oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Prevalência de anticorpos antileishmania spp em c?es de Garanhuns, Agreste de Pernambuco
Santos, Jessica Maria Leite dos;Dantas-Torres, Filipe;Mattos, Marcos Renato Franzosi;Lino, Felipe Ragner Lima;Andrade, Lílian Sabrina Silvestre;Souza, Rute Chamié Alves de;Brito, Fábio Luiz da Cunha;Brito, Maria Edileuza Felinto de;Brand?o-Filho, Sinval Pinto;Sim?es-Mattos, Lucilene;
Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical , 2010, DOI: 10.1590/S0037-86822010000100010
Abstract: introduction: considering the unknown situation regarding canine visceral leishmaniasis in garanhuns, this study had the aim of investigating occurrences of anti-leishmania spp antibodies in domesticated and partially domesticated dogs, and the possible risk factors involved. methods: in the first phase of the study, 256 blood samples were collected from dogs and subjected to the indirect fluorescent antibody test (ifat) reaction at a dilution of 1:40. additionally, 23 ifat-positive samples were tested using an immunochromatographic dipstick test. in the second phase, new blood samples were collected from 18 dogs that were ifat-positive in the first phase. these animals were retested using ifat (1:40 and 1:80) and, additionally, by means of the polymerase chain reaction to investigate the leishmania infantum dna. furthermore, 16 of these samples were retested using the immunochromatographic dipstick test. results: in the first phase of the study, 16% of the samples were ifat-positive (1:40) and only three (13%) were positive in the immunochromatographic dipstick test. in the second phase, 12 samples were ifat-positive at the dilution of 1:40, and seven were also positive at 1:80. none of the samples were positive in the polymerase chain reaction testing or in the immunochromatographic dipstick test. clinical signs suggestive of visceral leishmaniasis were observed in 4.9% of the ifat-positive dogs. there were no statistical differences in relation to age, sex or clinical status of the dogs, but there was a difference in relation to place of origin. conclusions: the domesticated and partially domesticated dogs living in garanhuns present anti-leishmania spp antibodies, but are mostly asymptomatic.
Leishmania (Viannia) braziliensis em c es naturalmente infectados
Madeira Maria de Fátima,Uch?a Cláudia M. Antunes,Leal Cristianni Antunes,Silva Roger M. Macedo
Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical , 2003,
Abstract: Foram estudados oito c es provenientes do Município de Maricá (RJ), com les es sugestivas de leishmaniose tegumentar americana por métodos parasitológicos e sorológicos. Leishmania spp foi encontrada em seis c es através do cultivo in vitro. Anticorpos específicos foram detectados em seis animais pelo ELISA e em dois pela imunofluorescência indireta. Cinco isolados caninos analisados apresentaram zimodema similar a Leishmania (Viannia) braziliensis. Sugere-se que c es clinicamente suspeitos sejam acompanhados periodicamente, na tentativa de confirmar o diagnóstico da leishmaniose tegumentar canina.
Anticorpos anti-hantavírus em escolares de Salvador, Bahia
Mascarenhas-Batista Ana Veronica,Rosa Elizabeth Salbé Travassos da,Ksiazek Thomas G.,Rosa Amélia P.A. Travassos da
Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical , 1998,
Abstract: As hantaviroses s o doen as emergentes nas Américas e, em todo o mundo, os casos clínicos descritos foram infreqüentes entre crian as. O objetivo de investigar a freqüência de escolares portadores de anticorpos (IgG) anti-hantavírus justifica-se porque poucos estudos soroepidemiológicos pesquisaram a infec o por hantavírus no grupo pediátrico. Nos espécimes séricos de 379 escolares, de duas Escolas públicas da cidade do Salvador, Bahia, foram pesquisados os anticorpos anti-Hantaan (HTN) e anti-Sin Nombre (SN). A soropositividade de anticorpos anti-HTN foi de 13,2% (50/379) e todos os escolares foram soronegativos para o vírus SN. A soropositividade anti-HTN aumentou proporcionalmente com a idade. N o houve associa o entre a soropositividade anti-HTN e as características relacionadas à exposi o a roedores urbanos. A soroprevalência de anticorpos anti-HTN nos escolares estudados foi elevada e refor ou a hipótese de circula o de hantavírus em Salvador. A n o observa o de portadores de anticorpos anti-SN indica, provavelmente, a circula o de outros sorotipos nesta regi o, mais relacionados antigenicamente ao sorotipo Hantaan.
Seroprevalence rates of antibodies against Leishmania infantum and other protozoan and rickettsial parasites in dogs Soroprevalência de anticorpos contra Leishmania infantum e outras espécies de protozoários e rickettsia em c es
Silvana de Cássia Paulan,Aline Gouveia de Souza Lins,Michely da Silva Tenório,Diogo Tiago da Silva
Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária , 2013,
Abstract: Canine visceral leishmaniasis (CVL) is caused by the protozoan Leishmania infantum, which infects dogs and humans in many regions of Brazil. The present study involved an indirect fluorescent antibody test (IFAT) to analyze L. infantum, Ehrlichia spp., Babesia canis, Toxoplasma gondii and Neospora caninum infection rates in serum samples from 93 dogs in a rural settlement in Ilha Solteira, SP, Brazil. The seroprevalence rates of anti-L. infantum, anti-Ehrlichia, anti-B. canis, anti-T. gondii and anti-N. caninum antibodies were 37.6%, 75.3%, 72%, 47.3% and 6.4%, respectively. In addition to IFAT, direct microscopic examination of popliteal lymph node aspirates revealed 26.9% of CVL positive dogs. Serological tests revealed that 17.2% of the dogs were seropositive for a single parasite, 29% for two parasites, 33% for three, 16.1% for four, and 1.1% for five parasites, while 3.2% were seronegative for five parasites. The presence of antibodies against these parasites in serum samples from dogs confirmed their exposure to these parasites in this rural area. Because of the potential zoonotic risk of these diseases, mainly leishmaniasis, ehrlichiosis and toxoplasmosis, special attention should focus on programs for the improvement of diagnostic assays and control measures against these parasites. Leishmaniose Visceral Canina (LVC) é causada pelo protozoário Leishmania infantum, podendo infectar c es e humanos em várias regi es do Brasil. O presente estudo teve por objetivo realizar a rea o de imunofluorescência indireta (RIFI) para analisar os índices de infec o parasitária para L. infantum, Ehrlichia spp., Babesia canis, Toxoplasma gondii e Neospora caninum, em 93 amostras de soro de c es de um assentamento rural no município de Ilha Solteira, SP, Brasil. A taxa de soroprevalência de c es com anticorpos anti-L. infantum, anti-Ehrlichia, anti-B. canis, anti-T. gondii e anti-N. caninum foi de 37,6%, 75,3%, 72%, 47,3% e 6,4%, respectivamente. Pelo exame microscópico direto dos parasitas nos esfrega os de aspirados de linfonodos poplíteos dos c es, a positividade para LVC foi de 26,9%. Pelos exames sorológicos, 17,2% dos c es estavam positivos com um único parasita, 29% com dois, 33% com três, 16,1% com quatro e 1,1% com cinco parasitas. Além disso, 3,2% eram soronegativos para todos os cinco agentes parasitários. A presen a de anticorpos aos parasitos em amostras sorológicas confirmam a exposi o dos c es às doen as parasitárias nesse assentamento rural. Devido ao potencial risco zoonótico destas doen as, principalmente leishmaniose, erliquiose e toxoplasmose
Leishmaniose tegumentar americana causada por Leishmania (Viannia) braziliensis, em área de treinamento militar na Zona da Mata de Pernambuco
Andrade Maria S.,Brito Maria E. F.,Silva Salom?o Thomaz da,Lima Bruna S.
Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical , 2005,
Abstract: Este estudo tem como objetivo geral caracterizar a epidemiologia da leishmaniose tegumentar americana em unidade de treinamento militar, localizada no Estado de Pernambuco. Entre 2002 e 2003, vinte e três casos foram diagnosticados através de exame clínico, detec o do parasita e teste de intradermoarrea o de Montenegro. Sete amostras de Leishmania (Viannia) braziliensis foram isoladas destes pacientes, identificadas através de rea es com anticorpos monoclonais específicos e perfil eletroforético com isoenzimas. Um inquérito epidemiológico de prevalência da infec o por IDRM foi realizado na popula o que realizou treinamento neste período, no qual foi identificada uma prevalência de 25,3% de infec o. Os dados obtidos, associados com achados prévios nesta área, apresentam evidências da manuten o de um ciclo enzoótico, com a ocorrência de surtos periódicos de leishmaniose tegumentar americana posteriormente à realiza o de treinamentos nas áreas de floresta Atlantica remanescente.
Perfil de isotipos de imunoglobulinas e subclasses de IgG na leishmaniose tegumentar americana
Souza Maria Aparecida de,Silva Adriano Gomes da,Afonso-Cardoso Sandra Regina,Favoreto Junior Silvio
Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical , 2005,
Abstract: O presente trabalho avaliou o perfil de anticorpos em amostras de soro de 37 pacientes com diagnóstico clínico confirmado ou compatível com leishmaniose tegumentar americana atendidos no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlandia, MG. Os perfis das classes de imunoglobulinas e subclasses de IgG foram analisados pelo teste ELISA indireto, utilizando-se antígeno solúvel de Leishmania (Leishmania) amazonensis. A avidez dos anticorpos foi determinada pelo tratamento com uréia a 6 M, após incuba o dos soros com o antígeno. Observou-se que 97%, 94,6%, 57,5 e 21,5% das amostras testadas apresentaram anticorpos anti-Leishmania das classes IgE, IgG, IgA e IgM, respectivamente e, os perfis das subclasses de IgG demonstraram, IgG1>IgG3>IgG2>IgG4. Os anticorpos IgE anti-Leishmania de alta avidez corresponderam a 44,4%. Por outro lado, IgG e IgA anti-Leishmania foram em sua maioria (62,8 e 47,8%, respectivamente), de média avidez. A varia o do perfil de isotipos, bem como a avidez das imunoglobulinas refletiu a complexidade da resposta imune humoral contra a leishmaniose tegumentar americana.
Distribui o de anticorpos para herpesvírus bovino 1 em rebanhos bovinos  [cached]
Melo C.B.,Lobato Z.I.P.,Camargos M.F.,Souza G.N.
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia , 2002,
Abstract: A distribui o de anticorpos neutralizantes para o herpesvirus bovino 1 (HVB 1) foi estudada em quatro faixas etárias de bovinos, em 21 rebanhos de leite e de corte. Os resultados da sorologia foram analisados e relacionados com as respostas de questionários aplicados aos responsáveis pelos rebanhos. As taxas de freqüência de anticorpos neutralizantes para o HVB 1 foram comparadas segundo a aptid o e a faixa etária. Fatores como tipo de manejo e idade dos animais influenciaram na distribui o de anticorpos para o HVB 1.
Investiga o sorológica em c es de área endêmica de leishmaniose tegumentar, no Estado do Paraná, Sul do Brasil  [cached]
Silveira Thaís Gomes V.,Teodoro Ueslei,Lonardoni Maria Valdrinez C.,Toledo Max Jean Ornelas de
Cadernos de Saúde Pública , 1996,
Abstract: A crescente notifica o de leishmaniose tegumentar no Estado do Paraná requer a busca de explica es para o esclarecimento da epidemiologia desta doen a e dos meios para o seu controle. Realizou-se um inquérito sorológico para investigar leishmaniose tegumentar em c es de seis propriedades agrícolas da Companhia Melhoramentos Norte do Paraná, situadas nos municípios de Jussara e Terra Boa, no Noroeste do Estado do Paraná. Foram investigados 132 c es, dos quais 24 (18,2%) apresentaram títulos significativos de anticorpos através da técnica de Imunofluorescência Indireta (IFI). De seis c es apresentando les es foram feitas laminas de esfrega o por aposi o, as quais foram negativas para Leishmania sp. à microscopia direta.
Anticorpos Para o Vírus da Anemia das Galinhas (CAV) em Matrizes de Corte no Brasil
Brentano L,Silva BG,Sayd S,Flores SW
Revista Brasileira de Ciência Avícola , 2000,
Abstract: Apesar do diagnóstico da anemia infecciosa e mais evidências recentes de infec o em campo (Brentano & Ottati, 1999), n o havia até hoje dados disponíveis da prevalência do vírus da anemia das galinhas (CAV) no Brasil. Uma vez que o conhecimento da prevalência do vírus e da distribui o de anticorpos nos lotes de matrizes é essencial para o delineamento de estratégias de controle da doen a, realizamos um levantamento em 5 Estados com produ o comercial intensiva de linhas de corte, abrangendo lotes de aves com diferentes idades. De 2.355 soros testados por ELISA, 89% foram positivos, indicando a alta prevalência do CAV no Brasil, em todos os Estados testados. A análise do soro de aves das 6 até as 70 semanas de idade demonstrou que lotes de 6 a 18 semanas apresentam desuniformidade na imunidade ao CAV, caracterizada por títulos de anticorpos abaixo dos níveis considerados protetores e aves ainda negativas para o CAV. A desuniformidade nos títulos de anticorpos e a ausência dos mesmos s o evidentes ainda, mas em menor propor o também até as 24 semanas, enquanto que apenas partir das 25 semanas há 100% de soroconvers o, acompanhada de significativa redu o da desuniformidade no título de anticorpos das matrizes para menos de 2,5% das aves. Esses resultados fornecem evidência de uma progressiva dissemina o do vírus em matrizes de corte, mas com riscos da presen a de aves ainda susceptíveis à transmiss o vertical e inadequada transferência de imunidade passiva no início do período de postura, que podem culminar em surtos da doen a na progênie.
Prevalência de anticorpos antivírus da arterite dos eqüinos em cavalos criados no Estado de S o Paulo  [cached]
Lara M.C.C.S.H.,Fernandes W.R.,Timoney P.J.,Birgel E.H.
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia , 2002,
Abstract: Utilizou-se a prova de soroneutraliza o em microplacas para detec o de anticorpos antivírus da arterite dos eqüinos em 659 amostras de soro sangüíneo de animais criados no Estado de S o Paulo. A prevalência de anticorpos na popula o estudada foi igual a 18,2%. A ra a Mangalarga foi a que apresentou maior taxa de prevalência, 33,3%. Animais na faixa etária de 6 a 24 meses de idade apresentaram a maior taxa de prevalência, 30,4%, e as fêmeas apresentaram prevalência de 22, 9%, mais alta do que nos machos.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.