oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Exigências de treonina digestível para leitoas mantidas em ambiente termoneutro dos 30 aos 60 kg
Saraiva, Edilson Paes;Oliveira, Rita Flávia Miranda de;Donzele, Juarez Lopes;Ferreira, Aloízio Soares;Vaz, Roberta Gomes Mar?al Vieira;Oliveira, Will Pereira de;
Revista Brasileira de Zootecnia , 2007, DOI: 10.1590/S1516-35982007000800020
Abstract: this study was carried out to evaluate the requirement of digestible threonine in diets of gilts from 30 to 60 kg, maintained thermoneutral environment. seventy crossbreed gilts with an initial weight of de 30.0 ± 0.61 kg were used in a randomized blocks design, with five treatments (levels of digestible threonine), seven replicates and two animals per experimental unity. the treatments corresponded of the levels of 0.50; 0.53; 0.56; 0.60; and 0.63% of digestible threonine. no effect was observed of digestible threonine level on daily weight gain of animals. feed:gain ratio improved in a quadratic way with the digestible threonine level, and the linear response plateau model estimated in 0.52% the level of amino acid, from which the feed conversion did not change. daily feed intake was reduced with the increase of digestible threonine intake. fat deposition linearly reduced, while protein deposition did not change with the increase of digestible threonine. the absolute and relative weight of kidneys and the absolute of intestine increased in a quadratic way with the digestible threonine levels, however, the relative weight of intestine increased in a linear way. it was concluded that the calculated level of 0.52% of digestible threonine, corresponding to a daily intake of 9.18 g and a relation with the digestible lysine of 63% provided better feed:gain ratio for gilts maintained in a thermoneutral environment from 30 to 60 kg.
Exigências de treonina digestível para leitoas mantidas em ambiente termoneutro dos 15 aos 30 kg
Saraiva, Edilson Paes;Oliveira, Rita Flávia Miranda de;Donzele, Juarez Lopes;Silva, Francisco Carlos de Oliveira;Siqueira, Jefferson Costa de;Manno, Maria Cristina;Oliveira, Will Pereira de;Nunes, Christiane Garcia Vilela;
Revista Brasileira de Zootecnia , 2007, DOI: 10.1590/S1516-35982007000800019
Abstract: this study was carried out to evaluate the requirements of digestible threonine in diets of gilts from 15 to 30kg, maintained in thermoneutral environment. seventy crossbreed gilts with an initial weight of 15.1 ± 0.4 kg were used in a randomized blocks design, with five treatments (levels of digestible threonine), seven replicates and two animals per experimental unity. the treatments corresponded to the levels of 0.54, 0.58, 0.61, 0.65, e 0.698% of digestible threonine. digestible threonine levels in the diet increased the daily weight gain in a quadratic way up to the level of 0.61% and the feed:gain ratio up to the level of 0.62%. protein and fat deposition rates also increased in a quadratic way reaching maximum value up to the level of 0.61%. a linear effect of the treatments was evidenced on the absolute and relative weights of the intestine. the calculated level of 0.62% of digestible threonine corresponding to a relation with digestible lysine of 67% and a daily intake of 7.11 g, provided better performance of gilts maintained in a thermoneutral environment from 15 to 30 kg.
Níveis de proteína bruta para leitoas dos 30 aos 60 kg mantidas em ambiente de alta temperatura (31oC)  [cached]
Orlando Uislei Antonio Dias,Oliveira Rita Flávia Miranda de,Donzele Juarez Lopes,Lopes Darci Clementino
Revista Brasileira de Zootecnia , 2001,
Abstract: O experimento foi conduzido para avaliar níveis de proteína bruta (PB) para leitoas em crescimento, mantidas em ambiente de alta temperatura. A temperatura interna da sala foi mantida em 30,7 ± 0,61°C; a umidade relativa, em 66,4 ± 7,7%; e o índice de temperatura de globo e umidade (ITGU) foi calculado em 81,1 ± 1,36. Foram utilizadas 40 leitoas mesti as, com peso inicial médio de 29,7 ± 1,60 kg, em delineamento de blocos ao acaso com cinco tratamentos (16, 17, 18, 19 e 20% de PB), quatro repeti es e dois animais por unidade experimental. As ra es experimentais isoenergéticas (3400 kcal de ED/kg de ra o) foram formuladas para satisfazer as exigências dos animais, exceto em PB. Ra o e água foram fornecidas à vontade até o final do experimento, quando os animais atingiram peso médio de 60,0 ± 1,93 kg. Os tratamentos n o influenciaram o ganho de peso. Entretanto, a convers o alimentar melhorou de forma quadrática até o nível de 18,26%. Os consumos diários de proteína e lisina aumentaram linearmente em raz o do nível de PB da ra o, porém n o se observou efeito dos tratamentos sobre os consumos de ra o e de energia digestível diários. A taxa de deposi o diária de gordura (TDG) na carca a variou de forma quadrática, reduzindo até o nível de 19,48% de PB, enquanto a de proteína (TDP) aumentou de forma linear. Apesar dos efeitos quadrático e linear dos tratamentos sobre a TDG e a TDP, respectivamente, o modelo "Linear Response Plateau" (LRP) foi o que melhor se ajustou aos dados, estimando-se em 18,38 e 18,12% os níveis de PB, a partir dos quais a TDG e a TDP permaneceram em um plat . Leitoas em crescimento, mantidas em ambiente de alta temperatura, exigem 18,26% de PB na ra o para melhor desempenho e composi o de carca a.
Níveis de Proteína Bruta para Leitoas dos 30 aos 60 kg Mantidas em Ambiente de Conforto Térmico (21oC)  [cached]
Orlando Uislei Antonio Dias,Oliveira Rita Flávia Miranda de,Donzele Juarez Lopes,Ferreira Aloízio Soares
Revista Brasileira de Zootecnia , 2001,
Abstract: O experimento foi conduzido para avaliar níveis de proteína bruta (PB) para leitoas em crescimento, mantidas em conforto térmico. A temperatura interna da sala manteve-se durante o período experimental em 21,3 ± 0,53°C, a umidade relativa em 70,5 ± 5,11% e o índice de Temperatura de Globo e Umidade (ITGU) calculado no período em 68,7 ± 0,93. Foram utilizadas 40 leitoas mesti as, com peso inicial médio de 29,4 ± 1,42 kg, em delineamento de blocos ao acaso com cinco tratamentos (16, 17, 18, 19 e 20% de PB), quatro repeti es e dois animais por unidade experimental. As ra es experimentais foram isoenergéticas, com 3400 kcal de ED/kg de ra o, e formuladas para satisfazerem às exigências dos animais, exceto em PB. A ra o e a água foram fornecidas à vontade até o final do experimento, quando os animais atingiram peso médio de 60,6 ± 1,76 kg. O nível de PB da ra o influenciou o ganho de peso diário (GPD), que aumentou, e a convers o alimentar (CA), que melhorou linearmente. Apesar do efeito linear dos níveis de PB sobre o GPD e CA, o modelo "Linear Response Plat " (LRP) foi o que melhor se ajustou aos dados, estimando em 18,78 e 19,15%, os níveis de PB a partir do qual o GPD e a CA, permaneceram em um plat . Os consumos diários de proteína e lisina aumentaram linearmente em raz o do nível de PB da ra o, porém n o se observou efeito dos tratamentos sobre os consumos de ra o e de energia digestível diários. Concluiu-se que leitoas em crescimento, mantidas em ambiente de conforto térmico, exigem 19,15% de PB na ra o, correspondendo a um consumo de 343 e 19,08 g/dia de proteína e lisina total, respectivamente.
Níveis de Treonina em Ra es para Leitoas com Alto Potencial Genético para Deposi o de Carne Magra dos 30 aos 60 kg
Rodrigues Nair Elizabeth Barreto,Donzele Juarez Lopes,Oliveira Rita Flávia Miranda de,Lopes Darci Clementino
Revista Brasileira de Zootecnia , 2001,
Abstract: Este experimento foi conduzido para avaliar níveis de treonina total em ra es para leitoas dos 30 aos 60 kg. Quarenta fêmeas, com peso inicial médio de 29,2 ± 1,4 kg, foram utilizadas em delineamento experimental em blocos casualizados, com cinco tratamentos (0,60; 0,65; 0,70; 0,75; e 0,80% de treonina total), quatro repeti es e dois animais por unidade experimental. A ra o basal com 18% de proteína bruta e 0,928% de lisina total, atendeu as exigências das leitoas, de acordo com o NRC (1988), exceto de treonina. A ra o basal foi suplementada com L-treonina, resultando em ra es experimentais que proporcionaram rela es treonina digestível:lisina digestível calculadas de 62, 68, 74, 80 e 86%, respectivamente. Ao final do experimento, quando os animais atingiram peso médio de 59,98 ± 2,9 kg, foram coletadas amostras de sangue, para análise de uréia no soro sangüíneo, e um animal por unidade experimental foi abatido para avaliar a taxa de deposi o de proteína na carca a. Observou-se efeito dos níveis de treonina sobre o ganho de peso dos animais, que aumentou de forma linear. O consumo de ra o aumentou quadraticamente até o nível de 0,66% de treonina da ra o. Os tratamentos influenciaram a convers o alimentar (CA), que reduziu até o nível de 0,70%. A rela o estimada da treonina digestível:lisina digestível verdadeira, no nível que proporcionou os melhores resultados de convers o alimentar, correspondeu a 75%. N o foi observado efeito dos tratamentos sobre o teor de uréia no soro sangüíneo. Os níveis de treonina também influenciaram a taxa de deposi o de proteína na carca a, que aumentou de forma quadrática até o nível de 0,70%. Concluiu-se que leitoas com alto potencial genético dos 30 aos 60 kg exigem 0,70% de treonina total, correspondente a 0,62% de treonina digestível, e a uma rela o estimada treonina digestível:lisina digestível verdadeira de 75%.
Exigência de treonina para leitoas dos 15 aos 30 kg  [cached]
Pozza Paulo Cesar,Gomes Paulo Cezar,Donzele Juarez Lopes,Ferreira Aloísio Soares
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: Foram utilizadas 40 leitoas, com peso médio inicial de 15,47 kg, distribuídas em um delineamento de blocos casualizados, com cinco tratamentos (0,49; 0,54; 0,59; 0,64; e 0,69% de treonina), quatro repeti es e dois animais por unidade experimental, com o objetivo de estimar a exigência de treonina digestível para leitoas de 15 a 30 kg. As ra es experimentais foram formuladas à base de milho, sorgo, farelo de soja e glúten de milho, suplementadas com minerais, vitaminas e aminoácidos, tendo sido fornecidas à vontade aos animais. No final do experimento, quando os animais atingiram o peso médio de 33,36 kg, foram coletadas amostras de sangue para análise de uréia no soro sangüíneo. A determina o da exigência de treonina total foi realizada com base nos parametros de desempenho e teor de uréia no soro sangüíneo e estimada por meio dos modelos quadrático e, ou, descontínuo LRP. Na determina o da exigência de treonina digestível verdadeira, foi utilizado um coeficiente de digestibilidade ileal verdadeira da treonina da ra o basal de 84,6%, em que a treonina sintética foi considerada 100% digestível. Observou-se efeito quadrático dos níveis de treonina sobre o consumo de ra o, a convers o alimentar e o teor de uréia no soro sangüíneo. Entretanto, para o teor de uréia no soro sangüíneo, o modelo descontínuo LRP permitiu melhor ajustamento dos níveis de treonina em rela o aos resultados obtidos. A exigência de treonina total foi estimada em 0,60% e a de treonina digestível verdadeira, em 0,53%.
Níveis de lisina para leitoas selecionadas geneticamente para deposi o de carne magra, dos 30 aos 60 kg, mantendo constante a rela o entre lisina e metionina+cistina, treonina, triptofano, isoleucina e valina  [cached]
Fontes Dalton de Oliveira,Donzele Juarez Lopes,Oliveira Rita Flávia Miranda de,Conhalato Giane da Silva
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: Foram utilizadas 40 leitoas mesti as (Hampshire, Landrace Belga, Pietran) com peso inicial médio de 30,1±1,25 kg e alto potencial genético para deposi o de carne magra na carca a, para avaliar diferentes níveis de lisina. Foi usado delineamento de blocos ao acaso com quatro tratamentos, cinco repeti es e dois animais por unidade experimental. Os tratamentos corresponderam a uma ra o basal com 17,5% de proteína bruta, suplementada com quatro níveis de L-lisina HCl, resultando em ra es com 1,00; 1,10; 1,20; e 1,30% de lisina. As ra es foram suplementadas com níveis crescentes de treonina, metionina, isoleucina, valina e triptofano, resultando em ra es nas quais a rela o entre estes aminoácidos e a lisina se manteve constante em 67, 62, 60, 68 e 19%, respectivamente, com base na digestibilidade verdadeira. N o se observou efeito dos tratamentos sobre consumo de ra o, ganho de peso diário e concentra o de uréia no soro sangüíneo dos animais, entretanto, os animais pareceram ter atingido o potencial genético máximo para ganho de peso no nível de lisina de 1,10% (0,329%/Mcal de ED), correspondente a um consumo de lisina de 22 g/dia. Observou-se efeito linear sobre o consumo de lisina diário, que aumentou, e a convers o alimentar, que reduziu com o aumento do nível de lisina da ra o. O nível de 1,30% (0,389%/Mcal de ED) ou 1,19% (0,356%/Mcal de ED), correspondente a um consumo de lisina total e digestível, respectivamente, de 24 e 22,1 g/dia, proporcionou os melhores resultados de convers o alimentar de leitoas dos 30 aos 60 kg, quando se utilizou o conceito de proteína ideal na formula o das ra es experimentais.
Níveis de Treonina em Ra es para Leit es dos 6 aos 15 kg  [cached]
Rodrigues Nair Elizabeth Barreto,Donzele Juarez Lopes,Oliveira Rita Flávia Miranda de,Ferreira Aloísio Soares
Revista Brasileira de Zootecnia , 2001,
Abstract: Foram utilizados 75 suínos com peso inicial médio de 5,8 ± 0,4 kg, com o objetivo de avaliar níveis de treonina em ra es para leit es com alto potencial genético para deposi o de carne magra dos 6 aos 15 kg. Foi usado o delineamento experimental de blocos ao acaso com cinco tratamentos (níveis de treonina), cinco repeti es e três animais por unidade experimental. Os tratamentos corresponderam a uma ra o basal com 18% PB e 1,108% lisina total, suplementada com cinco níveis de L-treonina, resultando em dietas com níveis de 0,682; 0,732; 0,782; 0,832; e 0,883% de treonina total. Observou-se varia o quadrática para ganho de peso diário (GDP), que aumentou até o nível de 0,77%, e para consumo de ra o (CR), que aumentou até o nível estimado de 0,73%. Os níveis de treonina também influenciaram de forma quadrática a convers o alimentar (CA), que melhorou até o nível de 0,82%. A rela o da lisina digestível verdadeira:treonina digestível verdadeira, no nível que proporcionou os melhores resultados de CA, correspondeu a 100:73. Concluiu-se que leit es com alto potencial genético para carne magra dos 6 aos 15 kg exigem 0,77% de treonina total na ra o para máximo ganho de peso e 0,82% para melhor convers o alimentar.
Níveis de proteína bruta e suplementa??o de aminoácidos em dietas para leitoas mantidas em ambiente de alta temperatura dos 60 aos 100 kg
Orlando, Uislei Antonio Dias;Oliveira, Rita Flávia Miranda de;Donzele, Juarez Lopes;Ferreira, Rony Antonio;Vaz, Roberta Gomes Mar?al Vieira;
Revista Brasileira de Zootecnia , 2007, DOI: 10.1590/S1516-35982007000500012
Abstract: this experiment was conduced to determine the level of cp with amino acid supplementation in diets to gilts under high environmental temperature in finishing phase. thirty-five crossbreed gilts (landrace x large white) with an average initial weight of 60.3 kg were allotted in a randomized experimental design with five diets (17.3, 16, 14.7, 13.4, and 12.1% cp) seven replications and one animal by experimental unity. the experimental diets were supplied ad libitum until the end of the experiment when the animals reached the average weight of 100.3 kg. the average temperature inside the room was kept in 30.6oc and the relative humidity in 71%. the black globe humidity index calculated in the period was 81. not effect was observed for the reduction of cp level of the diet on the studied performance characteristics (feed intake, weight gain and feed gain ratio). the carcass characteristics (carcass length; loin eye area; backfat thickness and yield of carcass, lean meat, fat and ham) also were not influenced by the cp reduction in the diets. the cp levels and supplementation of amino acids in the dieta influenced the relative and absolute weight of intestine. smaller values were observed in animals fed diet with smaller level of cp (12.1%). the reduction of cp level in the diet from 17.3 to 12.1% did not harms the performance of gilts maintained in a high environmental temperature from 60 to 100 kg since the diets are properly supplemented with limiting essential amino acids.
Níveis de proteína bruta e suplementa??o de aminoácidos em ra??es para leitoas dos 30 aos 60 kg mantidas em ambiente de alta temperatura
Orlando, Uislei Antonio Dias;Oliveira, Rita Flávia Miranda de;Donzele, Juarez Lopes;Silva, Francisco Carlos de Oliveira;Generoso, Rafaela Antonia Ramos;Siqueira, Jefferson Costa de;
Revista Brasileira de Zootecnia , 2007, DOI: 10.1590/S1516-35982007000700016
Abstract: an experiment was conduced to evaluate crude protein (cp) levels and amino acid supplementation for gilts from 30 to 60 kg maintained in a high environmental temperature (air temperature of 30oc; relative humidity of 66.1% and bghi of 79.7). fifty crossbreed gilts (landrace x large white) with an average initial weight of 30.2 kg were allotted to a randomized experimental design with five treatments and five replications and two animals per experimental unity. the treatment consisted of five levels o cp (19, 18, 17, 16, and 15%) in the ration and of the supplementation with lysine, methionine, tryptophan, threonine and valine to maintain the same protein quality of the ration. the experimental diets were given ad libitum until the end of the experiment when the animals reached the average weight of 60.1 kg. no effect of dietary level of crude protein was observed on pig performance (feed intake, weight gain and feed:gain ratio). neither carcass protein deposition was influenced by reduction of dietary of dietary level of cp. animals fed 18% cp showed the best carcass protein deposition. the protein levels did not influence the absolute and relative weights of the pig organs. dietary cp level can be reduced by 4% (from 19 to 15% of cp) without any effect on performance of gilts from 30 to 60 kg maintained in a high environmental temperature since that the rations be adequately supplemented with all essential limiting amino acids.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.