oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Efeito do número de insemina es artificiais sobre a fertilidade de éguas inseminadas com sêmen diluído, resfriado a 14oC e transportado  [cached]
Valle Guilherme Ribeiro,Silva Filho José Monteiro da,Palhares Maristela Silveira,Sampaio Ivan Barbosa Machado
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: Estudou-se o efeito do número de insemina es sobre a fertilidade de éguas inseminadas, três vezes/semana (segundas, quartas e sextas-feiras), com sêmen diluído, resfriado e transportado, de apenas um garanh o. As éguas foram inseminadas a partir da detec o, pela palpa o retal, de um folículo de 3,0 a 3,5 cm de diametro, em um dos ovários, até a ovula o. Utilizaram-se para o transporte o sêmen diluído no diluidor leite desnatado-glicose e o conteiner "Celle" modificado, sendo a dose inseminante de 400 x 10(6) espermatozóides móveis, no momento da dilui o final, pré-resfriamento. De acordo com o número de insemina es artificiais (IA) utilizadas/ciclo, os resultados de 148 ciclos, de 100 éguas, foram agrupados em: 1 IA, 2IA, 3 IA e 4 ou mais IA. A eficiência de prenhez foi de 4,29; 5,04; 5,67; e 3,43, para 1, 2, 3 e 4 ou mais IA, respectivamente. As características foliculares diferiram em rela o à freqüência de insemina es com os maiores valores observados no grupo de éguas inseminadas quatro ou mais vezes. Concluiu-se que menor velocidade de crescimento folicular e maior diametro do folículo ovulatório estiveram associados a maior número de insemina es artificiais/ciclo. Na presen a de uma concentra o espermática adequada, o número de insemina es/ciclo n o exerceu influência sobre a fertilidade.
EFEITO DE DIFERENTES DOSES DO FORMICIDA “CITROMAX” NO CONTROLE DE Acromyrmex lundi (HYMENOPTERA: FORMICIDAE)
Edison Bisognin Cantarelli,Ervandil Corrêa Costa,Leonardo da Silva Oliveira,Edison Rogério Perrando
Ciência Florestal , 2005,
Abstract: Neste trabalho, objetivou-se avaliar o efeito do formicida Citromax a base de timbó (Ateleia glazioviana) em diferentes doses no controle de Acromyrmex lundi, em campo nativo, no município de S o Sepé, estado do Rio Grande do Sul. Foram analisados quatro tratamentos, constituídos por doses de 5g, 10g e 15g de “Citromax” e 10g de “Mirex-S” (sulfluramida 0,3%) por formigueiro. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com dez repeti es, considerando cada formigueiro uma repeti o. A eficiência foi avaliada no 1o, 5o, 10o, 15o e 20o dia após a aplica o dos tratamentos. Os resultados obtidos permitiram concluir que “Citromax” apresenta a o de choque, pois houve alto percentual de controle nos primeiros cinco dias. O controle de A. lundi mediante a utiliza o do formicida “Citromax”, foi eficiente em todas as doses avaliadas, obtendo-se um percentual de controle superior a 85%. N o houve influência do tamanho do formigueiro em rela o ao percentual de controle.
Efeito da goma de mascar contendo sacarose e do dentifrício fluoretado na remineraliza o in situ de les es de cárie artificiais  [cached]
FREITAS Renata Rodrigues de,OLIVEIRA Jonas Alves de,TAGA Eulázio Mikio,BUZALAF Marília Afonso Rabelo
Pesquisa Odontológica Brasileira , 2001,
Abstract: Este trabalho objetivou avaliar a remineraliza o de les es iniciais de cárie in situ em esmalte bovino. Produziram-se as les es artificialmente com o uso de solu o desmineralizante, fixando-as na regi o correspondente à superfície lingual de primeiros molares inferiores, através de aparelhos removíveis, em seis voluntários com idades entre 18 e 22 anos, seguindo-se três períodos experimentais de uma semana. No primeiro período (grupo controle), realizou-se a escova o com dentifrício sem flúor, 4 vezes ao dia, após as refei es; no segundo (grupo I), procedeu-se à escova o com dentifrício contendo 1.500 ppm de flúor na forma MFP, 4 vezes ao dia, após as refei es; e no terceiro (grupo II), escova o com dentifrício sem flúor e utiliza o de goma de mascar contendo 60% de sacarose, por 20 minutos, 4 vezes ao dia, após as refei es. Antes e depois de cada tratamento, realizaram-se ensaios de dureza Vickers (200 g), obtendo-se o percentual de remineraliza o de cada les o (alfa). O grupo controle sofreu uma desmineraliza o de 2,78%, e os grupos I e II, remineraliza o de 3,36% e 5,21%, respectivamente. A análise estatística através dos testes de Kruskal-Wallis e de Miller revelou uma diferen a significante (p < 0,05) entre o grupo controle e os experimentais (I e II). Entretanto, apesar de o grupo II sofrer maior remineraliza o em rela o ao grupo I, esta diferen a n o foi significante. Estes resultados sugerem que o uso da goma de mascar com sacarose e do dentifrício fluoretado pode ter efeito considerável na remineraliza o de les es iniciais de cárie, tornando-se uma alternativa viável em sua preven o.
Efeito da época, do número de aplica es e de doses de fungicida no controle da giberela em trigo  [cached]
PANISSON EDIVAN,REIS ERLEI M.,BOLLER WALTER
Fitopatologia Brasileira , 2002,
Abstract: A giberela é considerada uma doen a de infec o floral. Para seu desenvolvimento, s o necessárias temperaturas superiores a 20 masculineC e períodos de molhamento das espigas maiores do que 72 h durante a antese do trigo (Triticum aestivum). Os objetivos do presente trabalho foram estudar o momento ideal durante a antese para realizar a aplica o de fungicida, o efeito do número de aplica es e de doses de fungicida sobre o controle da doen a e sobre a qualidade dos gr os colhidos. Até sete aplica es realizadas durante a antese n o erradicaram a doen a (controle de 91%). Duas e três aplica es realizadas durante a antese apresentaram controle superior em rela o a uma única aplica o. O controle médio dos tratamentos foi de 67% em rela o a severidade. O incremento de gr os obtido de 32%, justifica economicamente a aplica o de fungicidas para o controle da doen a em plena flora o.
Efeito do número de insemina es artificiais por ciclo sobre a fertilidade de éguas inseminadas com sêmen eqüino diluído, resfriado a 20oC e transportado  [cached]
Lima Marcos Chalhoub Coelho,Silva Filho José Monteiro da,Carvalho Giovanni Ribeiro de,Palhares Maristela Silveira
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: Cento e vinte ciclos estrais de cento e cinco fêmeas eqüinas da ra a Mangalarga Marchador foram analisados com o objetivo de estudar o efeito do número de insemina es artificiais por ciclo sobre a fertilidade de éguas inseminadas com sêmen resfriado. Os ciclos foram acompanhados por palpa o retal e rufia o, e as insemina es realizadas a cada 48 horas, a partir de um folículo de 30-35 mm de diametro até a ovula o, com sêmen diluído, resfriado a 20oC e transportado. As éguas foram aleatoriamente distribuídas nos seguintes grupos: T1 - uma IA/ciclo, T2 - duas IA/ciclo e T3 - três ou mais IA/ciclo. As taxas de concep o ao primeiro ciclo foram, respectivamente, para T1, T2 e T3, de 47,83% (11/23), 70,00% (21/30) e 45,16% (14/31) e, após cinco ciclos, de 51,43% (18/35), 48,89% (22/45), e 47,50% (19/40) (P>0,05). O número de IA/ciclo n o teve efeito sobre a fertilidade das éguas.
Efeito de produtos alternativos para o controle do bolor verde (Penicillium digitatum) em pós-colheita de citros  [cached]
FRANCO DANIEL ANDRADE DE SIQUEIRA,BETTIOL WAGNER
Revista Brasileira de Fruticultura , 2002,
Abstract: O objetivo do trabalho foi verificar a ocorrência de sinergismo entre misturas de produtos alternativos aos fungicidas, para o controle do bolor verde (Penicillium digitatum) em pós-colheita de citros. Foram testados dez produtos individualmente e trinta e cinco combina es destes produtos dois a dois, em compara o com tiabendazole e testemunha, com e sem inocula o. Os produtos testados n o apresentaram efeito de sinergismo, exceto a mistura carbonato de Na + ácido bórico. Carbonato de Na e ácido bórico controlaram a doen a em 78 e 87%, respectivamente, e, utilizando a mistura, o controle foi de 93%. Destacaram-se, ainda no controle da doen a, o bicarbonato de Na, metabissulfito de Na e as misturas de bicarbonato de sódio + ácido bórico, carbonato de Na + carbonato de K, carbonato de Na + sorbato de K, bicarbonato de Na + carbonato de Na, controlando 92; 77; 81; 77; 75 e 71%, respectivamente. O tiabendazole utilizado como padr o controlou totalmente a doen a.
Efeito de dietas artificiais para a alimenta o de adultos de Bonagota cranaodes (Meyrick) (Lepidoptera: Tortricidae), em laboratório  [cached]
Fonseca Fabiana Lazzerini da,Manfredi-Coimbra Silvana,Foresti Josemar,Kovaleski Adalecio
Ciência Rural , 2005,
Abstract: Adultos de Bonagota cranaodes (Meyrick) (Lepidoptera: Tortricidae) submetidos a tratamentos com água, solu o de mel a 10%, solu o de mel a 10% + 25% de cerveja e sem alimento foram mantidos em gaiolas de PVC transparente para avaliar a fecundidade, longevidade e viabilidade de ovos em laboratório a 25?1degreesC e 70?10% de UR. Maior longevidade de fêmeas e machos e número de ovos/fêmea foram obtidos nos substratos compostos de mel a 10% (17,75 dias, 17,35 dias e 14,07 ovos/postura) e mel a 10% + 25% de cerveja (18,25 dias, 18,20 dias e 12,71 ovos/postura). A viabilidade dos ovos e a dura o do período embrionário foram semelhantes em todos os tratamentos. O substrato alimentar mel a 10% + 25% de cerveja, apresentou efeitos semelhantes ao substrato composto de apenas mel a 10% sobre a longevidade, fertilidade e viabilidade dos ovos. Entretanto, devido ao menor custo, a dieta a base de mel apresenta melhor potencial de utiliza o para manuten o da cria o do inseto em laboratório.
Efeito do silício no controle da cercosporiose em três variedades de cafeeiro  [cached]
Pozza Adélia A. A.,Alves Eduardo,Pozza Edson A.,Carvalho Janice G. de
Fitopatologia Brasileira , 2004,
Abstract: A cercosporiose do cafeeiro (Coffea arabica), causada por Cercospora coffeicola, é uma das mais importantes doen as na fase de viveiro. O objetivo desse trabalho foi avaliar o efeito da aplica o de silício (1 g de CaSiO3 incorporada em 1 kg do substrato utilizado para encher os tubetes) no controle dessa doen a em três variedades de cafeeiro (catuaí, mundo novo e icatú) e, determinar quais os possíveis fatores de resistência associados. As plantas com dois pares de folhas foram inoculadas com suspens o de 1,4 x 10(4) conídios de C. coffeicola por ml. Aos sete meses após a inocula o avaliaram-se a porcentagem de folhas lesionadas e o número total de les es por planta. Após essa avalia o, retiraram-se amostras das folhas para o estudo em Microscopia Eletr nica de Varredura (MEV) e Microanálise de Raios-X (MAX). As plantas da variedade catuaí tratadas com silicato, tiveram redu o de 63,2% nas folhas lesionadas e de 43% no total de les es por planta, em rela o à testemunha. A MAX e o mapeamento para Si indicaram distribui o uniforme do elemento em toda a superfície abaxial das folhas de cafeeiro nas três variedades tratadas. Nas folhas das plantas n o tratadas, o Si foi raramente encontrado. Nas imagens de MEV também foi observada camada de cera bem desenvolvida na superfície inferior das folhas originárias de todas as plantas tratadas, sendo esta mais espessa em catuaí e rara ou ausente nas n o tratadas.
Efeito do tratamento de sementes de algod o com fungicidas no controle do tombamento de plantulas causado por Rhizoctonia solani  [cached]
GOULART AUGUSTO C. P.
Fitopatologia Brasileira , 2002,
Abstract: Este trabalho foi desenvolvido na Embrapa Agropecuária Oeste, em Dourados, MS, e teve por objetivo avaliar a eficiência de alguns fungicidas, aplicados no tratamento de sementes de algod o (Gossypium hirsutum), no controle do tombamento de plantulas causado por Rhizoctonia solani. Foi realizado teste em casa de vegeta o, utilizando a cultivar DeltaOpal. Sementes tratadas e n o tratadas com fungicidas foram semeadas em areia contida em bandejas plásticas, dispostas em orifícios individuais, eqüidistantes e a 3 cm de profundidade. A inocula o com R. solani foi feita pela distribui o homogênea do inóculo do fungo na superfície do substrato. O fungo foi cultivado por 35 dias em sementes de aveia autoclavadas e trituradas em moinho (1 mm). Foram utilizados 9 g de inóculo por bandeja de areia. Foi observado efeito do tratamento fungicida na emergência inicial e final de plantulas, com destaque para triadimenol + pencycuron + tolylfluanid e triadimenol + tolylfluanid, seguidos de carboxin + thiram, triadimenol e carboxin + thiram + carbendazim. Os tratamentos mais eficientes no controle do tombamento de pós-emergência do algodoeiro foi obtido com a mistura triadimenol + pencycuron + tolylfluanid, seguida de triadimenol, triadimenol + tolylfluanid e carboxin+thiram. Nenhum dos fungicidas testados foi fitotóxico ao algod o.
Efeito dos substratos artificiais no enraizamento e no desenvolvimento de estacas de maracujazeiro-azedo (Passiflora edulis Sims f. flavicarpa Deg)  [cached]
OLIVEIRA JAIME ABR?O DE,JUNQUEIRA NILTON TADEU VILELA,PEIXOTO JOSé RICARDO,PEREIRA AILTON VITOR
Revista Brasileira de Fruticultura , 2002,
Abstract: Os ensaios foram instalados em casa de vegeta o na Embrapa Cerrados, Planaltina-DF, em agosto de 1999. Nos primeiros 30 dias, estacas da cultivar MSC (Marília Sele o Cerrados) foram mantidas sob nebuliza o com duas regas diárias. Avaliaram-se os seguintes parametros: percentagens de estacas brotadas, enraizadas, com fungos, peso de matéria fresca e seca da parte aérea e das raízes, aos 90 dias após o plantio. O estudo foi composto de dois experimentos. No primeiro, utilizaram-se estacas coletadas em agosto de 1999, e oito tipos de substratos. O Plantmax Florestal Estacaò proporcionou maior brota o e enraizamento, e ainda menorincidência de estacas contaminadas por Colletotrichum gloeosporioides, comparativamente ao substrato à base de Plantmax Hortali as.ò O aditivo Nutriplantaò quando combinado com o fertilizante Osmocoteò, no substrato à base de Plantmax Florestal Estacaò, proporcionou maior brota o e enraizamento e também menor incidência de estacas contaminadas com C. gloeosporioides. No segundo ensaio, utilizaram-se estacas do híbrido RC1 ((F1: Marília x Roxo Australiano) x Marília), coletadas em agosto de 2000, tratadas com 2.000 ppm de AIB, plantadas em bandejas de poliestireno expandido com doze tipos de substratos. Para enraizamento das estacas do Híbrido RC1, n o houve diferen a entre os substratos testados. A adi o de um g de Osmocote por estaca, aos 30 dias após o plantio no substrato Plantmax Florestal Estaca , proporcionou o melhor desenvolvimento da parte aérea das estacas do Híbrido RC1.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.