oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
A produ o científica na gradua o em enfermagem (1997 a 2004): análise crítica
Kelly Graziani Giacchero,Adriana Inocenti Miasso
Revista Eletr?nica de Enfermagem , 2006,
Abstract: Este estudo tem o propósito de identificar o perfil da produ o científica da gradua o em enfermagem apresentada no Simpósio de Inicia o Científica da USP (SIICUSP) entre os anos de 1997 a 2004, descrever fatores que podem influenciar o perfil dessa produ o e estabelecer uma compara o com o estudo de PEREIRA et al (1999) que realizou estudo no período de 1993 a 1996 do referido evento. A metodologia baseou-se na análise dos resumos referentes à área de enfermagem nos anais do SIICUSP do período citado mediante a classifica o por tipos de pesquisa, temáticas abordadas, agências fomentadoras e institui es/departamentos de origem. Identificou-se que a maioria dos estudos é financiada por agências de fomento, houve predomínio de pesquisas n o-experimentais e os aspectos sócio-culturais foram destaque entre as temáticas abordadas. As institui es públicas s o as que mais contribuíram na produ o de conhecimento científico. Tais características s o similares às encontradas por PEREIRA et al (1999) no período de 1993 a 1996 e a análise comparativa dos achados da produ o entre 1997 a 2004 revelou, ainda, um aumento progressivo do número de trabalhos apresentados, bem como a crescente participa o de outras universidades no SIICUSP (que até 1996 era restrito à USP). Concluiu-se que a inicia o científica é importante etapa da forma o do pesquisador e espa o para o desenvolvimento da cultura de consumo e produ o do conhecimento. é fundamental ainda a observa o de que ela n o se desvincule das necessidades da sociedade atual e dos assuntos que motivam o aluno, visando garantir o crescimento, a qualidade e a valoriza o da produ o de conhecimento na área da enfermagem.
Cenários, espa os e linguagens: uma nova agenda para pensar-conhecer-agir sobre percursos de forma o na sociedade da aprendizagem Escenarios, espacios y lenguajes: una nueva agenda para pensar-conocer-actuar sobre las vías de formación en la sociedad  [cached]
Mirian de Albuquerque Aquino
Informa??o & Informa??o , 2012,
Abstract: Introdu o: Diferentes cenários, espa os e linguagens norteiam os percursos de forma o de aprendentes. Trata-se de um novo tempo, redesenhado a partir da lógica de reestrutura o do capitalismo informacional e suas imbrica es com a globaliza o e tecnologias intelectuais. Objetivo: Discute a problemática do percurso de forma o nas novas configura es da sociedade da aprendizagem. Metodologia: Reflex o sobre o percurso de forma o para pensar-conhecer-agir sobre a informa o, nas institui es de ensino superior, com base em novas abordagens teóricas. Resultados: Exige-se uma atitude crítica, reflexiva e colaborativa em constante intera o como parte das condi es prioritárias para os indivíduos se adaptarem aos contextos de aprendizagens. Temos de nos apropriar de novas habilidades e competências como eixos importantes para o percurso da forma o, pois é a condi o fundamental para os indivíduos imergirem na era das redes de informa o e construírem o conhecimento. Conclus es: Os indivíduos necessitam situar-se como ensinantes e aprendentes para pensar-conhecer-agir sobre a informa o e produzir conhecimento, quando as regras para forma o humana s o bem mais exigentes.
Ensino de geometria descritiva: inovando na metodologia
Kopke Regina Coeli Moraes
Rem: Revista Escola de Minas , 2001,
Abstract: Com base na observa o, durante anos de magistério superior, na área de desenho, dos alunos de Engenharia, Matemática, Arquitetura e Artes, quanto às dificuldades encontradas por eles no aprendizado de desenho, em especial da Geometria Descritiva, é que nos propusemos, em 1999, lecionar essa disciplina para os cursos de Arquitetura e Artes, adotando uma metodologia diferente da convencional, para despertar, no aluno, o gosto pela disciplina e o desenvolvimento de uma habilidade pouco trabalhada na escola: a vis o espacial. Mostrar para os alunos que essa disciplina n o é difícil, mas apenas diferente daquilo que estudaram até ent o, tornou-se nossa meta. A vis o espacial é uma habilidade mental localizada no lado direito do cérebro e, assim, quanto mais lúdica for esta aprendizagem, será mais bem assimilada. A proposta é iniciada no sentido de se trabalhar primeiro com sólidos: neles estar o os pontos, retas e planos normalmente abordados na metodologia convencional, nessa ordem. Como conclus o, tem-se que o importante é ressaltar o grande avan o que a Geometria Descritiva traz para quem quer representar graficamente qualquer coisa. Onde há planejamento, projeto e representa o gráfica, aí estará a Geometria Descritiva.
A LEITURA NA LITERATURA INFANTIL BRASILEIRA: A METODOLOGIA DA PERSONAGEM PROFESSOR  [cached]
Maria Cecília Rizo Pereira
Nuances : Estudos sobre Educa??o , 2011,
Abstract: A LEITURA NA LITERATURA INFANTIL BRASILEIRA: A METODOLOGIA DA PERSONAGEM PROFESSOR
Que censura?  [cached]
Wyler Lia
DELTA: Documenta??o de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada , 2003,
Abstract: Os pesquisadores na área de História da Tradu o podem se beneficiar do conhecimento de História do Brasil e sua metodologia, bem como dos autores que comentam o período de seu interesse. No que tange a Era Vargas (1930-53), marco fundador da tradu o industrial brasileira, esse conhecimento lhes permitirá perceber com maior facilidade os efeitos da censura e seus desdobramentos nas tradu es produzidas à época e mesmo em outras épocas.
A metodologia da problematiza o na Escola de Posturas da UFPB: um processo emancipatório na prática da educa o gerontológica  [cached]
Bianca Nunes Guedes,Maria Iracema Tabosa da Silva,Cesar Cavalcanti da Silva
Revista Eletr?nica de Enfermagem , 2007,
Abstract: O crescente aumento da popula o idosa no Brasil despertou o interesse dos profissionais que atuam na promo o da saúde. Entre as modifica es que ocorrem nesta fase, as altera es posturais vêm sendo uma das causas mais freqüentes de queixas, devido às complica es e às limita es funcionais que acarretam, restringindo a participa o social deste grupo etário. Este estudo tem como objetivos: descrever o processo de educa o postural à luz do Método do Arco e analisar a eficácia desta alternativa metodológica problematizadora no processo de educa o postural na terceira idade. Pesquisa de natureza qualitativa, exploratória descritiva, realizada entre mar o/ maio de 2006 na Clínica Escola de Fisioterapia da UFPB, e teve como participantes, dez indivíduos idosos. O material empírico foi obtido através das discuss es e grupos focais realizados no decorrer da Oficina Problematizadora e a análise dos dados se deu segundo a perspectiva de Fiorin. A eficácia da Metodologia Problematizadora foi constatada diante da a o transformadora na prática das atividades da vida diária dos participantes, por meio da ausência ou diminui o considerável das dores, melhora da capacidade funcional, sensa o de bem-estar físico e mental e pela aquisi o do conhecimento construído ativamente entre os sujeitos, estimulando o despertar de uma consciência crítica e reflexiva.
Pluralismo metodológico e transdisciplinaridade na complexidade: uma reflex o para a administra o Methodological pluralism and transdisciplinarity in the complexity: a reflection on management
Onésimo de Oliveira Cardoso,Francisco Antonio Serralvo
Revista de Administra??o Pública , 2009, DOI: 10.1590/s0034-76122009000100004
Abstract: Uma vis o transdisciplinar da área significa buscar novas posturas epistemológicas e metodológicas que n o sejam apenas justaposi o de ideias e métodos, mas sim uma tentativa na busca de insights e abordagens múltiplas que possam dar conta da essência dos fen menos da área, que de alguma maneira est o conectados com o universo amplo das ciências sociais nos seus diferentes domínios e corpo multidisciplinar. Este artigo busca, no enfoque da complexidade, fundamenta o para o desenvolvimento de um pluralismo metodológico sustentado pela transdisciplinaridade, e desenvolve um questionamento às racionalidades dominantes, que, de alguma maneira, têm servido de referências teóricas e epistemológicas para justificativa de uma administra o onde n o há espa o para emancipa o e criatividade. O artigo desenvolve novas perspectivas epistemológicas que podem significar análises mais adequadas e fecundas dos fen menos individuais e coletivos que caracterizam o universo das organiza es, nos seus conflitos, nas suas contradi es e na sua própria raz o de ser e na da sociedade. A transdisciplinary view of the management area means looking for new epistemological and methodological stands that are not only an overlap of ideas and methods, but an attempt in the search of insights and multiple approaches that can embrace the essence of the phenomena of the area. To some extent, they are connected with the wide universe of social sciences in its different domains and multidisciplinary body. This article focuses on complexity, in search of foundations for the development of a methodological pluralism supported by transdisciplinarity. It also questions the mainstream rationalities that, to some extent, have served as theoretical and epistemological framework to a management where there is no room for emancipation and creativity. The article develops new epistemological perspectives that may mean more adequate and fertile analyses of the individual and collective phenomena. They characterize the organizations' universe, in their conflicts, contradictions and own reason of being and that of the society.
Efeito da viola o de pressuposi es da metodologia de modelos mistos na avalia o genética animal
Fonseca R.,Euclydes R.F.,Torres R.A.,Ribeiro Júnior J.I.
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia , 2001,
Abstract: Estudos de simula o foram conduzidos para verificar o efeito da viola o de pressuposi es da metodologia de modelos mistos, variancias genéticas conhecidas sem erro e distribui o normal dos erros aleatórios sobre os ganhos genéticos obtidos durante 10 gera es de sele o. Outros parametros, como valor fenotípico e acurácia, também foram avaliados. Inicialmente, foi simulado um genoma constituído de uma única característica quantitativa governada por 500 locos. O genoma foi utilizado na constru o de uma popula o-base, na qual a característica quantitativa possuía herdabilidade inicial de 0,10. Para se obter uma estrutura de parentesco a partir das popula es-base, foi gerada uma popula o inicial a partir da qual o processo de sele o teve início e os erros nos componentes de variancias e as distribui es dos efeitos de ambiente foram introduzidos. Para pressuposi o de que a variancia genética era conhecida, utilizaram-se as intensidades de erro de 0%, -10%, -30%, -50%, 10%, 30% e 50%, enquanto que para a pressuposi o de que a distribui o dos erros aleatórios era normal, utilizaram-se as distribui es normal, exponencial, poisson e uniforme. A cada gera o foram selecionados 20 machos e 100 fêmeas, acasalados ao acaso, cada macho acasalado com cinco fêmeas, produzindo cinco descendentes por acasalamento. Esse processo foi repetido 30 vezes para minimiza o dos efeitos da flutua o gênica. Para a primeira pressuposi o, n o foi verificado efeito das intensidades de erro, aplicadas ao componente de variancia genética aditiva sobre o ganho genético durante as 10 gera es de sele o. O mesmo resultado foi verificado para a distribui o dos erros aleatórios, ou seja, n o houve influência de diferentes distribui es nos ganhos genéticos verificados.
O LUGAR DA INTERPRETA O NA METODOLOGIA DE PESQUISA SOCIAL  [cached]
Ana Archangelo
Nuances : Estudos sobre Educa??o , 2010,
Abstract: Este artigo foi elaborado a partir de um esfor o de sistematiza o de algumas quest es referentes à pesquisa que se prop e a estudar fen menos sociais tendo a psicanálise como aporte teórico-metodológico. As idéias defendidas aqui se articulam em torno de um diálogo com o texto de Clarke (2002) e da reflex o sobre uma experiência de pesquisa relacionada ao campo da Educa o. Entre outros aspectos, Clarke discute o papel da entrevista na pesquisa, e defende que a interpreta o psicanalítica n o tem lugar no momento da entrevista; interpreta o é dos dados coletados. A tese central neste trabalho, ao contrário, defende a relevancia da interpreta o da transferência estabelecida no processo de entrevista, guardados, evidentemente, alguns cuidados. Isso permite um vínculo diferenciado entre pesquisador e pesquisado, pois ligado à comunica o inconsciente que se estabelece entre eles. Permite ainda a melhor delimita o do objeto de pesquisa e contribui para a compreens o da dinamica social que se quer investigar. Para isso, é preciso que o pesquisador fa a uso de alguns procedimentos metodológicos originados na psicanálise, mas n o exclusivos dela. A discuss o final conclui que ao introduzir o inconsciente na investiga o de quest es sociais, o pesquisador introduziu-se a si mesmo como sujeito do inconsciente e precisa construir instrumentos metodológicos capazes de apreender os conteúdos determinados pela intera o entre os inconscientes e a temática da pesquisa.
The Research Method (Metodologia Badań)
Tomasz Panek,Janusz Czapiński,Irena E. Kotowska
Contemporary Economics , 2011,
Abstract: The Research Method (Metodologia Badań)
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.