oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Avalia o da determina o da fibra em detergente neutro e da fibra em detergente ácido pelo sistema ANKOM  [cached]
Berchielli Telma Teresinha,Sader Ana Paula de Oliveira,Tonani Flávia Lucyla,Paziani Solidete de Fátima
Revista Brasileira de Zootecnia , 2001,
Abstract: O objetivo do trabalho foi comparar os valores de fibra em detergente neutro (FDN) e os de fibra em detergente ácido (FDA) obtidos com o equipamento ANKOM e pelo método convencional (Van Soest). No primeiro ensaio foram analisados cinco materiais diferentes (cana-de-a úcar, capim-braquiária, silagem de milho, polpa cítrica e fezes bovina) e testados quatro tipos de saquinhos para filtragem de amostra. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, em um fatorial 5x4 (cinco materiais diferentes e quatro tipos de saquinhos de filtragem), com três repeti es. As médias obtidas foram comparadas àquelas obtidas com método convencional. No segundo ensaio procurou-se avaliar o efeito da quantidade de amostra por saquinho (0,5; 0,8 e 1,0 g) sobre os teores de FDN e FDA em três tipos de alimentos, utilizando o ANKOM. Neste ensaio, o delineamento experimental foi em blocos casualizados em esquema fatorial 3x3 (três alimentos x três quantidades), com três repeti es. Os tipos de saquinhos de filtragem utilizados n o influenciaram os teores de FDN nos diferentes alimentos, com exce o das fezes, cujos saquinhos de náilon resultaram em concentra es de FDN inferiores. N o houve diferen a entre os valores de FDN e FDA, obtidos pelo equipamento ANKOM ou pelo convencional, para os alimentos estudados, com exce o da polpa cítrica, cujo valor médio de FDA pelo ANKOM foi inferior àquele obtido pelo método convencional. A quantidade n o exerceu efeito sobre a concentra o de FDN dos alimentos analisados no equipamento ANKOM.
Compatibilidade sexual e vegetativa do complexo Glomerella-Colletotrichum associado a sementes de algod o  [cached]
Roca M Maria G,Machado José da C,Vieira Maria das G. G. C,Davide Lisete C
Fitopatologia Brasileira , 2004,
Abstract: Colletotrichum gossypii (Cg) (Glomerella gossipii) e Colletotrichum gossypii var. cephalosporioides (Cgc) s o agentes etiológicos da antracnose e da ramulose no algodoeiro (Gossypium hirsutum). Ambos os patógenos s o encontrados na forma mitospórica na natureza e a diferencia o entre eles é feita principalmente a partir dos sintomas das doen as causadas. O presente trabalho foi realizado com o objetivo de verificar a ocorrência de rea es de compatibilidade sexual e incompatibilidade vegetativa entre e dentro de isolados de Cg e Cgc e avaliar alguns aspectos citológicos das formas de esporula o. Pelos resultados, observou-se existência de grande variabilidade dentro dessa espécie. Os conídios diferiram em tamanho em todos os isolados, sendo encontrados conídios bi- e trinucleados. Em cultura, nas áreas de contato (entre as hifas), foram observadas rea es de incompatibilidade vegetativa tanto entre quanto dentro dos isolados. Em apenas um dos isolados avaliados ocorreu reprodu o sexuada de forma espontanea, sugerindo comportamento homotálico.
Rendimento e comportamento espectrofotométrico da lignina extraída de prepara es de parede celular, fibra em detergente neutro ou fibra em detergente ácido  [cached]
Savioli Nancy Maria de Fátima,Fukushima Romualdo Shigueo,Lima César Gon?alves de,Gomide Catarina Abdalla
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: A lignina extraída da planta forrageira pelo reagente brometo de acetila (lignina brometo de acetila - LBrAc), para ser empregada como padr o de referência no método espectrofotométrico para a determina o quantitativa da lignina, n o pode originar-se da planta intacta, devido à interferência de diversas outras substancias, que absorvem no mesmo comprimento de onda que a lignina; aconselha-se, portanto, que a extra o da lignina seja realizada a partir de um dos seguintes compostos: parede celular propriamente dita (PC), fibra em detergente neutro (FDN) ou fibra em detergente ácido (FDA). Os rendimentos das extra es das ligninas, bem como o comportamento espectrofotométrico das mesmas, foram avaliados nestes três compostos provenientes de diversas plantas forrageiras. Na média, os rendimentos das extra es de LBrAc foram relativamente uniformes entre si, entretanto, como a concentra o de FDA foi a menor entre todas as prepara es (devido principalmente à solubiliza o da hemicelulose) e como esta n o apresentou maior capacidade extrativa da lignina, o rendimento de LBrAc proveniente da FDA, com base na planta inteira, foi o menor observado. A absor o da luz ultravioleta das diversas ligninas foi desigual, revelada pelos espectrogramas tra ados, de tal modo a sugerir que a prepara o de parede celular adotada para o isolamento da lignina deve ser a mesma para a determina o final da concentra o de lignina.
Efeitos de níveis crescentes de fibra em detergente neutro na dieta sobre a digest o ruminal em bubalinos e bovinos  [cached]
Souza Nedilse Helena de,Franzolin Raul,Rodrigues Paulo Henrique Mazza,Del Claro Gustavo Ribeiro
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: Quatro bubalinos e quatro bovinos adultos com fístulas ruminais foram utilizados com o objetivo de se estudar os efeitos de diferentes níveis de fibra em detergente neutro na dieta sobre as características digest o ruminal. Foram avaliadas as degradabilidades da matéria seca, fibra em detergente neutro do feno de coastcross e do farelo de trigo, matéria seca do milho em gr os moídos e do farelo de soja; digestibilidade com indicador (Cr2O3). Os animais foram delineados em dois quadrados latinos (4x4) com arranjo fatorial 4x2, sendo quatro níveis crescentes de FDN na MS (54, 60, 66 e 72%) e duas espécies (bubalinos e bovinos). Cada subperíodo compreendeu 29 dias, sendo 13 de adapta o. Os bubalinos apresentaram maior desaparecimento ruminal da MS e FDN do feno de coastcross e da MS do farelo de soja que os bovinos, na maioria dos tempos de incuba o. Por outro lado, o desaparecimento ruminal da FDN do farelo de trigo foi maior para os bovinos, somente nas primeiras horas. Para o coeficiente de digestibilidade da MS, houve intera o de espécies com níveis de FDN. O coeficiente de digestibilidade da FDN foi influenciado pelos níveis de FDN e, para o coeficiente de digestibilidade da PB, n o foram notados efeitos de espécies ou níveis de FDN.
Comportamento ingestivo de ovelhas em lacta??o alimentadas com dietas contendo diferentes níveis de fibra em detergente neutro
Hübner, Cristiano Haetinger;Pires, Cleber Cassol;Galvani, Diego Barcelos;Carvalho, Sérgio;Jochims, Felipe;Wommer, Tatiana Pfüller;Gasperin, Bernardo Garziera;
Ciência Rural , 2008, DOI: 10.1590/S0103-84782008000400027
Abstract: the aim of this study was to evaluate the effects of different neutral detergent fiber (ndf) levels in the diet on ingestive behavior of lactating ewes. eighteen 5/8 ile de france 3/8 texel ewes, housed in individual cage 24 hours postpartum, were used. animals were assigned to one of three treatments: 34, 43 and 52% ndf in the diet, in dry matter (dm) basis. the total mixed rations, composed by corn silage (zea mays l.), ground corn, soybean meal (glycine max l.), limestone, salt and dicalcium phosphate, were given twice a day, at 0830 am and 0430 pm. ingestive behavior was determined by visual appreciation. the increase of the ndf level in the diet significantly influenced (p<.05) dm and ndf intakes, milk yield, and the feeding, rumination, idleness resting and total chewing times, that varied quadratically (p<.05). the ndf feeding and rumination efficiency increased, whereas dm feeding and rumination efficiency linearly decreased (p<.05) as effect of the ndf increased, being necessary more time to feed the same amount of total mixed ration. highest ndf levels in the diet can cause depression in dm intake.
Fracionamento dos carboidratos e cinética de degrada o in vitro da fibra em detergente neutro da extrusa de bovinos a pasto  [cached]
Vieira Ricardo Augusto Mendon?a,Pereira José Carlos,Malafaia Pedro Ant?nio Muniz,Queiroz Augusto César de
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: Os objetivos do presente trabalho foram a caracteriza o e a determina o das estimativas dos parametros relativos à cinética de degrada o ruminal dos carboidratos, em amostras de extrusa de animais mantidos em pastagem natural da Zona da Mata (MG), nas esta es chuvosa e seca do ano. Para obten o de amostras representativas, foram usados quatro animais fistulados no es fago durante dois períodos experimentais na esta o chuvosa, e três destes animais por dois períodos experimentais na esta o seca, do ano de 1996. Foi efetuado o fracionamento dos carboidratos de acordo com o sistema Cornell e determinadas as taxas de degrada o da fibra em detergente neutro (FDN), a partir dos perfis de degrada o in vitro deste componente. Foram determinadas as fra es potencialmente degradável (B2) e indegradável (C) da FDN, corrigida para proteína e cinzas, e as taxas de latência dinamica, degrada o e crescimento específico dos microrganismos, a partir da fra o B2, além dos coeficientes de degradabilidade e do efeito de reple o ruminal da FDN. Observou-se que os carboidratos n o-estruturais compreenderam pequena fra o dos carboidratos totais nas amostras do pasto, em ambas as esta es. Os carboidratos estruturais foram responsáveis pelo aumento no teor de carboidratos totais da extrusa, com a mudan a da esta o chuvosa para a esta o seca; contudo, por causa do aumento da fra o C e da menor taxa de crescimento específico dos microrganismos durante a esta o seca, foi possível notar redu o da degradabilidade e aumento do efeito de reple o ruminal da FDN da extrusa.
Propaga o vegetativa do pessegueiro por alporquia  [cached]
Castro Luis Ant?nio Suita de,Silveira Carlos Augusto Posser
Revista Brasileira de Fruticultura , 2003,
Abstract: A produ o de mudas de frutíferas perenes está baseada na multiplica o vegetativa por manter as características da planta de origem. No pessegueiro, as mudas s o obtidas por enxertia de gema ativa. Como n o existem relatos de utiliza o da alporquia na multiplica o do pessegueiro, este trabalho teve como objetivo avaliar sua eficiência na propaga o desta frutífera. O experimento foi realizado na Embrapa Clima Temperado, Pelotas-RS, nos meses de junho a setembro de 2001 com as cultivares Chirua e Maciel. A alporquia foi realizada em quatro épocas. As plantas, na época I (06-06), apresentavam-se dormentes. Nas demais épocas, apresentavam flores no estádio de bal o ou abertas (épocas II e III - 26-06 e 16-07), enquanto, na época IV (08-08), possuíam brota es e frutos em desenvolvimento. Foi retirado um anel entre 1,0 e 1,5 centímetro de largura da casca de cada ramo com um canivete de enxertia. Em cada ferimento, foram colocadas quatro gotas do ácido indolbutírico (3000 mg.L-1). Houve 100% de enraizamento. Em todos os ramos das duas cultivares, ocorreu a forma o de raízes vigorosas e em grande número. Nas alporquias realizadas na época I, as raízes apresentaram maior ramifica o. Os resultados foram satisfatórios, indicando que o método pode ser utilizado com sucesso no pessegueiro, principalmente em trabalhos de pesquisa que necessitem de um pequeno número de plantas idênticas geneticamente.
PROGRAMA O LINEAR INTEIRA PARA O PROBLEMA DE CORTE UNIDIMENSIONAL DE ESTOQUE COM REAPROVEITAMENTO DOS RESíDUOS  [cached]
PEREIRA,V.,GOMES, H. C.
Revista GEINTEC : Gest?o, Inova??o e Tecnologias , 2011,
Abstract: Neste trabalho, é apresentada uma modelagem linear e inteira para resolver o problema de corte unidimensional. A modelagem proposta tem como objetivo, concentrar os resíduos provenientes dos cortes em uma única barra fazendo com que as demais sejam aproveitadas ao máximo, a barra que concentrará os resíduos também poderá ser utilizada em uma próxima rodada de cortes. O trabalho detalha a modelagem feita através de exemplos numéricos adaptados da literatura e o tempo computacional para a resolu o do modelo foi considerado razoável.
Efeitos de níveis crescentes de fibra em detergente neutro na dieta sobre a fermenta o ruminal em bubalinos e bovinos  [cached]
Souza Nedilse Helena de,Franzolin Raul,Rodrigues Paulo Henrique Mazza,Scoton Rodrigo de Almeida
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: Quatro bubalinos e quatro bovinos adultos com fístulas ruminais foram utilizados com o objetivo de estudar os efeitos de diferentes níveis de fibra em detergente neutro na dieta sobre as características de fermenta o ruminal. Foram avaliados concentra o de am nia, produ o de ácidos graxos voláteis (acético, propi nico e butírico) e pH do líquido ruminal. Os animais foram delineados em dois quadrados latinos (4x4) com arranjo fatorial 4x2, sendo quatro níveis crescentes de FDN na MS (54, 60, 66 e 72%) e duas espécies (bubalinos e bovinos). Cada subperíodo compreendeu 29 dias, sendo 13 de adapta o. Observou-se efeito da espécie sobre o pH ruminal, em que os bubalinos apresentaram valor médio (6,78) superior ao dos bovinos (6,58). Houve efeito da intera o tempo x espécie, na concentra o de am nia do líquido ruminal somente após 2 horas da alimenta o da manh , em que os bubalinos obtiveram média de 31,76 mg% e os bovinos, de 27,74 mg%. Os bubalinos mostraram menores valores de concentra o média de ácidos graxos voláteis, ácido acético, ácido propi nico e ácido butírico (69,94; 51,31; e 6,12 mM) que os bovinos (77,96; 56,72; e 8,01 mM). N o houve diferen a na concentra o de ácido propi nico e na rela o acético:propi nico, n o sofrendo influência de nenhum dos parametros principais analisados.
Propaga o vegetativa de cedro-rosa por miniestaquia
Xavier Aloisio,Santos Glêison Augusto dos,Wendling Ivar,Oliveira Marcelo Lelis de
Revista árvore , 2003,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar a técnica de miniestaquia como método de propaga o vegetativa de cedro-rosa (Cedrela fissilis), quanto à produ o e sobrevivência das minicepas nas sucessivas coletas e quanto ao porcentual de enraizamento e do crescimento em altura e diametro do colo das miniestacas. As minicepas foram obtidas a partir de mudas de sementes de cedro-rosa, das quais promoveram-se as coletas sucessivas de miniestacas, sendo essas submetidas a diferentes dosagens do regulador de crescimento AIB para enraizamento. Os resultados demonstraram a eficiência da técnica na propaga o vegetativa desta espécie, atingindo-se até 79% de sobrevivência aos 120 dias de idade das mudas, devendo-se destacar que a n o-aplica o do AIB proporcionou melhores resultados. Em termos gerais, a miniestaquia de cedro-rosa, a partir de material de origem seminal, é tecnicamente viável, tornando-se uma alternativa para produ o de mudas dessa espécie durante todo o ano, principalmente nas situa es em que a semente é insumo limitante.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.