oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Evapotranspira o máxima da cultura de piment o em estufa plástica em fun o da radia o solar, da temperatura, da umidade relativa e do déficit de satura o do ar  [cached]
Dalmago Genei Antonio,Heldwein Arno Bernardo,Nied Astor Henrique,Grimm Edenir Luis
Ciência Rural , 2006,
Abstract: Um experimento foi conduzido para avaliar a rela o da evapotranspira o máxima (ETm) da cultura de piment o por unidade de índice de área foliar (ETmf) com a radia o solar global incidente (Rg e) e saldo de radia o (Rn e), externos à estufa, e com a temperatura (t am), umidade relativa (URm) e déficit de satura o (D) do ar no interior da estufa. A ETm foi determinada por lisimetria. Apenas a temperatura e a umidade relativa do ar foram registradas e as demais variáveis foram estimadas. O Rn e apresentou o maior efeito isolado, seguido pelo D e pela URm. A temperatura do ar às 15 horas e a temperatura máxima diária foram as variáveis pontuais de maior associa o com a ETmf. A Rg e melhorou sua rela o quando analisada em diferentes faixas de t am. Os resultados confirmaram o Rn e e o D como as variáveis meteorológicas de maior efeito preditivo da evapotranspira o das culturas em estufas plásticas no outono, porém com graus diferenciados de ajuste para o piment o em rela o às outras culturas.
Variabilidade da produ o de frutos de piment o em estufa plástica  [cached]
Lorentz Leandro Homrich,Dal?Col Lúcio Alessandro,Boligon Alexandra Augusti,Lopes Sidinei José
Ciência Rural , 2005,
Abstract: As estufas plásticas s o consideradas como um ambiente homogêneo. No entanto, essa afirmativa n o é comprovada, pois existem varia es de produ o entre plantas, causada por diversos fatores externos. S o escassas as informa es relacionadas a técnicas experimentais de planejamento de experimento nestes ambientes. Dessa forma, foram instalados experimentos no Departamento de Fitotecnia/UFSM com a cultura do piment o em estufa plástica nas esta es sazonais de cultivo ver o/outono e inverno/primavera com o objetivo de determinar a variabilidade da produ o, em torno da média, para cada colheita e no total produzido, em diferentes tamanhos de parcela dispostos no sentido da linha. Pelo teste de homogeneidade de variancias, em cada colheita e para produ o total e através da dispers o da produ o média, verificou-se que existe alta heterogeneidade na distribui o da produ o entre as parcelas experimentais de piment o em estufa plástica e que parcelas de 14 plantas na linha de cultivo amenizaram as varia es de solo existentes. O delineamento de blocos ao acaso no sentido das linhas se mostrou adequado para estes ambientes.
Tamanho da amostra e método de amostragem para avalia o de características do piment o em estufa plástica
Lúcio Alessandro D.,Souza Marcelo F.,Heldwein Arno B.,Lieberknecht Daniel
Horticultura Brasileira , 2003,
Abstract: Em experimentos realizados em estufas plásticas s o coletadas informa es de todas as plantas das fileiras, onerando o custo de condu o do experimento, aumentando a m o-de-obra dispensada para a coleta dos dados e o tempo disponibilizado para tal, bem como a área utilizada para as avalia es e armazenagem dos frutos colhidos. Assim o objetivo do trabalho foi determinar e avaliar metodologia para tamanho da amostra em experimentos realizados em estufa plástica com a cultura do piment o, obtendo-se o rendimento das massas dos frutos. A estufa plástica estava instalada na área experimental do Departamento de Fitotecnia na UFSM, e os experimentos foram realizados no segundo semestre do ano de 2000 e no primeiro semestre do ano de 2001, onde cada um constituiu-se de dez fileiras de 23 m de comprimento, compostas de 72 plantas por fileira. Verificou-se que, nas duas épocas de cultivo, as variancias das massas dos frutos foram heterogêneas entre fileiras dentro de cada colheita e entre as colheitas. Os tamanhos de amostra estimados para as esta es sazonais inverno-primavera e ver o-outono foram, respectivamente, de 56 e 50 plantas por fileira em cada colheita, para um grau de 95% de confian a.
Uma revis o analítica da evapotranspira o potencial  [cached]
CAMARGO ?NGELO PAES DE,CAMARGO MARCELO BENTO PAES DE
Bragantia , 2000,
Abstract: Thornthwaite e Wilm introduziram o termo evapotranspira o potencial, em 1944, que representa a perda natural de água do solo vegetado para a atmosfera através da a o conjunta da evapora o e da transpira o. Mais tarde, Penman publicou trabalho semelhante denominando a evapotranspira o de "evapora o natural". Thornthwaite considerou a evapotranspira o potencial (ETp) um elemento meteorológico normal, padr o, representando a precipita o necessária para atender à necessidade de água da cobertura vegetal. A ETp é processo oposto à precipita o, representa a água que retorna for osamente para a atmosfera, em estado gasoso, e depende da energia solar disponível na superfície do terreno para vaporizá-la. Para estimar a umidade do solo n o se deve tomar por base apenas a chuva ocorrida, mas também a ETp, que é a chuva necessária. A primeira é medida facilmente em pluvi metros, porém a ETp necessita ser estimada por meio de fórmulas. Em climas úmidos o modelo de Thornthwaite funciona adequadamente, no entanto em climas muito secos subestima bastante a ETp por n o considerar a energia advectiva recebida de áreas secas distantes. O modelo de Penman, que considera em seu termo aerodinamico essa energia, funciona bem em diferentes condi es de umidade climática, necessitando, porém, de numerosos elementos meteorológicos em sua solu o, raramente disponíveis na área, o que dificulta seu uso em estudos climáticos e mapeamentos agrometeorológicos. O modelo de Thornthwaite pode ser ajustado para melhor estimar a ETp em condi es de clima seco e também de clima superúmido. Esse ajuste baseia-se no emprego de uma temperatura média ajustada em fun o da amplitude térmica diária.
Primavera de mujeres?
Mónica Castillo
Trans-pasando Fronteras , 2012,
Abstract: Términos tales como “feminismo islámico” y “movimiento de mujeres” hacen alusión a los movimientos sociales de mujeres que buscan reivindicar sus derechos en medio de sociedades fuertemente represivas. Sin duda, esta defensa por los derechos posee una gran influencia Occidental. Sin embargo, lo que se busca en este breve estudio es describir algunos movimientos sociales de mujeres y presentar una visión general del papel y la participación de las mujeres en la Primavera árabe por medio de un breve estudio documental, analizando noticias, eventos, artículos de prensa y de opinión. Dada la importancia que se le ha atribuido a las redes sociales como motores de la revolución, también se intentará enfatizar en la perspectiva de las redes sociales y el papel de las mujeres en estas, su representación, protagonismo, victimización e invisibilización.
Variabilidade local e regional da evapotranspira??o estimada pelo algoritmo SEBAL
Moreira, Luis C. J.;Durand, Bruno J.;Teixeira, Adunias dos S.;Andrade, Eunice M.;
Engenharia Agrícola , 2010, DOI: 10.1590/S0100-69162010000600015
Abstract: in the context of water resources scarcity, the rational use of water for irrigation is necessary, implying precise estimations of the actual evapotranspiration (et). with the recent progresses of remote-sensed technologies, regional algorithms estimating evapotranspiration from satellite observations were developed. this work aimed at applying the sebal algorithm (surface energy balance algorithms for land) at three landsat-5 images during the second semester of 2006. these images cover irrigated areas, dense native forest areas and caatinga areas in three regions of the state of ceará (baixo acaraú, chapada do apodi and chapada do araripe). the sebal algorithm calculates the hourly evapotranspiration from the latent heat flux, estimated from the surface energy balance. the hourly evapotranspiration values obtained were greater than 0.60 mm h-1 in irrigated or dense native vegetation areas, from 0.35 to 0.60 mm h-1 in sparse vegetation areas and almost null in degradated areas. the analysis of hourly evapotranspiration means by tukey test at 5% probability level showed not only a significant variability locally but also at a regional scale in the state of ceará.
Desempenho Comparativo de Métodos Para a Estimativa da Evapotranspira o de Referência (Et0)  [cached]
Glaucio Luciano Araujo,Edvaldo Fialho dos Reis,Camila Aparecida da S. Martins,Venilton Santos Barbosa
Revista Brasileira de Agricultura Irrigada , 2011, DOI: 10.7127/rbai.v5n200045
Abstract: A evapotranspira o de referência (ET0) pode ser estimada por diversos métodos, sendo o método de Penman-Monteith-FAO 56, considerado o método padr o de referência. O objetivo deste trabalho foi comparar o desempenho dos seguintes métodos para estimativa de evapotranspira o Radia o-FAO 24, Blaney-Criddle-FAO 24, Hargreaves & Samani, Camargo e Irrigametro, em rela o ao método padr o proposto pela FAO, Penman-MonteithFAO 56, em intervalos de um, três, cinco e sete dias, nas condi es climáticas do sul do Espírito Santo. O método do Irrigametro foi o que apresentou as melhores estimativas da ET0em rela o ao método padr o, independentemente do intervalo analisado, superestimando a ET0 em 1,58; 1,59; 1,61 e 1,61% para os intervalos de 1; 3; 5 e 7 dias respectivamente. Os métodos de Camargo e Blaney-Criddle-FAO 24 subestimaram os valores da ET0. Os métodos da Radia o-FAO 24 e Hargreaves & Samani superestimaram a evapotranspira o em rela o ao método padr o, independentemente do intervalo analisado.
Quando Chegará A Primavera? (Pour Anita, Qui Réussira!)  [cached]
Silvio Suzuki
Nuances : Estudos sobre Educa??o , 2009,
Abstract: Quando Chegará A Primavera? (Pour Anita, Qui Réussira!)
Project Monitoring and Control using Primavera
ANDREW FERNANS TOM,SACHIN PAUL
International Journal of Innovative Research in Science, Engineering and Technology , 2013,
Abstract: Project monitoring and control is the process of collecting, recording, and reporting information concerning project performance. Project controlling uses the data from monitor activity to bring actual performance to planned performance. The present study deals with the project monitoring process of “Standard Design Factory”, a four storeyed (G+3) factory building whose construction is in progress at Cochin, Kerala. A comparison between the planned progress of construction work and actual progress is performed in this study using project management software Primavera P6. Despite well-established principles and policies of project monitoring the process itself may not be efficiently accomplished in a project, because of those practical problems existing or arising in the projectSuch an attempt in realizing the practical problems in implementation of project monitoring and control will contribute to proper recognition of the problem areas and putting in place the control process to rectify the deviations.
Evapotranspira??o de referência com base na radia??o solar global estimada pelo método de Bristow-Campbell
Concei??o, Marco A. F.;
Engenharia Agrícola , 2010, DOI: 10.1590/S0100-69162010000400006
Abstract: the amount of water used in irrigation systems is usually calculated using the local reference evapotranspiration (eto) values. several methods can be used for eto calculation, and hargreaves method is one of the most popular. this method uses estimated values of global solar radiation (rs), based on the difference between the maximum (tmax) and minimum (tmin) air temperature. however, the rs may be calculated by other methods, such as the bristow-campbell, which also is based on the difference between tmax and tmin. in this study were estimated daily values of eto by the method of hargreaves in jales - sp, brazil, with and without the use of the bristow-campbell equation to calculate the rs. these values were compared with those from the penman-monteith method, which is considered standard for the estimation of eto. the evaluations had considered the wet and dry periods in the region. the use of the bristow-campbell equation improved the performance of the hargreaves method, in relation to the penman-monteith, and the performance during the dry period of the year was higher than that of the wet season.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.