oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Sistema de libera o prolongada a partir de comprimidos matriciais bioadesivos vaginais contendo metronidazol
A. DIAS,J. L. SOARES SOBRINHO,L. C.C. NUNES,M. F. LA ROCA
Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada , 2009,
Abstract: A vaginose bacteriana é a mais comum das infec es do trato genital feminino. O metronidazol, droga de escolha no tratamento, possui boa resposta terapêutica, mas, devido à sua toxicidade após doses contínuas, tem sua capacidade de combate e revers o da doen a limitada pela efemeridade do tratamento. Desenvolveu-se a forma farmacêutica comprimido matricial bioadesivo vaginal contendo metronidazol que levou em conta, tanto a redu o das quantidades administradas da droga, quanto o uso de atributos que desfavore am a permanência da flora patógena no meio vaginal, como a libera o prolongada e a acentuada ades o da forma à mucosa. Foram obtidos durante o estudo três formula es chamadas de lotes de bancada (LB I, LB II e LB III) com varia es quali-quantitativas dos excipientes utilizados. Nos LB I e LB II utilizou-se o hidropropilmetilcelulose e carbopol como constituintes da matriz, porém no LB III foi utilizado uma composi o de hidropropilmetilcelulose, etilcelulose e carbopol. As formula es apresentaram resultados dentro das especifica es frente aos testes físico-químicos habituais de acordo com a Farmacopéia brasileira. Os comprimidos LB I e LB II liberaram todo seu conteúdo após seis e 12 horas, respectivamente, a partir de matrizes de caráter notadamente adesivo e ao fim dos ensaios mantiveram-se na forma de pequena estrutura gelificada. Mesmo sob essas condi es, e após 48 horas de ensaio, a formula o LB III n o liberou todo seu conteúdo, pode-se levar em conta a mudan a da natureza dos componentes da matriz assim como a necessidade de um desenvolvimento e valida o de método mais específico para dissolu o. Palavras-chave: Comprimidos matriciais, metronidazol, libera o prolongada.
A INFLUêNCIA DO Cissus chiclete na MEC NICAS E LIBERTA O DE PROPRIEDADES PARACETAMOL COMPRIMIDOS - uma análise fatorial The influence of cissus gum on the mechanical and release properties of paracetamol tablets – a factorial analysis  [cached]
ADETAYO O ADELEYE,MICHAEL A ODENIYI,KOLAWOLE T JAIYEOBA
Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada , 2010,
Abstract: Os efeitos quantitativos de uma goma nova como a pasta nas propriedades mecanicas e da libera o de formula es da tabuleta do paracetamol foram avaliados usando um projeto 23 experimental factorial cheio. Goma de Cissus obtida do populnea Guill de Cissus. & Perr. (Vitaceae) foi comparado com o gelatin oficial. Os efeitos do indivíduo e da intera o do tipo de pasta, da concentra o de fra o da pasta e de embalagem na friabilidade, da for a elástica, do índice da fratura frágil, do tempo da desintegra o e da libera o da droga das tabuletas eram determinados. Mudar a pasta do gelatin à goma de Cissus conduziu a um aumento na friabilidade e a uma diminui o na for a elástica, no BFI e nos parametros da libera o da droga. Concentra o crescente da pasta de 2.0w/w a 4.0%w/w, e densidade relativa crescente de 0.80 a 0.90, conduzido para aumentar na tendência da lamina o e na taxa de libera o das formula es. As tabuletas que contêm o gelatin tiveram uma for a elástica mais elevada com mais baixa friabilidade, e uns tempos mais elevados da desintegra o e da dissolu o com mais tendência laminar quando comparadas com a goma de Cissus. Daqui, o cuidado deve ser recolhido escolhendo uma pasta apropriada para formula es da tabuleta no que diz respeito às características mecanicas e da libera o. O estudo sugere que a goma de Cissus seja preferida ao gelatin nas formula es da tabuleta que exibem a tendência tampar ou laminar ou nas formula es significadas para a libera o rápida da droga. The quantitative effects of a new gum, used as a binder, on the mechanical and release properties of paracetamol tablet formulations were analyzed in a 23 full factorial experiment. Cissus gum extracted from Cissus populnea Guill. & Perr. (Vitaceae) was compared with official gelatin. The individual and interaction effects of type of binder, concentration of binder and packing fraction on the friability, tensile strength, brittle fracture index, disintegration time and drug release profile of tablets were determined. Changing the binder from gelatin to cissus gum led to an increase in friability and a decrease in tensile strength, brittle fracture index (BFI) and drug release variables. Increasing binder concentration from 2.0w/w to 4.0%w/w, and increasing relative density from 0.80 to 0.90, led to increases in lamination tendency and release rate of the formulations. Tablets containing gelatin had higher tensile strength, lower friability, longer disintegration time and a greater tendency to laminate than those with cissus gum. Hence, care must be taken in choosing a su
Avalia o de bentonita sódica purificada e bentonita sódica intercalada como promotores de dissolu o de clorpropamida em comprimidos preparados por granula o úmida e compress o direta  [cached]
L. M. LIRA,C. B. DORNELAS,L. M. CABRAL
Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada , 2009,
Abstract: O presente estudo avaliou sistemas baseados em bentonita sódica purificada e bentonita sódica purificada intercalada com colina como promotores de dissolu o de clorpropamida. A intercala o da bentonita sódica foi avaliada por difra o de raios X, análise termogravimétrica, análise calorimétrica de varredura e espectrometria no infravermelho. Prepararam-se misturas físicas, empastamentos (kneadings) e granulados e comprimidos, por granula o úmida e compress o direta; ambos os sistemas (físicos e comprimidos) com diversas rela es fármaco:promotores de dissolu o. Todos os sistemas físicos e os comprimidos foram avaliados quanto à dissolu o do fármaco segundo metodologia descrita na Farmacopéia Norte-Americana (USP). Os comprimidos ainda foram avaliados quanto à dureza e friabilidade. O empastamento hidroalcoólico mostrou ser o melhor sistema físico para aumento da dissolu o, entretanto é inviável para produ o industrial de comprimidos. Os comprimidos de clorpropamida preparados por granula o úmida com propor o de fármaco e promotores de dissolu o de 1:0,25 p/p apresentaram melhores resultados no teste de dissolu o em rela o aos comprimidos sem os promotores. N o houve diferen a significativa entre a libera o de clorpropamida com a bentonita sódica e bentonita sódica intercalada. Os comprimidos preparados por compress o direta apresentaram, comparativamente, o melhor desempenho no teste de dissolu o. N o foi evidenciado perda de cristalinidade do fármaco nos sistemas estudados. O poder de desintegra o da bentonita e a possível intera o molecular entre o fármaco e a bentonita s o as prováveis causas do aumento da dissolu o da clorpropamida com tais sistemas baseados em bentonita. Palavras-chave: bentonita sódica; solubilidade; promotores de dissolu o; comprimidos
Teste de dissolu??o para avalia??o de libera??o de glibenclamida em comprimidos
Nery, Christiane Gino Colu;Pianetti, Gerson Ant?nio;Pires, Maria Arlete Silva;Moreira-Campos, Ligia Maria;Vianna-Soares, Cristina Duarte;
Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas , 2007, DOI: 10.1590/S1516-93322007000300010
Abstract: glibenclamide (glib) or glyburide, a second-generation hypoglycemic agent is used per oral as tablets for the treatment of diabetes mellitus. much variabilility in the treatment may occur because of the low drug aqueous solubility in tablets dosage forms. this work reports the comparison of several pilot formulation batches with the commercial reference drug dosage form (daonil?, glibenclamide 5 mg per tablet, aventis pharma ltda.). a feasible dissolution test, developed with no use of organic solvents or surfactants in the medium, showed to be discriminative regarding to different formulations tested. glib quantitation was performed by a previously validated reverse-phase high performance liquid chromatography (rp-hplc). among several dissolution profiles compared with that of a commercial reference, a potential for a generic candidate was evident (f1 4.04 and f2 69.35) for a proposed solid dosage formulation in the brazilian market.
Physicochemical and dissolution profile characterization of pellets containing different binders obtained by the extrusion-spheronization process  [cached]
Michele Georges Issa,Letícia Pessole,Andrea Ikeda Takahashi,Newton Andréo Filho
Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences , 2012, DOI: 10.1590/s1984-82502012000300004
Abstract: With the purpose of evaluating the behavior of different polymers employed as binders in small-diameter pellets for oral administration, we prepared formulations containing paracetamol and one of the following polymers: PVP, PEG 1500, hydroxypropylmethylcellulose and methylcellulose, and we evaluated their different binding properties. The pellets were obtained by the extrusion/spheronization process and were subsequently subjected to fluid bed drying. In order to assess drug delivery, the United States Pharmacopeia (USP) apparatus 3 (Bio-Dis) was employed, in conjunction with the method described by the same pharmacopeia for the dissolution of paracetamol tablets (apparatus 1). The pellets were also evaluated for granulometry, friability, true density and drug content. The results indicate that the different binders used are capable of affecting production in different ways, and some of the physicochemical characteristics of the pellets, as well as the dissolution test, revealed that the formulations acted like immediate-release products. The pellets obtained presented favorable release characteristics for orally disintegrating tablets. USP apparatus 3 seems to be more adequate for discriminating among formulations than the basket method. Com a finalidade de se avaliar o comportamento de diferentes polímeros empregados como aglutinantes em pellets de pequeno diametro para uso oral foram preparadas formula es contendo paracetamol e um dos seguintes polímeros: PVP, PEG 1500, hidroxipropilmetilcelulose e metilcelulose por apresentarem diferentes propriedades aglutinantes. Os pellets foram obtidos pelo processo de extrus o/esferoniza o e secagem em leito fluidizado. Para avaliar a libera o do fármaco, empregou-se o método 3 da Farmacopeia Americana, também conhecido como Bio-Dis e o método preconizado pela mesma farmacopeia para comprimidos de paracetamol. Os pellets foram avaliados, ainda, com rela o à granulometria, friabilidade, densidade verdadeira e teor. Os resultados indicaram que os diferentes aglutinantes empregados s o capazes de afetar a produ o e algumas das características físico-químicas dos pellets e o ensaio de dissolu o revelou que as formula es comportam-se como produtos de libera o imediata. Os pellets obtidos apresentaram características de libera o favoráveis para a obten o de comprimidos de libera o instantanea. O aparato 3 da Farmacopeia Americana demonstrou ser um método com melhor capacidade discriminatória entre as formula es, quando comparado com o método da cesta.
Libera o de flúor de materiais restauradores  [cached]
CARVALHO Adriana Silva de,CURY Jaime Aparecido
Revista de Odontologia da Universidade de S?o Paulo , 1998,
Abstract: Atualmente no mercado odontológico existem diversos tipos de materiais restauradores que liberam flúor com o objetivo de diminuir ou eliminar as cáries recorrentes. Considerando-se a diferen a de composi o desses materiais, foi avaliada sua capacidade de libera o de flúor. Foram avaliados os materiais restauradores: Chelon-fil (ESPE), Vitremer (3M), Variglass (Dentsply), Dyract (Dentsply) e Tetric (Vivadent). Confeccionaram-se seis amostras cilíndricas (área = 1,65 cm2) de cada material, as quais foram imersas individualmente em 2,0 ml de água deionizada, que foi trocada diariamente durante 15 dias. A libera o de flúor foi determinada após adi o de volume igual de tamp o TISAB II às solu es. Para a análise da concentra o de flúor foi utilizado um eletrodo específico para flúor Orion 96-09, acoplado a um analisador de íons Orion EA-940. Todos os materiais seguiram o mesmo padr o de libera o de flúor. As maiores médias de flúor liberado dentro de cada material foram encontradas no 1o dia, decrescendo bruscamente no 2o e 3o dias, e a quantidade de flúor liberado apresentou um decréscimo com o passar dos dias até atingir um nível quase constante. A libera o média de flúor durante o período de avalia o (média e desvio padr o) em μg F/cm2 foi: CHE = 7,62 ± 0,76A, VIT = 5,91 ± 0,79B, VAR = 2,72 ± 0,25C, DYR = 1,50 ± 0,17 D, TET = 0,136 ± 0,016 E. Médias seguidas por letras distintas diferem entre si ao nível de significancia de 5% (Tukey). Os resultados mostraram que a composi o dos materiais restauradores influencia de maneira significativa sua libera o de flúor.
Influência das propriedades de granulados de lactose nas características físicas dos comprimidos  [cached]
B. S.F. CURY,J. H.F. BUENO,N. P. SILVA JúNIOR,A. D. CASTRO
Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada , 2009,
Abstract: As propriedades físico-químicas dos excipientes podem predominar nas características físicas do sistema sólido particulado e influenciar decisivamente o comportamento de compacta o, já que, muitas vezes, estes se apresentam em propor es muito maiores que o fármaco nas formula es de comprimidos. O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência do tamanho de granulados de lactose nas características físicas de comprimidos obtidos em diferentes diametros de pun o, uma vez que tal rela o n o tem sido explorada na literatura. Granulados de diferentes tamanhos foram produzidos por via úmida e compactados em pun es de diferentes diametros por aplica o de diferentes for as. Avaliou-se distribui o granulométrica, densidade aparente e fluxo dos granulados e características físicas dos comprimidos (peso, dureza, friabilidade e tempo de desintegra o). Os resultados indicam que para os comprimidos produzidos em pun es de 7mm de diametro, situa o em que há predomínio das características do excipiente em raz o da baixa dose do fármaco, a sele o do tamanho dos granulos torna-se fundamental para a resistência mecanica do compacto. Por outro lado, foi possível obter comprimidos de maiores dimens es, pun es 9, 11 e 13mm, a partir de granulos de todos os tamanhos estudados. Palavras-chave: tamanho de partícula; comprimidos; lactose; granulado.
Matrizes hidrofílicas de quitosana/captopril: Desenvolvimento e Caracteriza o Físico-Química  [cached]
CARLOS ALEXANDRE FRAGA,FLáVIO LUíS BELTRAME,HELLEN KARINE STULZER,AIRTON VICENTE PEREIRA
Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada , 2010,
Abstract: Neste trabalho, avaliou-se a utiliza o da quitosana como matriz hidrofílica no desenvolvimento de comprimidos de libera o prolongada de captopril. Os comprimidos foram obtidos por compress o direta utilizando-a em diferentes propor es (10, 15, 20 e 25%). As formula es contendo quitosana foram comparadas com uma formula o de libera o imediata contendo croscarmelose. Os resultados obtidos nos ensaios de peso médio, friabilidade, dureza, uniformidade de conteúdo e doseamento indicaram que todos os comprimidos apresentavam características de qualidade condizentes com os limites especificados na Farmacopeia Brasileira. Os ensaios de dissolu o evidenciaram um aumento do tempo de libera o do captopril com o aumento da propor o de quitosana na matriz, indicando que essas formula es apresentaram perfis de libera o prolongada do fármaco, especialmente a formula o contendo 25% de quitosana. Os valores dos coeficientes de correla o indicaram que os modelos cinéticos que melhor se ajustam ao perfil de dissolu o das formula es avaliadas foram o modelo proposto por Higuchi (pH 1,2) e o de primeira ordem (pH 6,8). Palavras-chave: Captopril. Comprimidos. Quitosana. Libera o prolongada. ABSTRACT Hydrophilic Matrices of Chitosan/Captopril: Development and physicochemical Characterization In this study, chitosan was used as a hydrophilic matrix in the development of prolonged-release tablets of captopril. The tablets were obtained by direct compression, with the chitosan in various proportions (10, 15, 20 and 25%). The formulations were compared with an immediate-release formulation containing croscarmellose. In assessments of weight variation, friability, hardness, content uniformity and drug assay, all the tablets complied with the standards of quality set by the Brazilian Pharmacopoeia. Dissolution tests showed that the release time of captopril increased with the content of chitosan in the matrix, indicating that these formulations showed prolonged-release profiles of the drug, especially the one containing 25% chitosan. The kinetic models that fitted the dissolution profiles of the formulations best (with the highest correlation coefficients) were the Higuchi (at pH 1.2) and first-order (at pH 6.8) models. Keywords: Captopril. Tablets. Chitosan. Prolonged release.
Liberación de selenio en soluciones amortiguadoras a partir de comprimidos elaborados con diferentes tipos de aglomerantes  [cached]
Carlos Gutiérrez Olvera,René Rosiles Martínez,Adriana Ducoing Watty
Veterinaria México , 2006,
Abstract: Esta investigación se realizó con el fi n de medir la liberación de selenio (Se) in vitro a partir de comprimidos de 1 g de peso, con 5% y 10% de Se y fabricados con tres tipos de aglomerantes (yeso, cemento para concreto, cemento pega-azulejo) y la adición o no de sulfato de cobre. Los comprimidos se sumergieron en soluciones amortiguadoras con pH 7.0, 6.5, 6.0 y 5.5. La concentración de Se liberado (mg/comprimido/día) se midió mediante espectrometría a partir del líquido sobrenadante a los días 1, 4, 8, 16, 32 y 64. Los comprimidos de yeso se desintegraron en todas las soluciones a partir del día 4. Los comprimidos de cemento (con y sin sulfato de cobre) dejaron de liberar Se a partir del día 32 y poco tiempo después se fracturaron y rompieron. La liberación promedio de Se de los comprimidos de cemento pega-azulejo y sulfato de cobre fue mayor que la de los comprimidos de cemento pega azulejo sin sulfato de cobre. Esta última fue superior para los comprimidos que contenían 10% que para los comprimidos con 5% de Se. A través del tiempo se observa una interacción compleja entre el contenido de Se, la presencia o ausencia de sulfato de cobre y los niveles de pH, sin que se manifi este un patrón predominante. Se concluye que el mejor aglomerante es el cemento pega-azulejo, ya que mantiene una liberación del elemento de manera constante y durante mayor tiempo.
De Freedom from... libera nos, Domine  [PDF]
Miguel Turrión
Panace@ : Revista de Medicina, Lenguaje y Traducción , 2008,
Abstract: Tomando como base una traducción del inglés al árabe sobre el bienestar de los animales, defiendo la necesidad de adaptar las traducciones no solo a la lengua, sino también a la cultura de llegada, lo cual puede tener repercusiones positivas para los propios originales. También arremeto contra el uso indiscriminado de la jerga y del concepto de libertad . ------------------------------------------------------------- De "Freedom from..." libera nos, Domine. Taking a translation about animal welfare from English into Arabic as a starting point, I make the case for adapting translations not only to the target language, but to the target culture as well. This, in turn, can provide useful feedback for the originals themselves. I also argue against the abusive use of jargon and of the concept of "freedom".
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.