oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Valor prognóstico do grau de diferencia??o celular, da presen?a de muco e do padr?o de crescimento da margem invasiva em adenocarcinomas colorretais Dukes B
Henrique-Filho, Clodoaldo;Bromberg, Sansom Henrique;Barreto, Elci;Godoy, Ant?nio Claudio de;Mattosinho-Fran?a, Luís Celso;
Arquivos de Gastroenterologia , 2004, DOI: 10.1590/S0004-28032004000300009
Abstract: background: the unfavorable evolution of approximately 1/3 of the patients with colorectal cancer, classified in the dukes b stage, shows to be desirable the addition of another approaches morphologic prognostics. the reports of the literature about prognostic significance of cellular differentiation, mucus? presence and the pattern of growth of the invasive margin in colorectal cancer were controversial. aims: to evaluate the prognostic significance of tumor differentiation, mucus? presence and the growth pattern of the invasive margin in patients with colorectal carcinomas classified in dukes b stage. materials and method: a retrospective study of 156 patients who had undergone curative resection for colorectal cancer was made at the department of gastroenterology surgery of the "hospital do servidor público estadual", in s?o paulo, sp, brazil. their mean age was 58 (range 28-83) years and consisted of 94 (60.26%) women and 62 (39.74%) men. the cellular differentiation was classified in two degrees: low and high malignancy degree, in agreement with the area of predominant differentiation of the tumor. tumors with at least 60% of its volume in mucus were called mucinous carcinoma. the growth of the invasive margin was classified as expanding when the tumor showed a well-delineated and circumscribed border pushing the adjacent structures and infiltrating when the tumor advances by a process of seemingly effortless dissection between the normal structures of the bowel wall. results: there were predominance of tumors of low malignancy (139 (89.10%)), non-mucinous (142 (91.03%)) and with margin of the infiltrating type (123 (78.85%)). only the growth of the invasive margin influenced the survival of 5 years. patients with tumor exhibiting margin of the expanding type, presented a favorable outcome than those with margin of the infiltrating type - 81.82% x 60.98%. conclusion: the type of growth of the invasive tumor margin may help to identify the prognosis of low and h
O Grau Topológico de Brouwer: Teoria e Aplica es  [cached]
Jarne D Ribeiro,Evandro Monteiro
Sigmae , 2012,
Abstract: O objetivo deste trabalho é compreender alguns dos conteúdos clássicos da Análise Funcional o Grau Topológico e aplicar a teoria às equa es diferenciais para estudar problemas de existência de solu es e unicidade.
Aspectos Moleculares da Determina o e Diferencia o Sexual
Domenice Sorahia,Costa Elaine M.F.,Corrêa Rafaela V.,Mendon?a Berenice B.
Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia , 2002,
Abstract: Embora muitos eventos que participam do processo de desenvolvimento sexual normal n o estejam elucidados, está estabelecido que a determina o do sexo gonadal é a responsável pela diferencia o sexual durante a vida fetal. Deste processo participam vários genes que interagem entre si, como SRY e DAX1, localizados nos cromossomos sexuais e os autoss micos WT-1, SF-1 e SOX9. Sua a o na determina o gonadal ainda n o está esclarecida, mas muta es identificadas nestes genes resultaram na ausência da forma o gonadal ou na presen a de g nadas disgenéticas. A diferencia o da genitália interna masculina incluindo a descida testicular, requer secre o e a o local normal da testosterona nos ductos de Wolf e do horm nio anti mülleriano (HAM) nos ductos de Müller, impedindo sua diferencia o. Os genes Insl3 e HOX participam da descida intra-abdominal dos testículos na espécie humana, e a descida inguino-escrotal é controlada pelos andrógenos, sendo os principais genes envolvidos nessa fase da embriogênese o do receptor de andrógenos, o do HAM e o do seu receptor. Muta es em um desses genes resultam em ambigüidade e/ou subdesenvolvimento da genitália interna masculina. No sexo feminino, os genes da família Wnt (Wnt-7a e Wnt-4) parecem ter um papel no desenvolvimento dos ductos Müllerianos e na supress o da diferencia o das células de Leydig no ovário. A ambigüidade genital pode resultar da deficiência da produ o de testosterona pelas células de Leydig, de distúrbios no receptor androgênico ou de defeito na metaboliza o da testosterona pela 5alfa-redutase 2. Est o envolvidos nesta fase da diferencia o os seguintes genes: do receptor do LH/hCG, do CYP11A1, do P450scc, do CYP17, do HSD3B2 e do HSD17B3 que codificam as respectivas enzimas envolvidas na síntese de testosterona, além do gene do receptor androgênico e do gene SRD5A2. Avan os na compreens o dos mecanismos envolvidos nos processos da determina o e diferencia o sexual foram possíveis com os novos conhecimentos de biologia molecular. Diversas etapas deste processo ser o ainda esclarecidas com a identifica o de novos genes, que também participam deste complexo mecanismo de intera es gênicas.
Correla o entre grau de convers o, microdureza e conteúdo inorganico em compósitos
Neves Alisson Discacciati,Discacciati José Augusto César,Oréfice Rodrigo Lambert,Jansen Wellington Corrêa
Pesquisa Odontológica Brasileira , 2002,
Abstract: Este estudo teve como objetivo avaliar a correla o entre grau de convers o e microdureza em resinas compostas, e o efeito do conteúdo de partículas e do tipo de unidade fotoativadora sobre esses parametros. Três resinas compostas (Artglass , Solidex e Zeta LC ) foram polimerizadas em três diferentes unidades laboratoriais (UniXS , Solidilite e unidade Experimental). Para cada material, quinze corpos-de-prova foram confeccionados em uma matriz metálica, e submetidos às análises do grau de convers o, através de espectroscopia de infravermelho, e da microdureza. O conteúdo de partículas inorganicas foi determinado por análise termogravimétrica (TGA). O comportamento conjunto das variáveis - grau de convers o e microdureza - foi medido através do coeficiente de correla o de Pearson. Para a resina Artglass , o grau de convers o variou de 37,5% a 79,2%, com valores de microdureza de 32,4 a 50,3 (r = 0,904). Para a resina Solidex , o grau de convers o variou de 41,2% a 60,4%, com valores de microdureza de 33,3 a 44,1 (r = 0,707). Para a resina Zeta LC , os valores de convers o e microdureza foram, respectivamente, de 62,0% a 78,0% e de 22,6 a 33,6 (r = 0,710). Concluiu-se que o uso das diferentes unidades resultou em varia es dos valores de convers o em fun o das características específicas de cada unidade. Para cada material, uma forte correla o entre convers o e microdureza foi observada. Além disso, quando materiais diferentes foram comparados, observou-se que o conteúdo de partículas inorganicas afetou diretamente os valores de microdureza, n o interferindo no grau de convers o.
O princípio da adjacência e o grau de integra o entre verbo e objeto  [cached]
ABRA?ADO Jussara
DELTA: Documenta??o de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada , 2001,
Abstract: Em diversos estudos funcionalistas, a estreita liga o, comprovada translingüisticamente, entre verbo e objeto é considerada um reflexo de um princípio natural (ic nico): o princípio da adjacência. Este estudo se prop e a discutir a propagada rela o entre o princípio da adjacência e o grau de integra o entre verbo e objeto, buscando demostrar que: (a) existem alguns problemas importantes relacionados tanto à defini o quanto à valida o do princípio em pauta; (b) a liga o acentuada entre verbo e objeto pode ser explicada em termos pragmático-discursivos, nos quais aspectos ligados à veicula o de informa o (informa o nova vs. informa o velha) desempenham um importante papel.
Grau de umidade e temperatura na conserva o de sementes de café  [cached]
GENTIL DANIEL FELIPE DE OLIVEIRA,SILVA WALTER RODRIGUES DA,MIRANDA DENISE MEZA DE
Bragantia , 2001,
Abstract: O presente trabalho foi realizado com o objetivo de verificar as influências do grau de umidade e da temperatura de armazenamento na manuten o da qualidade de sementes de Coffea arabica L. Sementes com 51%, 41%, 34%, 23%, 16% e 10% de água, acondicionadas em sacos de polietileno e mantidas sob temperaturas de 30 °C, 20 °C e 10 °C, durante 48 semanas de armazenamento, foram submetidas a avalia es periódicas do grau de umidade, da germina o, do vigor e da sanidade. Foi constatado que as redu es do grau de umidade até 10% e da temperatura até 10 °C s o favoráveis à manuten o da qualidade fisiológica das sementes, e que umidade próxima a 23% favorece o estabelecimento de Penicillium sp. e de Aspergillus sp. nas sementes.
A Educa o Física no Terceiro Grau: contexto atual e perspectivas  [cached]
Heber Eustáquio de Paula,Eliane Lopes Faria
Pensar a Prática , 2006, DOI: 19806183/rpp.v1i0.15
Abstract: O presente artigo versa sobre a quest o da Educa o Física no terceiro grau em face da Lei de Diretrizes e Bases da Educa o Nacional, discutindo a sua inser o na Universidade, seus desdobramentos em diferentes contextos institucionais e apresentando algumas reflex es e perspectivas. PALAVRAS-CHAVE: Educa o física no terceiro grau. This paper presents ideas related to the physical education at university, its inclusion in tbc context of the new Law, presenting some considerations and perspectives. KEY-WORDS: Physical education at university
Estudo da express?o da proteína caderina-E correlacionada com o grau de diferencia??o celular e o estadiamento TNM do adenocarcinoma colorretal
Denadai, Marcos Vinicius Araujo;Melani, Armando Geraldo Franchini;Véo, Carlos Augusto;Silva, Sandra Regina Morini da;
Revista Brasileira de Coloproctologia , 2006, DOI: 10.1590/S0101-98802006000300011
Abstract: objective: to evaluate the relationship of a protein that take part in the same mechanism of cell adhesion with the cell differentiation degree and tnm staging i and iv in cra. methods: one-hundred patients (54 men and 46 women), who have received treatment for cra, stage i - 44 patients and stage iv - 56 patients, have been studied. histological cuts of tumor tissue were examined by the immunohistochemical technique as to the expression of e-cadherin proteins. such histological cuts were classified as positive or negative through the semi-quantitative method. results: for tnm, the e-cadherin expression for stage i: positive in 72.7% and negative in 35.7%; stage iv: positive in 64.3% and negative in 35.7%. regarding the cell differentiation degree, the expression of e-cadherin, gi: positive in 70% and negative in 30%; gii: positive in 68.4% and negative in 31.6%; giii: positive in 63.6% and negative in 36.4%. there was no significant difference among the groups. conclusion: the results of this research come to the conclusion that there is no relationship between the expression of e-cadherin protein with tnm staging (i and iv) and cell differentiation degree in cra.
A DIFERENCIA O NO PROCESSO DE POSICIONAMENTO DE MARKETING E O SETOR DE TURISMO
Maria Aparecida Gouvêa,Fanny Mori Ni?o
Gest?o & Regionalidade , 2010,
Abstract: A abordagem da diferencia o para a defini o de um posicionamento estratégico de marketing foi tratada neste estudo com enfoque no setor turístico. O presente trabalho foi realizado com o objetivo de investigar os diferenciais empregados no processo de posicionamento de marketing de agências de viagem da cidade de S o Paulo, como forma de alcance de vantagem competitiva em rela o à concorrência. Por meio de uma pesquisa exploratória com abordagem de múltiplos casos, foram feitas entrevistas em cinco agências de viagem com características diferenciadas por porte e tempo de atividade no mercado. Foram entrevistados executivos responsáveis pelas atividades de marketing devido à sua vis o estratégica da atua o da agênciade viagem. Cada empresa descreveu os procedimentos habitualmente adotados e fez uma compara o de sua postura com a supostamente adotada pela concorrência, procurando destacar alguns aspectos em quejulgou apresentar um diferencial competitivo. O tratamento dos dados foi de caráter qualitativo, por meio de uma análise de conteúdo. Em fun o dos diferenciais declarados, foi possível identificar a imagem que, atualmente, tais empresas consideram ter perante o mercado efetivo e/ou potencial, como também a imagem que pretendem ter futuramente. Foi apresentada uma vis o geral dos procedimentos adotados no processo de posicionamento e o papel estratégico da diferencia o neste contexto.
Grau de aderência após ressec o parcial e reconstitui o do ovário  [cached]
Oliveira Marco Aurelio Pinho de,Gon?alves Manuel Domingos da Cruz,Jamel Nelson,Alves Célio Pacheco
Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia , 2001,
Abstract: Objetivo: comparar o grau de aderências no ovário de acordo com diferentes tipos de fechamento do córtex ovariano. Métodos: quinze coelhos foram distribuídos aleatoriamente em três grupos, de acordo com o tipo de fechamento do córtex ovariano, sendo utilizados a diatermia bipolar, a poliglactina 910 5-0 e o categute simples 5-0. Após 2 semanas os animais foram sacrificados e o grau de aderências do ovário direito foi avaliado segundo a classifica o de Diamond. O ovário esquerdo, n o incisado, serviu de controle. Na análise estatística foram empregados a análise de variancia (ANOVA), o teste de Scheffé e o teste t de Student. Resultados: as médias dos escores de aderência para o grupo bipolar, poliglactina e categute simples foram 0,7, 1,5 e 2,0, respectivamente. A análise de variancia detectou diferen a significativa (p=0,02) entre os três grupos. Usando-se o teste de Scheffé para a compara o dos grupos dois a dois, encontrou-se uma diferen a significativa apenas entre o grupo bipolar e o grupo do categute simples. Comparando-se o grupo em que se usaram suturas (independente do material empregado) com o grupo bipolar verificou-se uma diferen a estatisticamente significativa (p=0,01) entre as médias dos escores de aderência do ovário direito (1,8 e 0,7, respectivamente). Conclus es: os resultados obtidos no presente estudo est o de acordo com os dados da literatura, indicando que o fechamento por segunda inten o do córtex ovariano é mais vantajoso, em rela o à forma o de aderências, que o fechamento com o uso de suturas.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.