oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Correla es simples entre as medidas de ultra-som e a composi o da carca a de bovinos jovens  [cached]
Suguisawa Liliane,Mattos Wilson Roberto Soares,Oliveira Henrique Nunes de,Silveira Ant?nio Carlos
Revista Brasileira de Zootecnia , 2006,
Abstract: Neste estudo avaliaram-se as correla es entre as medidas ultra-sonográficas e as características de carca a de 115 bovinos jovens (Nelore, fraction one-half Angus Nelore, fraction one-half Simental Nelore e Canchim), com peso inicial médio de 329 kg e dois tamanhos à maturidade (pequeno e grande), em um sistema de produ o do novilho superprecoce. Aos 120 dias de confinamento, foram realizadas a pesagem e medida da área de olho-de-lombo (AOL) e da gordura subcutanea (ECG), via ultra-sonografia. Após o abate, foram coletadas as medidas de AOL e ECG na carca a e os pesos de traseiro, dianteiro e cortes cárneos comerciais, determinando-se também a composi o corporal dos animais. Foram calculados os rendimentos de carca a, cortes cárneos, traseiro, da AOL ultra-som por 100 kg de PV e da AOL carca a por 100 kg de peso de carca a. Dados da composi o da carca a indicaram alta deposi o muscular nos animais fraction one-half Simental Nelore e Canchim e expressiva deposi o de tecido adiposo nos animais Nelore. No entanto, os animais fraction one-half Angus Nelore mostraram-se mais apropriados para confinamento no sistema de produ o do superprecoce, pois equilibraram musculosidade e gordura de acabamento. Os resultados demonstraram que a AOL tem rela o com a musculosidade da carca a e que, à medida que há sele o para o incremento desta característica, ocorre diminui o da ECG, como resultado da correla o negativa da ECG com a porcentagem de traseiro e AOL. N o foi observada diferen a na composi o entre os dois grupos de tamanho à maturidade, provavelmente em raz o da pequena varia o entre eles. Como as correla es envolvendo a AOL e a ECG por ultra-som e as mesmas medidas na carca a apresentam resultados similares, validou-se a utiliza o da técnica da ultra-sonografia como alternativa para predi o das características da carca a de bovinos.
Medidas objetivas e composi o tecidual da carca a de cordeiros alimentados com diferentes níveis de energia em creep feeding
Garcia Cledson Augusto,Monteiro Alda Lúcia Gomes,Costa Ciniro,Neres Marcela Abbado
Revista Brasileira de Zootecnia , 2003,
Abstract: O trabalho foi desenvolvido no Setor de Ovinocultura da Universidade de Marília, SP, objetivando avaliar o efeito dos três níveis de energia (2,6; 2,8 e 3,0 Mcal EM/kg MS) sobre as medidas objetivas das carca as e do lombo, pesos e rendimentos dos cortes, além da composi o tecidual e musculosidade da carca a de cordeiros alimentados em creep feeding. As ra es foram isoprotéicas (18,50% PB), fornecidas ad libitum, duas vezes ao dia. Os cordeiros permaneceram com as ovelhas até o abate, quando atingiam o peso preestabelecido de 31 kg. Posteriormente, os animais foram submetidos a jejum alimentar, registrando-se o peso vivo ao abate. Durante o resfriamento na camara de refrigera o a 5oC, por 24 horas, as carca as foram penduradas pelas articula es tarso metartasiana, distanciadas em 17 cm; sendo em seguida mensuradas. As carca as foram seccionadas ao meio e a metade esquerda dividida em sete regi es anat micas (paleta, perna, lombo, costelas falsas, costelas verdadeiras, baixo e pesco o), possibilitando o cálculo dos pesos e rendimentos dos cortes. Posteriormente, efetuou-se as mensura es no músculo Longissimus dorsi e a perna esquerda foi dissecada e determinados os pesos dos músculos, da gordura e dos ossos, além de calculado o índice de musculosidade. Os resultados revelaram diferen as significativas para as medidas de profundidade do tórax, peso e rendimento das costelas verdadeiras e gordura intermuscular da perna, sendo que o nível de 3,0 Mcal EM na ra o proporcionou os melhores resultados, para cordeiros Suffolk alimentados e terminados em creep feeding.
Medidas objetivas e composi??o tecidual da carca?a de cordeiros alimentados com diferentes níveis de energia em creep feeding
Garcia, Cledson Augusto;Monteiro, Alda Lúcia Gomes;Costa, Ciniro;Neres, Marcela Abbado;Rosa, Guilherme Jord?o Magalh?es;
Revista Brasileira de Zootecnia , 2003, DOI: 10.1590/S1516-35982003000600013
Abstract: the experiment was carried out at sheep production department, universidade de marília-sp, to evaluate the effect of energy levels (2.6, 2.8 and 3.0 mcal me/kg dm) on objective measures of carcasses and loin, cuts weight and yield and tissue composition and muscularity of carcasses of lambs under creep feeding. isoprotein rations (18.50 %cp) were fed ad libitum, twice a day. lambs stayed with their dams until slaughter weight ( 31 kg). after, lambs were fasted, when slaughter live weight was recoded. during cooling at 5oc by 24 h, carcasses were hanged by tarse-metartase articulation, distanced by 17 cm, and, then, were measured. later, carcasses were sectioned and the left side was divided in seven anatomical parts (shoulder, leg, loin, true ribs, false ribs, breast point and neck) to calculate weight and yield of cuts. then, muscle longissimus dorsi was evaluated. left leg was dissected and it was considered muscle, fat and bone weights. muscularity index was figured out. results showed significant differences for thorax depth, true ribs weight and yield, and leg intermuscular fat. it was concluded that ration with 3.0 mcal me favored better results for suffolk lambs fed and finished in creep feeding.
Relación de medidas de composición corporal evaluadas in vivo con ultrasonido con el peso de la canal en vacas Cebú de descarte Rela o das medidas de composi o corporal avaliadas em vivo com ultra-som com o peso da carca a em vaca zebu de descarte Relationship of body composition measures assessed in vivo ultrasound with carcass weight in Zebu culling cows
Juan C Velásquez,Marcela Ríos
Revista Colombiana de Ciencias Pecuarias , 2010,
Abstract: Veinte vacas cebú comerciales de descarte con edades entre 42 y 72 meses, procedentes del Piedemonte Llanero se utilizaron para realizar un estudio de predicción del peso de la canal utilizando ultrasonido en tiempo real (UTR). Las vacas cebadas en pastoreo, fueron pesadas y enviadas al frigorífico para su faenado. Doce horas pre-sacrificio, a cada vaca se tomaron por ecografía las medidas de: área de ojo de lomo (AOL), espesor de grasa dorsal (EGD) a nivel de la 12-13 costilla, espesor de glúteo medio (EGM) y espesor de grasa a nivel del anca (GA). Además, se tomaron, el puntaje de condición corporal (PC) y el puntaje de temperamento (PT). Posterior al sacrificio, se recolectó la información de peso de la canal caliente y fría (PCC y PCF). El análisis estadístico incluyó: estadística descriptiva, correlaciones de Pearson, análisis de regresión múltiple entre medidas in vivo, posmortem y para la predicción del peso de la canal. Las vacas tuvieron un promedio de peso vivo (PV) de 408.70 kg. Los promedios de AOL, EGD, EGM, GA, de las vacas fueron 48.87 cm2, 4.16 mm, 69.86 mm y 7.60 mm, respectivamente. El PC promedio fue de 5.5. Las medidas de PCC y PCF promediaron 208.19 kg y 198.55 kg, respectivamente. Se encontraron correlaciones moderadas (p<0.05) entre AOL y PC y postmortem entre AOL y PCC, lo cual podría ser indicador cuantitativo para producción. Las medidas de AOL y EG a nivel de la costilla no presentaron correlación con el peso de la canal. También se encontró una correlación moderada (p<0.05) entre el PC y PCC, que podría ser una herramienta visual útil para estimar el espesor de grasa en vacas antes del faenado. Medidas como AOL y el PV podrían ser usados para predecir aceptablemente el PCC en vacas Cebú de descarte. Vinte vacas Zebu comercial de descarte com idade entre 42 e 72 meses, provenientes do “Piedemonte Llanero” foram utilizadas para um estudo de predi o do peso da carca a com ultra-som em tempo real (RTU). Doze horas de pré-abate, foram tomadas as mensura es por ultra-som: área de olho de lombo (LOA), espessura de gordura dorsal (EGD) na costela 12/13, profundidade de glúteo medius (PGM) e espessura gordura na garupa (EGG). Também foram tomadas as mensura es: escore de condi o corporal (ECC) e temperamento (PT). Pós-abate, a informa o foi recolhida a partir da peso de carca a quente e fria (PCQ e PCF). A análise estatística incluiu: estatística descritiva, correla es Pearson, análise de regress o múltipla entre as medi es in vivo e depois da morte para a predi o de peso de carca a. As vacas apresentaram uma média de peso vivo
Ultra-sonografia para predi o da composi o da carca a de bovinos jovens  [cached]
Suguisawa Liliane,Mattos Wilson Roberto Soares,Souza André Alves de,Silveira Ant?nio Carlos
Revista Brasileira de Zootecnia , 2006,
Abstract: Neste estudo, avaliou-se a utiliza o da ultra-sonografia como técnica para predi o da composi o da carca a de 115 bovinos jovens (Nelore, fraction one-half Angus Nelore, fraction one-half Simental Nelore e Canchim), com peso inicial médio de 329 kg, de dois tamanhos à maturidade (pequeno e grande), criados no sistema de produ o do novilho superprecoce. Após 120 dias de confinamento, foram realizadas a pesagem e a medida da área de olho-de-lombo (AOL) e da gordura subcutanea (ECG), via ultra-sonografia. Após o abate, foram registradas as medidas de AOL e ECG na carca a, os pesos de traseiro, dianteiro, cortes cárneos comerciais e a composi o corporal dos animais. Foram calculados os rendimentos de carca a, de cortes cárneos e de traseiro, n o se observando diferen a na composi o entre os dois grupos de tamanho à maturidade, provavelmente em raz o da pequena varia o entre eles. Embora a ultra-sonografia n o tenha apresentado alta precis o na predi o da musculosidade da carca a e do rendimento de cortes cárneos, os coeficientes de determina o das equa es de predi o da composi o da carca a foram semelhantes, e algumas vezes superiores (quantidade de ossos), aos obtidos nas equa es em que se utilizaram as medidas na carca a após o abate, demonstrando que a ultra-sonografia pode ser utilizada para predi o da composi o da carca a de bovinos de corte em determinadas situa es.
Respostas de tipos funcionais de plantas à intensidade de pastejo em vegeta o campestre  [cached]
Sosinski Júnior Enio Egon,Pillar Valério DePatta
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2004,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi identificar respostas da vegeta o campestre, caracterizada por espécies e tipos funcionais de planta, a diferentes intensidades de pastejo. O levantamento da vegeta o, usando quadros de 0,25 m2, foi realizado na primavera e no ver o. A descri o da estrutura da vegeta o envolveu a identifica o das espécies presentes em cada quadro, a estimativa de sua abundancia-cobertura e a descri o das espécies considerando 21 atributos macromorfológicos qualitativos e quantitativos. A análise dos dados objetivou encontrar um subconjunto ótimo de atributos, definindo os tipos funcionais de forma a maximizar a congruência r(D; D) entre a varia o da vegeta o (matriz D) e do fator oferta de forragem (matriz D). A análise de ordena o permitiu a identifica o de tipos funcionais que apresentaram respostas mais evidentes, em termos de abundancia-cobertura. A composi o da vegeta o, descrita pelos tipos funcionais, foi comparada entre níveis de oferta de forragem, por análise de variancia multivariada com testes de aleatoriza o, sendo detectadas diferen as significativas (P = 0,002). Quando a composi o da vegeta o foi descrita por espécies n o foram observadas diferen as significativas. A utiliza o de tipos funcionais permite detectar efeito da intensidade de pastejo, n o evidenciado em uma análise baseada na composi o por espécies.
Dinamica da composi o botanica da dieta selecionada por bovinos em uma pastagem cultivada em área de várzea = Dynamic of the botanical composition of the diet selected by cattle grazing on a lowland cultivated pasture
Jumaida Maria Rosito,Enio Marchezan,Fernando Luiz Ferreira de Quadros,Duílio Guerra Bandinelli
Acta Scientiarum : Animal Sciences , 2006,
Abstract: Três hectares de várzea, situados no Campus da Universidade Federal de Santa Maria, Estado do Rio Grande do Sul (Brasil), foram cultivados com Lolium multiflorum Lam. e com Trifolium repens L., para avaliar a produ o animal em um projeto de integra o lavoura de arroz/pecuária. O objetivo deste trabalho foi acompanhar a dinamica dacomposi o botanica da dieta selecionada por bovinos, sob o efeito dos tratamentos doses de N associadas a níveis de suplementa o energética. A composi o botanica da dieta foi determinada pelo método de análise microhistológica de fezes, por meio da diferencia o da epiderme foliar de L. multiflorum Lam., T. repens L., Paspalum urvillei Steud., Setaria geniculata (Lam.) Beauv. e Echinochloa spp., no inverno, primavera e ver o de 2000. Osresultados na dieta foram comparados através de testes de aleatoriza o. A composi o da dieta variou com os períodos de amostragem (P=0,04), mas n o houve efeito dos tratamentossobre a sele o (P=0,91). Three lowland areas located at the Federal University of Santa Maria (Rio Grande do Sul State - Brazil) were cultivated with Lolium multiflorum Lam, and Trifolium repens L. in order to evaluate the animal productivity in an integrated project with rice and cattle-breeding production system. A more specific objective of this paper was to study the dynamics of the botanical composition of the selected diet as affected by treatments: N fertilizer rates associated with energetic supplement. The botanical compositionof the diet was determined by microhistological analysis of feces through foliar epidermis differentiation of Lolium multiflorum Lam., Trifolium repens L., Paspalum urvillei Steud., Setaria geniculata (Lam.) Beauv. and Echinochloa spp. during winter, spring and summer,2000. The diet results were compared through random test. There was a significant effect of sampling times on diet selection (P=0.04), but the treatments did not affect the botanical composition of the selected diet (P=0.91).
Avalia o da composi o corporal em gestantes de termo
Morais A.A.C.,Tavares G.M.,Pezzin A.C.,Moana A.A.
Revista da Associa??o Médica Brasileira , 1997,
Abstract: A gravidez acompanha-se de modifica es fisiológicas bem conhecidas nos compartimentos hídricos e energéticos maternos, que se somam a hipertrofias organicas e ao aparecimento de um bloco feto-placentário. Conseqüentemente, a composi o corporal sofre altera es, porém poucos estudos têm documentado tal fen meno. O advento da bioimpedancia favoreceu a obten o das informa es desejadas de forma prática e segura. OBJETIVOS. Foram os propósitos deste trabalho: registrar as principais variáveis antropométricas numa popula o de gestantes de termo; determinar as medidas de composi o corpórea pela bioimpedancia; comparar esses achados com os primeiros, assim como com outras metodologias relatadas na literatura. PACIENTES E MéTODO. A popula o consistiu de 30 gestantes de termo admitidas no período pré-parto, sem complica es, sofrimento fetal ou gravidez múltipla, e submetidas às seguintes mensura es: Antropometria - Peso, altura, índice de massa corporal, prega cutanea do tríceps, circunferência muscular do bra o; Bioimpedancia - Gordura corporal, massa magra, água total, água intra e extracelular, terceiro espa o e rela o sódio/potássio permutável. RESULTADOS. Observaram-se valores de peso corporal e índice de massa corporal aumentados, porém inteiramente compatíveis com a situa o fisiológica das gestantes. A água corpórea total situava-se na mesma faixa percentual de mulheres n o-grávidas, tal como já suspeitado por outros autores, porém com indícios de expans o do extracelular e forma o de terceiro espa o. A massa gorda elevou-se, porém, também em propor es n o muito diferentes do relatado anteriormente em levantamentos antropométricos. CONCLUS ES. Nas condi es do presente trabalho, em que uma equa o de bioimpedancia para uso geral foi aplicada, o método demonstrou resultados compatíveis com as informa es clínicas disponíveis, as verifica es antropométricas e os registros de outros investigadores. Conclui-se que a impedancia bioelétrica é um procedimento de avalia o promissor na gravidez, justificando estudos ulteriores com esta metodologia.
Dinamica vegetacional em pastagem natural submetida a tratamentos de queima e pastejo  [cached]
Quadros Fernando Luiz Ferreira de,Pillar Valério De Patta
Ciência Rural , 2001,
Abstract: Foram avaliados durante três anos os efeitos de tratamentos de fogo e pastejo sobre a dinamica da vegeta o de uma pastagem natural localizada em Santa Maria, na regi o da Depress o Central, Rio Grande do Sul. Foi considerada a hipótese de resiliência, resultado das espécies componentes da pastagem terem evoluído sob influência de tais distúrbios. O experimento foi composto por oito parcelas experimentais submetidas a combina es de níveis de pastejo (pastejado, excluído) e de fogo (queimado, n o-queimado), em duas posi es de relevo (encosta, baixada). A análise multivariada dos dados de composi o de espécies foi baseada em ordena o e testes de aleatoriza o. A vegeta o sob efeito de pastejo, independente da queima, apresentou trajetórias direcionais, enquanto sob exclus o as trajetórias foram caóticas. O efeito do pastejo parece ser determinante da dinamica vegetacional (P=0,077).
Medidas de intensidade luminosa: polariza o  [cached]
Costa Eden V.
Revista Brasileira de Ensino de Física , 2002,
Abstract: Neste artigo vamos determinar os estados de polariza o da luz por meio de medidas da intensidade luminosa. O aparato experimental utilizado é simples, possível de ser realizado em laboratório didático. Os resultados mostram ser viável a utiliza o deste experimento nos cursos de óptica básica, na demonstra o experimental de alguns tópicos vistos teoricamente em classe e no aprofundamento dos conceitos de polariza o
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.