oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Avalia o dos intervalos e números de observa es no comportamento ingestivo de novilhas leiteiras confinadas Evaluation of the intervals and numbers of observations on the ingestive behavior of dairy heifers confined  [cached]
Alyson Andrade Pinheiro,Cristina Mattos Veloso,Hermógenes Almeida de Santana Júnior,Aires Lima Rocha Neto
Revista Brasileira de Saúde e Produ??o Animal , 2011,
Abstract: Objetivou-se verificar o efeito dos intervalos e números de observa es no comportamento ingestivo de novilhas leiteiras confinadas. Foram utilizadas 20 novilhas mesti as Holandês x Zebu, com peso corporal médio inicial de 165,5kg e idade média de 13 meses. As novilhas foram distribuídas em quatro grupos, compostos por níveis de inclus o de farelo de cacau com base na matéria seca das dietas (0; 7; 14 e 21%). Os tratamentos do presente estudo foram os intervalos (cinco; 10; 15; 20 e 30 minutos), números de repeti es (quatro, três, duas e uma), e turnos (quatro, três, dois e um) de observa o durante o comportamento ingestivo. A avalia o ocorreu no fim de cada período de 21 dias de coleta de dados, durante 24 horas, sendo as atividades registradas em cinco escalas diferentes: cinco; 10; 15; 20 e 30 minutos de intervalo. Os aspectos do comportamento ingestivo foram observados em quatro, três, duas e uma repeti es e turnos. N o houve efeito significativo das escalas de registro sobre o tempo de alimenta o, rumina o e ócio, nem sobre as eficiências de alimenta o e rumina o. Para as variáveis relacionadas com a atividade de rumina o, n o houve diferen a entre os diferentes números de observa es, nem para os diferentes turnos de observa o. A determina o dos tempos totais das atividades de alimenta o, rumina o e ócio, e as eficiências de alimenta o e rumina o dos diferentes nutrientes podem ser realizadas com intervalo de observa o de até 30 minutos. The objective of this study was to assess the effect of the intervals and numbers of observations on the ingestive behavior of confined dairy heifers. We used 20 heifers Holstein x Zebu, with initial body weight of 165.5kg and mean age of 13 months. The heifers were divided into four feeding groups, composed of inclusions of cocoa meal based diets (0; 7; 14 and 21%). The treatments were the intervals (five; 10; 15; 20 and 30 minutes), number of repetitions (four, three, two and one), and turns (four, three, two and one) the observation of ingestive behavior. The evaluation came at the end of each period of 21 days of data collection for 24 hours, and activities recorded in five different intervals: 0; 10; 15; 20 and 30 minutes. Aspects of ingestive behavior were observed in four, three, two and one replicates and turns. There was no significant effect of scales of record on the time of feeding, ruminating and idle, either on the efficiencies of feeding and rumination. For variables related to rumination activity, no differences between different numbers of observations, nor for the different turns
Comportamento ingestivo de vacas Jersey confinadas durante a fase inicial da lacta o  [cached]
Costa Cintia Oliveira da,Fischer Vivian,Vetromilla Marco Ant?nio Monks,Moreno Claiton Baes
Revista Brasileira de Zootecnia , 2003,
Abstract: Este trabalho foi desenvolvido com o objetivo de caracterizar o comportamento ingestivo de vacas da ra a Jersey durante duas épocas do ano (esta es fria e quente) e aos 30, 60 e 90 dias pós-parto. Os tempos diários gastos com ingest o, rumina o e descanso foram estimados a partir de observa es visuais realizadas por um único observador bem treinado. Os registros das atividades comportamentais foram realizados a intervalos de 10 minutos, durante 24 horas por dia, cinco dias por período, totalizando 30 dias de observa es. Os animais foram observados individualmente. Os tempos médios de ingest o e rumina o foram maiores na esta o quente, comparados à esta o fria e aos 30 dias pós-parto comparados aos 90 dias pós-parto, e associados com os efeitos positivos de temperatura, fotoperíodo e teor de fibra da silagem. O peso vivo decresceu até 30 dias pós-parto, apresentando recupera o aos 90 dias pós-parto. A produ o de leite apresentou intera o significativa entre época e período, com menor produ o de leite aos 60 dias pós-parto em rela o aos 30 e 90 dias pós-parto, principalmente na esta o quente, fato parcialmente atribuído às mudan as na composi o química da silagem. Concluiu-se que as vacas leiteiras modificaram seu comportamento ingestivo para se adaptarem às mudan as nutricionais, ambientais (efeito de época) e anat micas e fisiológicas (efeito do número de dias após o parto).
Effect of the use of three intervals between comments on the precision of the results gotten in the study of the intake behavior of dairy cows in grazing Efeito da utiliza o de três intervalos de observa es sobre a precis o dos resultados obtidos no estudo do comportamento ingestivo de vacas leiteiras em pastejo  [cached]
Robério Rodrigues Silva,Ivanor Nunes do Prado,Gleidson Giordano Pinto de Carvalho,Hermogenes Almeida de Santana Junior
Ciência Animal Brasileira , 2008,
Abstract: The objective of this work was to evaluate three scales of interval between comments to determine the intake behavior of dairy cows. Had been used 10 crossbred cows Holstein x Zebu with average live weight of 450 kg. The experiment was conducted in the Princesa do Mateiro Farm, Ribeir o of Largo city, Bahia State in June of 2006. The design used was completely randomized and repeated measures, with 10 units for treatments. The treatments had been: ten comments in the scale of 10 minutes; ten comments in the scale of 20 minutes; and ten comments in the scale of 30 minutes. The pasture, ruminating and idle time had not differed statistical (P>0.05) between the tested scales. The number of pasture and ruminating periods had not presented differences (P>0.05) enters the scales of 10 and 20 minutes. The number of idle periods in the intervals of 20 and 30 minutes was different (P<0.05) of those in the scale of 10 minutes. The duration of the gotten pasture periods and ruminating in the scale of 10 minutes of interval was different (P<0.05) of those gotten in the scales of 20 and 30 minutes. The duration of the idle period were statistical similar (P>0.05) for the intervals of 10 and 20 minutes and both had differed from that one gotten with 30 minutes. Work the determine the bovine intake behavior can be evaluated with a variable number of animals. Suggested the maximum of ten minutes to study the intake behavior. KEY WORDS: Intake behavior, methodology, observation intervals. Avaliaram-se três escalas de intervalo entre observa es para determinar o comportamento ingestivo de vacas leiteiras. Foram utilizadas dez vacas mesti as holandês x zebu com peso corporal médio de 450 kg. Desenvolveu-se o experimento na Fazenda Princesa do Mateiro, no município de Ribeir o do Largo no estado da Bahia, no mês de junho de 2006. Empregou-se o delineamento inteiramente casualizado e utilizaram-se medidas repetidas com dez unidades amostrais por tratamento. Os tratamentos consistiram no seguinte: dez observa es na escala de dez minutos; dez observa es na escala de vinte minutos; e dez observa es na escala de trinta minutos. Os tempos de pastejo, rumina o e ócio n o diferiram estatisticamente (P>0,05) entre as escalas testadas. O número de períodos de pastejo, número de períodos de rumina o n o apresentaram diferen as (P>0,05) entre as escalas de dez e vinte minutos. O número de períodos de ócio obtido nos intervalos de 20 e 30 minutos foi diferente (P<0,05) daqueles obtidos na escala de dez minutos. O tempo de dura o dos períodos pastejo e rumina o, obtido n
Padr es da distribui o nictemeral do comportamento ingestivo de vacas leiteiras, ao início e ao final da lacta o, alimentadas com dieta à base de silagem de milho  [cached]
Fischer Vivian,Deswysen Armand Gerard,Dutilleul Pierre,De Boever Johan
Revista Brasileira de Zootecnia , 2002,
Abstract: Os efeitos dos estádios de lacta o inicial e final sobre o comportamento e a distribui o nictemeral do comportamento ingestivo foram avaliados com oito vacas leiteiras, consumindo uma dieta à base de silagem de milho. A análise espectral das séries de tempos horários de mastiga o (ingest o ou rumina o) foi realizada usando os dados modificados pela transforma o finita de Fourier. Foi realizada análise de variancia destes dados e a análise dos periodogramas e diagramas de fase. A dura o média das refei es e o consumo de matéria seca foram superiores, enquanto o tempo unitário de rumina o foi inferior no período inicial em rela o ao final da lacta o. A distribui o dos tempos de ingest o e de rumina o nos estádios inicial e final de lacta o seguiu, respectivamente, periodicidades de 24, 12, 8 e 4 horas e de 24, 12 e 8 horas. Foi constatado efeito significativo do estádio de lacta o para o tempo gasto ingerindo e ruminando no componente de ritmo 4. O estádio da lacta o influenciou alguns parametros do comportamento ingestivo e sua ritmicidade.
Comportamento ingestivo de vacas em lacta o alimentadas com níveis de inclus o de baga o de mandioca Ingestive behavior of dairy cows fed with inclusion levels of cassava bagasse  [cached]
Alyson Andrade Pinheiro,Cristina Mattos Veloso,Leandro Pereira Lima,Robério Rodrigues Silva
Revista Brasileira de Saúde e Produ??o Animal , 2011,
Abstract: Objetivou-se avaliar o comportamento ingestivo de vacas em lacta o recebendo dietas com níveis de baga o de mandioca (0; 5; 10 e 15%). Foram utilizadas 12 vacas leiteiras Holandês x Zebu com 478,5kg de peso corporal médio e com 100 a 150 dias de lacta o, distribuídas em três Quadrados Latinos 4 x 4. Além do consumo de matéria seca, fibra em detergente neutro, carboidratos n o fibrosos e nutrientes digestíveis totais, foi avaliado o comportamento ingestivo dos animais, os quais foram submetidos a quatro avalia es visuais, com dura o de 24 horas cada, em escalas de cinco minutos. As avalia es foram realizadas no último dia de cada período experimental, que tiveram dura o de 12 dias. Os consumos de matéria seca, carboidratos n o fibrosos e nutrientes digestíveis totais aumentaram linearmente com a inclus o do baga o de mandioca. O tempo gasto com alimenta o, rumina o e ócio n o diferiu entre os tratamentos, assim como o número de períodos e o tempo gasto em cada período nas respectivas atividades. Quanto aos aspectos comportamentais, apenas o número de mastiga es por bolo ruminado foi afetado pelas dietas. As eficiências de alimenta o e rumina o só tiveram interferência nos carboidratos n o fibrosos, os quais apresentaram efeito quadrático. O aumento crescente dos consumos de matéria seca, carboidratos n o-fibrosos e nutrientes digestíveis totais demonstraram que o baga o de mandioca em níveis de até 15% n o altera o comportamento ingestivo. The objective was to evaluate the ingestive behavior of lactating cows receiving diets with different levels of cassava bagasse (0; 5; 10 and 15%). Twelve Holstein x Zebu dairy cows with 478.5kg of average body weight and 100 to 150 days in milk, were distributed in three 4 x 4 Latin Squares. The dry matter intake, neutral detergent fiber, non fibrous carbohydrates and total digestible nutrients intake, and the ingestive behavior of the animals was evaluated, when they were submitted to four visual evaluations, with 24 hours of duration each, in five minutes scales. The evaluations were conducted on the last day of each experimental period, which had 12 days. The dry matter, non fiber carbohydrates and total digestible nutrients intakes increased linearly with cassava bagasse inclusion. The time spent with feeding, rumination and idle did not differ among treatments, as well as the number of periods and the time spent in each period in the respective activities. The behavioral aspects, only the number of chewing per ruminated bolus was affected by the diets. The feeding and rumination efficiencies only affec
Licury oil in concentrate feed supplement on the ingestive behavior and thermal comfort of milking cows on pasture óleo de licuri no concentrado administrado a vacas Holandesas X Zebu, sobre o comportamento ingestivo e conforto térmico  [cached]
Máikal Souza Borja,Américo Fróes Garcez Neto,Ronaldo Lopes Oliveira,Luciano Santos Lima
Revista Brasileira de Saúde e Produ??o Animal , 2009,
Abstract: The ingestive behavior and thermal comfort were used to determine the best level of licury oil as feed supplement fed to dairy cows under grazing system. The treatments were 0.0; 1.5; 3.0 and 4.5% of licury oil in the concentrate (dry matter basis). The total area of grazing was 8ha of Tanzania grass (Panicum maximum Jacq. cv. Tanzania-1). The evaluations of ingestive behavior were done in four periods (First period 21/05 to 11/06; Second period 12/06 to 02/07; third period 03/07 to 23/07 and Forth period 24/08 to 13/08, in 2007), two consecutive days (12h per day) per period, in intervals of one hour, by visual observation. It was analyzed the grazing, rest and rumination activities. The environment was monitored during all periods by recording the air temperature, relative humidity and black globe temperature. These data were used to calculate the comfort indexes. The physiological parameters evaluated were rectal temperature and breathe frequency. The avegare time spent in grazing, rst and rumination were 71.7; 11.2 and 16.9%, respectively. The licury oil in the feed supplements did not influence the ingestive behavior and physiological parameters of dairy cows, so that oil can be used up to 4.5% in the concentrate feed to milking cows. Objetivou-se identificar o melhor nível de óleo de licuri na suplementa o concentrada de vacas leiteiras mantidas em pastejo, por intermédio do comportamento ingestivo e conforto térmico. Foram utilizadas 16 vacas em lacta o, Holandês x Zebu, distribuídas no delineamento experimental quadrado latino 4 x 4. Os tratamentos foram 0,0; 1,5; 3,0 e 4,5% de óleo de licuri no concentrado, com base na matéria seca, e a área de pastejo utilizada foi de oito hectares de capim-tanzania (Panicum maximum Jacq. cv. Tanzania). As avalia es de comportamento ingestivo foram realizadas em quatro períodos de coleta em intervalos de uma hora, por 12 horas, em dois dias consecutivos, por meio de observa o visual. Foram observadas as atividades de pastejo, ócio e rumina o. Nos mesmos períodos o ambiente foi monitorado diariamente, coletando os dados de temperatura do ar, umidade relativa e temperatura do globo negro, que foram usados para calcular os índices de conforto térmico. Foram avaliadas as variáveis fisiológicas (temperatura retal e freqüência respiratória), com intuito de verificar a influência do óleo sobre as mesmas. As médias de tempo de pastejo, ócio e rumina o observados foram, respectivamente, 71,7; 11,2 e 16,9%. Os níveis de óleo de licuri n o influenciaram o comportamento ingestivo e os parametros fisiológicos das vac
Efeito da presen a ou n o do bezerro sobre o comportamento ingestivo de vacas leiteiras em pastejo de "Brachiaria decumbens"
Robério Rodrigues Silva,Ivanor Nunes do Prado,Gleidson Giordano Pinto de Carvalho,Aracele Prates de Oliveira
Revista Brasileira de Saúde e Produ??o Animal , 2007,
Abstract: O conhecimento do comportamento ingestivo dos bovinos leiteiros pode ser utilizado pelos produtores, de forma que venha a maximizar a produtividade. O objetivo deste trabalho consistiu em avaliar o comportamento ingestivo de vacas Holandês x Zebu em pastagem de Brachiaria decumbens em diferentes estágios de lacta o com e sem a presen a do bezerro. Foram utilizadas 10 vacas mesti as Holandês x Zebu com peso corporal médio de 450 kg. O experimento foi conduzido na Fazenda Princesa do Mateiro no município de Ribeir o do Largo no estado da Bahia no mês de junho de 2006. Foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado e medidas repetidas, com 5 vacas por tratamento. Os tratamentos foram: Vacas com menos de 5 meses de lacta o e bezerro ao pé e Vacas com mais de 5 meses de lacta o sem bezerro ao pé. Cada animal foi observado a cada 10 minutos de intervalo conforme metodologia descrita por Silva et. al (2004) no modelo Scan sampling. Os tempos de pastejo dos animais que n o tinham o bezerro ao pé foram estatisticamente superiores (P<0,05) aos que contavam com a presen a do bezerro. Os tempos de rumina o n o foram afetados (P>0,05). Os tempos de ócio apresentaram comportamento inverso ao tempo de pastejo, sendo maior (P<0,05). O NPP e NPR n o foram afetados (P>0,05) pela presen a do bezerro. O NPO apresentou diferen a significativa (P<0,05), sendo superior nos animais que estavam acompanhados pelos bezerros. A variável TPP sofreu efeito de tratamento (P<0,05), TPR e TPO n o foram afetados (P>0,05) pela presen a ou n o do bezerro. O TMT diferiu entre os tratamentos (P<0,05), apresentando-se mais elevado nos animais que estavam desacompanhados dos bezerros. N o houve efeito (P>0,05) para TBR, NMBR e NBR. A presen a dos bezerros junto às vacas no manejo tradicional pode afetar o tempo de pastejo em detrimento de um maior tempo destinado ao acompanhamento da cria e fornecimento do leite, tempo este em que o animal permanece em ócio.
Efeito do Perfil Granulométrico das Partículas Dietéticas sobre Parametros de Desempenho de Vacas Leiteiras em Lacta o
Bezerra Edinaldo da Silva,Queiroz Augusto César de,Maldonado Fabiana,Pereira José Carlos
Revista Brasileira de Zootecnia , 2002,
Abstract: O objetivo deste experimento foi avaliar o efeito do perfil granulométrico das partículas dietéticas sobre o desempenho de vacas leiteiras em lacta o. Dez vacas leiteiras da ra a Holandesa (média de 550 kg) foram distribuídas em um delineamento em switchback, em três períodos consecutivos. Os animais foram estabulados individualmente e receberam ra es em mistura completa, constituída de feno de capim Tifton (50,4%) e concentrado (49,6%). O feno foi triturado em moinho comercial com peneiras de malhas de 3,2; 4,8; 7,9; 15,9; e 25,4 mm, e amostras de cada moagem foram submetidas ao separador de partículas modelo Penn State, para determina o do perfil de distribui o das partículas. Constituíram-se cinco tratamentos: T1 fraction three-quarters 100% das partículas abaixo de 8 mm; T2 fraction three-quarters 76% abaixo de 8 mm e 24% entre 8 e 19 mm; T3 fraction three-quarters 36,7% abaixo de 8 mm, 26,6% entre 8 e 19 mm e 36,7% acima de 19 mm; T4 fraction three-quarters 32% abaixo de 8 mm, 28% entre 8 e 19 mm e 40% acima de 19 mm; e T5 fraction three-quarters 26% abaixo de 8 mm, 28% entre 8 e 19 mm e 46% acima de 19 mm. Os resultados indicaram que os consumos de ra o e nutrientes e a convers o alimentar n o foram influenciados pelos diferentes perfis granulométricos das dietas, mas observaram-se varia es na produ o e na composi o do leite. Verificou-se que vacas leiteiras alimentadas com dietas com perfis granulométricos intermediários produziram mais leite. A quantidade de gordura do leite produzida n o foi afetada pelo perfil de distribui o das partículas dietéticas da dieta, porém vacas leiteiras alimentadas com dietas de maior granulometria produziram leite com maior teor de gordura. O processamento dos ingredientes das dietas com redu es do tamanho da partícula deve ser considerado criteriosamente, já que melhor desempenho ocorreu quando os animais foram submetidos às dietas de perfil granulométrico intermediário.
Fontes de amido e proteína para vacas leiteiras em dietas à base de capim elefante  [cached]
Lima Laísse Garcia de,Nussio Luiz Gustavo,Gon?alves José Renato Silva,Simas José Manuel Correia de
Scientia Agricola , 2002,
Abstract: A correta associa o de fontes concentradas de energia e/ou proteína ao volumoso da ra o de bovinos, poderá maximizar o desempenho dos animais, como efeito da complementariedade das taxas de degrada o de nutrientes. Avaliou-se o efeito de diferentes formas de processamento de milho, níveis de inclus o na dieta e fontes de proteína sobre a digestibilidade dos nutrientes na dieta, parametros de fermenta o ruminal, bem como o desempenho de vacas leiteiras. Foram utilizadas cinco vacas da ra a holandesa em lacta o, distribuídas ao acaso em um delineamento experimental do tipo quadrado latino 5 x 5. Os tratamentos utilizados foram: silagem de milho, farelo de soja e milho moído (quirera fino) em nível alto; capim elefante, farelo de soja, milho moído em nível alto; capim elefante, farelo de soja, milho moído em nível baixo; capim elefante, farelo de soja, milho floculado (360 g L-1) em nível alto; capim elefante, farinha de peixe, milho floculado em nível alto. A dieta contendo capim elefante, milho floculado e farelo de soja em alto nível foi a que mais se aproximou da dieta de silagem de milho nos diversos parametros avaliados. A fonte de proteína n o degradável no rúmen (PNDR) n o apresentou vantagens em rela o à fonte convencional de proteína. O fornecimento de baixo nível de concentrado n o supriu as deficiências energéticas do capim elefante. A maior eficiência de produ o de vacas leiteiras que receberam ra es com base em capim elefante simulando pastejo foi observada quando a energia estava disponível no rúmen, seja através do processamento, ou seja da maior inclus o de concentrado na dieta.
EXPERIMENTO DE SUBSTITUI O DA SUPLEMENTA O PROTéICA POR AUTOLIZADO DE FERMENTO DE CERVEJA NA ALIMENTA O DE VACAS LEITEIRAS DA RA A HOLSTEIN-FRISIAN EXPERIMENT ON PROTEIC SUPPLEMENTATION SUBSTITUTION BY AUTOLYZED BEER YEAST IN HOLSTEIN-FRISIAN RACE FEEDING  [cached]
Roulien Fontes,Peter Fischer
Pesquisa Agropecuária Tropical , 2007, DOI: 10.5216/pat.v9i1.2367
Abstract: O presente trabalho experimentou substituir a suplementa o protéica de vacas leiteiras da ra a Holstein-Frisian por autolizado de fermento de cerveja, um subproduto da fabrica o de cerveja. O produto é muito rico em aminoácidos, vitaminas e minerais. Após 6 semanas de uso do produto n o se registrou nenhuma eleva o da produ o de leite. The purpose of this paper is to demonstrate how the protein supplementation in Holstein-Frisian cows could be substituted by autolyzed beer yeast, a by-product of beer brewing. Beer yeast is rich in aminoacids, vitamin and minerals. The beer yeast was given to the cows for six weeks, but no modification in the production of milk occurred during that period.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.