oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Produ o de antígeno nucleoprotéico do vírus da artrite-encefalite caprina e compara o com o do vírus Maedi-Visna para utiliza o em teste de imunodifus o em ágar gel  [cached]
Abreu Silvio R. O.,Castro Roberto S.,Nascimento Sérgio A.,Souza Marleide G.
Pesquisa Veterinária Brasileira , 1998,
Abstract: Foi feita uma compara o entre os antígenos (Ag), preparados a partir dos vírus Maedi-Visna (MVV) e Artrite-encefalite Caprina (CAEV) para detec o de anticorpos contra o CAEV em 120 amostras de soro caprino. A sensibilidade e especificidade relativa da imunodifus o em ágar gel (IDAG) usando-se Ag MVV em rela o ao Ag CAEV, foi 77,3% e 100%, respectivamente (X2, p<0,01). Assim, para diagnóstico de infec o pelo CAEV recomenda-se apenas o uso de Ag preparado a partir do CAEV.
Infec o experimental em cabritos pelo vírus da artrite encefalite
Guedes M.I.M.C.,Souza J.C.A.,Gouveia A.M.G.
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia , 2001,
Abstract: Vinte e quatro caprinos de uma semana de idade, soronegativos pela imunodifus o em gel de agar para artrite encefalite caprina (AEC), foram utilizados para estudo de infec o experimental pelo vírus da AEC. Dezesseis animais foram inoculados com lentivirus caprino, amostra Cork, oito pela via intravenosa e oito por instila o nasal. Oito animais serviram como controle, inoculados pelas vias intranasal ou intravenosa com 1ml de meio de cultura de células n o infectadas. Os animais foram sacrificados aos 2, 6, 12 e 20 dias pós-inocula o (PI), e colhidas amostras do sistema nervoso central, articula es, tonsilas, linfonodos, pulm es, rins, timo, ba o e intestinos delgado e grosso para histopatologia e imunoistoquímica. Um animal inoculado com o vírus da AEC pela via intranasal e sacrificado aos 20 dias PI apresentou imunomarca o positiva em um macrófago alveolar. Concluiu-se que a via aerógena é uma provável rota de infec o pelo vírus da AEC.
Vírus da artrite encefalite caprina: isolamento e caracteriza o de parte do gene gag  [cached]
Lima P.P.,Rocha M.A.,Stancek D.,Gouveia A.M.G.
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia , 2004,
Abstract: Amostras de sangue de 12 animais soropositivos pelo teste de imunodifus o em gel de agarose e que n o apresentavam sinais clínicos sugestivos de infec o pelo vírus da artrite-encefalite caprina (CAEV) foram coletadas para isolamento viral. Mácrofagos derivados de monócitos foram co-cultivados com células de membrana sinovial caprina (MSC), resultando em cinco amostras que apresentaram efeito citopático característico do tipo persistente, semelhante ao observado para o CAEV. Uma técnica de rea o em cadeia de polimerase (PCR) foi padronizada para amplificar parte do gene gag do genoma pró-viral, codificante para a proteína do capsídeo viral (p25). As cinco amostras foram amplificadas pela PCR e três delas, BR-UFMG/PL1, BR-UFMG/PL2 e BR-UFMG/PL3, foram seqüenciadas diretamente dos seus produtos de PCR. O alinhamento múltiplo das seqüências obtidas com outras de lentivírus de pequenos ruminantes (LVPR), obtidas no GenBank, e o dendrograma revelaram que as novas amostras de CAEV s o únicas e distintas das demais amostras de LVPR, possuindo maior identidade de nucleotídeos e aminoácidos entre si e com as amostras de CAEV do que com a do vírus maedi-visna.
Dados sorológicos sobre a presen a e distribui o da artrite-encefalite caprina (CAE) no Estado da Bahia , Brasil.  [cached]
M. G. A. R. Almeida,A. V. M. Anuncia??o,A. Figueredo,T. C. N. Martinez
Revista Brasileira de Saúde e Produ??o Animal , 2005,
Abstract: RESUMO: Para verificar a soropreval ancia da artrite-encefalite caprina (Cae) foram analisadas 1605 amostras de hemo-soros de caprinos pertencentes a rebanhos localizados em nove microrregi μes geogr ficas e distribu -dos em 24 munic -pios do Estado da Bahia, os quais nos foram enviados para exame no Laborat 3rio de Viroses da Escola de Medicina Veterin ria. A popula § £o estudada compreendeu animais de criat 3rios de leite e corte, de manejo intensivo, semi-intensivo e extensivo, das ra §as: alpina, anglo-nubiana, boer, mambrina, saanen, toggenburg e sem ra §a definida(SRD). Foram positivos ao teste de imunodifus £o em gar gel (IDAG) 215 (13,4%) hemo-soros de caprinos. Nas ra §as sanen, alpina e anglo-nubiana foram encontradas um maior n omero de animais positivos, respectivamente 77 (18,92%), 80 (16,06%) e 49 (15,76%). Entre as amostras positivas a maior frequ ancia foi de f ameas 194 (90,23%) e adultos 193 (89,77%). Os resultados obtidos comprovam a exist ancia da CAE na regi £o e a necessidade de novas pesquisas que avaliem o -ndice de infec § £o dos animais e as formas de preven § £o e controle da doen §a, PALAVRAS CHAVE: Artrite a encefalite caprina, teste da imunidade, fus £o em agar gel, doen §as em caprinos SUMMARY: To verify the soroprevalency of the caprine arthritis-encephalitis (CAE) 1605 samples of goats hemo-serums belonging to flocks located in nine geographical microrregi μes were analyzed and distributed in 24 municipal districts of the State of Bahia. This samples were sent to Laboratory of Viruses of the Veterinary Medicine School to analysis. The studied population understood animals of herd of milk and court, of intensive, semi-intensive and extensive handling, of the races: alpine, anglo-nubiana, boer, mambrina, saanen, toggenburg and without race defined(SRD). They were positive to the agar gel imunodifusion test (IDAG) 215 (13,4%) goats hemo-serums. In the races sanen, alpine and anglo-nubiana was found a larger number of positive animals, respectively 77 (18,92%), 80 (16,06%) and 49 (15,76%). Among the positive samples the largest frequency was of females 194 (90,23%) and adults 193 (89,77%). The results obtained check the existence of CAE in the area and the need of new researches that evaluate the index of infection of the animals and the forms of prevention and control of the disease, KEYWORDS: Caprine arthritis a encefalites, caprine disease, agar gel imunodifusion test (IDAG)
ARTRITE ENCEFALITE CAPRINA: IDENTIFICA O DE ANIMAIS SOROPOSITIVOS NO ESTADO DE GOIáS  [cached]
Ana Paula Iglesias Santin,Wilia Marta Elsner Diederichsen de Brito,Dilmara Reischak,Luiz Augusto Batista Brito
Ciência Animal Brasileira , 2006,
Abstract: Soros sangüíneos de 29 caprinos do plantel de animais da Escola de Veterinária da Universidade Federal de Goiás foram colhidos para análise quanto à presen a de anticorpos para o vírus da artrite encefalite caprina (CAE), após ser realizada necropsia de uma fêmea que veio a óbito três meses após o parto demonstrando sinais clínicos e achados macroscópicos compatíveis com a infec o pelo CAEV. Dos animais colhidos, oito apresentavam aumento de volume articular ao exame clínico, sete machos reprodutores e o restante de fêmeas em idade adulta. O soro obtido foi submetido à pesquisa de anticorpos anti-gp135 e anti-gp28 pelo teste de imunodifus o em gel ágar. Dez animais (34,5%) foram positivos para CAE e outros dez considerados suspeitos. Os resultados obtidos confirmaram a presen a da infec o no plantel e destacam a necessidade de testes sorológicos dos caprinos do Estado de Goiás para uma avalia o da situa o desta enfermidade no Estado. PALAVRAS-CHAVE: CAE, CAEV, caprinos, IDGA.
Avalia o do teste de imunodifus o mediante emprego do polissacarídeo "O" no diagnóstico da brucelose bovina
Costa G.M.,Abreu V.L.V.,Lobato F.C.F.,Silva J.A.
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia , 1999,
Abstract: Comparou-se o teste de imunodifus o dupla em ágar gel (IDGA) pelo emprego do polissacarídeo "O" como antígeno com os testes de soroaglutina o rápida, soroaglutina o lenta, 2-mercaptoetanol, rea o de fixa o de complemento e antígeno tamponado acidificado no diagnóstico da brucelose, em bovinos infectados, n o infectados e recém-vacinados com a amostra B-19, visando à diferencia o de anticorpos vacinais daqueles associados à infec o natural pela Brucella abortus. Nenhum dos testes realizados permitiu diferenciar precisamente anticorpos vacinais daqueles induzidos pela infec o brucélica e, nas condi es do presente trabalho, a utiliza o do IDGA com este objetivo poderia levar à reten o de animais infectados no rebanho.
Imunodifus o em gel de ágar com polissacarídeos de membrana de Brucella abortus 1119-3 no diagnóstico da brucelose bovina  [cached]
Megid J.,Ribeiro M.G.,Agottani J.V.B.,Marcos Jr G.
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia , 1999,
Abstract: Comparou-se a prova de imunodifus o em gel de ágar (IDGA), utilizando extrato polissacarídico (POLI O), obtido da amostra de B. abortus 1119-3, com os testes de soroaglutina o rápida em placa, de soroaglutina o lenta em tubos, de antígeno acidificado e de 2-mercaptoetanol para o diagnóstico da brucelose bovina. O IDGA mostrou alta especificidade, porém sensibilidade inferior aos métodos convencionais.
Prevelência da infec o pelo vírus da artrite encefalite caprina no estado do Ceará, Brasil  [cached]
Pinheiro Raymundo Rizaldo,Gouveia Aurora Maria Guimar?es,Alves Francisco Selmo Fernandes
Ciência Rural , 2001,
Abstract: A eleva o do risco de contamina o pelo vírus da artriteencefalite caprina (CAEV) em rebanhos caprinos nativos e sem ra a definida (SRD) tem sido verificada paralelamente à introdu o de caprinos de ra as exóticas no Brasil, o que motivou a realiza o deste levantamento epidemiológico no Estado do Ceará. Para o diagnóstico da infec o pelo CAEV, utilizou-se a microtécnica de imunodifus o em gel de ágar. Foram pesquisadas 4019 amostras de soro caprino em 30 municípios do Ceará. A prevalência da infec o pelo CAEV verificada foi de 1% (40/4019 animais), sendo a maior prevalência (11,1%) na regi o metropolitana de Fortaleza. Analisando a distribui o de animais soropositivos nos municípios pesquisados, constatou-se que um ter o dos municípios (10/30) apresentaram pelo menos um animal soropositivo. Verificou-se maior prevalência (p<5%) nos caprinos mais velhos quando comparados com os jovens. A análise por sexo e composi o do rebanho mostrou que os machos estavam estatisticamente mais afetados (p<5%). Considerando-se o grau de sangue, 5,02% de ra as puras e 0,12% de animais mesti os apresentavam anticorpos contra CAEV. Dentre os soropositivos, a ra a Parda Alpina foi estatisticamente mais afetada (p<5%). Com base nos resultados, pode-se verificar que o lentivírus de pequenos ruminantes já se encontra disseminado nas várias regi es do Ceará e que, provavelmente, os reprodutores sejam a principal fonte de transmiss o viral entre os rebanhos nativos/SRD.
DETEC O DA INFEC O PELO VíRUS DA ARTRITE ENCEFALITE CAPRINA (CAEV) PELA IMUNODIFUS O EM GEL DE AGAROSE (IDGA) E REA O EM CADEIA DA POLIMERASE (PCR)  [cached]
Lídia Maria Marques dos Santos,Elmiro Rosendo do Nascimento,Juliana Ferreira de Almeida,Karine de Castro Meirelles
Ciência Animal Brasileira , 2009,
Abstract:
Produ??o de antígeno nucleoprotéico do vírus da artrite-encefalite caprina e compara??o com o do vírus Maedi-Visna para utiliza??o em teste de imunodifus?o em ágar gel
Abreu, Silvio R. O.;Castro, Roberto S.;Nascimento, Sérgio A.;Souza, Marleide G.;
Pesquisa Veterinária Brasileira , 1998, DOI: 10.1590/S0100-736X1998000200003
Abstract: a comparison of maedi-visna virus (mvv) and caprine arthritis-encephalitis virus (caev) antigens for detection of antibodies to caev was performed using sera from 120 goats. the sensitivity and specificity of the immunodiffusion test using mvv antigen compared to that of caev antigen was 77.3% and 100%, respectively (x2, p < 0.01). these results suggested that only caev antigen should be used in immunodiffusion tests for caev diagnosis.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.