oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Caracteriza o do gene da proteína capsidial de dois isolados, patologicamente distintos e sorologicamente semelhantes, do Grapevine virus B em videiras no Estado de S o Paulo  [cached]
Moreira Andreia E,Gaspar José O,Camargo Luís Eduardo A,Kuniyuk Hugo
Fitopatologia Brasileira , 2004,
Abstract: No presente trabalho, descreve-se a caracteriza o do gene codificador da proteína capsidial de dois isolados sintomatologicamente distintos do Grapevine virus B (GVB). Para isto, RNA totais foram extraídos de folhas e pecíolos de videiras (Vitis spp.) infetadas, cultivares Rubi (GVB-C SP) e Itália (GVB-I SP) e utilizados para amplificar, por RT/PCR, um fragmento entre as posi es 6425 e 7118 (694 nucleotídeos, nt) do RNA do GVB ("GenBank", acesso X75448). O fragmento obtido inclui o gene da proteína capsidial (594 nt) codificando 197 aminoácidos com massa molecular estimada em aproximadamente 21.600 Da. A seqüência do GVB-C SP apresentou maior similaridade de nucleotídeos e aminoácidos deduzidos com o isolado italiano (acesso X75448), enquanto que o GVB-I SP foi mais similar a um outro isolado brasileiro do GVB descrito no Rio Grande do Sul (GVB BR1, acesso AF438410). Os dois isolados paulistas do GVB podem ser diferenciados por digest o com a enzima de restri o EcoRI, uma vez que há um sítio interno no GVB-C SP que está ausente no isolado GVB-I SP.
Caracteriza o e diversidade genética de isolados de Phytophthora spp. do cacaueiro com base em marcadores RAPD  [cached]
Faleiro Fábio G.,Luz Edna D. M. N.,Cerqueira Admildes O.,Rocha Cenilda S. S.
Fitopatologia Brasileira , 2004,
Abstract: Objetivou-se neste trabalho estudar a diversidade genética entre isolados das três principais espécies do gênero Phytophthora causadoras da podrid o-parda do cacaueiro (Theobroma cacao) no Brasil, utilizando marcadores moleculares RAPD. Foram utilizados 22 isolados de Phytophthora spp., sendo oito de P. capsici, cinco de P. palmivora e nove de P. citrophthora. DNA gen mico de cada isolado foi extraído e amplificado utilizando-se sete "primers" decameros, os quais geraram 191 marcadores RAPD. Distancias genéticas e análises de agrupamento realizadas com base nestes marcadores permitiram uma diferencia o clara dos isolados de cada espécie e mostraram diferentes níveis de diversidade intra-específica. Ficou evidente o potencial dos marcadores RAPD como uma ferramenta auxiliar na classifica o dos isolados e, também, em estudos de diversidade genética intra-específica.
Caracteriza o de isolados de Ralstonia solanacearum obtidos de tomateiros em várzea e em terra firme, no Estado do Amazonas  [cached]
Coelho Netto Rosalee A.,Pereira Bianca G.,Noda Hiroshi,Boher Bernard
Fitopatologia Brasileira , 2003,
Abstract: A variabilidade de isolados de Ralstonia solanacearum, provenientes de tomateiros (Lycopersicon esculentum) do Estado do Amazonas, foi estudada com rela o à agressividade, à sensibilidade a bacteriocinas e às características bioquímicas. Três experimentos foram estabelecidos em áreas naturalmente infestadas com R. solanacearum sendo um em terra firme, em 1998, e dois em uma mesma área de várzea, em 1998 e em 2000. Em cada experimento, 200 mudas de tomateiros da cv Yoshimatsu (resistente) e 200 da cv. Santa Cruz Kada (suscetível) foram plantadas alternadas em um espa amento de 1 m entre fileiras e 0,5 m entre plantas. Semanalmente, isolou-se a bactéria, a partir de plantas apresentando sintomas de murcha. Obtiveram-se, nos três experimentos, 267 isolados pertencentes aos biovares 1 (67,8%) e 3 (32,2%). Em terra firme, 80,4% dos isolados obtidos eram do biovar 1 enquanto que em várzea, os isolados do biovar 1 foram 37,4 e 87,8%, nos ensaios de 1998 e de 2000, respectivamente. Com base na sensibilidade a bacteriocinas os isolados foram divididos em sete grupos, sendo que dois deles englobaram 80,5% do total dos isolados. Através da rea o apresentada por 15 plantas de tomate, de berinjela (Solanum melongena) e de piment o (Capsicum annuum) , inoculadas um mês após a semeadura, a agressividade de isolados selecionados foi avaliada. Os isolados do biovar 1 foram mais agressivos sobre tomateiros que os do biovar 3. Estes últimos, no entanto, foram mais agressivos sobre piment o e berinjela. Em várzea, as plantas da cv. Yoshimatsu tiveram 50,5% de mortalidade contra 22,5%, em terra firme, comprovando a importancia do fator ambiente na ocorrência da doen a.
Caracteriza??o biológica de onze isolados de PVX (Potato virus X) do Brasil
Silva, Oneida de Almeida;Figueira, Antonia dos Reis;Boari, Alessandra de Jesus;Pinto, César Augusto Brasil Pereira;Boni, Rafael Rodrigues;
Ciência e Agrotecnologia , 2005, DOI: 10.1590/S1413-70542005000300003
Abstract: this work was accomplished with eleven pvx isolates: six from national and imported seeds analised at the virus indexation center of minas gerais - brazil (vic, lav, uf, nr, sj, udi), one from s?o paulo state (vel), two from rio grande do sul state (p21 and p22), one from santa catarina state (can) and one from the federal district (br). the pvx isolates were mechanically inoculated in several hosts plant, in two diferent seasons (september, 2001 and july, 2002), to verify the severity and host symptoms. the diagnosis was done by visual inspection and das-elisa. attempts to recover the pvx isolates from das-elisa negative plants were also done by inoculation in the indicator plants gomphrena globosa and nicotina tabacum tnn. the symptoms shown by the majority of host plants, when inoculated with the eleven isolates, were similar, but nicotina glutinosa and physalis floridana showed distinct symptoms when inoculated with p21 and vel. probably, the eleven pvx isolates studied in this work have the same origin of the isolates from groups 1 and 3.
Uso de marcadores RAPD na classifica o de isolados de Phytophthora spp. causadores da podrid o parda do cacaueiro no Brasil  [cached]
Faleiro Fábio G.,Luz Edna Dora M.N.,Cerqueira Ademildes O.,Rocha Cenilda S.S.
Fitopatologia Brasileira , 2003,
Abstract: Objetivou-se neste trabalho propor uma metodologia para a utiliza o de marcadores RAPD como uma ferramenta auxiliar na classifica o de isolados de Phytophthora spp. causadores da podrid o-parda do cacaueiro (Theobroma cacao) no Brasil. Existe uma necessidade constante de monitorar popula es de Phytophthora spp. nas regi es cacaueiras do Brasil e a tarefa de classifica o dos isolados é difícil e demorada. Com base em estudos de diversidade genética de isolados de Phytophthora capsici, P. palmivora e P. citrophthora por meio de marcadores RAPD, foram escolhidos três isolados de cada espécie como padr es e dois "primers" decameros mais informativos na diferencia o das espécies (OPA 13 e OPH 18). O DNA gen mico dos isolados padr es e de três isolados n o classificados foi extraído e amplificado, utilizando-se os dois "primers" decameros mais informativos. Os padr es de marcadores RAPD obtidos permitiram uma diferencia o visual clara dos isolados de cada espécie e mostraram-se úteis na classifica o de isolados de Phytophthora spp. A metodologia proposta já está sendo utilizada no Centro de Pesquisas do Cacau, solucionando eventuais dúvidas resultantes da caracteriza o morfológica dos isolados.
Caracteriza??o do gene da proteína capsidial de dois isolados, patologicamente distintos e sorologicamente semelhantes, do Grapevine virus B em videiras no Estado de S?o Paulo
Moreira, Andreia E;Gaspar, José O;Camargo, Luís Eduardo A;Kuniyuk, Hugo;
Fitopatologia Brasileira , 2004, DOI: 10.1590/S0100-41582004000100011
Abstract: the present work describes the characterization of the coat protein gene of two isolates of grapevine virus b (gvb), which can be differentiated by their biological behavior on some grape cultivars. the total rna was extracted from leaves and petioles of infected grapevines (vitis spp.) of the cultivars rubi (gvb-csp) and italy (gvb-isp) and used to amplify, by rt/pcr, a fragment between positions 6425 and 7118 (694 nucleotides, nt) of the genomic rna (genbank, access x75448). the fragment comprises the coat protein gene (594 nt) coding for 197 amino acids with a predicted mr of 21,600 da. the sequence of gvb-csp showed a greater similarity of nucleotides and deduced amino acids with the italian isolate (access x74448), while the gvb-isp was similar to a brazilian isolate described in the state of rio grande do sul , brazil (gvbbr1, access af438410). the isolates gvb-csp and gvb-isp can be differentiated by digestion with the enzyme ecori, since this restriction site is present on the gvb-csp but absent on gvb-isp.
Phenotypic and molecular characterization of isolates of Staphylococcus spp. obtained from sheep milk Chapecó-SC Caracteriza o fenotípica e molecular de isolados de Staphylococcus spp. obtidos de leite de ovelhas do Município de Chapecó-SC  [cached]
Alais Maria Dall Agnol,Marielly Bastos Cavalcante,Chirles Araújo de Fran?a,Carina da Costa Krewer
Semina : Ciências Agrárias , 2013,
Abstract: This study aimed to determine the antimicrobial susceptibility profile and to assess the presence of mechanisms of antimicrobial resistance in Staphylococcus spp. (n=36) isolated from mastitis in sheep’s Chapecó-SC. The potential for biofilm production was determined by phenotypic tests of Congo Red Agar, DAPI and Gentian Violet and by PCR for the detection of icaD gene. To evaluate the antimicrobial resistance testing was performed disk diffusion and detection of resistance genes blaZ, mecA, ermA, ermB and ermC and msrA also performed by PCR.The pump test was conducted by efuxo crop growth Muller Hinton agar containing ethidium bromide. The results showed that 1 (2,78%), 36 (100%) and 10 (27,78%) isolates were considered to produce a biofilm on Congo Red Agar test, Gentian Violet and DAPI, respectively, while the gene icaD was observed in only 2 (5.55%) isolates. The lowest percentage of sensitivity was observed for ampicillin (58.33%) and penicillin (58.33%). All strains tested were negative for the mecA, ermA, ermB and ermC genes. However, the isolates were positive for other resistance genes, being the blaZ and the msrA, with percentages of positivity of 58.33% and 11.11% respectively. Only one sample was positive for efflux pump test. O presente trabalho teve como objetivos determinar o perfil de sensibilidade aos antimicrobianos e avaliar a presen a de mecanismos de resistência antimicrobiana em Staphylococcus spp. (n=36) isolados de mastite em ovelhas do município de Chapecó-SC. O potencial para produ o de biofilme foi determinado pelos testes fenotípicos de Agar Vermelho Congo, DAPI e Violeta de Genciana e por teste molecular pela técnica de PCR para a detec o do gene icaD. Para determinar o perfil de resistência aos antimicrobianos, foi realizado o teste de difus o em disco e detec o dos genes de resistência blaZ, mecA, erm (A, B e C) e msrA. O teste da bomba de efuxo foi realizado através do crescimento das culturas em Agar Muller Hinton contendo brometo de etídio. Os resultados mostraram que 1 (2,78%), 36 (100%) e 10 (27,78%) isolados foram considerados produtores de biofilme pelos testes de Agar Vermelho Congo, DAPI e Violeta de Genciana, respectivamente, enquanto que o gene icaD foi observado em apenas 2 (5,55%) isolados. O menor percentual de sensibilidade foi observado para ampicilina (58,33%) e penicilina (58,33%). Os isolados avaliados foram positivos para os genes de resistência blaZ (58,33%) e msrA (11,11%). Nenhum isolado apresentou os genes de resistência erm (A, B, C) e apenas uma amostra foi positiva para o teste da bomba de ef
Caracteriza o fisiomorfológica de isolados de Colletotrichum musae  [cached]
Couto Erick F.,Menezes Maria
Fitopatologia Brasileira , 2004,
Abstract: Isolados de Colletotrichum musae obtidos de quatro cultivares de banana (Musa spp.) 'Comprida', 'Ma ', 'Pacovan' e 'Prata' foram estudados quanto ao aspecto morfológico dos conídios, apressórios, características culturais, diametro das col nias em meio BDA, germina o dos conídios em água destilada esterilizada e meio líquido BD, como também, quanto ao efeito da combina o de C/N no crescimento micelial, esporula o e peso da matéria seca, sob alternancia luminosa, a aproximadamente, 25 oC. No estudo da rela o C/N, as fontes de carbono foram dextrose, sacarose e sorbitol e as de nitrogênio asparagina, peptona e nitrato de potássio combinadas na propor o 10:1 (10 g de carbono para 1 g de nitrogênio). Os resultados mostraram conídios hialinos, com forma e tamanhos característicos da espécie, variando dentro dos limites estabelecidos para a espécie. A rela o comprimento/largura foi menor para os isolados Iso-1, Iso-6 e Iso-8 oriundos de banana 'Comprida'. A germina o de conídios ocorreu a partir de 8 h de incuba o, havendo diferen a significativa entre os isolados, quanto ao percentual de conídios germinados. Foram observados apressórios em todos os isolados, variando em quantidade. Houve diversidade nas características culturais e diametro das col nias dos isolados, em BDA. Com rela o às combina es C/N, a análise estatística revelou diferen a significativa entre os isolados, sob efeito da intera o C/N, bem como dos fatores independentes, sobre o crescimento micelial, produ o de esporos e peso seco do micélio. De um modo geral, as combina es de carbono com peptona favoreceram esses três processos fisiológicos, porém com diferen a significativa entre os isolados de C. musae dentro de cada processo considerado.
Distribui o de genes cry de Bacillus thuringiensis isolados de solos do Estado do Rio Grande do Sul, Brasil  [cached]
Pinto Laura Massochin Nunes,Fiuza Lidia Mariana
Ciência Rural , 2003,
Abstract: A bactéria Bacillus thuringiensis (Bt) caracteriza-se pela produ o de proteínas tóxicas a representantes de diversas ordens de insetos, as quais s o codificadas por genes cry. Devido a esta característica, mais de 40.000 cepas de Bt foram isoladas e cerca de 190 genes cry, caracterizados. Como os dados sobre Bt s o limitados no Rio Grande do Sul, essa pesquisa objetivou avaliar a distribui o de seis famílias de genes cry de Bt, desse estado, que codificam proteínas ativas contra insetos-praga. O perfil dos 46 isolados de solos do Rio Grande do Sul foi avaliado, por PCR com os primers que detectam os genes cry1, cry2, cry3, cry7 cry8 e cry9 e suas respectivas proteínas foram analisadas por SDS-PAGE a 10%. A presen a de genes cry9 foi detectada em 47,82% dos isolados, seguido de cry3 (15,21%), cry1 e cry7 (ambos com 6,52%) e cry2 (2,17%). Oito perfis genéticos foram identificados, sendo o perfil cry9 (39,13%) o mais freqüente. A análise protéica de Bt identificou 14 famílias de proteínas Cry possivelmente codificadas por genes presentes nos isolados, além de proteínas desconhecidas que podem caracterizar novos genes cry. Esses isolados revelam a presen a de genes que codificam proteínas específicas contra lepidópteros e coleópteros, as quais poder o ser avaliadas quanto à toxicidade in vivo contra insetos-praga das plantas cultivadas.
Caracteriza o molecular de dois isolados brasileiros de Lettuce mosaic virus apresentando propriedades biológicas distintas  [cached]
KRAUSE-SAKATE RENATE,MELLO RAQUEL N.,PAVAN MARCELO A.,ZAMBOLIM EUNIZE M.
Fitopatologia Brasileira , 2001,
Abstract: Efetuou-se a clonagem e seqüenciamento do gene que codifica a proteína capsidial de dois isolados do vírus do mosaico da alface (Lettuce mosaic virus, LMV) provenientes do estado de S o Paulo, previamente caracterizados como pertencentes aos patótipos II (AF198, incapaz de infetar cultivares com os genes de resistência mo11 ou mo12) e IV (AF199, capaz de quebrar a resistência propiciada pelos genes mo11 e mo12), com base na virulência em cultivares diferenciadoras. Análise comparativa das seqüências de nucleotídeos de isolados provenientes da Europa, América do Norte, Oriente Médio e os dois isolados brasileiros n o permitiu sua separa o em estirpes, pois as porcentagens de homologia foram sempre superiores a 95%. Entretanto, análise filogenética dos isolados sugere uma origem comum entre o isolado AF-198 e os isolados LMV-R e LMV-0 (patótipo II, provenientes dos Estados Unidos e da Fran a, respectivamente). O isolado AF199 apresentou uma alta homologia de seqüência com os isolados LMV-Aud e LMV-13, ambos provenientes da Fran a. Esses isolados também s o relacionados a isolados provenientes do Chile, embora uma origem comum n o seja proposta. Eventos independentes de muta o podem estar ocorrendo em diferentes partes do mundo, propiciando o surgimento de novas estirpes de LMV capazes de quebrar a resistência conferida pelos genes mo11 e mo12.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.