All Title Author
Keywords Abstract

Publish in OALib Journal
ISSN: 2333-9721
APC: Only $99

ViewsDownloads

Relative Articles

Associa o de inseticidas químicos e fungos entomopatogênicos no Manejo Integrado de Pragas – uma revis o / Association of chemical insecticides and entomopathogenic fungi in Integrated Pest Management – a review

SELETIVIDADE DE INSETICIDAS SOBRE O COMPLEXO DE PREDADORES DAS PRAGAS DO ALGODOEIRO SELECTIVITY OF PESTICIDES OVER PREDATORS OF COTTON PLANT PESTS

SELECTIVITY OF INSECTICIDES TO PREDATORS OF PESTS COTTON PLANT SELETIVIDADE DE INSETICIDAS AOS PREDADORES DAS PRAGAS DO ALGODOEIRO

Tecnologia de manejo integrado de pragas em citros no convênio CEMIP/UNESP – Coopercitrus

INTERA O TRITRóFICA: ASPECTOS GERAIS E SUAS IMPLICA ES NO MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS

Efeito de inseticidas na semeadura sobre pragas iniciais e produtividade de milho safrinha em plantio direto

EFEITO DA COBERTURA VEGETAL DO SOLO SOBRE A ABUND NCIA E DIVERSIDADE DE INIMIGOS NATURAIS DE PRAGAS EM VINHEDOS

Efeito de doses e de refúgio sobre a seletividade de inseticidas a predadores e parasitóides de pragas de soja

Seletividade fisiológica de inseticidas aos inimigos naturais de Plutella xylostella (L.) (Lepidoptera: Plutellidae) em brássicas Insecticide physiological selectivity to natural enemies of Plutella xylostella (L.) (Lepidoptera: Plutellidae) in Brassicae

Eficiência de Inseticidas no Controle de Pragas em Sementes e Mudas de Pau-rosa (Aniba rosaeodora Ducke), em Viveiros, Manaus, Amazonas

More...
Ambiência  2009 

Revis o sobre alguns grupos de inseticidas utilizados no manejo integrado de pragas florestais / A review of some insecticide groups used in forest pest integrated management

Keywords: certifica o florestal , moléculas inseticidas , agrotóxicos.

Full-Text   Cite this paper   Add to My Lib

Abstract:

ResumoMuito embora os princípios, critérios e indicadores da certifica o florestal exijam das empresas a valoriza o do controle biológico e a diminui o do uso de pesticidas, atualmente podemos nos valer de estratégias químicas que permitem minimizar os impactos sobre organismos n o alvo, em que, respeitadas as devidas autoriza es e disposi es legais, s o utilizadas como estratégias dos programas de controle e manejo integrados. Este trabalho tem como objetivo apresentar uma revis o bibliográfica a qual se estabeleceu um grau de evolu o entre os inseticidas no controle de pragas florestais. O desenvolvimento classifica os grupos químicos de defensivos em quatro gera es: na primeira, os produtos inorganicos; na segunda, os organoclorados, os organofosforados, os carbamatos e os piretróides; na terceira gera o, os reguladores de crescimento e os fagos-inibidores; e na quarta, a biotecnologia e os produtos neonicotinóides, seu modo de a o e seus métodos de aplica o. As técnicas precisam ter como meta o aumento das produtividades ao ponto em que, simultaneamente, preservem o meio ambiente no seu sentido mais amplo, inclusive, considerando o ser humano como parte deste sistema.AbstractThe principles, criteria and forest certification indicators demand from companies more use of biological control and instead of esticides use. However, nowadays it’s common to see the use chemical strategies that allow minimizing impacts on non-target organisms. Respecting the due authorizations and legal dispositions, these strategies is used in the integrated pest management (IPM) programs. This paper presents a revision of literature, establishing a degree of evolution amongst the insecticides used in forest pest control. The chemical groups are classified in four generations: in the first, the non-organics; in the second, the organochlorides, organophosphate, carbamates and piretroids; in the third, the insect growth regulators and limonoids; in the fourth, the biotechnology and neonicotinoids, presenting their way of action and application methods. All techniques need to have the productivity increase as goal, while concurrently preserving the environment in a wide sense - considering the human being as part of the system.

Full-Text

comments powered by Disqus