oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Repetibilidade de características forrageiras do capim-elefante  [cached]
Shimoya Aldo,Pereira Ant?nio Vander,Ferreira Reinaldo de Paula,Cruz Cosme Dami?o
Scientia Agricola , 2002,
Abstract: O coeficiente de repetibilidade é amplamente usado pelos geneticistas como medida do limite superior da herdabilidade e da eficiência da predi o do valor genotípico a partir de sucessivas medi es no indivíduo. Pelo seu conhecimento pode-se avaliar se o número de avalia es realizadas é suficiente para se inferir sobre a superioridade genotípica com determinado grau de certeza. Estimou-se o coeficiente de repetibilidade das características forrageiras proteína bruta do colmo e da folha, em 77 acessos do Banco Ativo de Germoplasma de Capim-Elefante da Embrapa. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso com duas repeti es. Os cortes foram realizados aos 30, 45, 60 e 75 dias de idade, em 15 perfilhos, tomados ao acaso dentro de cada parcela. Foi realizada análise de variancia dos dados obtidos para cada característica, como também estimados os parametros genéticos e ambientais. Os coeficientes de repetibilidade foram estimados através dos métodos: análise de variancia, componentes principais - matriz de correla o, componentes principais - matriz de covariancia e análise estrutural - matriz de correla o. Constatou-se variabilidade genética entre os genótipos para as características avaliadas, possibilitando a identifica o de materiais genéticos superiores que podem ser utilizados em programas de melhoramento. Os coeficientes de repetibilidade estimados n o apresentaram diferen as discrepantes com rela o às características estudadas. Os quatro cortes foram suficientes para obter um coeficiente de determina o de 0,80, para todos os métodos. O acréscimo de três cortes, totalizando sete, torna possível obter predi es com uma confiabilidade em torno de 0,90 para as características estudadas, utilizando-se qualquer dos métodos.
Qualidade da silagem de capim-elefante (Pennisetum purpureum Schum.) emurchecido ou acrescido de farelo de mandioca  [cached]
Ferrari Júnior Evaldo,Lavezzo Wagner
Revista Brasileira de Zootecnia , 2001,
Abstract: Realizou-se um experimento para avaliar a silagem de capim-elefante cv. Taiwan A-146, submetida a seis tratamentos e quatro repeti es: A - capim-elefante emurchecido ao sol por 8 horas; B - capim-elefante sem emurchecimento; C - capim-elefante (98%) mais farelo de mandioca (2%); D - capim-elefante (96%) mais farelo de mandioca (4%); E - capim-elefante (92%) mais farelo de mandioca (8%) e F - capim-elefante (88%) mais farelo de mandioca (12%). A adi o de 12% de farelo de mandioca mostrou-se mais eficiente que o emurchecimento em aumentar o teor de matéria seca da silagem. A adi o de farelo de mandioca promoveu decréscimo no teor de proteína bruta, matéria organica, fibra em detergente neutro e hemicelulose de forma linear, porém aumentou os teores de extrativo n o nitrogenado, matéria mineral e carboidratos solúveis das silagens. Os teores de ácido lático mostraram-se baixos, indicando que o farelo de mandioca n o foi utilizado de forma eficiente pelos lactobacilos. N o foram observadas diferen as significativas entre as porcentagens dos ácidos acético, propi nico, butírico e lático nas silagens. O emurchecimento e a adi o de farelo de mandioca podem ser utilizados como alternativas para aumentar o teor de matéria seca da silagem.
Variabilidade e herdabilidade de caracteres qualitativos relacionados à qualidade de forragem de clones de capim-elefante na Zona da Mata de Pernambuco
Silva, Ant?nio Luiz Cordeiro da;Santos, Mércia Virginia Ferreira dos;Ferreira, Rinaldo Luiz Caraciolo;Dubeux Júnior, José Carlos Batista;Lira, Mario de Andrade;Cunha, Márcio Vieira da;Pereira, Antonio Vander;Araújo, Gherman Garcia Leal de;
Revista Brasileira de Zootecnia , 2011, DOI: 10.1590/S1516-35982011000100006
Abstract: the objective of this research was to evaluate variability and heritability of quantitative traits related to forage quality of 32 clones of elephant grass (three local controls, from zona da mata de pernambuco, and the remaining from renace/cnpgl). a complete randomized design was used with additional controls and analyses of variance was applied by using the procedure of families with controls between rows. evaluation was performed during the dry period, at 60 days of growth. it was observed significant differences among clones for the traits acid detergent of leaf blade and stem organic matter, with means of 34.05 and 78.83%, respectively. in general, heritability of qualitative traits was low, including null values for crude protein and neutral detergent fiber of leaf blade and in vitro digestibility of dry matter of leaf blade and stem. chemical composition and digestibility of evaluated clones were similar. there are few possibilities of gain in selection for qualitative traits considering the low variability and heritability of the studied characters.
Fontes de amido e proteína para vacas leiteiras em dietas à base de capim elefante  [cached]
Lima Laísse Garcia de,Nussio Luiz Gustavo,Gon?alves José Renato Silva,Simas José Manuel Correia de
Scientia Agricola , 2002,
Abstract: A correta associa o de fontes concentradas de energia e/ou proteína ao volumoso da ra o de bovinos, poderá maximizar o desempenho dos animais, como efeito da complementariedade das taxas de degrada o de nutrientes. Avaliou-se o efeito de diferentes formas de processamento de milho, níveis de inclus o na dieta e fontes de proteína sobre a digestibilidade dos nutrientes na dieta, parametros de fermenta o ruminal, bem como o desempenho de vacas leiteiras. Foram utilizadas cinco vacas da ra a holandesa em lacta o, distribuídas ao acaso em um delineamento experimental do tipo quadrado latino 5 x 5. Os tratamentos utilizados foram: silagem de milho, farelo de soja e milho moído (quirera fino) em nível alto; capim elefante, farelo de soja, milho moído em nível alto; capim elefante, farelo de soja, milho moído em nível baixo; capim elefante, farelo de soja, milho floculado (360 g L-1) em nível alto; capim elefante, farinha de peixe, milho floculado em nível alto. A dieta contendo capim elefante, milho floculado e farelo de soja em alto nível foi a que mais se aproximou da dieta de silagem de milho nos diversos parametros avaliados. A fonte de proteína n o degradável no rúmen (PNDR) n o apresentou vantagens em rela o à fonte convencional de proteína. O fornecimento de baixo nível de concentrado n o supriu as deficiências energéticas do capim elefante. A maior eficiência de produ o de vacas leiteiras que receberam ra es com base em capim elefante simulando pastejo foi observada quando a energia estava disponível no rúmen, seja através do processamento, ou seja da maior inclus o de concentrado na dieta.
Potencial forrageiro de novos clones de capim-elefante  [cached]
Botrel Milton de Andrade,Pereira Ant?nio Vander,Freitas Vicente de Paula,Xavier Deise Ferreira
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar o comportamento de novos clones selecionados de capim-elefante. O experimento foi realizado na Embrapa Gado de Leite, em Coronel Pacheco -- MG, por um período de dois anos. Foi avaliado o potencial forrageiro de 20 clones de capim-elefante, obtidos pelo programa de melhoramento, e mais duas cultivares tradicionais (Cameroon e Taiwan A-146) usadas como testemunhas. O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso com quatro repeti es. As aduba es para estabelecimento e manuten o foram realizadas de acordo com a análise do solo, visando suprir as exigências nutricionais do capim-elefante. Observaram-se diferen as significativas entre os clones, quanto ao potencial para produ o de forragem, à rela o folha/colmo e ao perfilhamento aéreo e basal. A maioria dos clones avaliados apresentou maior produ o de matéria seca que as cultivares tradicionais, Cameroon e Taiwan A-146, durante o período seco e chuvoso. N o houve diferen a significativa no teor de proteína bruta da matéria seca das cultivares controles (Cameroon e Taiwan A-146) e dos clones avaliados, em ambas as esta es (águas e seca). O clone F 27-01, lan ado pela Embrapa Gado de Leite com o nome de cultivar Pioneiro, destacou-se para quase todas as características agron micas estudadas.
Efeito da mistura da planta de girassol (Helianthus annuus L.), durante a ensilagem do capim-elefante (Pennisetum purpureum Schum.) no valor nutritivo da silagem  [cached]
Rezende Adauton Vilela,Evangelista Ant?nio Ricardo,Barcelos Adauto Ferreira,Siqueira Gustavo Rezende
Revista Brasileira de Zootecnia , 2002,
Abstract: O girassol foi misturado ao capim-elefante (Pennisetum purpureum Schum) na ensilagem. A colheita do capim-elefante foi realizada manualmente após 70 dias do corte de uniformiza o, à altura de 10 cm da superfície do solo. Para confec o da silagem, foram utilizados os híbridos de girassol M-742 e M-92007. As misturas capim-elefante e girassol foram feitas nas seguintes propor es de matéria verde: 100 e 0%, 75 e 25%; 50 e 50%; 25 e 75%; 0 e 100% de capim e girassol, respectivamente. As plantas foram picadas mecanicamente em partículas de 2,0 a 3,0 cm de tamanho, ensiladas por 30 dias, em silos de "PVC" de dez centímetros de diametro e quarenta centímetros de altura. Foram avaliadas as porcentagens de matéria seca (MS), proteína bruta (PB), extrato etéreo (EE), fibra em detergente neutro (FDN), digestibilidade in vitro da matéria seca (DIVMS) e valores de pH das silagens. O delineamento experimental empregado foi o inteiramente casualizado, com quatro repeti es. Concluiu-se que as silagens de capim-elefante com mistura da planta de girassol apresentaram maiores porcentagens de MS, PB, EE e valores de pH, aumentos na DIVMS e menor porcentagem de FDN na matéria seca com o aumento dos níveis de substitui o.
Efeito do manejo pós-plantio no estabelecimento de pastagem de capim-elefante  [cached]
Xavier Deise Ferreira,Carvalho Margarida Mesquita,Botrel Milton Andrade,Freitas Vicente de Paula
Revista Brasileira de Zootecnia , 2001,
Abstract: O bom estabelecimento é um dos fatores que garantem índices satisfatórios de produtividade em pastagens de capim-elefante. No entanto, deve-se considerar que, além da ado o das práticas agron micas recomendadas no plantio dessa gramínea, é importante adotar manejos pós-plantio adequados, que n o interfiram negativamente na produtividade e na persistência da pastagem. Com o objetivo de se obter boa densidade inicial da pastagem de capim-elefante, foram estudados os seguintes tratamentos de manejos pós-plantio: pastejo com três meses de idade seguido de corte com alturas de resíduo de 20 (P20-3), 40 (P40-3) e 80 cm do solo (P80-3); corte com três meses de idade, com altura de corte de 20 cm do solo (C20-3); corte com quatro meses de idade, a uma altura do solo de 20 cm (C20-4). O experimento foi conduzido no campo experimental da Embrapa Gado de Leite, localizado em Coronel Pacheco, MG, em Latossolo Vermelho-Amarelo. O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso, com quatro repeti es, com parcelas de 8 x 10 m. A disponibilidade de forragem, o número de touceiras/ha e a cobertura do solo n o apresentaram diferen as significativas entre os tratamentos estudados. O corte realizado a 20 cm do solo aos três meses de idade n o proporcionou aumento na densidade de touceiras e no rendimento do capim-elefante. A forma o de perfilhos basais também n o foi afetada pelos tratamentos. Concluiu-se que o capim-elefante pode ser pastejado três meses após o plantio, sem afetar seu rendimento futuro.
Degradabilidade do capim-elefante em diferentes estágios de maturidade avaliada pelo método in vitro/gás  [cached]
Campos Fábio Prudêncio de,Lanna Dante Pazzanese Duarte,Bose Max Lázaro Vieira,Boin Celso
Scientia Agricola , 2002,
Abstract: O capim-elefante (Pennisetum purpureum Schum.) é uma gramínea tropical de elevada capacidade de acumula o de matéria seca, mas seu valor nutritivo é acentuadamente influenciado pela maturidade. Considerando a natureza intrínseca da parede celular nas diferentes partes da planta, o conhecimento de suas taxas e extens es de degrada o permite a determina o de qual componente e qual estágio de maturidade que afeta sua digest o. Portanto, o objetivo deste trabalho foi avaliar a degradabilidade da matéria seca (MS) do capim-elefante cv. Napier, pelo método in vitro/gás, com cortes de 45 a 105 dias a intervalos de 10 dias entre os cortes. Notou-se decréscimo na degradabilidade das fra es do capim-elefante com o avan o do estágio de maturidade. Os coeficientes de regress o da degradabilidade da MS estimados pelo resíduo remanescente da digest o para folhas e hastes foram 0,51 e 0,89, respectivamente. Para degradabilidade da fibra em detergente neutro (FDN) os coeficientes de regress o para folhas e hastes foram 0,82 e 0,92, respectivamente. Na produ o total de gás os coeficientes de regress o para folhas foi de 0,56 e 0,90 para hastes. Em geral, a haste do capim-elefante, com o avan o da maturidade vegetativa, apresentou maior influência no decréscimo da degradabilidade da MS e da FDN que as folhas. O avan o no estágio de maturidade do capim-elefante afeta diretamente a degradabilidade das hastes e das folhas. Isto é mais acentuado para hastes devido a elevada lignifica o da parede celular.
Métodos para estimar a forragem consumível em pastagem de capim-elefante  [cached]
Cóser Ant?nio Carlos,Martins Carlos Eugênio,Deresz Fermino,Freitas Ary Ferreira de
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2003,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficiência e a confiabilidade de métodos para estimar a forragem consumível em pastagem de capim-elefante (Pennisetum purpureum Schumach.). Foram usados o método do rendimento visual comparativo (MRVC) e o método do pastejo simulado (PSIM). Foram realizadas amostragens em 20 de mar o e 5 de abril de 2001, com um e quatro observadores para PSIM e MRVC, respectivamente. As estimativas obtidas foram analisadas por meio de regress o linear da produ o de matéria seca em raz o dos padr es estimados e as médias comparadas pelo teste F, a 1% de probabilidade. N o houve diferen a entre os métodos. Tanto o MRVC como o PSIM podem ser recomendados para estimar a forragem potencialmente consumível em pastagem de capim-elefante. O treinamento dos avaliadores torna-se decisivo, especialmente quando o MRVC estiver sendo utilizado.
Massas de laminas foliares nas características produtivas e qualitativas da pastagem de capim-elefante "Pennisetum purpureum, Schum" (cv. "Taiwan") e desempenho animal  [cached]
Míssio Regis Luis,Brondani Ivan Luiz,Menezes Luís Fernando Glasenapp de,Arboitte Miguelangelo Ziegler
Ciência Rural , 2006,
Abstract: O experimento foi conduzido no Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Santa Maria, para avaliar produtiva e qualitativamente a pastagem de capim elefante e o desempenho animal sob pastejo. A área experimental foi composta de oito piquetes de 0,443ha cada de capim-elefante (Pennisetun purpureum, Schum. cv. "Tawian"), onde pastejaram 36 novilhos das ra as Charolês, Nelore e suas cruzas, com três animais "testers" por piquete, em duas repeti es. Foram estudadas as variáveis relacionadas à produtividade e à qualidade da pastagem e ao desempenho animal. As massas reais de laminas foliares (MLF) de capim-elefante foram: 1.167; 1.543; 1.926 e 2.248kg MS LF/ha, o que constitui os tratamentos. A carga animal suportada pela pastagem, pode ser descrita pela equa o y=2.243,14 - 0,32MLF (R2=0,4). O peso vivo final em kg apresentou resposta quadrática (PF=103,41 + 0,114x - 0,00003x2, R2=0,5) com o acréscimo da MLF. O ganho de peso diário médio apresentou comportamento linear positivo (GMD = 0,25 + 0,0002MLF, R2=0,2). O aumento na massa de laminas foliares de capim-elefante acarreta diminui o na carga animal suportada pela pastagem e aumenta o ganho de peso médio diário.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.