oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Instrumento de avalia??o do desenvolvimento de pré-escolares dos Centros de Educa??o e Alimenta??o do Pré-Escolar
Fernandes,José; Gandra,Yaro R.;
Revista de Saúde Pública , 1981, DOI: 10.1590/S0034-89101981000700010
Abstract: selected items, with adequate sensibility to evaluate the eficacy of the ceape program with regard to the psycho-pedagogical development of preschool children were tested. these selected items together composed the "instrumento de avalia??o do desenvolvimento do pré-escolar - iadpe". the objective of this paper was to study statiscally the principal characteristics of that "instrument" evaluating its capacity of discrimination and comparing its results to those obtained on a "behavior scale" for preschoolers. the results show that the "instrument" correlated well with those of the "scale" and that it is a very useful and practical system for the evaluation of the psycho-pedagogical development of preschoolers.
POLíTICAS PúBLICAS EM CONTEXTOS ESCOLARES INDíGENAS: REPENSANDO A ALIMENTA O ESCOLAR  [cached]
RUBIA CARLA FORMIGHIERI GIORDANI,LAURA PEREZ GIL,SYMONE CORTESE DA SILVA AUZANI
Espa?o Ameríndio , 2010,
Abstract: ABSTRACT: The aim of this research was the food offered at school among the Mbya Guarani who live in Cotinha Isle, Parana coast, and its target was to develop and apply adequate methodological instruments for a better understanding of the circumstances in which the National Program of School Nutrition (PNAE) is run among the Indian peoples. Thus, the ethnography of school food of the Mbya community was carried out aiming to refine and improve the understanding of the nutrition at school implications in their daily lives.RESUMO: Esta pesquisa teve por objeto a alimenta o escolar entre os Mbya Guarani que vivem na Ilha da Cotinha, litoral do Paraná, e foi orientada segundo o objetivo de desenvolver e aplicar instrumentos metodológicos adequados para um melhor conhecimento dascircunstancias nas quais o Programa Nacional de Alimenta o Escolar (PNAE) é executado em contextos de popula es indígenas. Dessa forma, foi realizada uma etnografia da alimenta o escolar procurando refinar e aprimorar a compreens o das implica es da alimenta o escolar no cotidiano da comunidade Mbya.
Consumo alimentar de pré-escolares matriculados nos Centros de Educa??o e Alimenta??o do Pré-Escolar (CEAPEs) e de suas respectivas famílias
Mazzilli,Rosa Nilda; Gandra,Yaro Ribeiro;
Revista de Saúde Pública , 1981, DOI: 10.1590/S0034-89101981000700005
Abstract: a dietary survey was carried out among preschool children and their families drawn from twenty-one preschool education and feeding centre (ceapes), in seven towns of the state of s. paulo. the diatary data from children and families were obtained by applying the weighed food intake method combined with the recall method, during 24 hours, and collected by home visits. simultaneously data on school lunches concerning their composition and influence on home meals were collected. about half the preschool children showed energy deficiency though only fifteen percent of them showed inadequate protein intake. the most outstanding dietary deficiencies in the preschool children related to vitamin a, calcium, niacin and ascorbic acid. with regard to the families, the most striking deficiencies related to vitamin a and calcium. the school lunch showed some influence on the dietary intake of children, insofar as number of meals and quantity of food eaten at home were concerned.
PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTA O ESCOLAR: SISTEMATIZA O E IMPORT NCIA  [cached]
F. SOBRAL,Vera M. H. M. COSTA
Alimentos e Nutri??o , 2008,
Abstract: O presente artigo tem por objetivo contextualizar o Programa Nacional de Alimenta o Escolar (PNAE) como Política Pública de Alimenta o e Nutri o no conjunto das Políticas Sociais e caracterizar sua estrutura, funcionalidade e relevancia para escolares. Ressalta também a importancia da merenda escolar para a incorpora o de hábitos alimentares saudáveis e a garantia de condi es nutricionais adequadas, para alunos de diferentes classes sócio-econ micas.
CONSUMO ALIMENTAR E ESTADO NUTRICIONAL DE PRé-ESCOLARES DE UM CENTRO DE EDUCA O INFANTIL DO MUNICíPIO DE S O PAULO  [cached]
Cristina Rebolho da SILVA,Beatriz Aparecida Edméa Tenuta MARTINS,Vera Lúcia Macedo Issa de OLIVEIRA,Celio Kenji MIYASAKA
Alimentos e Nutri??o , 2010,
Abstract: O objetivo deste estudo foi avaliar o consumo alimentar e o estado nutricional de 66 pré-escolares de 2 a 6 anos de idade, durante o período de permanência em um Centro de Educa o Infantil do Município de S o Paulo, SP. Para a avalia o do consumo alimentar foi utilizada a pesagem direta dos alimentos. A determina o do consumo de energia e nutrientes foi obtida por meio da Tabela Brasileira de Composi o de Alimentos - TACO da Universidade Estadual de Campinas. A avalia o da ingest o dietética foi realizada com base na referência Recommended Dietary Allowances por ser adotada em legisla o vigente no período do estudo para o Programa Nacional de Alimenta o Escolar. O estado nutricional foi avaliado em escore-Z, considerando os índices estatura para idade (E/I) e índice de massa corpórea para idade (IMC/I), utilizando-se as curvas de crescimento da Organiza o Mundial da Saúde. A quantidade consumida de proteína ultrapassou os 100% de adequa o e os demais nutrientes e energia apresentavam-se abaixo das recomenda es. Veri cou-se que 3,9% dos pré-escolares de 2 a 3 anos e 5% dos pré-escolares de 4 a 6 anos encontravam-se com baixo IMC para idade, e 3,9% e 2,5% com excesso de peso, respectivamente. O tempo de permanência dos pré-escolares de aproximadamente 10 horas no CEI n o permite o atendimento total das recomenda es nutricionais. Com isso refor a-se a necessidade da alimenta o da crian a ser complementada em casa.
QUé OFRECEN LAS TIENDAS ESCOLARES Y QUé CONSUMEN LOS ESTUDIANTES DURANTE EL DESCANSO? ESTUDIO EN LA CIUDAD DE TUNJA, 2009 QUE OFERECEM AS TENDAS ESCOLARES E QUE CONSUMEM OS ESTUDANTES DURANTE O DESCANSO? é ESTUDO NA CIDADE DE TUNJA, 2009 WHAT DO SNACK BARS IN SCHOOLS OFFER AND WHAT DO STUDENTS EAT DURING RECESS TIME IN THE SCHOOLS? STUDY IN THE CITY OF TUNJA, 2009
Nelcy Yolanda Velandia Castro,Luz Mery Cárdenas Cárdenas,Nancy Aurora Agudelo Cely
Hacia la Promoción de la Salud , 2011,
Abstract: Objetivo: caracterizar la disponibilidad de productos en la tienda escolar y el consumo de alimentos durante el descanso en Instituciones Educativas Públicas de Básica Primaria de la ciudad de Tunja, con el fin de formular recomendaciones que promuevan una alimentación saludable en la población escolar. Materiales y métodos: estudio descriptivo de corte transversal realizado en 12 tiendas escolares y 137 estudiantes de Instituciones Educativas Públicas de Básica Primaria de Tunja seleccionados por muestreo aleatorio estratificado y quienes cumplieron los criterios de inclusión. La información se recolectó a través de una ficha de chequeo y un formulario de reporte de alimentos consumidos durante el descanso elaborados teniendo en cuenta criterios comunes encontrados en investigaciones similares. Los resultados se analizaron univariada y bivariadamente. Resultados: el 100% de las tiendas escolares disponía productos empaquetados, dulces y refrescos; el 91,6%, jugos procesados; 58,3%, paletas y empanadas; y 50%, gaseosas. Las frutas o verduras no se ofrecían en ninguna de las tiendas estudiadas. El 81% de los escolares consumieron alimentos durante el descanso. Los alimentos que los estudiantes compraron con mayor frecuencia en la tienda escolar fueron: dulces (42,2%), productos empaquetados, paletas/helados en una proporción del 24,63% para cada producto. Conclusiones: las tiendas escolares disponen alimentos catalogados por otros autores como productos densos energéticamente y de bajo valor nutricional; los estudiantes consumen este tipo de alimentos durante el descanso escolar. Situación que requiere estrategias de promoción de la salud encaminadas a incorporar frutas o verduras en el entorno educativo e incentivar su consumo en los ni os. Objetivo: caracterizar a disponibilidade de produtos na tenda escolar e o consumo de alimentos durante o descanso em institui es Educativas Públicas de Básica Primaria da cidade de Tunja, com o fim de formular recomenda es que promovam uma alimenta o saudável na povoa o escolar. Materiais e Métodos: estudo descritivo de corte transversal realizado em 12 tendas escolares e 137 estudantes de Institui es Educativas Públicas de Básica Primaria de Tunja selecionados com amostras aleatórias estratificadas e quens cumpriram os critérios de inclus o. A informa o se coletou a través duma ficha de xequeou e um formulário de reporte de alimentos consumidos durante o descanso elaborados tendo em conta critérios comuns encontrados em pesquisas similares. Os resultados se analisaram uni-variadamente e bivariadamente. Resultad
Programa de alimenta o escolar: espa o de aprendizagem e produ o de conhecimento  [cached]
COSTA Ester de Queirós,RIBEIRO Victoria Maria Brant,RIBEIRO Eliana Claudia de Otero
Revista de Nutri??o , 2001,
Abstract: O Programa de Alimenta o Escolar tem se resumido, muitas vezes, no fornecimento de lanches ou refei es no intervalo das atividades escolares. Entretanto, existem possibilidades, que podem ser usadas pelo nutricionista responsável pelo Programa, para desenvolver atividades educativas em nutri o, visando a promo o da saúde da comunidade escolar. Estas atividades exigem a revis o das fun es do Programa, a fim de que se aproveite esse espa o para discutir sobre fatores condicionantes dos hábitos alimentares, fatores influentes na produ o, distribui o e acesso aos alimentos, entre outros. Considerar todas as atividades escolares como educativas favoreceria a integra o de todos os funcionários, escolares e familiares que atuam nesse ambiente, incluindo merendeiras e nutricionistas. Promover oportunidades para discutir as condi es de saúde no local de trabalho contribuiria para a produ o de conhecimentos e para o desenvolvimento de práticas educativas contínuas, essencial nesses tempos de rápidas transforma es.
CARACTERIZA O DO ESTADO NUTRICIONAL E PRESEN A DE ANEMIA EM PRé-ESCOLARES DE MAT O - S.P.  [cached]
V. R. GUANDALINI,J. E. DUTRA-DE-OLIVEIRA
Alimentos e Nutri??o , 2009,
Abstract: A avalia o do estado nutricional é uma das maneiras de indentificar as carências nutricionais, seja, de macronutrientes como a desnutri o protéicocalórica, ou de micronutrientes, como a anemia ferropriva, e que reconhecidamente s o problemas de saúde pública mundial. No Brasil, diversos estudos tem demonstrado a extens o e gravidade destes problemas, recomendando medidas urgentes para a sua preven o e controle. Programas de distribui o de alimentos, de aleitamento materno, de distribui o de leite, de alimenta o nas creches, têm sido implantados procurando oferecer uma nutri o adequada à todas as crian as. O objetivo do presente trabalho foi caracterizar pela antropometria e eritrograma sangüíneo, o estado nutricional de crian as em idade pré-escolar atendidas em uma creche municipal da cidade de Mat o, no estado de S o Paulo. Foram examinadas 47 crian as da institui o e obtidos dados de peso e altura, para avaliar o seu desenvolvimento físico. O sangue foi colhido para o estudo do eritrograma, incluindo resultados sobre a amplitude de distribui o de hemácias e a contagem de reticulócitos. Os valores de peso e altura das crian as foram classificados pelo escore Z, apresentando 3 crian as com valores antropométricos ≤ -2 escore Z, portanto, quadro de desnutri o protéico-calórica e 3 apresentaram valores compatíveis com obesidade (Z ≥ +2). Apresentaram –se em risco de desnutri o protéicocalórica, com um escore Z entre –2 e –1, 12 crian as e em risco de obesidade com um escore Z entre +1 e +2, 4 crian as. Todos os dados hematológicos absolutos ou seus índices mostraram valores considerados normais para o grupo etário estudado. Foi encontrada apenas 1 crian a anêmica (Hb <11,0g/dL). Os resultados do estudo do tamanho das hemácias comparados aos outros parametros mais tradicionais, n o mostrou resultado significativo. Os resultados obtidos quanto à desnutri o protéico-calórica e obesidade, apresentaram-se expressivos, nesta amostra, principalmente quanto às crian as em risco nutricional. PALAVRAS-CHAVE: Pré – escolares; antropometria; eritrograma sangüíneo.
Atua o dos conselhos municipais de alimenta o escolar na gest o do programa nacional de alimenta o escolar  [cached]
Pipitone Maria Angélica Penatti,Ometto Ana Maria Holland,Silva Marina Vieira da,Sturion Gilma Lucazechi
Revista de Nutri??o , 2003,
Abstract: Este trabalho avaliou a atua o dos Conselhos Municipais de Alimenta o Escolar, criados para assessorar e fiscalizar o programa de alimenta o escolar. Analisando-se informa es obtidas entre setembro de 1997 e abril de 1998, em 1.378 municípios brasileiros, verificou-se que a atribui o principal dos Conselhos é a fiscaliza o da aplica o dos recursos destinados ao Programa Nacional de Alimenta o Escolar (76,90% dos municípios), seguida pelo acompanhamento do Programa nas escolas (63,45%), pela participa o na elabora o do cardápio (50,41%) e pela assessoria na programa o, execu o e avalia o do Programa (38,90%). O ajuste de modelos próbites multivariados identificou variáveis relevantes para a participa o dos Conselhos em diferentes atribui es e mostrou que a descentraliza o do gerenciamento do Programa aumentou a efetividade da atua o dos Conselhos. Contudo, o conjunto dos resultados evidencia a necessidade de uma atua o mais efetiva dos Conselhos Municipais de Alimenta o Escolar como espa o de participa o popular e de promo o do Programa Nacional de Alimenta o Escolar.
Avalia??o da eficiência dos Centros de Educa??o e Alimenta??o do Pré-Escolar
Gandra,Yaro Ribeiro; Pontieri,Maria José;
Revista de Saúde Pública , 1981, DOI: 10.1590/S0034-89101981000700004
Abstract: the results of the efficiency of the program ceape is assessed; the efficiency is estimated by means of a simplified system of evaluation. preschooler attendance at the program has been high as the annual averages were above 85% (87,4% in 1978; 89,7% in 1979). the attendance of their mothers at its activities was also considered high, as 75% of the units in the state achieved more than 90% attendance. the school lunch was not standardized as the responsability for it was assumed spontaneously and extraofficially by the authorities of each county. for this reason, they varied from county to county from 250 to 350 calories and provided an average of 13gr of protein daily. a system of social and cognitive activities was selected and these activities were distributed throughout the child's areas of development. despite being a program of modest sophistication it achieved a worthwhile level efficiency.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.