oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
ANELAMENTO E áCIDO GIBERéLICO NA FRUTIFICA O DA UVA 'MARIA' SEM SEMENTES  [cached]
Kalil Geovanita Paulino da Costa,Terra Maurilo Monteiro,Kalil Filho Antonio Nascimento,Macedo Jefferson Luiz Vasconcello de
Scientia Agricola , 1999,
Abstract: Este trabalho foi desenvolvido com o objetivo de avaliar a resposta do cultivar Maria (IAC 514-6) ao anelamento e à aplica o de ácido giberélico na concentra o de 200ppm, no início ou após o florescimento, para as características dos cachos, bagos e enga os. O experimento foi realizado em Jundiaí, SP, e o delineamento estatístico foi inteiramente casualizado, com doze tratamentos e cinco repeti es. N o foram detectados efeitos de época de anelamento ou de aplica o de ácido giberélico. Efeitos significativos do anelamento no tronco ou nos ramos e da aplica o do ácido giberélico ou de ambos os tratamentos foram detectados para as características estudadas. Os incrementos verificados para essas características foram semelhantes ao serem aplicados os fatores isoladamente ou em conjunto.
Tipo de porta-enxerto e anelamento de ramos no pegamento da enxertia em lichieira (Litchi chinensis Sonn.)  [cached]
MARTINS ANTONIO BALDO GERALDO,RAMOS ROBSON ANTONIO,SILVA ANA VERUSKA CRUZ DA
Revista Brasileira de Fruticultura , 2002,
Abstract: O presente trabalho foi realizado em condi es de ripado, com o objetivo de avaliar o desempenho da enxertia a inglês simples, em dois tipos de porta-enxerto (pé-franco e alporquia), em combina o com três tipos de anelamento do ramo (sem anelamento, e ramos anelados duas e quatro semanas antes da retirada do garfo), em lichia. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado, com seis tratamentos e três repeti es. Foi somente observada diferen a significativa para o tipo pé-franco, que revelou os melhores resultados.
INFLUêNCIA DO ANELAMENTO E ESTIOLAMENTO DE RAMOS NA PROPAGA O DA LARANJEIRA VALêNCIA (Citrus sinensis Osbeck) ATRAVéS DE ESTACAS  [cached]
CASTRO A.M.,KERSTEN E.
Scientia Agricola , 1996,
Abstract: Objetivando estudar a influência do condicionamento de ramos, através do anelamento e estiolamento parcial, sobre o enraizamento de estacas de laranjeira cv. Valência, conduziu-se o experimento no período de fevereiro a dezembro de 1993. Para o anelamento foi utilizado arame fino de cobre com o qual provocou-se um estrangulamento na base do ramo. No estiolamento, utilizou-se fita preta de polietileno, que foi enrolada na base das brota es. De cada ramo condicionado, obteve-se apenas uma estaca com 15 cm de comprimento, diametro médio de 0,5 cm e um par de folhas apicais, cortadas pela metade. O plantio das estacas foi realizado em 12.04.93, em substrato de areia lavada e peneirada. Adotou-se o delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 3x3, resultante das combina es entre os períodos de zero, 30 e 60 dias dos fatores anelamento e estiolamento. Verificou-se que n o ocorreu enraizamento nas estacas que permaneceram três meses no substrato e variou de 0 até 26,04% para aquelas que permaneceram oito meses. O período de estiolamento influenciou significativamente o percentual de estacas enraizadas.
FLORESCIMENTO E FRUTIFICA O DE MANGUEIRA COM USO DE PACLOBUTRAZOL, ETHEPHON E NITRATO DE CáLCIO
MENDON?A VANDER,A. NETO SEBATI?O ELVIRO DE,HAFLE OSCAR MARIANO,MENEZES JOSIVAN BARBOSA
Revista Brasileira de Fruticultura , 2001,
Abstract: Este trabalho objetivou testar diferentes doses de Paclobutrazol (PBZ), ethephon e nitrato de cálcio na indu o do florescimento e na produ o da mangueira (Mangifera indica L.) cv. Tommy Atkins, localizada no pomar didático da ESAM em Mossoró-RN, no ano de 1999/2000. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados, no esquema fatorial 2x2x3, assim distribuídos: T1 1000 mg.L-1 de PBZ+ 2% de nitrato de cálcio; T2 1000 mg.L-1 de PBZ + 2% de nitrato de cálcio + 1,0 mL.L-1 de ethephon; T3 1000 mg.L-1 de PBZ + 2% de nitrato de cálcio + 3,0 mL.L-1 de ethephon; T4 1000 mg. L-1 de PBZ + 3% de nitrato de cálcio; T5 1000 mg.L-1 de PBZ + 3% de nitrato de cálcio + 1,0 mL.L-1 de ethephon; T6 1000 mg.L-1 de PBZ + 3% de nitrato de cálcio + 3,0 mL.L-1 de ethephon ; T7 1500 mg.L-1 de PBZ + 2% de nitrato de cálcio; T8 1500 mg.L-1 de PBZ + 2% de nitrato de cálcio + 1,0 mL.L-1 de ethephon; T9 1500 mg.L-1 de PBZ + 2% de nitrato de cálcio + 3,0 mL.L-1 de ethephon; T10 1500 mg.L-1 de PBZ+ 3% de nitrato de cálcio; T11 1500 mg.L-1 de PBZ + 3% de nitrato de cálcio + 1,0 mL.L-1 de ethephon.L; T12 1500 mg.L-1 de PBZ + 3% de nitrato de cálcio + 3,0 mL.L-1 de ethephon, com 4 repeti es. A mangueira teve um maior florescimento (81,75%) com 2% de nitrato de cálcio e 1500 mg. L-1 de PBZ, o número de frutos por planta teve seu maior valor (86 frutos) com 3% de nitrato de cálcio e 1500 mg L-1 de PBZ e o peso do fruto foi maior (425,5g) na dosagem de 3mL.L-1 de ethephon. Os produtos aplicados n o diferenciaram entre si em rela o à produ o.
Fenologia do florescimento e frutifica o de espécies nativas dos Campos = Flowering phenology and fruit set of native species of the Campos ecosystem  [cached]
Daniela Biondi,Luciana Leal,Antonio Carlos Batista
Acta Scientiarum : Biological Sciences , 2007,
Abstract: Este trabalho teve como objetivo estudar a fenologia de 12 espécies ocorrentes no ecossistema de Campos no Estado do Paraná. A pesquisa foi realizada no Campus III, da Universidade Federal do Paraná, na cidade de Curitiba. As espécies selecionadas para a avalia o fenológica foram: Aspilia montevidensis (Sprengel) Kuntze, Cacalia cognata (Less.) Kuntze, Campovassouria bupleurifolia (DC.) R. M. King & H. Rob., Campuloclinium macrocephalum (Less.) DC., Chromolaena ascendens (Sch. Bip. ex. Baker) R. M. King & H. Rob., Lessingianthus glabratus (Less.) H. Rob. (Asteraceae), Eryngium sanguisorba Cham. &Schtdl. (Apiaceae), Moritzia dusenii Johnston (Boraginaceae), Petunia linoides Sendtn. (Solanaceae), Senna neglecta (Vogel) H. S. Irwin & Barneby (Fabaceae), Tibouchina gracilis (Bonpl.) Cogn. (Melastomataceae) e Verbena rigida Spreng (Verbenaceae). A metodologiautilizada foi a avalia o qualitativa dos dados fenológicos (flora o e frutifica o), observados quinzenalmente, durante o ano de 2004. As variáveis climáticas: temperatura, umidade relativa do ar, precipita o e fotoperíodo foram obtidas diariamente para verificar sua rela o com as fenofases. Os resultados indicaram que, das espécies estudadas, seis tiveram fase fenológica reprodutiva entre janeiro e agosto, enquanto as demais tiveram a interrup o do período reprodutivo durante o inverno, com exce o de Aspilia montevidensis que apresentou flora o e frutifica o durante todo o ano. The aim of this work is to study the phenology of twelve species that occur in “Campos” ecosystem in Paraná state. This research was carried out at the Universidade Federal do Paraná, Campus III, in Curitiba city. The selected species for phenologic evaluation were: Aspilia montevidensis (Sprengel) Kuntze, Cacalia cognata (Less.) Kuntze, Campovassouria bupleurifolia (DC.) R. M. King & H. Rob., Campuloclinium macrocephalum (Less.) DC., Chromolaena ascendens (Sch. Bip. ex. Baker) R. M. King & H. Rob., Lessingianthus glabratus (Less.) H. Rob. (Asteraceae), Eryngium sanguisorba Cham. & Schtdl.(Apiaceae), Moritzia dusenii Johnston (Boraginaceae), Petunia linoides Sendtn. (Solanaceae), Senna neglecta (Vogel) H. S. Irwin & Barneby (Fabaceae), Tibouchina gracilis (Bonpl.) Cogn.(Melastomataceae) and Verbena rigida Spreng (Verbenaceae). The applied methodology was the qualitative evaluation of the phenological data (florescence and fruiting) observed every fifteen days during the year 2004. The climatic variables as temperature, relative air humidity, precipitation and photoperiod were obtained daily to verify its relation with th
índice de pegamento de frutos em goiabeiras  [cached]
Corrêa Márcio Cleber de Medeiros,Prado Renato de Mello,Natale William,Silva Marcos Antonio Camacho da
Revista Brasileira de Fruticultura , 2002,
Abstract: A produ o das plantas está relacionada com o florescimento e frutifica o, podendo variar em fun o de fatores genéticos, ambientais e de manejo dos pomares. Informa es dessa natureza, tal como índice de pegamento de frutos, s o importantes na caracteriza o biológica, estudos comparativos de cultivares e predi o de safra. O objetivo deste estudo foi determinar o índice de pegamento de frutos em goiabeiras adultas das cultivares Pedro Sato, Paluma e Rica, em pomares comerciais de elevada produtividade, localizados no município de Taquaritinga-SP. No auge do florescimento de cada cultivar ('Pedro Sato': final de fevereiro; 'Paluma' e 'Rica': final de outubro), foram marcados ramos em volta das plantas, à altura do ter o médio da copa e contados o número de bot es, flores e frutinhos presentes. A opera o repetiu-se cerca de 30 dias depois. A contagem final de frutos foi feita quando estes apresentavam diametro superscript three 3 cm nas plantas de 'Pedro Sato' e uma semana antes da colheita nas plantas de 'Paluma' e 'Rica'. A partir do número total de bot es florais emitidos (NB) e do número de frutos fixados (NF), calculou-se o índice de pegamento de frutos [IP=(NF/NB)100]. A cultivar Pedro Sato apresentou IP=32,3%. As cultivares Paluma e Rica apresentaram IP de 18,7% e 12,2%, respectivamente.
Anelamento e incis o anelar em fruteiras de caro o  [cached]
Sartori Ivar Antonio,Ilha Luciano Larruscahim Hamilton
Ciência Rural , 2005,
Abstract: O cultivo de pessegueiros é uma atividade de grande importancia econ mica no Sul do Brasil, e o Estado do Rio Grande do Sul se destaca como o maior produtor brasileiro. Grande parte dos pomares se encontram na Metade Sul do Estado. Um dos principais problemas da cultura para o consumo de frutas in natura é o tamanho reduzido das mesmas e a produ o concentrada, que dificultam a comercializa o. O anelamento e/ou a incis o anelar de ramos pode ser usada, com o intuito de aumentar a massa média das frutas e antecipar o período de colheita. Esta revis o busca encontrar dados referentes à época de execu o, cuidados necessários, problemas associados e aspectos fisiológicos do anelamento e incis o anelar de ramos em fruteiras de caro o, principalmente pêssegos, ameixas e nectarinas de maior express o comercial no sul do Brasil. O anelamento e/ou a incis o anelar torna-se uma prática útil para melhorar a qualidade da fruta e antecipar a colheita de cultivares de matura o precoce. Contudo, faz-se necessário a realiza o de estudos locais para as diferentes espécies e cultivares. A prática da incis o anelar é mais recomendada pela facilidade de execu o e com resposta semelhante ao anelamento. A época mais indicada para a realiza o da incis o anelar é na fase de lignifica o do endocarpo. Recomenda es devem ser específicas para cada situa o e o anelamento, em conjunto com outras práticas, poderá promover a antecipa o da matura o e contribuir para melhorar a qualidade organoléptica das frutas.
Florescimento e frutifica??o em bambu
Azzini, Anísio;Aranha, Condorcet;Pio, Rose Mary;
Bragantia , 1982, DOI: 10.1590/S0006-87051982000100018
Abstract: in february 1977 the flowering and seeding of bamboo specie melocanna baccifera kurz was observed at the campinas experimental station. the morphological and botanical characteristics observed showed that the material belongs to the above mentioned specie.
Avalia o de frutos de laranjeira 'Pera' em fun o dos anelamentos de ramos em diferentes épocas  [cached]
Sim?es Júnior Abel Rodrigues,Mour?o Filho Francisco de Assis Alves,Araújo Paulo Sérgio Rodrigues de,Piedade S?nia Maria de Stefano
Scientia Agricola , 1999,
Abstract: Avaliou-se os efeitos da técnica de anelamento em ramos na qualidade dos frutos de laranja `Pera' na época de ver o e outono. O trabalho foi desenvolvido em Piracicaba, SP, utilizando-se laranjeiras `Pera' enxertadas em limoeiro `Cravo', cultivadas no espa amento 8,0 x 4,0 m. Adotou-se quatro tratamentos (anelamento simples, duplo, paralelo e testemunha) em duas épocas (ver o e outono). O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, sendo utilizados os seguintes parametros para avalia o: altura, diametro, massa, volume, espessura da casca, percentagem de suco, acidez, sólidos solúveis totais e "ratio". Observou-se que houve efeito do anelamento, destacando-se o anelamento simples, sobre a qualidade dos frutos na época de ver o.
Notas sobre florescimento e frutifica??o da mandioca
Graner, E. A.;
Bragantia , 1942, DOI: 10.1590/S0006-87051942000100001
Abstract: the flowering habits and the fructification of cassava m. utilissima pohl were described. attention was called to the small production of flowers per plant and to the attack of male flowers by the fly teleocoma crassipes aldrich and of the fruit by the fly anastrepha pickeli c. lima. the difficulties of controlled pollination were emphasized and a practical method of obtaining f2 seeds were discussed.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.