All Title Author
Keywords Abstract

Galáxia  2008 

Um passaporte húngaro, de Sandra Kogut: cinema polí-tico e intimidade

Full-Text   Cite this paper   Add to My Lib

Abstract:

Um passaporte húngaro, da cineasta e videoartista brasileira Sandra Kogut, é um filme que utiliza diferentes tecnologias para construir uma narrativa em que a diretora está fortemente presente. Trata-se de um filme em que a esfera da vida privada está em primeiro plano, indo ao encontro de uma realidade midiática que esvazia cada vez mais a esfera pública em favor da intimidade. Contudo, diferentemente do que assistimos na televis o, o filme articula de maneira singular experiências pessoais com a história e a memória coletivas, imprimindo deslocamentos importantes tanto em rela o í produ o midiática quanto ao documentário clássico polí-tico e aos filmes autobiográficos mais correntes. Palavras-chave cinema, documentário, intimidade, memória, polí-tico Abstract A Hungarian Passport, a film by Sandra Kogut, a Brazilian film-maker and video artist, makes use of different technologies in order to construct a narrative in which the director is strongly present. The private life circle is quite evident in the film, conforming to a media reality that progressively does without a public context in favour of the intimate. However, different from what we see on television, this film, in such special manner, articulates personal experiences with collective history and memory, imprinting important displacements both in relation to the mediatic production and the classical political documentary as well as the more common autobiographical films. Key words cinema, documentary, intimacy, memory, politics

Full-Text

comments powered by Disqus