All Title Author
Keywords Abstract


Fontes de amido e proteína para vacas leiteiras em dietas à base de capim elefante

Keywords: digestibilidade , parametros de fermenta o ruminal

Full-Text   Cite this paper   Add to My Lib

Abstract:

A correta associa o de fontes concentradas de energia e/ou proteína ao volumoso da ra o de bovinos, poderá maximizar o desempenho dos animais, como efeito da complementariedade das taxas de degrada o de nutrientes. Avaliou-se o efeito de diferentes formas de processamento de milho, níveis de inclus o na dieta e fontes de proteína sobre a digestibilidade dos nutrientes na dieta, parametros de fermenta o ruminal, bem como o desempenho de vacas leiteiras. Foram utilizadas cinco vacas da ra a holandesa em lacta o, distribuídas ao acaso em um delineamento experimental do tipo quadrado latino 5 x 5. Os tratamentos utilizados foram: silagem de milho, farelo de soja e milho moído (quirera fino) em nível alto; capim elefante, farelo de soja, milho moído em nível alto; capim elefante, farelo de soja, milho moído em nível baixo; capim elefante, farelo de soja, milho floculado (360 g L-1) em nível alto; capim elefante, farinha de peixe, milho floculado em nível alto. A dieta contendo capim elefante, milho floculado e farelo de soja em alto nível foi a que mais se aproximou da dieta de silagem de milho nos diversos parametros avaliados. A fonte de proteína n o degradável no rúmen (PNDR) n o apresentou vantagens em rela o à fonte convencional de proteína. O fornecimento de baixo nível de concentrado n o supriu as deficiências energéticas do capim elefante. A maior eficiência de produ o de vacas leiteiras que receberam ra es com base em capim elefante simulando pastejo foi observada quando a energia estava disponível no rúmen, seja através do processamento, ou seja da maior inclus o de concentrado na dieta.

Full-Text

comments powered by Disqus