oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Avalia o da eficiência de acaricidas isolados e em mistura no controle do ácaro-da-necrose-do-coqueiro Aceria guerreronis Keifer, 1965 (Prostigmata: Eriophyidae) no Vale do S o Francisco  [cached]
MOREIRA JOSé OSM? TELES,NASCIMENTO ANA ROSA PEIXOTO
Revista Brasileira de Fruticultura , 2002,
Abstract: Dentre os ácaros que se associam à cultura do coqueiro no Brasil, uma das espécies mais importantes é Aceria guerreronis Keifer, 1965, pelos danos causados às plantas jovens e, sobretudo, pela necrose produzida. O controle químico associado a outras medidas tais como controle cultural e controle biológico natural, podem ser adotados, visando a manter esta espécie em níveis populacionais aceitáveis. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a eficiência agron mica dos vários produtos utilizados no controle de A. guerreronis em coqueiro-an o verde irrigado e foi conduzido de agosto a novembro de 1999, em uma propriedade localizada no Perímetro Irrigado Cura á, no Vale do S o Francisco, em Juazeiro-Bahia-Brasil. Em fun o dos resultados obtidos na presente pesquisa, pode-se concluir que o produto hexythiazox (Savey PM) na dose de 3 g / 100 l de água associado individualmente aos adulticidas: fenpyroximate (Ortus 50 SC) na dose de 100 ml / 100 de água; ao abamectin (Vertimec 18 CE) na dose de 30 ml / 100 l de água e ao enxofre (Defende) na dose de 500 g / 100 l de água, foram os tratamentos mais eficientes no controle do ácaro-da-necrose-do-coqueiro Aceria guerreronis quando aplicados em coqueiro-an o verde no Vale do S o Francisco a partir da abertura da inflorescência e comparados com carbosulfan (Marshal 200 SC) na dose de 50 ml / 100 l de água e n o produziram efeitos fitotóxicos à cultura.
Instala o de um Sistema de Drenagem Subterranea em um Solo Salino-Sódico Cultivado com Coco em Pentecoste - Ceará  [cached]
Carlos. Henrique. Carvalho de Sousa,Francisco Leandro Barbosa da Silva,Claudivan Feitosa de Lacerda,Raimundo Nonato Távora Costa
Revista Brasileira de Agricultura Irrigada , 2011, DOI: 10.7127/rbai.v5n100041
Abstract: O trabalho foi desenvolvido no Perímetro Irrigado Curu-Pentecoste, em Pentecoste, Ceará, Brasil, com o objetivo de instalar um sistema de drenagem subterranea para auxiliar na recupera o de um solo salino-sódico em uma área cultivada com coco (Cocus nucífera L). O sistema de drenagem foi instalado em uma área com sérios problemas de alagamento e constituiu-se de: dreno coletor aberto com 135 m, dez drenos laterais de 45 m, compostos por tubos drenoflex DN 65 mm, manta bidim OP-20 e uma caixa de brita n° 01. Para acompanhar a resposta do coqueiro à instala o do sistema de drenagem, 35 dias após a instala o foram avaliados, a circunferência do coleto, altura da planta; número de folhas vivas; número de folhas emitidas, comprimento da folha 3, comprimento do pecíolo na folha 3. Uma segunda avalia o realizada oito meses após a primeira. Plantas que na primeira observa o altura média de 149 cm, passaram a medir até 272 cm, acréscimos de cerca de 80%, enquanto as plantas que permaneceram fora da área os acréscimos foram em torno de 50%. Ao final podese concluir que a instala o do sistema de drenagem proporcionou melhor escoamento do excedente de água da área e consequentemente propiciou o melhor desenvolvimento das plantas de coqueiro.
Emiss?o foliar, rela??es i?nicas e produ??o do coqueiro irrigado com água salina
Ferreira Neto, Miguel;Gheyi, Hans Raj;Fernandes, Pedro Dantas;Holanda, José Simplício de;Blanco, Flávio Favaro;
Ciência Rural , 2007, DOI: 10.1590/S0103-84782007000600026
Abstract: the necessity to use saline waters in agriculture has increased due to pressure on good quality water, principally, for human consumption. with this objective, the effects of four levels of electrical conductivity (0.1, 5.0, 10.0 and 15.0ds m-1) of irrigation water obtained by addition of nacl were studied on the development of 3.5 years old coconut (cocos nucifera l.) cv. 'an?o verde'. the experiment was conducted in a sandy soil adopting a completely randomized block design and micro sprinkler irrigation system in the municipality of parnamirim - rn, brazil, during the period of january, 2000 to march, 2001. the salinity of water increased the interval of leaf emission and inflorescences and the number of female flowers per inflorescence as well as the contents of na and cl in leaf 14, accompanied by antagonism between na-ca, na-k and cl-n, and synergism between na-mg but without any visual symptoms of toxic effects. the optimum levels of na and cl in 14th leaf were found to be 0.207 and 0.580%.
Fenologia do coqueiro na zona costeira de Pernambuco  [cached]
Leite Isa Regina do Monte,Encarna??o Carlos Ramirez Franco da
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2002,
Abstract: O objetivo do trabalho foi estudar a fenologia do coqueiro em duas cultivares (An o-amarelo, An o-verde) e um híbrido (PB 121), na Unidade de Execu o de Pesquisa de Itapirema, Goiana, PE. Realizaram-se observa es semanais das fases vegetativas e reprodutivas de cinco plantas de cada cultivar e do híbrido, durante o período janeiro/96 a janeiro/97. Dados do balan o hídrico foram utilizados para associar a fenologia às disponibilidades hídricas locais. A quantidade de graus-dia variou entre 266 graus-dia, na esta o chuvosa, e 350 graus-dia, na esta o seca. Determinou-se o quadrante predominante na emiss o de inflorescência e a dire o do vento. Estabeleceram-se os índices de fecunda o das flores e produ o dos frutos. A espécie em estudo é uma planta perenifólia. As cultivares e o híbrido produziram cerca de 11 folhas anualmente. Verificaram-se folhas mortas durante todo o período de observa o. Houve flora o durante todo o ano. As plantas emitem uma inflorescência/mês, ocasionalmente duas (An o-amarelo e híbrido), no período seco. As cultivares têm o mesmo número de inflorescências emitidas, mas n o o mesmo número de inflorescências desenvolvidas. A flora o é do tipo cornucópia. Observaram-se frutos em diferentes estádios de desenvolvimento num mesmo espécime e cacho. A dire o do vento, assim como o quadrante na emiss o de inflorescências estabelecidos foi predominantemente o Sudeste. Houve diferen as significativas entre os tratamentos.
Fibra da casca do coco verde como substrato agrícola  [cached]
Carrijo Osmar Alves,Liz Ronaldo Setti de,Makishima Nozomu
Horticultura Brasileira , 2002,
Abstract: A produ o comercial de mudas e o cultivo sem solo de hortali as est o se tornando práticas comuns entre os olericultores. Vários materiais organicos como as turfas, resíduos de madeira, casca de pinus e de arroz parcialmente carbonizada ou n o, ou materiais inorganicos como areia, rochas vulcanicas, perlita, l de rocha e a espuma fenólica já s o utilizados como substratos, isoladamente ou em composi o. A casca de coco verde que em muitas regi es causa transtorno ao servi o de limpeza pública pelo volume e pela dificuldade de decomposi o produz uma fibra que pode ser utilizada como substrato. Para a produ o da fibra, a casca de coco verde é picada, desfibrada, triturada, lavada e secada. Para o uso como substrato na produ o de mudas, a fibra deve passar por um processo de compostagem. Este processo n o é necessário para o uso como substrato em cultivo sem solo, mas no entanto, o substrato necessitará ser enriquecido com nutrientes em pré-plantio ou em fertirriga o. O uso do substrato da fibra de coco verde na produ o de tomate em casa de vegeta o, alcan ou, em termos absolutos, 13,2 kg m-2 de frutos comerciais (média de 3 anos) cerca de 7,3% mais que o segundo melhor substrato, o pó de serra com 12,3 kg m-2.
Lisímetro de pesagem de grande porte. parte II: consumo hídrico do coqueiro an?o verde irrigado
Sousa, Inajá F.;Netto, Antenor O. A.;Campeche, Luiz F. M. S.;Barros, Allan C.;Silva, Vicente de P. R. da;Azevedo, Pedro V. de;
Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental , 2011, DOI: 10.1590/S1415-43662011000500014
Abstract: this paper, as part ii of a research carried out in sergipe state, aims to determine evapotranspiration and crop coefficient of dwarf-green coconut (cocos nucifera l.) based on lysimeter measurements and bowen ratio-energy balance method. the reference evapotranspiration was obtained by the penman-monteith approach on daily-scale during the experimental period. the data acquisition system was used to obtain all data from the sensors necessary to determine the energy balance components. the water requirements of coconut palm during the phenological growth stage is 1263.30 mm, with daily average of 3.90 mm d-1. the crop coefficient during this phenological growth stage varies between 0.50 and 1.80, with daily mean of 0.96.
A necrose da base da f?lha do sisal
Medina, J. C.;
Bragantia , 1943, DOI: 10.1590/S0006-87051943000400002
Abstract: sisal (agave sisalana perrine) growing in various localities of the state of s?o paulo is often heavely damaged by "leaf basal necrose", whose symptoms are identical with the "leaf foot disease" reported from java, east africa and belgian congo. the affected leaves show in the initial stages small spots of black, slightly shrivelled tissue on the lower part of the leaf. these gradually spread out. during the later stages the affected leaves bent over at this point. only approximately mature leaves of plants between 18 to 30 months old are affected. this disturbance was first observed in anapolis, araraquara and campinas. it was thought to be due to k deficiency in the soil. in order to prove this a small fertilizer experiment was established at campinas mainly to study the effect of potassium sulfate as a control measure for this "disease". the experiment also included calcium carbonate and control plots, each treatment being replicated three times. the results demonstrated that the trouble can be easily controled by the use ot potassium sulfate applied in the first year of cultivation (two years after planting in the nursery). at all plots not treated with k the typical black spots appeared on the leaves about one year after planting. considerable damage was caused by this physiological disturbance in all these plots, up to 86,6% of the plants and 15,4% of all leaves being damaged at the three control plots 18 months after planting. the "leaf basal necrose" is until now the single prevalent and destructive "disease" of sisal in the state of s?o paulo, where the plant is generally cultivated on k deficient soils. this explains its occurrence in almost all plantations. to avoid this disturbance sisal should be cultivated on rich soils and fertilised with k sulfate if grown on poor ones.
Etiologia e progresso da mancha de pestalotia do coqueiro (Cocos nucifera L.), em S o Gon alo, Paraíba  [cached]
Cardoso Gleibson Dionízio,Barreto Artur Franco,Araújo Egberto,Almeida Fernandes Antonio de
Revista Brasileira de Fruticultura , 2003,
Abstract: A cultura do coqueiro vem se expandindo no estado da Paraíba, destacando-se a microrregi o do Alto Piranhas. O objetivo do trabalho foi determinar a etiologia e caracterizar o progresso de uma doen a foliar do coqueiro híbrido. As observa es concernentes ao progresso da doen a foram realizadas mensalmente, sendo determinadas incidência, severidade e taxas de infec o. Um fungo do gênero Pestalotiopsis (Pestalotia) foi isolado, sendo comprovada a sua patogenicidade. As incidências da doen a, em todas as avalia es, corresponderam a 100%. No progresso da severidade da doen a, as taxas de infec o foram negativas, sendo os valores da severidade mais elevados quando se verificou a ocorrência de microácaro e cochonilha.
A amostragem na avalia o das lixas-do-coqueiro
LEAL MARIA DE LOURDES DA SILVA,WARWICK DULCE REGINA NUNES
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2000,
Abstract: A avalia o das doen as foliares do coqueiro (Cocos nucifera L.), conhecidas como lixa-grande e lixa-pequena (verrugoses), causadas por Sphaeredothis acrocomiae e Phyllachora torrendiella, respectivamente, depara-se com o problema do método de amostragem, uma vez que n o existe um método consensual em uso. Este trabalho foi realizado com o objetivo de comparar dois métodos de coleta de amostras mais utilizados na avalia o dessas doen as: método A: coleta de seis folíolos/planta, em uma única folha; método B: coleta de seis folíolos/planta, um em cada folha. O estudo foi desenvolvido a partir de três amostras de 300 folíolos (dez plantas x cinco folhas x seis folíolos), coletados em três genótipos de coqueiro, nos quais foi determinado o número de estromas da lixa-grande e da lixa-pequena. Com base nesses dados, estimaram-se as variancias de folhas dentro de plantas e folíolos dentro de folhas e plantas, necessárias para os cálculos das estimativas das médias amostrais nos dois métodos em compara o, além de outras alternativas formuladas. Em ambas as lixas, em todos os genótipos, as estimativas da variancia da média amostral calculadas pelo método A foram superiores às calculadas pelo método B, o que comprova que este último é mais eficaz que o primeiro. Outros tamanhos de amostra também foram avaliados e comparados ao método B, e constatou-se que amostras de seis folhas/planta, coletando-se, em cada uma, dois ou três folíolos, reduzem a variancia amostral em 20% ou 30%, respectivamente, podendo, portanto, ser utilizadas com mais eficiência.
Análise dos Riscos à Sistemas de Irriga o causados pela Qualidade da água do Córrego do Coqueiro - SP  [cached]
Gustavo Cavalari Barboza,Fernando Braz Tangerino Hernandez,Renato Alberto Momesso Franco
Revista Brasileira de Agricultura Irrigada , 2011, DOI: 10.7127/rbai.v5n100037
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar a concentra o de ferro total, sólidos suspensos, dissolvidos, totaise turbidez na água do Córrego do Coqueiro. Para isso, foram coletadas amostras de água ao longo do rio principal, mensalmente no período de 2007 a 2009 em 5 pontos georreferenciados. Conforme os resultados apresentados, o manancial possui baixo potencial de causar danos ao sistema de irriga opara os parametros físicos, no entanto, devido a concentra o de ferro na água o manancial apresentou médio a alto potencial de risco ao sistema de irriga o, sendo assim, a utiliza o de sistemas de irriga o sem filtragem, principalmente nos sistemas localizados, pode causar risco de obstru o de tubula es e emissores, principalmente nos pontos finais do manancial.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.