oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Metodologias ágeis Extreme Programming e Scrum para o Desenvolvimento de Software  [cached]
Michel dos Santos Soares
Revista Eletr?nica de Sistemas de Informa??o , 2004,
Abstract: Este artigo apresenta algumas vantagens das metodologias ágeis para desenvolver software em rela o às metodologias tradicionais. Em particular s o apresentadas as principais características e as práticas das metodologias ágeis Extreme Programming e Scrum. Também s o feitas compara es com as metodologias tradicionais, procurando enfatizar que as metodologias ágeis s o baseadas em pessoas e n o em processos e planejamentos. Finalmente s o apresentadas as principais vantagens e desvantagens da Extreme Programming e da Scrum. Também s o apresentados alguns resultados empíricos do uso de metodologias ágeis.
Ciberespa o e metodologias de cria o  [cached]
Monica Tavares
Conex?o : Comunica??o e Cultura , 2004,
Abstract: Este artigo procura analisar as diretrizes operacionais dos processos criativos desenvolvidos no contexto do ciberespa o. Primeiramente, introduz o leitor nos conceitos de criatividade e de métodos heurísticos de cria o, classificando-os em três categorias: os métodos do possível, do existente, e do pensamento. Examina como as especificidades das novas tecnologias da comunica o podem favorecer a produ o de imagens no ciberespa o. Em seguida, estuda os aspectos dominantes inerentes ao tipo de cria o estabelecido em correspondência ao terceiro grupo dos métodos, cria o essa que se sustenta na dialética entre a virtualiza o das rela es e a atualiza o das linguagens, privilegiando uma conduta criativa, potencializada pelo contato e pela troca entre diferentes receptores. Por fim, comenta uma experiência de teleinteratividade, com o propósito de sintetizar e exemplificar os percursos de cria o envolvidos em um projeto artístico executado telematicamente e, portanto, concebido a partir de a es colaborativas de diversos indivíduos em um meio comunicativo de caráter tecnológico.
Avalia o dos coeficientes de digestibilidade dos aminoácidos do gr o de trigo e seus subprodutos para frangos de corte utilizando diferentes metodologias  [cached]
Borges F.M.O.,Rostagno H.S.,Saad C.E.P.,Rodriguez N.M.
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia , 2003,
Abstract: Realizou-se um experimento com frangos de corte para avalia o dos coeficientes de digestibilidade dos aminoácidos ((coeficiente de digestibilidade aparente (CDAaa) e coeficiente de digestibilidade verdadeira (CDVaa)) comparando quatro metodologias de estima o. O delineamento experimental foi inteiramente ao acaso, em esquema fatorial 4 ′ 8 (tratamentos ′ alimentos) com quatro repeti es. Sete alimentos oriundos do trigo e uma ra o-referência foram utilizados nos quatro tratamentos: trigo integral moído, gérmen de trigo, farinha de trigo clara, farinha de trigo escura, farelo de trigo para uso humano, farelo de trigo para uso animal e farelo de trigo grosso. Os dois primeiros tratamentos foram baseados na metodologia tradicional de consumo a vontade, diferindo apenas quanto à idade das aves (13 e 39 dias, respectivamente). Os alimentos testados substituíram 40% da ra o-referência. Foram registradas as quantidades ingeridas e coletadas as excretas totais. Nos tratamentos 3 e 4 utilizou-se o método da alimenta o for ada. Neles as aves, submetidas a jejum de 30 horas, foram for adas a ingerir 25 gramas de alimento puro de uma única vez, utilizando o alimento puro, sem níveis de substitui o. Em todos os tratamentos uma parcela foi deixada em jejum, para determina o das perdas metabólica e endógena. O tratamento 4 foi realizado com aves cecectomizadas. Nos alimentos e nas excretas foram analisadas matéria seca, proteína bruta e aminoácidos. O método tradicional apresentou maiores valores de CDAaa, quando comparado ao método de alimenta o for ada. Na farinha de trigo clara e farinha de trigo escura esses valores foram negativos, mostrando que a perda endógena foi maior que a ingest o de aminoácidos. Os alimentos alto em fibra (farelo de trigo para uso humano, farelo de trigo para uso animal e farelo de trigo grosso) apresentaram os menores valores de CDAaa e CDVaa nos tratamentos com metodologia tradicional e nos de alimenta o for ada, confirmando a interferência da fibra sobre a digestibilidade dos aminoácidos. Quanto aos valores de CDVaa, as diferen as foram menores quando se compararam os tratamentos pelo método tradicional e de alimenta o for ada, entretanto, as aves cecectomizadas apresentaram menor CDAaa, devido à maior perda metabólica e endógena.
Estima o do parametro "d " em modelos arfima
Trevisan Elma Suema,Souza Reinaldo Castro,Souza Leonardo Rocha
Pesquisa Operacional , 2000,
Abstract: Os modelos ARFIMA caracterizam-se por sua longa dependência e por possuírem o parametro d do modelo ARIMA (grau de diferencia o) assumindo valores fracionários. Quando no caso d (-0,5; 0,5), há estacionariedade. A longa dependência aparece quando d é positivo. Este trabalho visa testar e comparar duas metodologias para o processo de estima o de d, baseadas na fun o Periodograma e na fun o Periodograma Suavizado. Através de séries sintéticas geradas para este fim, foram realizadas simula es em quatro diferentes estruturas ARFIMA, a saber : (0,d,0), (1,d,0), (0,d,1), (1,d,1) para três possíveis valores de d, (0,0; 0,10; 0,25 e 0,40).
Estudo inicial do inventário de Auto-Estima (SEI): Forma A  [cached]
Gobitta M?nica,Guzzo Raquel Souza Lobo
Psicologia: Reflex?o e Crítica , 2002,
Abstract: No presente estudo buscou-se investigar os índices de precis o do Inventário de Auto-Estima (SEI)-Forma A, descrever a auto-estima do grupo estudado considerando-se as variáveis: gênero e faixa etária nas dimens es estudadas pelo Inventário. Foram participantes deste estudo 142 crian as e adolescentes de dez a 18 anos. Os resultados referentes aos índices de precis o do Inventário mostraram índices satisfatórios quando considerados os resultados da pontua o geral, o mesmo n o ocorreu quando a correla o item-total foi submetida às dimens es estudadas. Com rela o aos resultados descritivos da auto-estima do grupo estudado, estes apresentaram pequenas diferen as entre as variáveis pesquisadas. Estes resultados levaram a discuss es a respeito da adapta o transcultural de instrumentos de avalia o e as conclus es deste estudo apontam para a necessidade de que o instrumento escolhido seja aperfei oado em investiga es futuras no sentido de melhorar a consistência interna dos itens.
METHODS OF ESTIMATION IN MULTIPLE LINEAR REGRESSION: APPLICATION TO CLINICAL DATA MéTODOS DE ESTIMACIóN EN REGRESIóN LINEAL MúLTIPLE: APLICACIóN A DATOS CLíNICOS MéTODOS DE ESTIMA O EM REGRESS O LINEAR MúLTIPLA: APLICA O A DADOS CLíNICOS
Coelho-Barros Emílio Augusto,Sim?es Priscila Angelotti,Achcar Jorge Alberto,Martinez Edson Zangiacomi
Revista Colombiana de Estadística , 2008,
Abstract: In this paper, we show different parameters estimation forms for multiple linear regression model. We used clinical data, where the interest was to verify the relationship among the mechanical assay maximum stress with femoral mass, femoral diameter and group of ovariectomized Wistar rats. We used three inference methods: Classic inference, based on the least square method; bayesian inference, based on the Bayes theorem; and bootstrap inference, based on resampling processes. En este trabajo se muestran diferentes formas de estimación de parámetros para el modelo de regresión lineal múltiple. Para estimar los parámetros del modelo se utilizaron los datos de un ensayo clínico donde el interés era verificar la relación entre la tensión mecánica máxima del fémur con la masa y el diámetro femoral en un grupo experimental de ratas ovariectomizadas de la raza Rattus norvegicus albinos, variedad Wistar. Para estimar los parámetros del modelo se compararon tres métodos: la metodología clásica basada en el método de mínimos cuadrados, la metodología bayesiana, basada en el teorema de Bayes y la inferencia bootstrap basada en los procesos de remuestreo. Nesse artigo, tem-se o interesse em avaliar diferentes estratégias de estima o de parametros para um modelo de regress o linear múltipla. Para a estima o dos parametros do modelo foram utilizados dados de um ensaio clínico em que o interesse foi verificar se o ensaio mecanico da propriedade de for a máxima (EM-FM) está associada com a massa femoral, com o diametro femoral e com o grupo experimental de ratas ovariectomizadas da ra a Rattus norvegicus albinus, variedade Wistar. Para a estima o dos parametros do modelo ser o comparadas três metodologias: a metodologia clássica, baseada no método dos mínimos quadrados; a metodologia Bayesiana, baseada no teorema de Bayes; e o método Bootstrap, baseado em processos de reamostragem.
Instrumentos e metodologias de representa o da informa o Tools and Methodologies for Information Representation  [cached]
Maria Salet Ferreira Novellino
Informa??o & Informa??o , 1996, DOI: 10.5433/1981-8920.1996v1n2p
Abstract: Contextualiza e conceitua o processo de representa o da informa o. Analisa a evolu o histórica dos instrumentos que foram e vêm sendo utilizados para a representa o da informa o. Apresenta uma descri o das várias concep es que subjazem às metodologias para a representa o da informa o.
Utiliza o de Metodologias de Reestrutura o Societária como Ferramenta de Planejamento Tributário: um Estudo de Caso
Alexandre Eduardo Lima Ribeiro,Poueri do Carmo Mário
Contabilidade Vista & Revista , 2008,
Abstract: Este artigo descreve algumas possibilidades de utiliza o das metodologias dereestrutura o societária, tais como fus o, incorpora o, cis o e holding, como ferramentade planejamento tributário. Uma das raz es que vêm tomando forte relevancia no contextoempresarial é a aplica o de formas de reestrutura o societária, visando à economia fiscal.O objetivo da pesquisa é apresentar um estudo de caso, no qual se analisa a aplicabilidadedas metodologias de reestrutura o societária como ferramenta de planejamento tributárioem um grupo empresarial do setor de agronegócio situado no estado de Minas Gerais. Paraisso, foi preciso apoiar-se em bases constitucionais e, também, segregar as figuras de elis o eevas o/simula o fiscal em dois pólos distintos, além de outros conceitos. No desenvolvimento,primeiramente levantou-se a carga tributária prevista do grupo. Em seguida,apresentou-se propostas de reestrutura o societária ao mesmo, de forma que assegurasseas reais participa es societárias dos sócios e demonstrasse seus respectivos reflexostributários. Adiante foram realizadas análises comparativas entre a situa o prevista versussitua es propostas de reestrutura es societárias. Os principais achados deste estudoforam: a legitimidade da aplicabilidade das metodologias de reestrutura o societária comoinstrumento de planejamento tributário; e a aplica o do uso de metodologias de reestrutura osocietária como ferramenta de planejamento tributário em um estudo de caso, obtendoresultados satisfatórios, com redu o de até 18% de economia tributária.
USO DAS METODOLOGIAS DE AVALIA O DE IMPACTO AMBIENTAL EM ESTUDOS REALIZADOS NO CEARá  [cached]
Francisco Correia de Oliveira,Héber José Teófilo de Moura
Revista PRETEXTO , 2009,
Abstract: O presente estudo teve como objetivo verificar o uso de metodologias de avalia o de impacto ambiental(IA) em estudos realizados no Ceará. O trabalho envolveu o levantamento exploratório das principais metodologias de avalia o de IA utilizadas pelos empreendedores cearenses, verificando o grau de relacionamento entre as principais variáveis de caráter ambiental. A pesquisa do tipo desk research consistiu na análise dos relatórios de impactos ambientais (RIMA) disponibilizados pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente - Ceará (SEMACE), 152 RIMAs, publicados nos últimos dez anos(1999-2004). As variáveis do estudo foram: responsável pela elabora o do RIMA, ano de publica o, empreendedor, tipo do empreendimento e técnica de mensura o empregada. Os resultados finais apontam que, um dos pontos fracos das metodologias de avalia o ambiental estudadas, encontra-se no cálculo dos custos incorridos em decorrência do impacto ambiental causado pelo uso de um recurso natural ou por danos ao meio ambiente devido à polui o. Apontam ainda que em 76,4% dos RIMAs utilizou-se de algum tipo de matriz como técnica de avalia o de impactos ambientais, apontam também para a repeti o de técnicas por uma mesma consultoria em um mesmo empreendimento e uma n o combina o de técnicas avaliativas.
Repetibilidade de caracteres de produ o e porte da planta em clones de cajueiro-an o precoce
CAVALCANTI JOSé JAIME VASCONCELOS,PAIVA JO?O RODRIGUES DE,BARROS LEVI DE MOURA,CRISóSTOMO JO?O RIBEIRO
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2000,
Abstract: Os objetivos deste trabalho foram estimar coeficientes de repetibilidade (r), comparar a eficiência das metodologias utilizadas no processo de estima o, e determinar o número de avalia es necessárias à sele o clonal de cajueiro-an o (Anacardium occidentale L.) precoce. As metodologias aplicadas para estima o do coeficiente de repetibilidade constaram da análise de variancia, na qual o efeito temporário do ambiente é removido do erro (ANOVA); de análise dos componentes principais obtidos da matriz de correla es (CPCOR) e da matriz de variancias e covariancias fenotípicas (CPCOV); e da análise estrutural, com base no autovalor teórico da matriz de correla es ou correla o média (AECOR). Foram avaliados, em trinta clones, os caracteres altura da planta (AP), diametro da copa (DC) e produ o de castanha (PC), durante cinco anos. Verificou-se que em rela o aos caracteres AP e DC os valores de r variaram de 0,85 (ANOVA) a 0,96 (CPCOV). Quanto à produ o, os valores de r foram de 0,51 (ANOVA) a 0,88 (CPCOV). Desta forma, constatou-se que o método de componentes principais utilizando a matriz de variancias e covariancias fenotípicas é mais eficiente para estima o do coeficiente de repetibilidade, sobretudo no que se refere ao carácter produ o de castanha. Observou-se que s o suficientes duas medi es da AP e do DC, e três medi es da PC no processo seletivo.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.