oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Qualidade, conserva o, método de cura, rela o folha:colmo e consumo de feno de gramíneas tropicais  [PDF]
Anderson de Moura Zanine,Dione Diniz
REDVET , 2006,
Abstract: A estacionalidade na produ o deforragens determina a alternancia deperíodos de abundancia e escassez deforragem, e gera a necessidade de seconservar parte da produ o, de forma aatender às necessidades de alimentovolumoso do rebanho na época seca. Afena o constitui-se em uma dasalternativas recomendáveis,especialmente pela possibilidade de estarassociada ao programa de manejo daspastagens, aproveitando para fenar oexcedente de pasto produzido no períododas águas. Por conseguinte, asgramíneas tropicais se devidamentemanejadas com o propósito de produ ode feno é um recurso extremamenteimportante para o período de carência dealimento.Palavra-chave: Forragem, peso,ruminantes.AbstractThe evaluate the seasonal period in theproduction of forages determines thealternation of abundance periods andforage shortage, and it generates theneed to conserve part of the production,in way to assist to the needs of bulkyfood of the flock at that time drought.The haymaking is constituted in one ofthe advisable alternatives, especially forthe possibility to associate to theprogram of handling of the pastures,taking advantage for hay the pasturesurplus produced in the period of thewaters. Consequently, the grass onestropical if properly hay with the purposeof hay production is an extremelyimportant resource for the food period ofgrace.
Influência do gr o de sorgo como fonte de amido em ovinos alimentados com feno: parametros plasmáticos  [cached]
López Jorge,Stumpf Junior Waldyr
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: O objetivo deste trabalho experimental foi verificar a influência de diferentes níveis de gr o de sorgo, como fonte de amido, nos parametros plasmáticos em ovinos alimentados com feno de capim-elefante (Pennisetum purpureum Schum). O sorgo foi utilizado em quatro níveis na dieta: 0, 15, 30 e 45%. Foram usados 12 ovinos machos castrados distribuídos em quatro tratamentos com três repeti es. Foram coletadas seis amostras de sangue por animal logo antes da refei o da manh (hora zero) e 1, 2, 3, 4, 6 e 8 horas após. O delineamento experimental foi o completamente casualizado. A 1a hora após a refei o apresentou a maior concentra o plasmática de uréia (53,3 mg/100 mL) e foi superior à 6a e 8a hora (49,5 e 49,3 mg/100 mL). A maior concentra o de uréia no plasma coincidiu com a maior concentra o de am nia no líquido ruminal. O tratamento com 30% de sorgo na dieta apresentou concentra o plasmática de glicose de 81,0 mg/100 mL e foi superior ao tratamento testemunha (60,4 mg/100 mL). A concentra o de insulina variou entre tratamentos para cada hora de coleta após a refei o, de acordo com os níveis de sorgo na dieta. O tratamento com 45% de sorgo apresentou a maior concentra o do horm nio no plasma. Observou-se para todos os tratamentos um pico de produ o do horm nio na 4a hora após a refei o.
Balan o de nitrogênio, degradabilidade de aminoácidos e concentra o de ácidos graxos voláteis no rúmen de ovinos alimentados com feno de Stylosanthes guianensis  [cached]
Ladeira Márcio Machado,Rodriguez Norberto Mario,Borges Iran,Gon?alves Lúcio Carlos
Revista Brasileira de Zootecnia , 2002,
Abstract: Foram utilizados sete ovinos alimentados com feno de S. guianensis para avaliar a degradabilidade ruminal dos aminoácidos, o balan o nitrogenado e as concentra es de ácidos graxos voláteis (AGVs) no rúmen. A técnica de sacos de náilon foi empregada para determina o da degradabilidade in situ dos aminoácidos do feno de Stylosanthes guianensis. A retirada dos sacos do rúmen foi feita às 6, 24 e 48 horas após sua introdu o. Amostras de duodeno e fezes foram utilizadas para determinar a quantidade de N total, am nia e nitrogênio n o amoniacal. Amostras de urina foram coletadas para determina o do N total. Para determina o da concentra o de AGVs no líquido ruminal, amostras de 80 mL foram coletadas manualmente, imediatamente antes da alimenta o e 2, 4, 6 e 8 horas após. O balan o de nitrogênio foi de 6,0 g/dia. O feno de S. guianensis apresentou 10,4 e 6,3 g de metionina e lisina, respectivamente, por 100 g de aminoácidos totais. Os aminoácidos n o essenciais apresentaram taxa de degrada o duas vezes maior que os essenciais. Houve altera o no perfil aminoacídico da proteína n o degradada no rúmen em rela o ao alimento original. A rela o acetato:propionato foi de 4,31. O elevado teor de metionina encontrado e sua baixa degradabilidade podem fazer do S. guianensis um alimento importante, quando este aminoácido estiver limitando a produ o.
Reten o do fósforo de fenos de gramíneas tropicais em ovinos  [cached]
Reis R.A.,Gra?a D.S.,Maurício R.M.
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia , 1999,
Abstract: Mediu-se a reten o do fósforo de quatro gramíneas tropicais, capim-gordura (Melinis minutiflora), capim-braquiária (Brachiaria decumbens), capim-coastcross (Cynodon dactilon) e capim-coloni o (Panicum maximum), em cinco ovinos por meio de ensaios de balan o de fósforo. O experimento constou de quatro fases, cada uma com dura o de 21 dias (14 dias de adapta o à dieta e sete dias de colheita de fezes), totalizando 20 observa es. A análise dos dados foi feita por polin mios ortogonais, testando-se os efeitos de tratamento, de período e de animal, e os contrastes foram comparados pelo teste F. A reten o de fósforo foi negativa nos fenos dos capins gordura, braquiária e coastcross e positiva no feno do capim-coloni o. Por análise de regress o, a perda fecal do fósforo endógeno foi estimada em 15,5mg/kg PV/dia e o coeficiente médio de reten o foi de 0,37. Pela raz o entre o balan o e a ingest o, estimou-se que o consumo de fósforo necessário para alcan ar o equilíbrio foi de 44mg/kg PV/dia.
Comportamento ingestivo e ingest o de água em caprinos e ovinos alimentados com feno e silagem de Mani oba Ingestive behavior and water intake in goats and sheep fed with Mani oba hay and silage
Evaristo Jorge Oliveira de Souza,Adriana Guim,?ngela Maria Vieira Batista,Dilza Batista de Albuquerque
Revista Brasileira de Saúde e Produ??o Animal , 2010,
Abstract: Objetivou-se avaliar o comportamento ingestivo e consumo de água de caprinos e ovinos alimentados com feno ou silagem de mani oba (Manihot epruinosa Pax & Hoffmann). Foram empregados sete caprinos sem padr o racial definido, com peso médio inicial de 14,6kg e oito ovinos da ra a Santa Inês de 13,9kg. Os animais foram mantidos em baias individuais e distribuídos em delineamento experimental inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2 x 2 (forma de conserva o x espécie animal). Foram avaliados os consumos de matéria seca, matéria organica, proteína bruta, fibra em detergente neutro, extrato etéreo, carboidratos totais e carboidratos n o fibrosos. Para estudo de comportamento ingestivo, os animais foram observados a cada cinco minutos durante 24h. Os animais alimentados com feno de mani oba mostraram maior consumo de proteína bruta e extrato etéreo (56 e 24 g/dia) em rela o àqueles que receberam a mani oba conservada pela fermenta o (42 e 14g/dia), respectivamente. N o houve diferen a entre os tempos de alimenta o (405,00 e 399,38 min), rumina o (625,63 e 599,38 min) e ócio (413,13 e 44,01 min) entre os animais alimentados com silagem e feno de mani oba, respectivamente. No entanto, os animais alimentados com mani oba conservada mediante fermenta o apresentaram menor consumo de água no bebedouro (0,473vs 0,990kg/dia para silagem e feno, respectivamente). Assim, conclui-se que o método de conserva o de mani oba n o interferiu no comportamento ingestivo, mas a ingest o da mani oba conservada mediante fermenta o leva ao menor The objective of this study was to evaluate the ingestive behavior and water intake of goats and sheep fed Manihot epruinosa Pax & Hoffmann silage or hay. Seven goats (average live weight 14,6 ± 1,24kg) and eight sheep (average live weight 13,8 ± 1,22kg) were allotted to individual pens. They were distributed in a completely randomized design, 2 x 2 factorial outline composed of silage and hay and two ruminants species (sheep and goats). Dry matter intake, organic matter intake, crude protein intake, neutral detergent fiber, ether extract, total carbohydrates and non fiber carbohydrates intake were evaluated. Animals fed with mani oba hay had greater intake of crude protein and ether extract (56 and 24g/day) than those who received mani oba preserved by fermentation (42 and 14g / day), respectively. However, animals fed with mani oba preserved by fermentation had lower consumption of water in water drinker (0.473 vs. 0.990kg / day for hay and silage, respectively). We concluded that the conservation method of mani oba does no
Acid insoluble ash in digestibility trial in rams fed with sugarcane and cassava hay diets Cinza insolúvel em ácido em ensaio de digestibilidade em ovinos alimentados com cana-de-a úcar e feno da parte aérea da mandioca  [cached]
Vivian Prado de Camargo Le?o,Joel Queiroga Ferreira,Mauro Pereira de Figueiredo,Anselmo Eloy Silveira Viana
Revista Brasileira de Saúde e Produ??o Animal , 2008,
Abstract: This study compared the internal indicator acid insoluble ash (AIA) by total fecal collection method for dry matter (DM) digestibility assay in sugarcane based diets associated with cassava hay. Five Santa Inês non castrated male rams, at18 months old and 40kg of live, body, weight were used. Animals were distributed in a latin square design, with five treatments (0; 25; 50; 75 and 100% of cassava hay DM inclusion in sugarcane diets plus 1% of urea and ammonium sulfate). For apparent dry matter digestibility assay total feces collection and AIA were used. AIA results were inadequate at estimating diets dry matter digestibility coefficient, since it overestimated data obtained by the total feces collection method. Objetivou-se comparar o uso do indicador interno cinza insolúvel em ácido (CIA) com o método da coleta total de fezes na determina o da digestibilidade aparente da matéria seca (MS) de ra es à base de cana-de-a úcar em associa o com o feno da parte aérea da mandioca. Foram utilizados cinco ovinos machos inteiros da ra a Santa Inês, com 18 meses de idade e 40kg de peso vivo em média. Os animais foram distribuídos em um delineamento de quadrado latino, com cinco tratamentos (0; 25; 50; 75 e 100% de inclus o da MS de feno da parte aérea da mandioca em ra es com cana-de-a úcar picada + 1% de uréia e sulfato de am nio). Para determina o da digestibilidade aparente da matéria seca, utilizou-se o método da coleta total de fezes, que foi comparado com o da CIA. A CIA mostrou-se inadequada na estimativa do coeficiente de digestibilidade da matéria seca, superestimando os resultados obtidos pelo método de coleta total de fezes nas dietas.
Desempenho produtivo e atividade microbiana cecal de coelhos alimentados com dietas contendo diferentes níveis de amido  [cached]
Arruda Alex Martins Varela de,Carregal Ronaldo Dessimoni,Ferreira Renato Gon?alves
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: Com o objetivo de avaliar a influência do amido dietético sobre o rendimento produtivo e a atividade microbiana cecal de coelhos em crescimento, quatro dietas experimentais foram elaboradas de forma a conter níveis crescentes de amido (23, 28, 33 e 38% de amido total na base da MS), os quais foram fornecidos a 32 coelhos da ra a Nova Zelandia Branco, distribuídos em gaiolas de engorda individuais, seguindo um delineamento em blocos casualizados. Houve efeito linear decrescente para consumo e convers o alimentar, em que valores de 108,67 g/d e 3,216, respectivamente, foram obtidos para os animais alimentados com 38% de amido dietético. No entanto, o ganho de peso e o rendimento de carca a n o foram influenciados pelos tratamentos. Por outro lado, os valores de pH, as concentra es totais e as propor es molares dos ácidos graxos voláteis n o foram influenciados pelos tratamentos, porém, para o ácido propi nico, houve efeito linear decrescente, sendo a maior propor o molar (12,06%) verificada no conteúdo cecal de coelhos alimentados com 23% de amido dietético. O milho-gr o apresentou maior influência sobre a atividade microbiana cecal que o amido de milho purificado, porém, sem alterar o desempenho e rendimento de carca a.
Carcass characteristics of sheep fed with castor bean hulls in replacement of tifton 85 hay Características de carca a de ovinos alimentados com casca de mamona em substitui o ao feno de capim Tifton 85  [cached]
Stela Antas Urbano,Marcelo de Andrade Ferreira,Wilson Moreira Dutra Junior,Rafael de Paula Xavier de Andrade
Ciência e Agrotecnologia , 2013,
Abstract: Castor bean hulls (CBH), co-products of castor oil extraction, are high in dry matter (DM) and fiber and are emerging as alternative roughage in sheep feed. This could reduce feed costs since other sources of roughage can be more expensive. The effects of replacing Tifton 85 hay with CBH at 0, 33, 66 and 100% in the diet of sheep on the carcass characteristics, weights and yields of retail cuts and carcass measurements were studied. Twenty-eight non-castrated sheep averaging 7 ± 1.4 months of age with an initial weight of 19.5 ± 4.3 kg were slaughtered after 70 days of confinement. There was a linear decline (P ≤ 0.05) in slaughter body weight, empty body weight, hot and cold carcass weight and longissimus muscle area (LMA) as the percentage of dietary CBH increased. A linear decrease (P≤0.05) of the weights of all retail cuts and a quadratic effect (minimum yield of 9.84% with the replacement of 56.9%) of the neck yield were also detected as the percentage of CBH increased. No treatment effects (P > 0.05) on the yield of the other cuts were observed, but there was a linear decline (P ≤ 0.05) in the perimeters of the thorax, leg and rump and the carcass compactness index. Replacing Tifton 85 hay with CBH in sheep diets is not recommended because it decreases the slaughter body weight, cold and hot carcass weight, retail cut weights and morphometric measurements. A casca da mamona, coproduto da extra o do óleo da mamona, por apresentar em sua composi o elevados teores de matéria seca e fibra, surge como fonte alternativa de volumoso na alimenta o de ovinos, podendo diminuir os custos com alimenta o, uma vez que outras fontes s o comercializadas a pre os superiores. Avaliou-se o efeito da substitui o do feno de capim Tifton 85 pela casca de mamona em 0, 33, 66 e 100% na dieta de ovinos sobre as características de carca a, os pesos e rendimentos dos cortes comerciais e a morfometria da carca a. Vinte e oito animais n o castrados, com 7 ± 1,4 meses de idade e peso inicial médio de 19,5 ± 4,3 kg, foram abatidos após 70 dias de confinamento. Houve efeito linear decrescente (P≤0.05) para o peso corporal ao abate, peso de corpo vazio, peso de carca a quente, peso de carca a fria e área de olho-de-lombo, de acordo com os níveis crescentes de substitui o. O decréscimo linear (P≤0,05) no peso de todos os cortes comerciais e o efeito quadrático do rendimento do pesco o (rendimento mínimo de 9,84% quando a substitui o foi de 56,9%) também foram verificados com o aumento percentual da casca de mamona. N o houve efeito (P > 0,05) sobre os rendimentos dos demais
Produ o de matéria seca e composi o químico-bromatológica do feno de três leguminosas forrageiras tropicais em dois sistemas de cultivo  [cached]
Padua Fabio Teixeira de,Almeida Jo?o Carlos de Carvalho,Silva Tatiana Oliveira da,Rocha Norberto Silva
Ciência Rural , 2006,
Abstract: O experimento foi conduzido no setor de forragicultura e pastagens do Departamento de Nutri o Animal e Pastagens, no Instituto de Zootecnia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, em Seropédica, RJ, para avaliar a produ o de matéria seca (PMS) e a composi o químico-bromatológica de três leguminosas forrageiras tropicais: kudzu tropical (Pueraria phaseoloides), macrotiloma (Macrotyloma axillare) e soja perene (Neonotonia wightii) em dois sistemas de cultivo (SC) (tutorado e livre). Utilizou-se um delineamento em blocos ao acaso, em um esquema fatorial (3 (espécies) x 2 (SC) x 4 (Repeti es), em parcelas de 20m2. A PMS foi significativamente diferente (P<0,05) entre os SC, sendo que, para todas as espécies avaliadas, o SC tutorado apresentou maior produtividade. N o foi observado efeito significativo (P>0,05) para os valores referentes a proteína bruta (PB) e fibra em detergente ácido (FDA) das leguminosas em cada sistema de cultivo. Já para os valores de fibra em detergente neutro (FDN), houve diferen a significativa (P<0,05) entre as espécies estudadas sendo que a espécie que apresentou maiores valores foi o kudzu tropical, seguido pela soja perene e o macrotiloma. Com rela o à matéria mineral (MM), a intera o (leguminosa x SC) apresentou efeito significativo (P<0,05). O maior valor observado no SC tutorado foi para o kudzu tropical, que diferiu das demais espécies. No entanto, quanto ao SC livre, o maior valor foi observado para a soja perene, o qual n o diferiu para o kudzu tropical, porém diferiu para o macrotiloma.
Consumo, digestibilidade e desempenho de novilhos alimentados com ra es à base de feno de capim-tifton 85, em diferentes idades de rebrota  [cached]
Ataíde Júnior Josvaldo Rodrigues,Pereira Odilon Gomes,Valadares Filho Sebasti?o de Campos,Garcia Rasmo
Revista Brasileira de Zootecnia , 2001,
Abstract: Objetivou-se avaliar o consumo e as digestibilidades aparentes de matéria seca (MS), proteína bruta (PB), extrato etéreo (EE), carboidratos totais (CT) e fibra em detergente neutro (FDN), o ganho de peso e a convers o alimentar em bovinos Nelore, recebendo ra es contendo feno de capim-tifton 85 com 35, 42 e 56 dias de rebrota. Foram utilizados 18 novilhos, n o-castrados, com peso vivo médio inicial de 345 kg, distribuídos em um delineamento em blocos casualizados, com seis repeti es. Todas as ra es continham 60% de volumoso e 40% de mistura concentrada constituída por fubá de milho e minerais, na base da matéria seca. O experimento teve dura o de 100 dias, 16 dias de adapta o e três períodos de 28 dias para a avalia o do desempenho. O avan o da idade de rebrota do capim-tifton 85 produziu comportamento linear decrescente para consumos de MS, PB e EE, enquanto os consumos de CT e FDN n o foram afetados pela idade de rebrota. O ganho médio diário de peso (1,23 kg) e a convers o alimentar (6,35) n o foram influenciados pela idade de rebrota. Os coeficientes de digestibilidade de MS (59,6), PB (48,0), EE (53,2), CT (63,6) e FDN (41,5) também n o foram influenciados pela idade de rebrota do feno de capim-tifton 85. Embora as dietas utilizadas sejam eqüivalentes nutricionalmente, recomenda-se a idade de corte de 42 dias de rebrota.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.