oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Emergence and initial development of Mimosa caesalpiniifolia Benth. seedlings for different substrates = Emergência e desenvolvimento inicial de plantulas de Mimosa caesalpiniifolia Benth. em fun o de diferentes substratos
Narjara Walessa Nogueira,Maria Clarete Cardoso Ribeiro,R?mulo Magno Oliveira de Freitas,Marcos Yoshio Matuoka
Agro@mbiente On-line , 2012,
Abstract: The present study assessed the effects of different substrates on the emergence and initial development of Mimosa caesalpiniifolia Benth seedlings. For this purpose an experiment was done in a greenhouse of the Department of Plant Sciences of Universidade Federal Rural do Semi-árido (UFERSA), Mossoró-RN. The statistical design was completely randomized (CRD), where treatments were composed of nine substrates (T1: vermiculite, T2: coconut fiber, T3: trade hortimix , T4: vermiculite, coconut fiber and compost (1: 1:1), T5: coconut fiber and compost (1:1), T6: coconut fiber and compost (1:2),T7: vermiculite and compost (1:1), T8, vermiculite and compost organic (1:2) and T9: organic compost). All treatments were represented by four replications containing 25 seeds. The following variables were evaluated: emergency percentage, emergence rate index, length of shoot and root, stem diameter, dry leaves, stem, root and total leaf area, specific leaf area, leaf area ratio, and leaf weight ratio. Data were submitted to the Tukey test at 5% probability. The coconut fiber substrates, commercial hortimix and vermiculite proved superior promoted good emergence and early development of seedlings. The mixture of vermiculite, coconut fiber and compost (1:1:1), coconut fiber and compost (1:1), coconut fiber and compost (1:2) and organic compost and vermiculite (1: 1) was not shown to be adequate for the cultivation of seedlings. There was no emergency in the pure organic compound in the mixture of compost and vermiculite (1:2).Key words - Vermiculite. Organic compost. Coconut fiber. Sabiá. Substrates. = Objetivou-se com o presente trabalho avaliar o efeito de diferentes substratos na emergência e desenvolvimento inicial de plantulas de sabiá (Mimosa caesalpiniifolia Benth.). Para isso, foi instalado um experimento em casa de vegeta o do Departamento de Ciências Vegetais da Universidade Federal Rural do Semi-árido (UFERSA), Mossoró-RN. O delineamento estatístico utilizado foi inteiramente casualizado (DIC) e os tratamentos foram compostos por nove substratos (T1: vermiculita; T2: fibra de coco; T3: comercial hortimix ; T4: vermiculita, fibra de coco e composto organico (1:1:1); T5: fibra de coco e composto organico (1:1); T6: fibra de coco e composto organico (1:2); T7: vermiculita e composto organico (1:1); T8:vermiculita e composto organico (1:2) e T9: composto organico), com quatro repeti es de 25 sementes. As variáveis avaliadas foram: porcentagem de emergência; índice de velocidade de emergência; comprimento de parte aérea e de raiz; diametro do colo; matéria seca
Deposi o e decomposi o de serapilheira em área da Caatinga. = Litter productivity and deposition in area of Caatinga.
José Fredson Bezerra Lopes,Eunice Maia de Andrade,Francisco Antonio de Oliveira Lobato,Helba Araujo de Queiroz Palácio
Agro@mbiente On-line , 2009,
Abstract: Para avaliar a deposi o e a taxa de decomposi o da serapilheira em área da Caatinga, bem como,verificar a interferência de variáveis climáticas, desenvolveu-se um estudo em quatro microbacias localizadas no município de Iguatu, Ceará, Brasil. A produ o de serapilheira era coletada mensalmente (mai/2007 a set/2008) em 20 caixas de 1,0 m2, separando-se em seguida as fra es: folhas, estruturas reprodutivas, galhos e miscelanea. Coletou-se, trimestralmente, a serapilheira circunscrita sob um quadrado de ferro de (0,5 m x 0,5 m), estimando-se em seguida a serapilheira armazenada sobre o solo; a massa seca de serapilheira foi obtida pela secagem em estufa a 70oC até peso constante. Foram coletadas amostras de solo (0-15 cm) para se obter a umidade. Observou-se que entre as espécies arbustivo-arbóreas, apenas duas (Aspidosperma pyrifolium Mart. e Croton sonderianus Muell. Arg.) representam mais de 50% da popula o e a cobertura vegetal é determinada pelo estrato herbáceo, já que apresenta um número bem maior de plantas. A produ o de folhas apresentou uma estreita rela o com o regime pluviométrico, sendo seu ápice logo após a quadra chuvosa, enquanto a produ o de estruturas reprodutivas foi determinada pelas espécies. A deposi o da serapilheira apresentou caráter sazonal com uma produtividade de 2.855,42 kg ha-1, e picos de produ o imediatamente posterior a quadra chuvosa. Já a decomposi o da serapilheira mostrou-se relativamente lenta, com uma taxa de decomposi o (K) inferior a 1. = This work evaluated the litter accumulation and decomposition in a Caatinga, as well as to verify the climate variable influence. Field work was carried out at four small watershed sited in the Iguatu County, Ceará, Brazil. Litter productions were estimated monthly (May/2007 - Sept/2008) from 20 box of 1,0 m2 litter collector. The collected litter was fractioned into leaves, reproductive structures, branches and miscellaneous, after that they were dried and weighted. Every three months the deposited litter on the soil was sampled from 0.5 m x 0.5 m frame, dried and weighted. Also, samples soils (0-15 cm) were collected to determine the soil humidity. It was observed two predominant species Aspidosperma pyrifolium Mart. and Croton sonderianus Muell.Arg., which represent more than 50% of population Cover vegetation is defined by brush wood. The peak of leaf production occurred at the end of rainfall season expressing a strong relation between litter production and rainfall season, while the reproductive structures were defined by vegetation specie. In the first year (May/0
AVALIA O ESTACIONAL DA DEPOSI O DE SERAPILHEIRA EM UMA FLORESTA OMBRóFILA MISTA LOCALIZADA NO SUL DO ESTADO DO PARANá
Afonso Figueiredo Filho,Gilberto Ferreira Moraes,Luciano Budant Schaaf,Décio José de Figueiredo
Ciência Florestal , 2003,
Abstract: Com o objetivo de avaliar a deposi o estacional de serapilheira em uma Floresta Ombrófila Mista, instalou-se um experimento em setembro/98 na Esta o Experimental de S o Jo o do Triunfo, no estado do Paraná. A esta o possui uma área de 31,7 ha, dividida em trinta parcelas de 1 ha. Em três dessas parcelas foram instalados 27 coletores (nove em cada uma). As coletas foram realizadas a cada 45 dias, atentando-se sempre para o final das esta es. O material coletado foi acondicionado em sacos plásticos, os quais foram identificados com o número do coletor e a parcela na qual está localizado. Após uma pré-secagem, o material de cada coletor foi separado nas fra es folhas, galhos e miscelanea. Em seguida, estas foram embaladas em sacos de papel e levadas à estufa à temperatura de 65oC, até peso constante, para a determina o do peso seco por fra o de serapilheira. Os dados obtidos até o momento demonstram que a primavera foi a esta o que apresentou a maior deposi o de serapilheira, seguida pelo inverno, ver o e outono, com valores médios (kg/ha) de 2.433,31; 2.164,79; 1.799,72 e 1.339,00 respectivamente. A fra o folhas constituiu-se no principal componente, respondendo por 57% da serapilheira total, seguida por galhos com 27% e miscelanea com 16%.
Crescimento inicial de Eucalyptus tereticornis em plantios puro e consorciado com Mimosa caesalpiniifolia E Mimosa pilulifera, em Campos dos Goytacazes-RJ
Balbinot, Ernando;Carneiro, José Geraldo de Araújo;Baroso, Deborah Guerra;Paes, Herval Martinho Ferreira;
Revista árvore , 2010, DOI: 10.1590/S0100-67622010000100001
Abstract: the objective of this work was to evaluate the initial growth of outplanted eucalyptus tereticornis in pure and mixed mimosa caesalpiniifolia-mimosa pilulifera stands and their effects on soil characteristics in campos dos goytacazes-rj. survival rates, height, ground level diameter and diameter at breast height were evaluated over 30 months. soil characterization at 0-5 and 5-10 cm depths was carried out at 6 and 30 months after outplantings. the experiment was set up in a randomized block design with 4 replications, with 14 measurable plants per plot. thirty months after outplantings, the mixed e. tereticornis-m. caesalpiniifolia stand showed higher survival (87%) and better performance for dendrometric measurements. in the mixed ouplantings, the soil c content was lower at the 5-10 cm depth. contents of p, ca and base saturation (%) were lower, while ph, n, na, al and h+al showed higher values in all the outplanting systems. in pure and mixed with mimosa caesalpiniifolia outplantings, k contents were lower at the 0-5 cm depth. mixed e. tereticornis m. caesalpiniifolia outplantings caused reduction in effective ctc (exchangeable cation capacity), sum of bases and mg content
DIN MICA NUTRICIONAL EM FLORESTA ESTACIONAL DECIDUAL COM ENFASE AOS MINERAIS PROVENIENTES DA DEPOSI O DA SERAPILHEIRA
Girlei Costa da Cunha,Luis Almiro Grendene,Miguel Ant?o Durlo,Delmar Ant?nio Bressan
Ciência Florestal , 2012,
Abstract: A produ o anual de serapilheira, o conteúdo de N, P, K, Ca e Mg, a taxa de decomposi o da serapilheira e a eficiência de utiliza o de nutrientes, foram estudadas numa floresta estacional decidual, situada nas encostas da Serra Geral em Santa Maria, Rio Grande do Sul. A produ o anual de serapilheira foi de 7,76 t/ha, com a fra o folhas representando aproximadamente 66% da produ o total. A esta o de maior deposi o de serapilheira e nutrientes foi a primavera. Foram depositados anualmente no solo florestal 206 Kg/ha de nitrogênio, 11,2 Kg/ha de fósforo, 37,8 Kg/ha de potássio, 269,2 Kg/ha de cálcio e 29,9 kg/ha de magnésio. A quantidade média de manta acumulada sobre o solo totalizou 6,7 t/ha, a estimativa da taxa instantanea de decomposi o (K) foi de 1,16 e o tempo necessário para decomposi o de 50% da serapilheira produzida, foi estimado em torno de 7 meses. A eficiência da utiliza o de nutrientes dada pela rela o biomassa/nutriente para os elementos N, P, Ca e Mg, foi menor do que tem sido verificado em outras florestas do Brasil, indicando que a produtividade primária da floresta n o é limitada pela disponibilidade dos elementos estudados.
Retorno de nutrientes via deposi o de serapilheira em um povoamento de acácia-negra (Acacia mearnsii De Wild.) no Estado do Rio Grande do Sul  [cached]
Schumacher Mauro Valdir,Brun Eleandro José,Rodrigues Loiva Maria,Santos Elias Moreira dos
Revista árvore , 2003,
Abstract: Com este estudo, objetivou-se avaliar os aspectos envolvidos na transferência de serapilheira e nutrientes ao solo em um povoamento de acácia-negra (Acacia mearnsii De Wild.) com 3 anos de idade, em Butiá-RS. Para tanto, foram alocadas, sistematicamente, cinco parcelas de 18 x 24 m, onde foram distribuídos 20 coletores de serapilheira de 1 m2 (quatro em cada). Para coleta de galhos, foram demarcadas na superfície do solo 15 subparcelas de 3 x 3 m. O material interceptado foi coletado mensalmente entre maio/1999 e dezembro/2001. Após a coleta, o material foi separado em fra es (folhas, galhos, flores, frutos e fezes), seco em estufa, pesado, moído e analisado quanto aos teores de N, P, K, Ca e Mg. A deposi o média anual de serapilheira alcan ou 5,85 Mg/ha, sendo composta por 77% de folhas, 3,7% de galhos, 2,5% de flores, 2,4% de frutos e 14,3% de fezes de lagarta. A baixa deposi o de galhos foi atribuída à pequena intensidade do processo de desrama natural da espécie, principalmente nessa idade do povoamento. A deposi o de serapilheira foi mais concentrada no ver o. O maior fornecimento de nutrientes ao solo ocorreu através da fra o folhas. As fra es com maiores teores de N, P e Mg foram flores e frutos, somente perdendo para as folhas e fezes quanto à concentra o de Ca e n o diferindo em rela o ao K. A magnitude de transferência de nutrientes ao solo, em kg/ha, foi igual a 106,2 de N > 62,8 de Ca > 41,8 de K > 9,4 de Mg > 3,4 de P.
APORTE E DECOMPOSI O DE SERAPILHEIRA EM áREAS DE FLORESTA SECUNDáRIA, PLANTIO DE SABIá (Mimosa caesalpiniaefolia Benth.) E ANDIROBA (Carapa guianensis Aubl.) NA FLONA MáRIO XAVIER, RJ
Milton Marques Fernandes,Marcos Gervasio Pereira,Luis Mauro Sampaio Magalh?es,Adriano Rosa Cruz
Ciência Florestal , 2006,
Abstract: Este trabalho teve como objetivo avaliar o aporte e a decomposi o da serapilheira em áreas de floresta secundária espontanea, plantio de sabiá (Mimosa caesalpiniaefolia Benth.) e plantio de andiroba (Carapa guianensis Aubl.). Para avalia o do aporte de serapilheira, foram instalados dez coletores c nicos sendo o aporte avaliado durante o período de outubro de 2003 a setembro de 2004. Posteirormente, foi feita a quantifica o dos macronutrientes (N, P e K). A avalia o da taxa de decomposi o foi realizada utilizando-se o método dos litter bags. A área de plantio de andiroba aportou a maior quantidade de serrapilheira 9,20 Mg ha-1, sendo seguida pelo plantio de sabiá com 9,06 Mg ha-1 e pela floresta secundária espontanea 7,63 Mg ha-1 por ano. A serapilheira das áreas de plantio de sabiá e do plantio de andiroba apresentou maiores valores de nitrogênio e fósforo que a área de floresta secundária. A velocidade de decomposi o da serapilheira foi maior nas áreas de plantio de sabiá e andiroba, podendo tal comportamento ter sido influenciado pelo maior conteúdo de nitrogênio na serapilheira. O fósforo foi o nutriente que apresentou maior velocidade de libera o.
Deposi o de nutrientes pela serapilheira em um fragmento de Floresta Estacional Decidual no Rio Grande do Sul Nutrients input from litter in a seasonal deciduous forest fragment in Rio Grande do Sul
Joseane Savian Marafiga,Márcio Viera,Denise Andréia Szymczak,Mauro Valdir Schumacher
Revista Ceres , 2012,
Abstract: O conhecimento do aporte de nutrientes das espécies que comp em a Floresta Estacional Decidual é ainda incipiente. Objetivou-se, neste trabalho, determinar a deposi o de nutrientes pela serapilheira de diferentes espécies, em uma Floresta Estacional Decidual, no município de Itaara, RS. Para a coleta de serapilheira, foram demarcadas seis parcelas de 25,0 m x 17,0 m cada, sendo distribuídos cinco coletores em cada parcela. As coletas de serapilheira foram realizadas mensalmente, no período de janeiro de 2006 a dezembro de 2007. A serapilheira foi separada em folhas, galhos finos (diametro < 0,5 cm) e miscelanea (flores, frutos, sementes e restos vegetais n o identificáveis). As folhas foram separadas de acordo com as espécies mais representativas da floresta. O material foi analisado quanto aos teores de macro e micronutrientes. A concentra o de nutrientes diferiu entre as espécies. A maior transferência de nutrientes ocorreu por meio da fra o folhas, seguido pelos galhos finos e miscelanea. Dentre as espécies avaliadas, a espécie Parapiptadenia rigida apresentou a maior transferência de nutrientes, com exce o do Mn, o qual foi mais transferido pela espécie Matayba elaeagnoides, juntamente com a espécie Ocotea pulchella. Knowledge on nutrient deposition from species that compose the Deciduous Forest is incipient. The objective of this study was to determine the nutrient input by different species, from litter deposition in a Seasonal Deciduous Forest in Itaara, RS. Six plots (25.0 m x 17.0 m) were installed for litter collection,. In each plot, 5 mesh-screen traps were allocated. The litter was monthly collected from January 2006 to December 2007. Litter was sorted out in leaves, twigs (diameter < 0.5 cm) and mixture (flowers, fruits, seeds and non identified plant parts). Leaves were separated regarding the most representative species in the forest. The material was analyzed for the levels of macro and micronutrients. The concentration of nutrients differed between species. The highest nutrient input occurred from the leaf fraction, followed by twigs and mixture. Among the evaluated species, Parapiptadenia rigida showed the highest nutrient transfer, except for Mn that was highest in Matayba elaeagnoides, and Ocotea pulchella.
Composi??o química de forrageiras e seletividade de bovinos em bosque-de-sabiá (Mimosa caesalpiniifolia Benth.) nos períodos chuvoso e seco
Vieira, Ednéia de Lucena;Carvalho, Francisco F. Ramos de;Batista, ?ngela Maria Vieira;Ferreira, Rinaldo Luiz C.;Santos, Mércia Virgínia Ferreira dos;Lira, Mário de Andrade;Silva, Maria José da;Silva, Edna Maria Bonfim da;
Revista Brasileira de Zootecnia , 2005, DOI: 10.1590/S1516-35982005000500010
Abstract: this trial was carried out from june 1999 to march 2000 to evaluate the chemical composition of samples of sabiá legume (mimosa caesalpiniaefolia benth.), with and without thorns, collected in the rainy and dry seasons and to compare the botanical composition of sabiá pasture with that of the diet selected by the grazing animals. no significant difference was observed in chemical composition between samples of sabiá with and without thorns. the mean values obtained in the rainy samples were: 26.45% drymatter (dm), 27.63% crude protein (cp), 44.39% neutral detergent fiber (ndf), 25.80% acid detergent fiber (adf), 1.24% calcium (ca), 0.22% phosphorus (p), 1.63% potassium (k) and 1.12% sodium (na). in the dry period samples, the mean values observed were: 42.39% dm, 19.30% cp, 39.05% ndf, 21.83% adf, 1.25% ca, 0.15% p, 1.63% k and 0.27% na. considering the botanical composition, the rainy extrusa sample showed higher participation of sabiá (83.1%) as compared to the dry period (12.3%). during the rainy period, the animals selected sabiá in higher quantity while the hand plucked samples overestimated the dietary fiber fraction as compared to values for the extrusa samples.
Germina o de sementes de Mimosa caesalpiniifolia Benth. (sans o-do-campo) sob diferentes condi es de temperatura, luz e umidade. Seed germination of Mimosa caesalpiniifolia Benth. Under different conditions of temperature, light and moisture.  [PDF]
Ant?nio da SILVA,Ivor Bergemann de AGUIAR,Márcia Balistiero FIGLIOLIA
Revista do Instituto Florestal , 2008,
Abstract: Mimosa caesalpiniifolia (Fabaceae) éuma espécie arbórea característica da caatinga,nativa da regi o Nordeste brasileira. Neste trabalhoforam realizados dois experimentos. No primeiroexperimento foi estudado o efeito da colora o dassementes (verde e marrom) e da temperatura para agermina o (25, 30 e 20-30 oC). No segundoexperimento foi estudado o efeito do volume deágua destilada adicionado ao substrato (45, 60 e75 mL) e da qualidade de luz (ausência de luz e luzdos espectros branco, vermelho e vermelho-extremo),na germina o das sementes de colora o verdesubmetidas a 30 oC. Os testes de germina o foramconduzidos sob fotoperíodo de 8 h, utilizando 30 gde vermiculita como substrato, e tiveram a dura ode 14 dias. Foram avaliados a porcentagem final eo índice de velocidade de germina o dassementes. Os resultados obtidos no primeiroexperimento mostraram que as sementes decolora o verde s o de melhor qualidade fisiológicae que a temperatura de 30 oC foi a mais adequadapara a germina o. Os resultados obtidos no segundoexperimento mostraram que: (a) as sementes decolora o verde s o fotoblásticas positivaspreferenciais; (b) o teste de germina o pode serconduzido sob luz branca, em substrato umedecidocom 75 mL de água, e (c) os resultados obtidospermitem supor que, em condi es naturais, assementes sejam capazes de germinar tanto a plenosol (luz do espectro vermelho) como sob luzfiltrada pela vegeta o (espectro vermelho-extremo).Mimosa caesalpiniifolia (Fabaceae) is animportant arboreal species native from the caatingavegetation of the northeastern of Brazil. In thiswork two experiments were carried out. In the firstexperiment, the effect of seed color (green andbrown) and temperature for germination (25, 30,and 20-30 oC) was studied. In the second experiment,the effect of distilled water added to substrate(45, 60, and 75 mL) and light quality (darkness andwhite, red, and far-red light) on germination at30 oC of green color seeds was studied. Germinationtests were performed for 14 days under an 8 hphotoperiod, using 30 g of vermiculite as substrate.Both final percentage and speed of germinationindex of seeds were evaluated. The results obtainedin the first experiment showed that seeds of greencolor have better physiological quality and that theconstant temperature of 30 oC favoured the seedgermination. The results obtained in the secondexperiment showed that (a) seeds of green color arepreferential positive photoblastic; (b) germination testcan be performed under white light with substratemoistened with 75 mL of water and (c) the resultsobtained in lab
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.