oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Atividades da enfermeira no atendimento às gestantes em uma unidade de saúde da família de Salvador/Bahia  [cached]
Maria da Concei??o Costa Rivemales
Revista Eletr?nica de Enfermagem , 2008,
Abstract: O Programa de Saúde da Família (PSF), como instrumento atual de presta o de servi os, traz para a enfermagem uma multiplicidade de desafios, tais como, a modifica o da prática de saúde no ambito da aten o primária direcionando suas a es para a família, unidade complexa de rela es sociais, fazer parte de uma equipe multidisciplinar sem uma estrutura de servi os formalizados e o de agregar às suas práticas condutas associadas a esse novo programa. O objeto desta pesquisa é, portanto, as atividades da enfermeira no atendimento às gestantes em uma Unidade de Saúde da Família, sob o ponto de vista das próprias usuárias do servi o, tendo como objetivo geral: descrever as atividades da enfermeira no atendimento às gestantes em uma Unidade de Saúde da Família de Salvador/Bahia. Para responder as quest es o estudo perseguiu os seguintes objetivos específicos: (1) descrever características sócio-demográficas das gestantes atendidas em uma USF do município de Salvador/Bahia; (2) identificar as atividades desenvolvidas pela enfermeira no atendimento às gestantes (3) descrever as atividades realizadas pela enfermeira no pré-natal sob o ponto de vista das próprias mulheres. A Unidade de Saúde da Família de Beira Mangue é o local onde o estudo foi desenvolvido. Os sujeitos da pesquisa s o as mulheres grávidas, inscritas no PSF, que foram assistidas pelo menos duas vezes pela enfermeira no atendimento pré-natal. O estudo caracteriza-se como descritivo e exploratório. Na coleta de dados foram realizadas entrevistas gravadas com as gestantes atendidas no pré-natal. Os resultados revelam que as mulheres identificam as atividades das enfermeiras como: consulta mensal, reuni o com gestantes e visitas domiciliares; a consulta de enfermagem foi relatada como uma atividade capaz de facilitar uma maior identifica o profissional-cliente; as consultas do pré-natal e as reuni es com grupos de gestantes quase nunca contam com a participa o do parceiro sexual ou outros membros da família; a assistência domiciliar é prioritariamente exercida pelos ACS, onde a interven o das enfermeiras ocorre, ocasionalmente, quando o ACS detecta algum problema que necessite avalia o. As principais diferen as apontadas pelas mulheres entrevistadas no atendimento pré-natal foram: a melhoria no acesso e obten o da consulta, a garantia da realiza o dos exames complementares, o acesso a medicamentos, a participa o da enfermeira na consulta de gestantes. As propostas para a melhoria do atendimento, sugeridas pelas gestantes, foram a realiza o dos exames de rotina do pré-natal na USF e otimiza
Reorganiza o da demanda para atendimento odontológico no município de Amparo/SP: o desafio de garantir o acesso equanime às a es de saúde bucal  [cached]
Marcelo Bacci Coimbra,Franssinete Trajano De Medeiros Annes,Patricia Dias Braz Rodrigues,Fabiana de Lima Vazquez
Odonto , 2011,
Abstract: Objetivo: planejar o acesso ao atendimento odontológico de forma eqüitativa e integrar toda a equipe com a proposta de saúde bucal para atendimento familiar. Metodologia: este trabalho relata a experiência de reorganiza o do processo de trabalho da saúde bucal de uma unidade de saúde da família na cidade de Amparo, SP, discutindo em equipe sobre a problemática da saúde bucal na unidade, levantando os dados da lista de espera, e elaborando um instrumento de avalia o de risco onde se buscou a constru o de um instrumento que possibilitasse ordenar prioritariamente as famílias com maior necessidade de atendimento e que pudesse ser utilizado por qualquer profissional da equipe. Cada individuo da família foi avaliado e pontuado numa gradua o de 1 a 3, em rela o aos critérios idade, condi o bucal e saúde geral. Posteriormente foi feita uma somatória da pontua o de todas as pessoas da família e realizada uma média. Esta média foi somada a uma nota familiar que considera a condi o sócio-econ mica e moradia. A necessidade sentida pelo usuário também foi considerada na nota familiar. Resultados: obteve-se um instrumento de avalia o em saúde bucal simples, de fácil compreens o e manuseio e que fez do Agente Comunitário de Saúde, em especial, um elo de liga o entre o paciente e a equipe; uma lista de espera mais equanime, reorienta o das triagens familiares, caracteriza o da busca de atendimento por micro-áreas, para planejamento de atividades educativas, diminui o do número de urgências e maior integra o entre os profissionais da equipe. Conclus o: observou-se durante os trabalhos, além da reorganiza o da demanda e da faixa etária atendida, que até 2001 era prioritária para gestantes e crian as até 14 anos, restringindo assim o acesso dos adultos e consequentemente limitando os programas de saúde e com a implanta o das Equipes de Saúde Bucal na Estratégia de Saúde da Família, houve um ganho de qualidade para os usuários e também para os profissionais da unidade que passaram a compreender melhor, quest es mais específicas da odontologia e contribuíram com seus conhecimentos e percep es na constru o da ficha de avalia o e na reorienta o do fluxo, trazendo as quest es odontológicas mais para perto do dia-a-dia da equipe. Houve também uma satisfa o da equipe em oferecer resposta às famílias que aguardavam na lista de espera.
Avalia o do processo de atendimento a pacientes portadores de doen a cr nico-degenerativa em uma unidade básica de saúde  [cached]
Sala Arnaldo,Cohen Diane D.,Dalmaso Ana S. W.,Lima ?ngela M. M.
Revista de Saúde Pública , 1993,
Abstract: Avalia-se o desempenho de a es de saúde desenvolvidas em uma unidade básica de saúde, relativas ao controle da hipertens o arterial sistêmica (HAS) enquanto estratégia de redu o de morbi-mortalidadc por doen a cardiovascular baseada no "enfoque de risco". Estas a es estruturam-se a partir da detec o da hipertens o arterial na popula o adulta atendida no servi o e do controle dos níveis pressóricos nos indivíduos portadores de HAS, incluindo outros fatores de risco conhecidos, bem como tratamento de eventuais complica es. Analisaram-se 3.793 usuários que compareceram pelo menos uma vez à consulta médica no servi o de Assistência ao Adulto de um Centro de Saúde-Escola, do Município de S o Paulo (Brasil), no período de 1o de junho de 1990 a 31 de maio de 1991. Para cada um dos usuários foram considerados os diagnósticos realizados, bem como a concentra o de cada modalidade de consulta realizada (pronto-atendimento e consulta agendada). Destes, 839 eram portadores de hipertens o arterial e/ou diabete e foram agrupados em quatro categorias: os exclusivamente hipertensos, os hipertensos com outra doen a cr nica associada (exceto diabete), os diabéticos e os diabéticos com hipertens o arterial. Os resultados deste estudo mostraram: 1) baixa cobertura de indivíduos hipertensos e diabéticos em atendimento no servi o, quando se considera a popula o atendida pelo Centro de Saúde; 2) a existência de pacientes diagnosticados como hipertensos em consultas de pronto-atendimento, que n o retornaram ao Centro de Saúde para seguimento médico programático, apontando para dificuldades na capta o efetiva destes indivíduos. Esta "perda" deveu-se tanto a faltas dos pacientes às consultas agendadas para seu seguimento quanto ao n o agendamento de consultas de seguimento por parte do servi o; 3) para os pacientes que aderiram ao seguimento, a concentra o de consultas médicas e a concentra o de faltas apresentaram números compatíveis com a proposta de agendamento trimestral; 4) a categoria dos exclusivamente hipertensos apresentou, quando comparada com as demais, menor concentra o de consultas e maior propor o de faltas por consulta agendada. Discutem-se os limites das a es baseadas no "enfoque de risco" para controle de doen as crónico-degenerativas em popula o.
Familiares de clientes acometidos pelo HIV/AIDS e o atendimento prestado em uma unidade ambulatorial  [cached]
Silveira Edilene Aparecida Araújo da,Carvalho Ana Maria Pimenta
Revista Latino-Americana de Enfermagem , 2002,
Abstract: Durante o desenvolvimento da doen a ocorrem altera es no estilo de vida do indivíduo com HIV/AIDS que suscitam, na família e no paciente, rea es de adapta o às demandas. O presente estudo, realizado no ambulatório de um centro de referência para HIV/AIDS, contou com a participa o de oito integrantes do grupo de apoio para familiares de pacientes acometidos pelo HIV/AIDS. Eles responderam a uma entrevista semi-estruturada a partir da qual foram analisados os conteúdos de suas falas. Esses familiares referiram dificuldades ao lidar com a doen a e com a agressividade do paciente em rela o ao cuidador. Eles encontraram acolhimento e recursos que proporcionaram melhora da saúde e mudan as positivas no paciente, mas queixaram-se da demora no atendimento ambulatorial e dificuldades com o transporte. No grupo de apoio encontraram alívio e conforto. A família que se prop e a cuidar do paciente deve ser acolhida e auxiliada na adapta o às mudan as, pela equipe de saúde.
Caracteriza o das prescri es medicamentosas em unidade de terapia intensiva adulto Characterization of drug prescriptions in an adult intensive care unit
Leandro dos Santos Maciel Cardinal,Vanessa Terezinha Gubert de Matos,Glenda Mara Sousa Resende,M?nica Cristina Toffoli-Kadri
Revista Brasileira de Terapia Intensiva , 2012, DOI: 10.1590/s0103-507x2012000200009
Abstract: OBJETIVO: Caracterizar as prescri es medicamentosas em unidade de terapia intensiva adulto em hospital universitário. MéTODOS: Estudo unicêntrico, observacional, descritivo, transversal realizado em unidade de terapia intensiva adulto geral. A popula o foi constituída por todos os pacientes internados na unidade no período de janeiro a mar o de 2011. Foi verificada a presen a dos seguintes itens na prescri o: nome do medicamento (genérico, comercial ou abreviatura), concentra o, forma farmacêutica, posologia, via de administra o, nome e registro do paciente na institui o, clínica e leito de interna o, nome, número do conselho e assinatura do prescritor e data. Quantificou-se a porcentagem de medicamentos prescritos pertencentes à Rela o Nacional de Medicamentos Essenciais, Lista de Medicamentos Essenciais da Organiza o Mundial da Saúde e Guia Farmacoterapêutico do Núcleo Hospital Universitário. Os medicamentos foram classificados com base no sistema Anatomical Therapeutic Chemical níveis 1 e 2. RESULTADOS: Foram analisadas 844 prescri es de 72 pacientes com média de idade de 59,04 ± 21,80, sendo 54,92% do gênero feminino. O número médio de prescri es por paciente foi 11,72 ± 11,68. O total de medicamentos prescritos foi de 12.052. Destes, 9.571(79,41%) foram prescritos pela denomina o genérica. A forma farmacêutica foi a informa o mais ausente na descri o dos medicamentos (8.829/73,26%). A concentra o dos medicamentos foi descrita para 7.231 (60%) dos medicamentos. As informa es sobre o prescritor e paciente estiveram presentes em mais de 96% das prescri es. Os medicamentos prescritos foram classificados em 13 grupos terapêuticos e 55 subgrupos. Entre os subgrupos mais prescritos, destacaram-se os antibacterianos de uso sistêmico. CONCLUS O: A maioria das informa es analisadas esteve presente nas prescri es. Porém, dados sobre concentra o e forma farmacêutica dos fármacos faltaram em grande parte das prescri es. A caracteriza o das mesmas nas diferentes unidades hospitalares é imprescindível para a elabora o de estratégias que visem minimizar os problemas relacionados ao uso de medicamentos. OBJECTIVE:To characterize drug prescriptions in a university hospital adult intensive care unit. METHODS: Single-center, observational, descriptive, cross-sectional study conducted at an adult general intensive care unit. The study population included all of the unit's inpatients from January to March 2011. The following characteristics for all prescriptions recorded during this period were examined: drug name (generic, brand name or abbreviati
Unidades de Radiologia Intervencionista/Hemodinamica: caracteriza o do enfermeiro e da estrutura da unidade  [PDF]
Ruth Natalia Teresa Turrini
Revista Eletr?nica de Enfermagem , 2010,
Abstract: Enfermagem em radiologia é um novo campo de trabalho que requer além das habilidades habituais de enfermagem, competências na área de cuidados críticos. Este estudo descritivo se prop s a conhecer o perfil do enfermeiro e caracterizar as unidades de hemodinamica e radiologia que realizam procedimentos minimamente invasivos. A amostra foi constituída por 15 hospitais com número de leitos superior a 50 localizados no município de S o Paulo (Brasil). Dois questionários foram enviados às unidades por correio: um sobre as características da unidade e outro sobre o perfil do enfermeiro. O questionáriosobre o perfil do enfermeiro foi respondido por 56 enfermeiros. O número médio de enfermeiros atuando em unidades de hemodinamica e radiologia nos hospitais governamentais foi de 2,8 e nos hospitais privados de 2,2; tempo médio de forma o profissional foi de 12,5 anos; 67,9% frequentaram um curso de especializa o, a maioria em administra o hospitalar. Dos enfermeiros, 16,1% tinham experiência anterior em radiologia e apenas 17,9% foram contratados para trabalhar de imediato nas unidades de radiologia/hemodinamica. Metade dos servi os possuía uma estrutura física que atendia à normaliza o legal. O número de enfermeiros que participava de núcleos de estudo na área cardiovascular ou de radiologia foi reduzido.
Readmiss es n o previstas após alta da unidade de interna o de curta dura o de um servi o de urgência pediátrica em Viseu, Portugal =Unexpected readmissions after discharge of short term stay unit of a pediatric emergency room in Viseu, Portugal  [PDF]
Leite, Filipa,Faria, Cristina
Scientia Medica , 2009,
Abstract: Objetivos: o objetivo deste estudo foi avaliar alguns aspectos da atividade assistencial na unidade de interna o de curta dura o do servi o de urgência pediátrica do Hospital de S o Teotónio, em Viseu, Portugal, com ênfase na evolu o dos casos que regressaram ao servi o de urgência nas 72 horas seguintes à alta. Métodos: foi feita uma revis o dos prontuários das crian as que, tendo tido alta da unidade, regressaram à mesma sem que isso tivesse sido previsto, nas 72 horas seguintes, durante um período de 12 meses. Foram analisados os diagnósticos iniciais e os estabelecidos na readmiss o. Resultados: em 2005 foram atendidas no servi o de urgência 33. 211 crian as/adolescentes, e destas, 1. 395 (4,2%) foram admitidas na unidade de interna o de curta dura o. Do total das 905 (65%) que tiveram alta dessa unidade para o domicílio, 70 (7,7%) regressaram de modo n o previsto ao servi o de urgência nas 72 horas seguintes. As principais causas de retorno n o programado foram infe o urinária, gastroenterite aguda e síndrome febril, verificando-se serem mais frequentes na faixa etária abaixo dos dois anos. Em 21,4% dos casos houve necessidade de reinterna o na mesma unidade. Entre este grupo de 70 crian as, 10% tinham novos diagnósticos de maior significado clínico. Houve um caso de oclus o intestinal que motivou interven o cirúgica. Conclus es: os dados obtidos s o úteis para a caracteriza o do perfil de pacientes com readmiss es n o-previstas, para que novas interven es sejam implementadas para melhorar o atendimento desse grupo de pacientes. Aims: The aim of this study was to evaluate different clinical aspects in a short term stay unit of the emergency room of S o Teotónio’s Hospital, Viseu, Portugal, with emphasis on the evolution of the cases that have returned to the emergency room, within 72 hours after discharge. Methods: Medical records of children discharged from this unit that returned to the emergency room on the following 72 hours, in a 12 months period, were reviewed. We have analyzed the initial diagnosis and those made on readmission. Results: In 2005, 33,211 children/adolescents were registered in the emergency room, and 1,395 (4. 2%) were admitted in the short term stay unit. From this sample, 70 out of 905 discharges (7. 7%) returned unexpectedly to the emergency room on the following 72 hours. The leading causes of these returns were urinary tract infection, acute gastroenteritis and fever, more frequently in children younger than two years of age. From this group of 70 children, 21. 4% needed readmission in the unit, and 10% had a n
Atendimento da popula o masculina em unidade básica saúde da família: motivos para a (n o) procura Cuidado de la población masculina en unidad básica de salud de la familia: motivos para la (no) búsqueda Health care for male population in basic unit of family health: reasons for (not) attendance  [cached]
Katiucia Letiele Duarte Vieira,Vera Lúcia de Oliveira Gomes,Marta Riegert Borba,César Francisco da Silva Costa
Escola Anna Nery , 2013,
Abstract: Estudo exploratório descritivo, que objetivou conhecer os motivos que levam homens a procurar atendimento de saúde e compreender os motivos que os afastam de uma Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) no sul do Brasil. Pela análise dos prontuários, identificaram-se 175 atendimentos a homens entre 25 e 59 anos em 2010. Problemas agudos acometeram 93 (52,2%) usuários, a dor desencadeou 42 (23,6%) dos problemas cr nicos, hipertens o arterial acometeu 37 (21,4%) clientes. Com entrevistas apreenderam-se os motivos de afastamento daquela UBSF. Sentiam-se saudáveis, por isso frequentavam pouco o servi o de saúde, ficando dez anos ou mais sem procurá-lo. Além de quest es de gênero, alegaram incompatibilidade de horário, medo de detectarem doen a grave, número insuficiente de fichas e falta de especialistas. Para atender às peculiaridades da popula o masculina, é necessário que os profissionais de saúde se capacitem, problematizem a realidade de cada UBSF e, juntamente com os gestores, vislumbrem e operacionalizem estratégias inclusivas de atendimento. Este estudio tuvo como objetivo conocer las razones que conducen los hombres a buscar atención de salud y entender por qué se apartan de una Unidad Básica de Salud de la Familia (UBSF) en el sur de Brasil. Por el análisis de los registros fueron identificados 175 atendimientos prestados a hombres entre 25 y 59 a os en 2010. Problemas agudos acometieran 93 (52,2%) usuarios, el dolor desencadenó 42 (23,6%) de los problemas crónicos, hipertensión arterial golpeó 37 (21,4%) pacientes. Con las entrevistas se aprehendieron los motivos que los alejaban de aquella UBSF. Ellos se sentían sanos, por lo que asistían poco a los servicios de salud, permaneciendo diez a os o más sin buscarlo. Además de las cuestiones de género, alegaron conflicto de programación, el miedo de detectar cualquier enfermedad grave, un número insuficiente de fichas y la falta de especialistas. Para hacer frente a las peculiaridades de la población masculina es necesario que los profesionales de salud se califiquen, cuestionen la realidad de cada UBSF y juntamente con gestores, vislumbren y realicen estrategias de inclusión de atención. This exploratory and descriptive study aimed to know the reasons that lead men to seek healthy care and understand the reasons that depart them from the Basic Unit of Family Health in the southern tip of Brazil. For the analysis of the records, 175 attendances to men ranging from 25 to 59 years old in 2010 were identified. Acute problems were reported by 93 (52.2%) users, the pain triggered 42 (23.6%) of chronic p
Caracteriza??o das vítimas de ferimentos por arma de fogo, atendidas pelo Servi?o de Atendimento Móvel de Urgência em Campo Grande-MS
Sanches, Simone;Duarte, Sebasti?o Junior Henrique;Pontes, Elenir Rose Jardim Cury;
Saúde e Sociedade , 2009, DOI: 10.1590/S0104-12902009000100010
Abstract: violence has grown in an overwhelming way in brazil, raising the indicators of morbidity and mortality by external causes. many times, the use of firearms makes fatal victims or victims who may remain disabled. this fact has increased the state's onus regarding hospital costs and also the number of life years that the young population loses, as it forms the majority of the victims. the present study aimed to survey the victims of injuries caused by firearms, assisted by the mobile emergency care service (samu - servi?o de atendimento móvel de urgência) in the municipality of campo grande, state of mato grosso do sul (ms), in the period from april 2005 to april 2007 - the first two years of operation since the implementation of the service in the capital of the state. a descriptive, retrospective and longitudinal study was carried out, based on a documental analysis of the information system of the samu of campo grande. in the study, 233 events were described. the results showed 213 male victims aged between 20 and 24 years. the head and neck were the most injured parts of the body and the south region of the city was the one that concentrated most events. it follows that violence caused by firearms in campo grande, ms, affects the economically active population and comes from regions characterized by poverty and social inequality. this justifies the implementation of a free service like samu, which has had an important impact on the community's health.
Relato da história da inser??o e evolu??o do atendimento psicológico a bebês e suas famílias em uma Unidade de Neonatologia
Setúbal, Maria Silvia V.;
Revista Paulista de Pediatria , 2009, DOI: 10.1590/S0103-05822009000300017
Abstract: objective: this article describes the evolution of a psychologist's work in a neonatal care unit, from simple interventions that changed certain routines to foster humanization of care, to the complete integration of this professional into the multidisciplinary neonatal team. detailed descriptions of the work's implementation in the hospital setting offer health professionals of the field a model for similar programs. case description: the history of the inception and evolution of a psychologist's work at the neonatal care unit of universidade estadual de campinas in a ten-year period (1993 to 2003) was described. specific activities developed within this period have been described, as well as the theory supporting every action. the base techniques utilized within this time frame are also commented. comments: the specificity of the psychologist's knowledge can be extended to other health professionals of the same field, promoting preventive mental health measures, especially actions that benefit the bonding between mothers and their babies. it could also be disseminated, grow in importance, and become routine in every neonatal care unit.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.