development of maize (vegetative growth, flowering, harvesting and formation of grain maturity) andthree treatments consisting of a mineral fertilizer, use of sewage sludge nitrogen equivalent dose recommended forculture and application of sewage sludge with supplementation of mineral fertilizer. Phenological phases ofvegetative growth, flowering, formation and maturation of the grain harvest was a particular analysis of growth andflowering a nutritional analysis. The results showed that the application of sewage sludge provided + mineralfertilizer increased the total dry mass and shoot, leaf area and leaf nitrogen, phosphorus, potassium, calcium,magnesium, sulfur, zinc, manganese, copper and boron and copper in maize plants.
Efeito do lodo de esgoto em um Argissolo e no crescimento e nutri o de milho
Simonete Marcia Aparecida,Kiehl Jorge de Castro,Andrade Cristiano Alberto,Teixeira Claudia Fernanda Almeida
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2003,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da aplica o de lodo de esgoto nas propriedades químicas de um Argissolo Vermelho-Amarelo, e na produ o de matéria seca e acúmulo de nutrientes em plantas de milho. O experimento foi realizado em casa de vegeta o, em delineamento inteiramente casualizado e os tratamentos foram dispostos em fatorial 6x2x2, com quatro repeti es. Ao solo (3 kg), contido em vasos, adicionaram-se doses de lodo equivalentes a 0, 10, 20, 30, 40 e 50 Mg ha-1 (base seca). Após incuba o por 30 dias, retiraram-se amostras de solo para análise, realizaram-se complementa es minerais com P (0 e 100 mg kg-1) e K (0 e 100 mg kg-1) e cultivaram-se cinco plantas por vaso durante 50 dias. A aplica o de lodo elevou os teores de MO, P, K, Ca, Mg, SO4(2-), Al e H+Al do solo e diminuiu o pH. O acúmulo de macronutrientes e a produ o de matéria seca do milho aumentaram com a aplica o de lodo de esgoto e foram incrementados pela adi o de K, n o sofrendo efeito da aplica o de fósforo.
Altera es químicas em solos e crescimento de milho e feijoeiro após aplica o de lodo de esgoto  [cached]
Nascimento C. W. A.,Barros D. A. S.,Melo E. E. C.,Oliveira A. B.
Revista Brasileira de Ciência do Solo , 2004,
Abstract: O lodo de esgoto obtido do tratamento das águas servidas contém considerável percentual de matéria organica e de elementos essenciais para as plantas, podendo desempenhar importante papel na produ o agrícola e na manuten o da fertilidade do solo. O presente trabalho objetivou estudar o efeito da aplica o de doses crescentes de lodo produzido pela Companhia Pernambucana de Saneamento (COMPESA) sobre as características químicas de dois solos, quantidades de metais pesados absorvidas e crescimento de plantas de milho e de feijoeiro cultivadas em casa de vegeta o, visando à futura utiliza o do lodo em ensaios de campo. Foram utilizados dois tipos de solos com diferentes teores de argila aos quais foram adicionadas seis doses de lodo de esgoto (equivalentes a 0, 10, 20, 30, 40 e 60 Mg ha-1). As aplica es promoveram diminui o do pH e aumento dos teores de matéria organica, nitrogênio total, fósforo, potássio, sódio, cálcio e magnésio em ambos os solos, exce o feita aos teores de sódio e potássio de um deles. As doses de lodo de esgoto aumentaram a produ o de matéria seca do milho e do feijoeiro. Os teores dos metais Zn, Cu, Mn, Fe e Pb no lodo, no solo e nas plantas estiveram abaixo dos limites estabelecidos para utiliza o agrícola, o que permite sua aplica o sem maiores riscos ao ambiente.
Condutividade hidráulica saturada e n o saturada de Latossolo Vermelho eutroférrico tratado com lodo de esgoto  [cached]
Barbosa G. M. C.,Tavares Filho J.,Fonseca I. C. B.
Revista Brasileira de Ciência do Solo , 2004,
Abstract: Este trabalho teve por objetivo avaliar os efeitos de diferentes doses de lodo de esgoto na condutividade hidráulica saturada e n o saturada de um Latossolo Vermelho eutroférrico (Oxisol) durante dois anos consecutivos. O experimento foi instalado no campo, com delineamento em blocos ao acaso com três repeti es com os seguintes tratamentos: testemunha e aduba o organica com lodo de esgoto em doses crescentes de 6, 12, 18, 24 e 36 Mg ha-1 em base seca e complementa o mineral. As medi es de condutividade foram realizadas no campo com infiltr metro de suc o controlada para os potenciais matriciais 0, -1, -3 e -6 kPa. Nas condi es em que foi realizado este experimento, concluiu-se que a dose de 12 Mg ha-1 de lodo de esgoto alterou a condutividade hidráulica nos potenciais 0 e -1 kPa, respectivamente.
Lixivia o de nitrato em um Latossolo Amarelo distrófico tratado com lodo de esgoto e cultivado com canadea úcar  [cached]
Oliveira Fernando Carvalho,Mattiazzo Maria Emilia,Marciano Cláudio Roberto,Moraes Sérgio Oliveira
Scientia Agricola , 2001,
Abstract: Uma das preocupa es com o uso de lodo de esgoto no solo agrícola referese ao risco de polui o das águas subterraneas causado pela lixivia o de nitrato, o que torna necessário mais estudos a respeito. Este trabalho teve por objetivo avaliar as perdas de NNO3-, por lixivia o, num Latossolo Amarelo Distrófico tratado com lodo de esgoto e cultivado com canadea úcar. Os tratamentos com lodo de esgoto aumentaram a concentra o de NNO3- na solu o do solo a 0,3, 0,6 e 0,9 m de profundidade. Nestes mesmos tratamentos foi verificado acúmulo de Norganico na camada 0 - 0,2 m do solo e de NNO3- + N-NH4+ na camada de 0,9 1,2 m. A aplica o, em solos, de doses de lodo a partir de 33 Mg ha-1 ocasionou riscos de polui o das águas subterraneas com nitrato, demonstrando que o nitrogênio deve ser um fator restritivo quando da defini o das taxas e freqüências de aplica o do resíduo.
RENTABILIDADE EFETIVA E RENTABILIDADE TOTAL DO CULTIVO DE MILHO ADUBADO COM LODO DE ESGOTO
Núria Rosa Gagliardi Quintana,Wanderley José de Melo,Maristela Sim?es do Carmo
Nucleus , 2012,
Abstract: : In this study, we calculated effective and total economic rentability about corn production fertilized with sewage sludge. The corn was cultivated on a minimal tillage treatment in a field experiment. The trial was carried out during 2002/2003, set up on an oxisol area of 1/16 ha The farming operations were detailed to specify machinery, equipment, manpower, materials consumed and hours worked. Operating costs, calculated accordingto the methodology of the IEA, were subtracted from revEste trabalho teve como objetivo calcular as rentabilidades efetiva e total do cultivo de milho adubado com lodo de esgoto. O experimento, cuja produtividade média foi de 375,38 kg, foi instalado no ano agrícola 2002/2003, em Latossolo Vermelho eutroférrico e conduzido com milho AGROMEN 3150, através de cultivo mínimo. A dimens o da área experimental estudada foi de 625m2. As opera es de cultivo foram detalhadas para especificar máquinas, equipamentos, m o-de-obra, insumos consumidos e horas trabalhadas. Os custos operacionais, calculados conforme a metodologia do IEA, foram subtraídos da receita, resultando nas rentabilidades. Os resultados de rentabilidade efetiva (R$55,80) e total (R$40,70) apontam que a aplica o de lodo de esgoto é economicamente rentável.
Extra o e fitodisponibilidade de metais em resposta à adi o de lodo de esgoto no solo  [cached]
Simonete Marcia Aparecida,Kiehl Jorge de Castro
Scientia Agricola , 2002,
Abstract: Diante dos riscos ambientais relacionados ao uso agrícola de lodo de esgoto contendo metais foi realizado um experimento, com o objetivo de avaliar o efeito do lodo, combinado ou n o com P, K e PK, sobre o acúmulo de metais na parte aérea das plantas e comparar a eficiência de extratores na fitodisponibilidade de metais. Amostras da camada de 0-20 cm de um Argissolo Vermelho Amarelo eutrófico foram transferidas para vasos e tratadas com doses equivalentes a 0, 10, 20, 30, 40 e 50 Mg ha-1 de lodo (base seca). Após 30 dias de incuba o, determinou-se os teores de Fe, Mn, Cu, Zn, Cd, Ni, Cr e Pb (extraídos por HCl 0,1 mol L-1, Mehlich-3 e DTPA pH 7,3), procedeu-se aplica o de duas doses de P (0 e 100 mg kg-1) e duas dose de K (0 e 100 mg kg-1). Cultivaram-se plantas de milho (Zea mays L.) durante 50 dias, coletando-se a parte aérea para determina o de metais. A aplica o de lodo aumentou o teor de Fe, Mn, Zn e Cu no solo e o acúmulo pelas plantas, enquanto a complementa o do resíduo com potássio aumentou a produ o de matéria seca e diminuiu o acúmulo de Zn. A redu o do pH e o Mn nativo do solo influenciaram no aumento da disponibilidade Mn. Todos os extratores foram eficientes para predi o da fitodisponibilidade de Zn e Cu. Para o Mn e Fe, os mais eficientes foram: HCl e Mehlich-3, HCl e DTPA, respectivamente. Para os demais metais, os extratores se mostraram pouco eficientes.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.