oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Desempenho produtivo e bioecon mico de frangos de corte criados em diferentes sistemas de aquecimento  [cached]
Abreu Paulo Giovanni de,Baêta Fernando da Costa,Abreu Valéria Maria Nascimento,Soares Paulo Rubens
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: RESUMO - Este experimento foi realizado em duas fases para estudar o efeito de diferentes sistemas de aquecimento em piso sobre os desempenhos produtivo e bioecon mico de frangos de corte. Um total de 500 pintos de um dia, 50% macho e 50% fêmea, em cada círculo de prote o, foi distribuído em um delineamento experimental em blocos casualizados, com sete tratamentos e quatro blocos. Os sistemas de aquecimento testados foram: placa de fibra de vidro sem cobertura de lona plástica; placa de fibra de vidro com cobertura de lona plástica; resistência embutida no piso sem cobertura de lona plástica; resistência embutida no piso com cobertura de lona plástica; placa de argamassa armada sem cobertura de lona plástica; placa de argamassa armada com cobertura de lona plástica; e campanula a gás. O aquecimento foi mantido por 21 dias, iniciando com a temperatura de 35oC na primeira semana, com redu o de 3oC por semana. Peso vivo, ganho de peso, consumo de ra o, convers o alimentar e mortalidade foram avaliados. Os consumos de energia elétrica e de gás foram registrados durante todo o período de aquecimento, para compara o de custos. O sistema de aquecimento placa de argamassa com cobertura de lona plástica foi o mais indicado, pois propiciou boas condi es térmicas e maior margem bruta no final do período de cria o.
Desempenho produtivo e bioecon?mico de frangos de corte criados em diferentes sistemas de aquecimento
Abreu, Paulo Giovanni de;Baêta, Fernando da Costa;Abreu, Valéria Maria Nascimento;Soares, Paulo Rubens;Perdomo, Carlos Cláudio;Silva, Martinho de Almeida e;
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000, DOI: 10.1590/S1516-35982000000100022
Abstract: abstract - this experiment was carried out in two phases to study the effect of different heating systems on the productive and bioeconomical performances in broilers. five hundred one-day broiler chicks, 50% male and 50% female, in each protected circle, were allotted to a randomized block design with seven treatments and four blocks. the heating systems were: fiber glass plate without plastic sheet cover, fiber glass plate with plastic sheet cover; built-in floor resistance without plastic sheet cover, built-in floor resistance with plastic sheet cover; mortar plate without plastic sheet cover, mortar plate with plastic sheet cover, and brooder heating gas. heating was maintained up to the 21st days of age, beginning with the temperature of 35oc in the first week with a reducing of 3oc by each week. live weight, weight gain, feed intake, feed:gain ratio and mortality were evaluated. the electric energy and gas expenditures were recorded during all bird heating period in order to compare the different heating systems cost. the heat electric system with mortar structure plate and plastic sheet cover was the most indicated, by promoting good thermal conditions and higher gross margin at the end of the growing period.
Desempenho e plumagem de frangos de corte intoxicados por aflatoxinas  [cached]
Giacomini Leandro,Fick Fabiana Andréia,Dilkin Paulo,Mallmann Carlos Augusto
Ciência Rural , 2006,
Abstract: O objetivo desta pesquisa foi estudar os efeitos das aflatoxinas sobre o desempenho e plumagem de frangos de corte. Foram utilizados 240 pintos machos, alimentados de 1 a 42 dias de idade com ra o ad libitum sem aflatoxinas (grupo controle) e contaminada com 3mg de aflatoxinas/kg de ra o (grupo tratado). As aves foram analisadas duas vezes ao dia em rela o ao seu desenvolvimento. O consumo de ra o e peso dos animais foram avaliados ao final de cada fase de cria o (21, 35 e 42 dias). Ao final do experimento, realizaram-se as avalia es patológicas, a pesagem das penas e a avalia o dos seus aminoácidos. As aves do grupo tratado apresentaram sinais caracteristicos de intoxica o por aflatoxinas, como desuniformidade da estatura, redu o no consumo de ra o e ganho de peso e altera es microscópicas e macroscópicas em órg os e tecidos. Observou-se que o cora o e o fígado das aves intoxicadas apresentaram um incremento significativo no peso médio relativo, a massa de penas foi reduzida significativamente (33,8%) e n o houve altera es na concentra o e na composi o dos aminoácidos, apesar do baixo desempenho dos animais intoxicados.
Aspectos genético-quantitativos de características de desempenho, carca a e composi o corporal em frangos  [cached]
Gaya Leila de Genova,Mour?o Gerson Barreto,Ferraz José Bento Sterman
Ciência Rural , 2006,
Abstract: Os parametros genéticos s o ferramentas importantes para se conhecer melhor as características utilizadas nos programas de melhoramento genético e para a avalia o do plano de sele o empregado, permitindo o direcionamento das estratégias a serem aplicadas. As características de desempenho e de carca a vêm sendo utilizadas como critério durante a sele o genética dos frangos, a exemplo do peso vivo, do peso de peito e da convers o alimentar. Entretanto, algumas características de composi o corporal vêm trazendo entraves para a produ o e a indústria avícolas, especialmente o peso da gordura e o peso do cora o. Assim, nesta revis o, s o abordados os principais aspectos relacionados aos parametros genéticos das características de desempenho, de carca a e de composi o corporal em frangos com o objetivo de proporcionar um melhor entendimento das conseqüências trazidas pelos esquemas de sele o empregados e suas implica es na cadeia produtiva destes animais.
Influência da suplementa o de glutamina sobre o desempenho e o desenvolvimento de vilos e criptas do intestino delgado de frangos  [cached]
Maiorka A.,Silva A.V.F.,Santin E.,Borges S.A.
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia , 2000,
Abstract: Investigou-se o efeito da suplementa o de glutamina na dieta sobre o consumo de ra o, ganho de peso e convers o alimentar e sobre a estrutura da mucosa intestinal de frangos. Foram utilizados 320 pintos de corte machos distribuídos em um delineamento inteiramente ao acaso com dois tratamentos e quatro repeti es, sendo T1 suplementado com 1% de L-glutamina na dieta e T2 controle. Os índices de desempenho foram analisados aos 7, 21 e 49 dias de idade das aves. Aos 7 e 14 dias de idade oito aves foram sacrificadas para colheita de fragmentos de cada por o do intestino delgado para avalia o da morfometria intestinal em microscopia de luz em sistema analisador de imagens "Video Plan". As variáveis estudadas foram altura dos vilos, profundidade de cripta e rela o vilo: cripta. A adi o de 1% de glutamina à dieta de frangos n o influenciou (P>0,05) o seu desempenho zootécnico. Entretanto, 1% de glutamina na ra o foi capaz de alterar (P<0,01) a altura do vilo, a profundidade de cripta e a rela o vilo:cripta no duodeno, bem como a altura de vilo do íleo de frangos no sétimo dia de idade.
Influência do sistema de cria o sobre o desempenho, a condi o fisiológica e o comportamento de linhagens de frangos para corte  [cached]
Silva Marco Aurélio Neves da,Hellmeister Filho Paulo,Rosário Millor Fernandes do,Coelho Antonio Augusto Domingos
Revista Brasileira de Zootecnia , 2003,
Abstract: Realizou-se o presente trabalho com o intuito de avaliar a influência do sistema de cria o (intensivo e semi-intensivo) no desempenho (peso corporal e convers o alimentar), na condi o fisiológica sob estresse térmico (temperatura retal, freqüência respiratória e hematócrito) e comportamento (freqüência ao pasto) de frangos de corte. Foram utilizadas quatro linhagens de frangos de corte, duas tipo caipira e duas comerciais. Para avalia o do desempenho e condi o fisiológica das aves nas idades de 45, 55, 65 e 75 dias, instalou-se um experimento no qual as aves foram alojadas em boxes constituídos de 4,5 m2 de área interna (abrigo) e 35 m2 de área de pastejo com lota o de 35 aves/box. Outro experimento foi instalado para avalia o da freqüência das aves ao pasto entre o 35o e 75o dia de idade. Uma das linhagens avaliadas n o demonstrou ser adaptada ao sistema semi-intensivo de cria o. Verificaram-se diferen as significativas nos parametros de desempenho e de condi o fisiológica das aves nos dois sistemas. Na cria o semi-intensiva obtiveram-se menores valores para temperatura retal, taxa respiratória e hematócrito e melhores valores de peso corporal e convers o alimentar. Concluiu-se que a cria o semi-intensiva proporcionou condi es que aumentaram o bem-estar das aves, tendo influenciado positivamente o desempenho e a condi o fisiológica das linhagens avaliadas, mesmo sob condi es de estresse térmico.
Avalia o da monensina no desempenho e rendimento de carca a e partes de frangos de corte  [cached]
Ribeiro Andrea Machado Leal,Kessler Alexandre Mello,Penz Júnior Antonio Mario,Krabbe Everton L.
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: Foram realizados três experimentos para avaliar o desempenho e o rendimento de cortes e carca a de frangos de corte, recebendo ou n o monensina (MON) na dieta, em diferentes doses (D) (100, 110 e 120 ppm), de acordo com as fases de crescimento (FC) (1 a 21, 22 a 40 e 41 a 45/46 dias de idade). O experimento 1 foi realizado em gaiolas metabólicas, no qual foram determinadas energia metabolizável aparente (EMA), digestibilidade da matéria seca - MS (DMS) e reten o de nitrogênio (RN). Os experimentos 2 e 3 foram realizados em boxes. No experimento 3, a convers o alimentar (CA) foi melhor nos tratamentos com MON, principalmente na FC de 22 a 40 dias. As doses de 100 e 110 ppm de MON mostraram melhor resposta que 120 ppm, sobretudo quando n o houve retirada na droga nos cinco últimos dias da FC. No experimento 3, as aves que n o receberam MON tiveram maior consumo de ra o (CR). N o foram observadas diferen as na DMS, EMA e RN das ra es experimentais. Nos experimentos 1 e 2, a manuten o da droga na última semana influenciou positivamente o rendimento de carca a e a dose de 110 ppm mostrou maior rendimento de peito que as demais. A gordura abdominal n o foi influenciada pelas doses de MON nas dietas. O uso de MON influenciou positivamente a CA de frangos de corte. Apesar do reduzido CR, o ganho de peso das aves que receberam MON na dieta n o foi alterado.
Efeito da densidade e de programas de alimenta o sobre o desempenho de frangos de corte  [cached]
Lana Geraldo Roberto Quint?o,Silva Junior René Geraldo Cordeiro,Valerio Sandra Roseli,Lana ?ngela Maria Quint?o
Revista Brasileira de Zootecnia , 2001,
Abstract: O objetivo deste experimento foi avaliar o efeito da densidade e de programas de alimenta o sobre o desempenho produtivo e o rendimento de carca a e de cortes nobres em frangos de corte aos 42 dias de idade. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, num esquema fatorial 3x2 (densidades, programas de alimenta o), com quatro repeti es cada. As densidades foram: 10, 12 e 16 aves/m2. A alimenta o foi constituída de programa 1 (quatro ra es): pré-inicial, inicial, crescimento e final; e programa 2 (cinco ra es): pré-inicial I, pré-inicial II, inicial, crescimento e final. Na fase de 1 a 7 dias houve diferen a significativa (P<0,05) entre densidades para consumo de ra o, ganho de peso e convers o alimentar. Para a fase de 15 a 21 e 22 a 28 dias de idade, os melhores resultados de ganho de peso e convers o alimentar foram obtidos na densidade de 16 aves/m2. Nas fases de 8 a 14, 29 a 35 e 36 a 42 dias de idade e no período total, n o foram observadas diferen as significativas entre os programas de alimenta o e entre densidades em nenhum dos parametros avaliados. Recomenda-se para frangos de corte, machos, de 1 a 42 dias de idade, a densidade de 16 aves/m2, independentemente do programa de alimenta o.
Sistemas de resfriamento evaporativo e o desempenho de frangos de corte  [cached]
Sartor Valmir,Baêta Fernando da Costa,Luz Maira Luciana,Orlando Roberto Carlos
Scientia Agricola , 2001,
Abstract: As condi es térmicas no interior de instala es para frangos de corte tem importancia vital para o sucesso desta atividade. Desta forma, deve-se buscar o conforto térmico para as aves com o mínimo custo em materiais, equipamentos e energia. Baseado nisto foi desenvolvido um trabalho com o objetivo de avaliar o efeito de três sistemas de resfriamento evaporativo no desempenho de frangos de corte. Para isso, utilizou-se um galp o dividido em quatro partes nas quais foram instaladas os tratamentos: ventilador associado a nebuliza o (VNB), ventilador de alta rota o associado a nebuliza o (VNA), nebuliza o (NEB) e nebuliza o acoplada ao ventilador (NEV). Foi registrado o consumo de ra o, o ganho de peso e a mortalidade, obtendo-se assim a convers o alimentar. Os sistemas de resfriamento evaporativo (VNA e VNB) proporcionaram os melhores resultados com os maiores valores de ganho de peso por ave e os menores valores de convers o alimentar e mortalidade. Resultados menos satisfatórios foram observados no NEV, com os menores valores de ganho de peso por ave e maiores valores de convers o alimentar e mortalidade.
Metodologia de Dimensionamento de Sistemas de Aquecimento em Piso, em Fun o da Temperatura e Espessura de Cama, para Cria o de Frangos de Corte  [cached]
Abreu PG,Abreu VMN,Baêta FC
Revista Brasileira de Ciência Avícola , 2000,
Abstract: Avaliou-se a temperatura e a espessura de cama ideal para os sistemas de aquecimento elétrico (fibra de vidro e argamassa armada), em rela o a temperatura ambiental, a partir de testes realizados em galp o para aves, na EMBRAPA-CNPSA. Os valores de temperatura em cada ponto determinado foram coletados de 5 em 5 minutos. O sistema permaneceu em funcionamento até a superfície superior de cama sobre a placa atingir o valor de 35oC. O sistema mais adequado foi aquele em que a espessura da argamassa e a espessura da fibra de vidro foram 0,06m e 0,08m, respectivamente, com uma espessura de cama total, fora do círculo, de 0,11m.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.