oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Vícios na estima??o da excre??o fecal utilizando indicadores internos e óxido cr?mico em ensaios de digest?o com ruminantes
Barros, Emanoel Elzo Leal de;Fontes, Carlos Augusto de Alencar;Detmann, Edenio;Vieira, Ricardo Augusto Mendon?a;Henriques, Lara Toledo;Fernandes, Alberto Magno;
Revista Brasileira de Zootecnia , 2009, DOI: 10.1590/S1516-35982009001000023
Abstract: the objective of this study was to determine the biases in estimating fecal excretion from the internal markers indigestible dry matter (dmi), indigestible neutral detergent fiber (ndfi) and indigestible acid detergent fiber (adfi) and the external marker chromic oxide (cr2o3) in a digestion trial with ruminants. five crossbred holstein-zebu castrated males with 240 kg average weight were used. the research consisted of three twelve-day experimental periods, from which the first six days were assigned to animal adaptation. the animals were fed sorghum silage ad libitum in individual pens. six sampling schedules were adopted: 16 daily collections, at 1.5 hourly intervals; eight collections made during daylight starting at 7 a.m. at 1.5 hourly intervals; eight collections made at night starting at 7 p.m. at 1.5 hourley intervals; four collections made in the day every three hours; four collections at night every three hours and two collections, at 7 a.m. and 4 p.m. the chromic oxide was the indicator with the smallest bias in the long term, but underestimated fecal production. the internal markers overestimated this variable and the ndfi presented the smallest bias. for the short term biases, all the indicators over estimated fecal production: the smallest short term bias was registered for msi. the ndfi was the indicator that presented the smallest total bias, even though it underestimated fecal production.
Estudo para a valida o da técnica dos n-alcanos para estimativa da ingest o e da digestibilidade em porcos Alentejanos Study for the validation of the n-alkane technique to estimate feed intake and digestibility in Alentejano pigs
T. Ribeiro,M. I. Ferraz-de-Oliveira,C. Mendes,M. C. d’Abreu
Revista de Ciências Agrárias , 2007,
Abstract: Os n-alcanos presentes na cutícula das plantas têm sido utilizados com sucesso como marcadores fecais para a estimar a ingest o e a digestibilidade ~ dos alimentos em ruminantes. Em porcos, existem poucos trabalhos publicados referentes à utiliza o da técnica dos n-alcanos, particularmente em suínos de ra a Alentejana. Este trabalho teve como objectivo a valida o da técnica dos n-alcanos para a estimativa da ingest o e digestibilidade dos alimentos em porcos de ra a Alentejana. Para tal, realizou-se um ensaio em caixas metabólicas, numa sala de ambiente controlado, com 8 porcos alentejanos, machos, com peso médio de cerca de 58 kg. Foi fornecida uma dieta, composta por 3 kg de bolota e 400 g de erva, distribuída em duas refei es diárias. Os animais foram aleatoriamente distribuídos por 2 grupos de 4 animais cada. Aos animais do grupo 1 foi fornecido um bolinho por dia, contendo 100 mg de C32 e 150 mg de C36 e aos animais do grupo 2, 2 bolinhos por dia contendo 50 mg de C32 e 75 mg de C36. Foram feitas recolhas de fezes para amostragem a partir do primeiro dia de administra o dos n-alcanos, durante 10 dias, para determina o do perfil de excre o dos marcadores; recolhas de fezes per rectum, de 4 em 4 horas, durante 3 dias para determinar a varia o diurna da concentra o fecal dos n-alcanos, e recolhas das fezes totais, durante 5 dias, para determinar as recupera es dos n-alcanos. A estabiliza o da excre o dos n-alcanos foi atingida no 5o dia após o primeiro dia de administra o. N o se verificaram varia es diurnas das concentra es fecais dos nalcanos pares e ímpares, pelo que em condi es semelhantes às do presente ensaio, as estimativas de ingest o e digestibilidade poder o ser baseadas em apenas uma colheita diária de amostra de fezes. As recupera es fecais dos C32 e C36 foram de 106,8% e 110,0%, e as dos C27, C29 e C31 de 75,1%, 133,9% e 91,5%, respectivamente. Dado o elevado erro padr o das médias (10,7), aquelas taxas de recupera o n o foram significativamente (P=0,05) diferentes. The plant epicuticular n-alkanes have been used with success as faecal markers for the estimation of intake and digestibility in ruminants, but few reports have been published with pigs, particularly, “Alentejano” pigs. The aim of this experiment is to validate the n-alkanes technique for the estimation of diet intake and digestibility in pigs of the “Alentejano” breed. An experiment was carried out with eight male “Alentejano” pigs (average LW 58 kg), housed in metabolic cages, in a controlled environment room. The animals were given a diet composed by 3kg of
Uso da creatinina como indicador da excre o urinária em ovinos  [cached]
Kozloski Gilberto Vilmar,Fiorentini Giovani,H?rter Carla Joice,Sanchez Luis Maria Bonnecarrère
Ciência Rural , 2005,
Abstract: Este estudo foi conduzido para determinar a excre o diária de creatinina e verificar o potencial de seu uso como indicador da produ o urinária em ovinos. A medida da excre o urinária total de creatinina foi feita com base em dados e em amostras obtidas de quatro experimentos de digestibilidade conduzidos previamente com ovinos mantidos em gaiolas metabólicas. Em todos os experimentos, foi feita a coleta diária total de urina durante cinco dias em cada período experimental. Adicionalmente, em um dos experimentos, foram coletadas amostras de urina dos animais de duas em duas horas durante um período de 24 horas. A excre o total de creatinina (média de 660mg dia-1) foi diferente entre experimentos (P<0,01) e entre animais (P<0,01). A excre o diária como propor o do peso corporal (média 23,2mg kg-1 de peso vivo) foi diferente entre experimentos (P<0,01), mas semelhante entre animais, tratamentos e períodos (P>0,05). Por sua vez, a concentra o de creatinina na urina foi diferente entre os experimentos (P<0,01), animais (P<0,01), períodos (P<0,05) e também nos diferentes horários de um período de 24 horas (P<0,01). A estimativa da produ o urinária dos animais, com base na concentra o de creatinina em amostras pontuais de urina, pode ser confiável somente se, em pelo menos um animal representativo de um grupo experimental, for realizada coleta total de urina para medida de excre o média desse metabólito por unidade de peso corporal. Além disso, amostras pontuais de urina devem ser coletadas em diferentes horários para constituir uma amostra composta representativa de um ciclo de 24 horas.
Estima o da digestibilidade intestinal da proteína de alimentos por intermédio da técnica de três estádios  [cached]
Cabral Luciano da Silva,Valadares Filho Sebasti?o de Campos,Malafaia Pedro Ant?nio Muniz,Lana Rogério de Paula
Revista Brasileira de Zootecnia , 2001,
Abstract: O objetivo do presente trabalho foi estimar a digestibilidade intestinal da proteína n o-degradada no rúmen de alimentos por intermédio da técnica de três estádios. Os alimentos avaliados foram os farelos de soja, algod o e trigo; fubá e glúten de milho; gr o de soja e caro o de algod o; e farinhas de peixe, carne e sangue. Os alimentos foram inicialmente incubados no rúmen de bovinos fistulados, por 16 horas para determina o da proteína n o-degradada no rúmen (PNDR), sendo o resíduo submetido à digest o com solu o de pepsina, durante 1 hora, e solu o de pancreatina a 38oC, durante 24 horas, cujos resíduos foram analisados para nitrogênio total (N). A estimativa da PNDR variou de 18,83 a 94% e a digestibilidade intestinal da PNDR, de 25,07 a 83,25%. O glúten de milho e o farelo de soja foram os alimentos que apresentaram a melhor digestibilidade intestinal e o gr o de soja e o farelo de trigo, a pior digestibilidade. Embora alguns sistemas de adequa o de dietas para ruminantes considerem que a PNDR apresenta digestibilidade intestinal constante, os resultados encontrados neste estudo sugerem que esta foi variável.
Digestibilidade aparente da dieta e balan o do nitrogênio em suínos de diferentes grupos genéticos com ou sem restri o alimentar  [cached]
Sartor Claudio,Hauschild Luciano,Carvalho Amanda d' ávila,Garcia Gerson Guarez
Ciência Rural , 2006,
Abstract: Um experimento foi realizado com o objetivo de estudar a digestibilidade aparente da dieta e o balan o do nitrogênio em suínos de diferentes grupos genéticos com ou sem restri o alimentar. Foram utilizados 24 suínos machos castrados de três linhagens híbridas comerciais (Agroceres, Dalland e Embrapa), com peso vivo médio inicial de 47,95kg e final de 52,11kg. Os animais foram alojados em gaiolas metabólicas mantidas em ambiente semi-climatizado. Foi utilizado um fatorial 3 x 2 (três linhagens híbridas comerciais com ou sem restri o alimentar), com quatro repeti es cada, sendo o animal a unidade experimental. Os grupos genéticos e a restri o alimentar n o influenciaram (P>0,05) a digestibilidade aparente da matéria seca, da proteína bruta, do extrato etéreo e a metabolizibilidade da energia. No entanto, a restri o de 20% em rela o à alimenta o à vontade reduziu (P<0,05) em 20% a excre o urinária, 17% da excre o fecal e 19% da reten o de nitrogênio. Os grupos genéticos comerciais estudados apresentam digestibilidade, metaboliza o da energia e balan o do nitrogênio semelhantes. A restri o de 20% no consumo de ra o n o afeta a digestibilidade aparente dos nutrientes e a metaboliza o da energia.
Substitui o do Milho pela Farinha de Mandioca de Varredura em Dietas de Cabras em Lacta o: Produ o e Composi o do Leite e Digestibilidade dos Nutrientes
Mouro Gisele Fernanda,Branco Antonio Ferriani,Macedo Francisco Assis Fonseca de,Rigolon Luiz Paulo
Revista Brasileira de Zootecnia , 2002,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da substitui o do milho pela farinha de mandioca de varredura, em dietas de cabras Saanen em lacta o, sobre o desempenho, a composi o do leite (sólidos totais e proteína bruta), a digestibilidade da matéria seca (MS), matéria organica (MO), proteína bruta (PB), extrato etéreo (EE), fibra insolúvel em detergente neutro (FDN), e amido e a concentra o dos nutrientes digestíveis totais (NDT) das dietas. Foram utilizadas quatro cabras há 100 dias em lacta o. O delineamento utilizado foi o quadrado latino 4 x 4, em que os tratamentos consistiram em níveis de 0, 33, 67 e 100% de substitui o do milho pela farinha de varredura. Os tratamentos n o influenciaram a ingest o, excre o fecal, digest o total e a digestibilidade total da MS, MO, PB, FDN e carboidratos n o-fibrosos (CNF). Houve diminui o linear na excre o fecal e aumento na digestibilidade do amido, com a inclus o da farinha de mandioca de varredura. O NDT n o diferiu entre as dietas estudadas, com média de 71,59%. Houve correla o positiva entre a digestibilidade da matéria organica (DIGMO) e o NDT (r = 0,9472), permitindo estimativas do NDT a partir da equa o NDT (%) = 0,8897DIGMO (%) + 10,9940 (R2=0,8972). A substitui o da farinha da mandioca de varredura n o alterou a produ o, bem como a composi o do leite. Recomenda-se a utiliza o da farinha de mandioca de varredura em dietas de cabras em lacta o, em total substitui o ao milho, sem prejuízos na digestibilidade dos nutrientes e na produ o.
FECES CHARACTERISTICS AND FAECAL SAND EXCRETION IN EQUINE KEEP AT PASTURE IN CACHOEIRO ITAPEMIRIM CITY, ESPíRITO SANTO, BRAZIL CARACTERíSTICA DAS FEZES E EXCRE O FECAL DE AREIA EM EQUINOS MANTIDOS A PASTO NO MUNICíPIO DE CACHOEIRO DO ITAPEMIRIM, ESPíRITO SANTO, BRASIL  [cached]
Jonas Macedo Filgueiras,Ubiratan Pereira Melo,Cíntia Ferreira,Sílvia Araújo Fran?a
Ciência Animal Brasileira , 2009,
Abstract: The characteristic of feces and fecal excretion of sand were evaluated in 112 mares in the Cachoeiro do Itapemirim city, state of Espírito Santo, Brazil. From each animal were collected 200 grams of feces by transrectal palpation, and after collection were evaluated for consistency, hydration, color, smell, size of fiber, grains and presence of foreign body. Simultaneously was performed the test of sedimentation of sand to determine the fecal excretion of sand. In 100% of animals feces were firm with the unique odor. As for color, 90% (101/112) of the animals showed feces of moss green color, while 10% (11/112) showed dark olive green stool. For consistency, 23.21% (26/112) had stool slightly pasty and 76.79% (86/112) had stool firm. Regarding the degree of hydration, 23.21% (26/112) had stool with slight increase in water content, while 76.79% (86/112) had stool with normal hydration. The test of sedimentation of the sand revealed that 100% (112/112) of animals excreted sand at the time of the study. Although the prevalence of fecal excretion of sand has been high, the presence of sand in the gastrointestinal tract of animals evaluated is not causing gastroenteric changes. KEY WORDS: Equine, feces, sand. A característica das fezes e a excre o fecal de areia foram avaliadas em 112 éguas criadas a campo no município de Cachoeiro do Itapemirim, estado do Espírito Santo, em um delineamento inteiramente casualizado. Colheram-se de cada animal 200 gramas de fezes por palpa o transretal, sendo estas avaliadas quanto à consistência, ao grau de hidrata o, à colora o, ao odor, ao tamanho da fibra, à presen a de gr os e de corpo estranho. Simultaneamente, foi realizado o teste de sedimenta o de areia para determinar a excre o fecal de areia. Em 100% dos animais, as síbalas eram firmes com odor sui generis. Quanto à colora o, 90% (101/112) dos animais apresentaram fezes de colora o verde-musgo e 10% (11/112), fezes verde-oliva-escuro. Em rela o à consistência, 23,21% (26/112) apresentaram fezes levemente pastosas e 76,79% (86/112), fezes firmes. Em rela o ao grau de hidrata o, 23,21% (26/112) apresentaram fezes com discreto aumento do conteúdo hídrico e 76,79% (86/112), fezes com hidrata o normal. O teste de sedimenta o da areia revelou que 100% (112/112) dos animais excretavam areia no momento do estudo. Embora a prevalência da excre o fecal de areia tenha sido alta, a presen a de areia no trato gastrintestinal dos animais avaliados n o está provocando altera es gastroentéricas. PALAVRAS-CHAVES: Areia, equino, fezes.
Uso de la creatinina como indicador de la excreción urinaria en bovinos Nellore Uso da creatinina como indicador da excre o urinária em gado Nelore Creatinine used as an indicator of urinary excretion in Nelore cattle
Sandra L Posada,Ricardo R Noguera,Norberto M Rodríguez,Ana L Borges
Revista Colombiana de Ciencias Pecuarias , 2012,
Abstract: El conocimiento de la excreción urinaria es necesario para la determinación de diversas variables contempladas en la nutrición de rumiantes. Con animales en pastoreo, la recolección total de la orina representa un procedimiento complejo; y en confinamiento, demanda la instalación de embudos o sondas urinarias, que generan incomodidad y aumentan el riesgo de lesiones. Objetivo: el objetivo de este trabajo fue validar la capacidad de predicción de la producción urinaria a través de la excreción de creatinina, con respecto a la determinación realizada vía recolección total. Métodos: cinco cebuínos criados en régimen de confinamiento, recibiendo alimento y agua ad libitum, fueron empleados. La producción total de orina, determinada mediante recolección total en jaula metabólica, fue comparada con la producción estimada desde la excreción de creatinina. Muestras spot fueron recolectadas cuatro horas después de la alimentación y analizadas para concentración de creatinina durante cuatro fases experimentales. Resultados: la significancia estadística de la prueba t pareada y a la tendencia registrada por la pendiente de regresión en el análisis de Bland-Altman, permiten concluir que la excreción de creatinina, bajo nuestras condiciones experimentales, no predijo adecuadamente el volumen urinario. Conclusiones: la concentración de creatinina en la muestra spot se considera el punto crítico de la metodología por las variaciones diurnas que se registran en la producción urinaria y, por tanto, en la excreción del metabolito. O conhecimento da excre o urinária é necessário para o estabelecimento de diversas variáveis listadas na nutri o de ruminantes. Com animais em pastejo, a coleta total de urina é um procedimento complexo, e em confinamento, requer a instala o de funis ou de cateteres urinários, o que gera desconforto e aumenta o risco de les es. Objetivo: o objetivo deste estudo foi validar a capacidade preditiva da produ o urinária através da excre o de creatinina, respeito a determina o feita por meio da coleta total. Métodos: cinco animais zebus criados em confinamento, recebendo alimento e água ad libitum, foram usados. A produ o total de urina, medida pela coleta total em gaiolas metabólicas, foi comparada com a produ o estimada desde a excre o de creatinina. Amostras spot foram coletadas quatro horas após alimenta o e analisadas para concentra o de creatinina durante quatro fases experimentais. Resultados: a significancia estatística da prova t pareada somada à tendência registrada pela pendente de regress o na análise de Bland-Altman, permitem c
Nutritional characteristics and utilization of sugar cane in ruminants feeding/ Características nutricionais e formas de utiliza o da cana-de-a úcar na alimenta o de ruminantes  [cached]
Andréa Pereira Pinto,Elzania Sales Pereira,Ivone Yurika Mizubuti
Semina : Ciências Agrárias , 2003,
Abstract: The search for forage alternatives in dry season that are economically viable has taken many livestock farmers to use the sugar cane in the ruminants feeding. This bibliographical review was realized with the objective to discuss the sugar cane nutritional characteristics and its utilization in ruminants feeding. Positive and negative aspects had been told as the production potential, the growing easiness and nutritional limitations. Information had been approached as chemical composition, by-product uses and possible treatments, such as the chemical treatment that increases its digestibility and intake, improving the animals performance. The results of different researches suggest some ways of sugar cane use for the satisfactory results obtaining. However, considering that the sugar cane is poor in proteins and mineral elements, there is necessity of protein supplementation to supply the nutritional requirements. A busca por alternativas de volumosos na época da esta o seca, que sejam economicamente viáveis, tem levado muitos pecuaristas a utilizarem a cana-de-a úcar na alimenta o de ruminantes. Esta revis o bibliográfica foi realizada com o objetivo de discutir as características nutricionais da cana-de-a úcar e suas formas de utiliza o na alimenta o de ruminantes. Foram relatados os aspectos positivos e negativos como o potencial de produ o, facilidade de cultivo e as limita es nutricionais. Abordaram-se informa es como composi o química, utiliza o de subprodutos e possíveis tratamentos, tal como, o tratamento químico que aumenta a sua digestibilidade e consumo, melhorando o desempenho dos animais. Os resultados de diferentes trabalhos de pesquisa sugerem várias formas de utiliza o da cana-de-a úcar para a obten o de resultados satisfatórios. Entretanto, considerando que este é um alimento pobre em proteínas e minerais há necessidade de suplementa o destes componentes para suprir as exigências nutricionais das diferentes categorias animais.
Avalia??o do perfil nictemeral de excre??o de indicadores internos e de óxido cr?mico em ensaios de digest?o com ruminantes
Barros, Emanoel Elzo Leal de;Fontes, Carlos Augusto de Alencar;Detmann, Edenio;Vieira, Ricardo Augusto Mendon?a;Henriques, Lara Toledo;Ribeiro, Enilson Geraldo;
Revista Brasileira de Zootecnia , 2007, DOI: 10.1590/S1516-35982007000900021
Abstract: the goal of the present study was to evaluate the dynamics of fecal excretion of the following digestion markers: indigestible dry matter (dmi), indigestible neutral detergent fiber (ndfi), and indigestible acid detergent fiber (adfi) as internal markers and the external marker chromic oxide (cr2o3). five holstein-zebu steers with 240 kg average weight were used in three 12-day experimental periods, being the first seven days for animal adaptation. previously to the beginning of the experimental period, the animals were submitted to a 10-day period of adaptation to facilities and experimental management. they were fed ad libitum with sorghum silage and maintained in individual pens. the cr2o3 was offered twice daily at 08:00 and 17:00 h, 5 g each, during the whole experimental period. then, the daily marker fecal excretion pattern was characterized by means of the gauss-newton algorithm to fit a fourier series model. a descriptive graphic evaluation of the fitted function showed that the total amplitude of cycles was lower for adfi than the other markers, with values of 4.71%, 1.83%, 2.42% and 1.74% for cr2o3, dmi, ndfi and adfi, respectively, in relation to the estimated mean concentration of each. in turn, the fundamental period of the markers excretion patterns were significant showing cycle lengths of 3.25, 3.47, 3.46 and 3.74 hours for cr2o3, dmi, ndfi and adfi, respectively. as a conclusion, the mean fecal concentration of all markers might be obtained through two daily samplings at intervals from each other of 3, 9, 15 or 21 hours.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.