oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Auto-avalia o da saúde bucal entre adultos e idosos residentes na Regi o Sudeste: resultados do Projeto SB-Brasil, 2003  [cached]
Matos Divane Leite,Lima-Costa Maria Fernanda
Cadernos de Saúde Pública , 2006,
Abstract: O objetivo deste estudo foi verificar quais fatores de predisposi o e facilita o, da condi o de saúde bucal, de necessidade de tratamento e de comportamento est o associados à auto-avalia o da saúde bucal entre adultos (35-44 anos) e idosos (65-74 anos) residentes na Regi o Sudeste do Brasil. Fizeram parte deste trabalho 3.240 pessoas participantes do Projeto SB-Brasil/Regi o Sudeste. As características daqueles que avaliaram a sua saúde bucal como ótima ou boa foram comparadas às daqueles que avaliaram como regular, ruim ou péssima. No modelo final, as características independentemente associadas à melhor auto-avalia o da saúde bucal entre os adultos foram renda domiciliar per capita > R$ 181,00, n o necessidade atual de tratamento odontológico, município de residência com mais de 50 mil habitantes e visita ao dentista há > 3 anos. Entre os idosos foram: renda domiciliar per capita > R$ 181,00, n o necessidade atual de tratamento odontológico e possuir entre 1 a 19 dentes. Nossos resultados confirmam estudos de outros países, mostrando a existência de associa es entre auto-avalia o e fatores de predisposi o e facilita o, condi o de saúde bucal, necessidade de tratamento e comportamento.
Genograma: avaliando a estrutura familiar de idosos de uma unidade de saúde da família  [cached]
Sofia Cristina Iost Pavarini,Bruna Moretti Luchesi,Heloise da Costa Lima Fernandes,Marisa Silvana Zazzetta de Mendiondo
Revista Eletr?nica de Enfermagem , 2008,
Abstract: A aten o à saúde do idoso tem como porta de entrada a Aten o Básica/Programa Saúde da Família. A avalia o da composi o familiar contribui para o planejamento do cuidado aos idosos. Esta avalia o pode ser feita através do genograma, que envolve a elabora o da árvore familiar, informa es sobre a história de cada pessoa e a qualidade das rela es familiares. O objetivo deste trabalho foi avaliar a composi o familiar de idosos cadastrados em uma Unidade de Saúde da Família-USF de um município paulista. Baseado nos pressupostos do método quantitativo de investiga o, foram realizadas entrevistas individuais, domiciliárias confeccionando genogramas de 49 idosos (de agosto de 2006 a maio de 2007). Os cuidados éticos em pesquisa foram observados. A composi o familiar é multigeracional para a maioria dos idosos, que era casada e morando com um filho adulto. A média foi de quatro pessoas por domicílio. O número médio de filhos por idoso foi 5,85. A doen a mais citada foi hipertens o arterial. A maioria dos idosos relatou liga o normal com familiares. O genograma demonstrou ser um instrumento eficaz para avaliar a estrutura familiar de idosos de uma USF, podendo ser usado como mecanismo para melhorar o planejamento de servi os para esta popula o.
Projeto Memória e Envelhecimento: capacitando profissionais e aprimorando aspectos cognitivos em idosos institucionalizados  [cached]
Edvaldo Soares,Tamara Pereira de Oliveira,Patrícia Sayuri Komatsu,Stella Maira Demartini
Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano , 2010,
Abstract: O aumento da popula o idosa é um fen meno mundial e traz consequências diversas, n o só em termos de saúde, mas também em termos econ micos. Uma dessas consequências é a institucionaliza o. O projeto, em execu o em duas institui es residenciais de longa permanência para idosos (IRLPi) localizadas na cidade de Marília - SP, tem como objetivos: a) capacitar equipe multidisciplinar para atuar em IRLPi’s; b) elaborar e promover atividades que melhorem a qualidade de vida, com enfoque especial na preserva o da saúde mental; c) estudar as condi es de saúde geral e mental dos idosos institucionalizados. O projeto foi implantado em três fases: 1 - coleta de dados e elabora o de plano de atividades; 2 - aplica o de atividades; 3 - avalia o/análise de resultados. Em rela o à fase 1, os dados foram colhidos por meio de três formulários, mediante os quais se verificaram dados institucionais, dados sociais e saúde geral. Os dados referentes à saúde foram colhidos a partir da medica o de uso contínuo. Todos os dados foram lan ados em banco de dados (Access) e submetidos à análise estatística descritiva. Dados referentes à saúde mental foram confirmados pela aplica o de testes clínicos da escala geriátrica de depress o e do Mini-Exame do Estado Mental (GDE e MMSE-T nas siglas em inglês).
Auto-avalia o da audi o em idosos Self-evaluation of hearing in elderly  [cached]
Lívia Maria Santiago,Cristiane de Oliveira Novaes
Revista CEFAC , 2009,
Abstract: OBJETIVO: investigar queixas auditivas e caracterizar impactos sociais e emocionais do handicap auditivo em idosos. MéTODOS: participaram deste estudotransversal,35idosos dosprojetos Enriquecimento Cultural e Nuclea o, ambos do Pólo Interdisciplinar do Envelhecimento da Universidade Federal de Juiz de Fora. Utilizou-se dois instrumentos de coleta de dados: o questionário sócio-demográfico, de saúde geral e percep o auditiva e o de avalia o da desvantagem auditiva The Hearing Handicap Inventory for the Elderly, HHIE (adaptado por Wieselberg, 1997). Efetuou-se a análise descritiva das < variáveis de estudo e, para verificar a associa o entre a ocorrência de desvantagem auditiva com as demais variáveis, realizou-se análises bivariadas, por meio do teste X2, considerando p < 0.05. RESULTADOS: foram observadas queixas auditivas para 11 (31,4%) indivíduos e de desvantagem auditiva (social e/ou emocional) para 10 (28,6%). As principais implica es da desvantagem auditiva relacionaram-se às habilidades sociais, compreens o da fala durante atos comunicativos; dificuldades na compreens o da TV e/ou rádio; baixa tolerancia a sons intensos e a ambientes ruidosos. Apenas sete (20%) entrevistados n o apresentaram nenhuma percep o de desvantagem. CONCLUS O: apesar de ter sido utilizada amostra reduzida, foram observadas queixas auditivas em atividades cotidianas dos idosos, que dificilmente seriam pesquisadas em avalia es de saúde de rotina, nem mesmo em audiometrias. Os resultados foram expressivos, tendo em vista a utiliza o de amostra específica de idosos e o predomínio de idosos "mais jovens", fatos que podem subestimar as queixas. PURPOSE: to investigate hearing complaints and characterize the social and emotional impacts of hearing handicap in elderly. METHODS: this cross-sectional study analyzed 35 participants of the projects: Enriquecimento Cultural e Processos de Envelhecimento and Nuclea o, both of Pólo Interdisciplinar na área do Envelhecimento of the Federal University of Juiz de Fora. Two instruments were used for data collection: an inventory the social-demographic features, general health and hearing perception and a tool reffered to as The Hearing Handicap Inventory for the Elderly, HHIE (adapted by Wieselberg, 1997). We performed the descriptive analysis of the variables under study and, in order to check the association among the occurrence of hearing handicap with the others variables, bivariate analyzes were carried out, by using the X2 test, considering p <0.05. RESULTS: the results showed the prevalence of hearing complaint for at least
Estimula o cognitiva em idosos com demência: uma contribui o da enfermagem  [cached]
Miriam da Costa Lindolpho,Selma Petra Chaves Sá,Thiara Joanna Pe?anha Cruz
Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano , 2010,
Abstract: Este estudo consiste no acompanhamento da atividade de estimula o cognitiva por meio das escalas de avalia o das atividades básicas de vida diária de Katz e das atividades instrumentais de vida diária de Lawton, realizado com idosos participantes das oficinas terapêuticas do projeto “A enfermagem no Programa Interdisciplinar de Geriatria e Gerontologia da Universidade Federal Fluminense”. O objetivo é tra ar o perfil e apresentar os resultados das escalas de Lawton e Katz dos idosos participantes das oficinas no ano 2007. O estudo consiste numa pesquisa qualitativa na modalidade de relato de experiência e demonstra os benefícios que a estimula o cognitiva proporciona. Foram oito idosos selecionados, sendo sete participantes do sexo feminino; a idade variou de 61 a 89 anos; a maioria é viúvo, reside em Niterói e possui doen a de Alzheimer. Sobre resultados encontrados na escala de Katz foi possível observar que cinco idosos mantiveram os níveis no período de 12 meses, preservando assim sua independência para a realiza o de algumas atividades. Isso aponta para a preserva o do autocuidado. Com rela o aos resultados da Escala de Lawton, observamos apenas um pequeno declínio em rela o às atividades instrumentais de vida diária. Este trabalho permitiu visualizar de um modo mais claro o perfil da clientela atendida e sua resposta ao desenvolvimento das oficinas terapêuticas, apontando a enfermagem como grande contribuinte à reabilita o.
Projeto Bambuí: fatores associados ao conhecimento da condi o de hipertenso entre idosos  [cached]
Firmo Josélia Oliveira Araújo,Uch?a Elizabeth,Lima-Costa Maria Fernanda
Cadernos de Saúde Pública , 2004,
Abstract: O objetivo deste estudo foi determinar os fatores associados ao conhecimento da condi o de hipertenso entre idosos residentes na comunidade. Foram selecionados todos os 919 idosos (> 60 anos) hipertensos participantes da linha de base da coorte de Bambuí, Minas Gerais, Brasil. Destes, somente 76,6% sabiam ser hipertensos. As seguintes variáveis apresentaram associa es positivas e independentes com saber ser hipertenso: sexo feminino (OR = 2,04; 145-2,87), percep o da saúde como ruim/muito ruim (OR = 1,93; 1,16-3,20), tentativa de perder peso nos últimos 12 meses (OR = 1,86; 1,14-3,04), número de consultas médicas neste período (1-3: OR = 2,14, 1,34-3,41; > 4: OR = 2,23, 1,76-5,03) e menor tempo decorrido após a última medida da press o arterial (OR = 2,97, 1,69-4,93). Associa o negativa foi encontrada para faixa etária > 80 anos (OR = 0,40, 0,24-0,68). Estes resultados chamam a aten o para a importancia: (1) do acesso dos idosos aos servi os de saúde para que a sua condi o de hipertenso possa ser diagnosticada e tratada e (2) da informa o prestada por este servi o ao idoso para que este, sabendo ser hipertenso, possa aderir satisfatoriamente ao tratamento.
Estrutura conceitual da tens o do cuidador familiar de idosos dependentes  [PDF]
Maria das Gra?as Melo Fernandes,Telma Ribeiro Garcia
Revista Eletr?nica de Enfermagem , 2009,
Abstract: O aumento de idosos com incapacidade funcional levou ao surgimento do fen meno de tens o do cuidador familiar.Em nosso contexto, esse tema é abordado ainda de modo incipiente na pesquisa e prática assistencial gerontológica.Tendo em vista esses aspectos, este estudo, desenvolvido em 2003, com base no método proposto por Schwartz-Barcott e Kim para o Modelo Híbrido de Análise Conceitual, objetivou elaborar um esbo o teórico para o conceitoTens o do cuidador familiar de idosos dependentes de modo a subsidiar o cuidado em saúde dessa clientela. Para aprimeira fase, de análise teórica, utilizou-se um corpus de 84 trabalhos pertinentes à temática, publicados emportuguês, inglês e espanhol, entre 1990 e 2001; os resultados subsidiaram a elabora o do instrumento de coleta dedados. A segunda fase, de estudo de campo, envolveu trinta cuidadoras, sendo os dados obtidos mediante entrevistaindividual, e analisados quantitativamente. O cotejamento entre os achados teóricos e empíricos permitiu aelabora o de uma estrutura conceitual para o referido conceito, que contempla fatores antecedentes, atributoscríticos e conseqüências do fen meno. O fen meno investigado apresenta-se como multidimensional, recomendandosea inclus o do idoso, cuidador e família como sujeitos inter-relacionados no processo de cuidado profissional.
Projeto WHOQOL-OLD: método e resultados de grupos focais no Brasil  [cached]
Fleck Marcelo P A,Chachamovich Eduardo,Trentini Clarissa M
Revista de Saúde Pública , 2003,
Abstract: OBJETIVO: A investiga o sobre as condi es que permitem uma boa qualidade de vida na velhice é de interesse científico e social. Assim, o estudo objetivou apresentar a metodologia utilizada e os resultados dos grupos focais para avalia o da qualidade de vida do idoso. MéTODOS: A metodologia do projeto WHOQOL-OLD é a mesma utilizada no desenvolvimento de outros módulos do WHOQOL. Foram realizados cinco grupos focais no Brasil. O método amostral foi o de conveniência. Dezoito idosos e cinco cuidadores participaram dos grupos focais. Todos os grupos obedeceram a uma metodologia pré-estabelecida. RESULTADOS: Observou-se uma tendência de associa o entre qualidade de vida e bem-estar ou sentir-se bem. Espontaneamente, as respostas incluíram os seis domínios propostos no WHOQOL-100, refor ando a multidimensionalidade do construto. Das 24 facetas originais, 19 foram citadas como relevantes, sendo que as cinco facetas n o espontaneamente lembradas n o se centraram em um único domínio. Quando perguntados sobre a importancia de cada uma das 24 facetas do WHOQOL-100, os grupos consideraram-nas todas relevantes. Foram sugeridas modifica es para serem aplicadas a idosos para cinco facetas. Itens adicionais também foram examinados e considerados relevantes para a avalia o de qualidade de vida em idosos, tanto pelos idosos entrevistados como pelos cuidadores. CONCLUS ES: Os resultados corroboram com a hipótese de que os idosos constituem um grupo particular e, como tal, apresentam especificidades de importante relevancia para a qualidade de vida. Assim, um instrumento adequado para a avalia o da qualidade de vida de idosos tem que necessariamente contemplar esses aspectos.
Promover a vida: uma modalidade da Fisioterapia no cuidado à saúde de idosos na família e na comunidade
Leila Graziele Dias de Almeida,Icácia de Oliveira Le?o,Jamine Barros Oliveira,Maria Marta Oliveira Santos
Revista Saúde.Com , 2006,
Abstract: Em virtude do processo de envelhecimento populacional, ou seja, da mudan a na estrutura etária da popula o no Brasil, têm ocorrido muitas altera es na maneira de abordar o cuidado à saúde das pessoas na velhice. Atualmente a comunidade científica tem come ado a aceitar a importancia do contexto familiar como “locus” primordial para o cuidado a idosos doentes e/ou fragilizados e a relevancia de uma abordagem multiprofissional junto a essas famílias. Observar-se, portanto, a necessidade da afirma o da atua o fisioterapêutica em ambiente domiciliar, na garantia do envelhecimento saudável, buscando somar estratégias para efetividade na abordagem terapêutica. Trata-se de um estudo exploratório-descritivo, de natureza qualitativa, que teve por objetivo caracterizar o cuidado domiciliar oferecido às famílias do projeto de extens o “Fisioterapia em Aten o à Saúde do Idoso na Família e Comunidade”. Para tanto, foram feitas visitas domiciliares à doze famílias de idosos no Bairro Inocoop, em Jequié-BA, por quatro meses consecutivos, duas vezes por semana e foram analisados os prontuários construídos a partir das visitas domiciliares realizadas. Assim, p de-se caracterizar a atua o fisioterapêutica no ambiente domiciliar como direcionada a três esferas: educa o familiar (promo o, preven o e minimiza o de agravos à saúde), assistência e reabilita o. A Fisioterapia Coletiva vem, com isso, buscar promover a aten o para o idoso e seus familiares, contribuindo para o processo de desenvolvimento humano individual e coletivo.
Auto-avalia??o da saúde bucal entre adultos e idosos residentes na Regi?o Sudeste: resultados do Projeto SB-Brasil, 2003
Matos, Divane Leite;Lima-Costa, Maria Fernanda;
Cadernos de Saúde Pública , 2006, DOI: 10.1590/S0102-311X2006000800018
Abstract: the aim of this study was to determine which characteristics (predisposing and enabling, oral health, perceived need for dental treatment, and behavior) are independently associated with self-rated oral health among adults and older adults in southeast brazil. the study was based on 3,240 participants in the sb-brasil project/ southeast. the characteristics of those who rated their oral health as good/very good were compared to those who rated it as fair, poor, or very poor. the following characteristics were significantly and independently associated with better self-rated oral health among adults: monthly household income > us$ 60.00, no current perceived need for dental treatment, place of residence in cities with > 50,000 inhabitants, and visit to the dentist > 3 years previously. among older adults the factors were: monthly household income > us$ 60.00, no current perceived need for dental treatment, and 1-19 permanent teeth. our results confirm those observed in other countries, showing associations between self-rated oral health and predisposing and enabling factors, oral health, perceived need for dental treatment, and behavior.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.